Você está na página 1de 21

Pontifícia Universidade

Católica de Goiás

TENSÕES NOS SOLOS

Disciplina: Geotecnia 1
Geotecnia I

Profa. : Melina Freitas Rocha


Tensões nos Solos

Considera-se para os solos que as forças são transmitidas de


partículas para partículas e algumas suportadas pela água dos
vazios.

• Essa transmissão depende do tipo de mineral


→ partículas maiores :
A transmissão das forças são através do contato direto de
mineral a mineral

→partículas de mineral argila: (número grande)


Geotecnia I

As forças em cada contato são pequenas e a transmissão pode


ocorrer através da água quimicamente adsorvida.

2
Tensões no Solo
Água adsorvida
Água mantida na superfície dos grãos de um solo por esforço de
atração molecular.

Tensão total em um meio contínuo:


Forças transmitidas à placa; que
podem ser normais e tangenciais.
Por uma simplicidade sua ação
é substituída pelo conceito de
tensões.
Geotecnia I

3
Tensões Geostáticas
Tensões na massa de solo
→ Tensões devido ao peso próprio;
→ Tensões devido a propagação de cargas externas aplicadas ao
terreno.

Tensões devido ao peso próprio do solo


Quando a superfície do terreno é horizontal, aceita-se, que a
tensão atuante num plano horizontal a uma certa profundidade
seja normal ao plano. Não há tensão cisalhante nesse plano.
Geotecnia I

 n .Vol
v    n .h
Área
4
Tensões Geostáticas
Tensões na massa de solo
→ Tensões devido ao peso próprio;
→ Tensões devido a propagação de cargas externas aplicadas ao
terreno. Nível d’água

zw q

z z z z z
z

h h
Geotecnia I

z = z z = z + wzw z = z + q

5
Tensões Geostáticas
Exemplo de Cálculo
Geotecnia I

   .h
6
Tensões Geostáticas
Exercício 1 – Calcule a tensão total a 15m de profundidade.
Geotecnia I

   .h
7
Tensões Geostáticas
Exercício 1

Diagrama de tensões
0m
argila orgânica mole preta
 = 15 kN/m3
-4 m
areia fina argilosa medianamente compacta
 = 19 kN/m3
-7 m

argila siltosa mole cinza escuro


 = 17 kN/m3

-15 m
Geotecnia I

solo de alteração de rocha 0 50 100 150 200 250 300

kPa

8
Tensões Geostáticas
Pressão neutra ( ou poropressão) – u ou uw
Pressão na água dos vazios do solos → corresponde a carga
piezométrica da Lei de Bernoullli.

zw=altura da coluna d’água. u   w .z w


Ao notar a diferença de natureza das forças atuantes, Terzaghi
identificou que a tensão total num plano qualquer deve ser
considerada como a soma de duas parcelas:

(1) A tensão transmitida pelos contatos entre as partículas, por


Geotecnia I

ele chamada de tensão efetiva (σ’)


(2) Pela pressão da água, a qual recebeu a denominação de
pressão neutra ou poropressão.

9
Tensões Geostáticas

q = 50 kPa

NA
Geotecnia I

10
Calculo das tensões
Camada 01 Camada 02 Camada 03
q : 50kPa σ1  110 kPa σ2  167 kPa
kN kN kN
γ : 15 γ : 19 γ : 17
3 3
m 3 m
m
h1 : 4m h3 : 8m
h2 : 3m
σ1 : q + γ  h1 σ3 : σ2 + γ  h3
σ2 : σ1 + γ  h2
σ1  110 kPa σ3  303 kPa
σ2  167 kPa
Calculo
Calculo das das poropressões
poropressões
Camada
Camada 01 01 Camada 02 Camada 03
kN
u1 : 0 u2 : 0 γ w : 10
3 u3 : u2 + γ w h3
pois a camada é de m
pois a camada é de
solo seco. Acima do NA. solo seco. Acima do NA. h3 : 8m u3  80 kPa
11
5 5 5
0 10 110 210 310
2
3
4
Profundidade (m)

5
6
h
7
h 8
9
 10
 11
 12
 13
 15  14
 15

0kPa u  350kPa

Tensão Total/ Poropressão (Pa)


12
Tensões Geostáticas
Terzaghi estabeleceu o Princípio da Tensões Efetivas:

 A tensão efetiva, para os solos saturados, pode ser expressa


por:
 '  u
Poropressão
Tensão total

 Todos os efeitos mensuráveis resultantes de variações de


Geotecnia I

tensões nos solos, como compressão, distorção e resistência ao


cisalhamento são devidos a variações de tensões efetivas.

13
Tensões Geostáticas
Terzaghi estabeleceu o Princípio da Tensões Efetivas:

“Se a tensão total num plano aumentar, sem que a pressão da


água aumente, as forças transmitidas pelas partículas nos seus
contatos se alteram, as posições relativas dos grãos mudam”
O aumento de tensão foi efetivo!

Nos solos as
deformações
correspondem a
variações de forma ou
Geotecnia I

de volume do
conjunto, resultantes
do deslocamento
relativo de partículas.
14
Tensões Geostáticas
Terzaghi estabeleceu o Princípio da Tensões Efetivas –
Explicação física!
Geotecnia I

15
Tensões Geostáticas
Exemplo de Cálculo:
Geotecnia I

16
Tensões Geostáticas
Cálculo das tensões efetivas com o peso específico aparente
submerso.

• No exemplo anterior o acréscimo de tensão efetiva da cota -3 m


até à -7 m é o resultado do acréscimo da tensão total, menos o
acréscimo da poropressão.

∆σ = ∆z . γn = 16 x 4 = 64 kPa
∆u= ∆z . γw = 10 x 4 = 40 kPa
∆σ’= ∆σ - ∆u = 64 – 40 = 24 kPa
Geotecnia I

Esse acréscimo pode ser calculado por meio do peso específico


submerso que leva em conta o empuxo da água:  sub   nat   w
∆σ’= ∆z . γsub = 4x(16-10) = 24 kPa

17
Tensões Geostáticas
 Exercício 3 : Considere o perfil abaixo. Trace o gráfico da
variação de σ, u e σ’, a 0m ; 4m ; 7m e 15m.
NA
Diagrama de tensões
0m
argila orgânica mole preta
 = 15 kN/m3
-4 m Tensão Efetiva
areia fina argilosa medianamente compacta
 = 19 kN/m3
-7 m
Tensão Total

argila siltosa mole cinza escuro


 = 17 kN/m3 Poropressão
Geotecnia I

-15 m
solo de alteração de rocha 0 50 100 150 200 250 300

kPa

18
Tensões Geostáticas
 Exercício 4 : Considere o perfil abaixo. Onde:
H = 2 m ; H2 = 1,8 m ; H3 = 3,2 m. Trace o gráfico da variação
de σ, u e σ’.

Solo Seco
Geotecnia I

19
20
 Exercício 4
Tensões Geostáticas
ROTEIRO DE
CÁLCULO

1) Calcule o γd (areia)
2) Calcule o γ (areia Tensões (kPa)
-20 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180
úmida) 0
3) Calcule o e (argila 1 σ (kPa)

Profundidade (m)
saturada)
2
4) Calcule o γ (sat da u (kPa)
3
argila)
5) Calcule as tensões 4 σ' (kPa)
Geotecnia I - 2012

5
totais e as
6
poropressões em
7
cada ponto
8
6) Calcule as tensões
efetivas;
7) Desenhe os
diagramas. 21