Você está na página 1de 22

FACULDADE VALE DO SALGADO

CUROS DE FISIOTERAPIA
DISCIPLINA: CITOLOGIA

METABOLISMO CELULAR

PROF. ESP.: LUZENIR ALVES DE LIMA


ICÓ - FVS
ENERGIA USADA PELA CÉLULA
 A energia é obtida de moléculas de ATP.
 As usinas geradoras de moléculas de ATP são
as mitocôndrias.
 O ATP pode ser usada para as distintas
atividades celulares.
 Justifica-se as grandes quantidades de
mitocôndrias que as células possuem.
Metabolismo Energético
 O ser vivo gasta energia
continuamente para manter as
diversas atividades celulares, nas
quais moléculas são modificadas,
quebradas ou unidas entre si
transformando-se em outras.
Essa imensa e incessante
atividades de transformação
química é denominada
METABOLISMO.
Metabolismo
 REAÇÕES DE SINTESE:
- São aquelas que moléculas mais simples se
unem para formar aquelas de maior
complexidade

 REAÇÕES DE DEGRADAÇÃO:
 - São aquelas que moléculas mais complexas
são degradadas transformando-se em
moléculas mais simples.
Alimentos
 A energia é retirada dos alimentos;
 Os alimentos são degradados por enzimas;
 A degradação começa no sistema digestivo;
FONTES DE ENERGIA
HIALOPLASMA
Glicídios

Lipídios Proteínas
Ácido Aminoácidos
Glicerol Pirúvico
Ácido Oxalacético
Ácido Graxo e Cetoglutário
ACETIL
Hélice de Lynen Coenzima A
MITOCÔNDRIA

CICLO DE
KREBS

CO2 CO2
NADH2 FADH2
H+
Cadeia Aceptores
Respiratória

H2O ATP
Metabolismo: glicose
1. A glicose é quebrada por uma série de reações
bioquímicas, envolvendo um quantitativo numeroso de
enzimas e produzindo uma série igualmente numerosa
de compostos intermediários.
2. Durante a oxidação da glicose, a energia é transferida
para nucleotídeos fosforilados:
- O trifosfato de guanosina (GTP)
- O trifosfato de citosina (CTP)
- O trifosfato de uracila (UTP)
- O trifosfato de adenosina (ATP).
Trifosfato de adenosina - ATP
 1. Nucleotídeo mais importante
 - Constituído por uma base nitrogenada
(ADENINA), um glicídio ribose e três radicais
fosfatos.
 2. Participa das inúmeras reações e processos
metabólicos relacionados à transferência e
conversão de tipos de energia
 3. A hidrólise do radical fosfato terminal do ATP,
formando difosfato de adenosina (ADP) e fosfato
inorgânico, libera energia livre de 7,3 kcal/mol,
quantidade apropriada para as funções celulares.
Mecanismo de regeneração do ATP
1. O primeiro é a fosforilação pelo nível de substrato, em que um
radical fosfato é transferido para o ADP por um composto
intermediário, a fim de formar o ATP. Este tipo de fosforilação
pode ocorrer na ausência de oxigênio, condição denominada de
metabolismo anaeróbico.

2. O segundo mecanismo de produção de ATP é a fosforilação


oxidativa, que ocorre nas membranas internas das organelas
denominadas mitocôndrias, e que exige a presença de oxigênio
molecular, chamado metabolismo aeróbico.
Coenzimas
 A maior parte da energia da glicose é retirada
por meio de reações de oxirredução. Nestas
reações participam substâncias conhecidas
como coenzimas.
 As mais importantes coenzimas carreadoras
de elétrons são o dinucleotídio de
nicotinamida-adenina e o dinucleotídio de
flavina-adenina. As formas oxidadas dessas
coenzimas são abreviadas por NAD+ e FAD+;
as formas reduzidas são NADH e FADH2.
MITOCÔNDRIAS
 Tem forma de bastonete, e apresenta
duas membranas de revestimento: a
externa que é lisa e a interna com
invaginações chamadas cristas.
 Possui DNA, RNA e ribossomas
próprios.
 Tem capacidade de
autoduplicação.
MITOCÔNDRIAS
 Local onde ocorre a Respiração
Celular Aeróbia.
 Principal processo de obtenção de
energia da célula.
 Está muito presente em células do
sistema nervoso e no coração, visto
apresentarem uma demanda maior de
energia.
RESPIRAÇÃO CELULAR

 A DEGRADAÇÃO DA GLICOSE NA RESPIRAÇÃO


CELULAR OCORRE EM TRES ETAPAS:

 1. GLICÓLISE

 2. CICLO DE KREBS

 3. FOSFORILAÇÃO
 OXIDATIVA
GlicóliseOcorre no citoplasma (fora da
mitocôndria).
 Consiste na degradação da glicose até a formação
de duas moléculas de ácido pirúvico.
Ciclo de Krebs Ocorre na matriz mitocondrial.
 Cada molécula de ácido pirúvico penetra na mitocôndria
e participa de um ciclo de reações com liberação de gás
carbônico e hidrogênio.

 Cadeia Respiratória Ocorre nas cristas mitocondriais.


 Hidrogênios são transferidos, por aceptores, ao oxigênio,
formando-se água. A energia liberada nesta transferência é
utilizada na síntese de ATP.
Respiração Aeróbica
 Equação geral:

C6H12O6 + 6O2  6CO2 + 6H2O + 38ATP


Glicólise
 Quebra da glicose em duas moléculas
de piruvato + NADH + ATP
• Após a formação dos ácidos pirúvicos eles entram
na mitocôndria, sendo atacados então por
desidrogenases e descarboxilases.

• Logo, são liberados CO2, que são liberados pela


célula e hidrogênios que são capturados pelo NAD.
• O acetil formado combina-se com a Co-enzima A
(Co-A) e a nova molécula (Acetil-CoA) começa o ciclo
de Krebs
GLICÓLISE
GLICOSE ÁCIDO PIRÚVICO

CO2
CICLO DE NADH2
KREBS ACETIL
Coezima 2C
Enquanto o CO2 é A
ACETIL-CoA
resíduo final, os 2C
CoA
hidrogênios ainda se
destinam à cadeia
respiratória, onde Ácido Oxalacético 4C Ácido Cítrico
6C
serão oxidados. CICLO CO2
NADH2
FADH2 DE NADH2
ATP KREBS
Ác. Acetoglutárico 5C
4C

CO2
NADH2
CADEIA RESPIRATORIA: 3 bombas de protons
ATP-sintase
Síntese de ATP

Os prótons bombeados para fora da membrana interna


da mitocôndria, VOLTAM para dentro da mitocôndria
através de um canal representado pela ATP sintase

Ao voltar para dentro, ocorre liberação de energia


que é utilizada pela ATP sintase para a síntese de
ATP

ADP + Pi ATP sintase ATP

Fosforilação oxidativa
Fim
luzenir@fvs.edu.br

Você também pode gostar