Você está na página 1de 37

Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais

Classificação e Processamento
de Sucata
Siderurgia II
Profa. Janaína Machado

Equipe:
Ana Karine - 385700
Caio Justa - 389313
Carlos Mateus - 385707
Lucas Gomes - 389322
Sumário
Classificação

• Utilizando como referência a ABNT NBR 16229 – Sucata de ferro fundido e


aço, podemos fazer a classificação da sucata quanto a origem, quanto as
características físicas e composição química.
Origem

• Industrial
• Sucata resultante de qualquer processamento industrial
• Obsolescência
• Sucata resultante de todos os materiais considerados obsoletos e irrecuperáveis para o
uso a que se destinavam originalmente
Características físicas

• Leve
• Possuir densidade aparente inferior a 0,6t/m³
• Pesada
• Possuir densidade aparente superior a 0,6t/m³
Composição química
• Não ligada comum
• Sucata de aço cujo elementos residuais não excedam os seguintes teores: 0.10% de
níquel,0.10% de cromo, 0.10% de molibdênio, 1% de manganês, 0.04% de fósforo e
0.05% de enxofre.
• Não ligada especial
• Sucata de aço cujo elementos residuais não excedam os seguintes teores: 0.20% de
níquel,0.20% de cromo, 0.10% de molibdênio, 1.65% de manganês, 0.04% de fósforo e
0.05% de enxofre.
Composição química

• Baixa liga
• Soma dos elementos de liga não deve ser superior a 5% em peso
• Alta liga
• Soma dos elementos de liga deve ser maior que 5% em peso
Classificação

• Considerando uma análise em conjunto do principais critérios citados, cada


usina siderúrgica adota uma classificação da sucata considerando seu
processo produtivo, tipos de equipamentos utilizados e outros fatores.
Classificação

• Podemos dividir a sucata ferrosa em:


• Sucata de indústria/especial
• Sucata de obsolescência
• Sucata de cavacos
• Sucata de carburantes
Sucata especial
• ESP- Estamparia preta solta
• Gerada na estampagem de chapas
de aço carbono, isentas de qualquer
tipo de revestimento, impurezas e
elementos químicos residuais.
Tolerável fina camada de oxidação.
• Exemplos: Retalhos de estamparia
industrial, tubos, fitas, chapas finas,
aros de bicicletas, etc.
Sucata especial

• PEP-Pacote de estamparia preta


• Pacotes feitos de estamparia preta,
especial graúda, emaranhados, botijões
de gás sem revestimento, etc.
Obsolescência

• MIS - Sucata mista


• Sucata de obsolescência em geral,
leve, solta, composta por bens de
consumo e materiais descartados ao
fim de sua vida útil.
• Exemplos: Geladeiras, fogões,
latinhas de aço, máquinas de lavar,
tambores, etc.
Obsolescência

• PME - Pacote misto de encharutador


• Sucata mista prensada com dimensões
superiores a 80cm
Obsolescência

• EMR - Sucata de emaranhado


• Sucata de difícil manuseio ou processamento
por estar emaranhada.
• Exemplos: arames, vergalhões, telas, cabos
de aço, colchões de molas, etc.
Obsolescência

• MIU - Sucata miúda


• Sucata de obsolescência com alto índice de
residuais. Pode possuir revestimento ou não.
Dimensões inferiores a 80cm.
• GRA - Sucata Graúda
• Sucata pesada de obsolescência com
dimensões superiores a 80cm.
Cavaco de aço

• CAV- Cavaco de aço


• Gerado na usinagem de aço carbono,
composto por cavacos miúdos, com
baixo teor de óleo e isento de
impurezas. Admite-se impregnação
superficial de óleo solúvel e residuais.
Carburantes

• FFM - Ferro fundido miúdo


• Sucata de alto carbono, gerada
predominantemente pela obsolescência de peças
de ferro fundido. Possui dimensões máximas de
80 cm.
• FFG - Ferro fundido graúdo
• Sucata de alto carbono, gerada
predominantemente pela obsolescência de peças
de ferro fundido. Possui dimensões mínimas de
80 cm.
Processamento
Processamento

• A sucata deve ser processada para promover a separação do material


ferroso do não ferroso, adequar seu tamanho e aumentar sua densidade
aparente.
Processamento

• Os principais tipos de processamento são:


1. Oxicorte
2. Tesoura Móvel
3. Boleamento
4. Prensa tesoura
5. Shredder
Processamento
Oxicorte Tesoura Móvel Boleamento Prensa tesoura Shredder
Sucata

Mista x x

Cavaco x

Graúda x x

Miúda x

PEP x

Ferro Fundido Graúdo x x

Ferro Fundido Miúdo x x

Emaranhado x x

PME X
Oxicorte
Oxicorte

• Oxicorte é um processo de seccionamento de


metais pela combustão localizada e contínua
devido à ação de um jato de O2 de elevada
pureza, agindo sobre um ponto previamente
aquecido por uma chama oxi-combustível.
• Príncipio de operação:
Na temperatura ambiente e na presença de O2, o
ferro se oxida lentamente. À medida que a
temperatura se eleva, esta oxidação se acelera,
tornando-se praticamente instantânea a 1350°C.
Oxicorte

• As condições básicas para ocorrência do oxicorte são:


1. a temperatura de início de oxidação viva deve ser inferior à temperatura de fusão do metal
2. a reação deve ser suficientemente exotérmica para manter a peça na temperatura de
início de oxidação viva
3. os óxidos formados devem ser líquidos na temperatura de oxicorte facilitando seu
escoamento para possibilitar a continuidade do processo
4. o material a ser cortado deve ter baixa condutividade térmica
5. os óxidos formados devem ter alta fluidez
Gases utilizados

• Para a obtenção da chama oxi-


combustível, são necessários pelo
menos 2 gases, sendo um deles o
oxidante (O2) e o outro o
combustível, podendo este ser
puro ou mistura com mais de um
gás combustível.
• Temperatura de chama acetileno
máxima é de 3160 °C
Oxicorte

• Variáveis envolvidas no processo:


1. Espessura da peça
2. Grau de pureza do material a ser cortado
3. Pressão e vazão dos gases
4. Velocidade de avanço do maçarico
5. Grau de pureza de O2
Oxicorte
• Vantagens:
1. Para espessuras acima de 30 mm se torna o processo de corte mais barato por metro cortado
2. Equipamentos simples
3. Facilidade de treinamento do operador
4. Não necessita de eletricidade
5. Diversos gases combustíveis podem ser utilizados
6. Pequeno investimento inicial
7. Possibilita utilizar sucatas recebidas com dimensões fora do padrão do processo.
Oxicorte
• Desvantagens:
1. Nem todos materiais podem ser cortados por esse processo
2. Equipamentos são pesados e de difícil manuseio, dificultado o acesso a lugares altos
3. Alto grau de risco devido o manuseio de gases inflamáveis e sob pressão
Tesoura Móvel

• Possui uma tesoura hidráulica presa à uma escavadeira, que proporciona o funcionamento
semelhante a uma pinça;
• Processa sucatas que geram dano à prensa tesoura, ou que diminuem a sua produtividade;
• Sucatas de comprimento ou volume elevados. Ex: Sucata de fio máquina e aço inoxidável;
Prensa Tesoura

• Realiza corte e compactação da sucata,e remove posteriormente impurezas;


• Objetivo de aumentar a densidade aparente da sucata;
• Representam uma evolução das tesouras hidráulicas;
• I) Abastecimento: por meio de guindaste ou escavadeira,
depositando o material em uma bandeja, que se inclina e
envia o material para a compactação;
• II) Compactação: na horizontal e vertical, formando pacotes,
que serão empurrados por um cilindro até a área de corte;
• III) Corte: realizado por 2 navalhas superiores e 2 inferiores;
Etapas • IV) Transporte: através de esteira, a sucata é transportada
até os tambores rotativos;
do • V) Limpeza: utilizando os tambores rotativos, provoca a
Processo queda das impurezas e da sucata de menor dimensão,
através dos furos da estrutura;
• VI) Transporte: com a sucata mais limpa e mais densa, sua
depositadas em pilhas, para serem utilizadas na aciaria;
• VII) Separação Magnética: para a máxima recuperação de
material ferroso, os finos misturados com impurezas
oriundos da limpeza no tambor rotativo são direcionados;
Etapa de Separação Magnética
Etapa de Compactação

Etapa de Corte
Boleamento

• Processo geralmente utilizado para a compactação de materiais de maior


resistência mecânica;
• Utiliza guindastes com bolas de aço de 5 a 12 toneladas, para a operação sobre a
sucata;
• Estes materiais, se direcionados a processos como a prensa tesoura, por exemplo,
causariam danos ou desgaste excessivo nas ferramentas;
• Processo responsável sobretudo pela compactação de Ferro Fundido Graúdo;
Shredder

• Funções:
- Suprir a demanda de sucata acumulada;
- Aumentara quantidade de sucata processada;
- Aumentar a produtividade da aciaria;
• I) Transferência de sucata para os transportadoresde correia
que levam aos trituradores;
• II) Nos trituradoresatuam martelos que pesam 180kg, com
capacidade, por exemplo, de triturar um carro em segundos;
Etapas • III) Nos Tambores Magnéticos, realiza-se a separação de
metais não ferrosos, como Al, Zn e Cu;
do • IV) Nas peneiras vibratórias, por densidade e granulometria,
separa-se impurezas e detritos da sucata;
Processo • V) Há uma nova coleta nas esteiras, de modo que o material
não magnetizado volte ao início do processo dos tambores
magnéticos;
• VI) A sucata remanescente passa por uma coleta manual;
Referências
• DE OLIVEIRA, A.Estudo Comparativo do desgaste de navalhas de
aço AISI e SAE durante corte da sucata, PPGEM,p. 15-40,2008.
OBRIGADO !!!

Você também pode gostar