Você está na página 1de 29

| 


 
| 

Aline de Oliveira Laurindo


Ana Bresser Tokeshi
Bianca Avansi Camerini
Bruno de Pierri Tamura
Caso clínico
 J.C.S., um advogado de 40 anos,acompanhado de um familiar, chega
ao pronto-socorro queixando-se de dor forte e intermitente na face
anterior do tórax que irradia para o seu braço esquerdo
acompanhada de sudorese e náusea (sintomas típicos de m  m
 
O. O paciente relatou estar realizando atividade física
quando iniciou-se o quadro descrito. J.C.S. foi submetido a um
eletrocardiograma que mostrou alterações compatíveis com
isquemia do miocárdio. Após estabilização do quadro, com melhora
dos sintomas e normalização das alterações eletrocardiográficas, foi
colhida a história clínica e familiar do paciente, além de amostras
de sangue para avaliação.
esultados clínicos
 Paciente afirma nunca ter sentido algo parecido;
 Histórias de doenças cardiovasculares na família (hipertensão e DACO;
 Paciente fumante;
 HDL: 37 mg/dL (normal >40O e LDL: 170 mg/dL (normal <130O;
 Colesterol total: 251 mg/dL (normal <200O e triglicérides: 220 mg/dL
(normal <150O;
 Glicemia: 117 mg/dL (normal <100O;
 PA: 150_A0 mmHg (normal: 140_A0 mmHgO;
 Xxames laboratoriais para caracterização de infarto do miocárdio:
o 

Diagnóstico: Doença arterial coronariana


Bases Bioquímicas
 Principais substratos energéticos para os cardiomiócitos:
 Ácidos graxos
- Corpos cetônicos (fornecem acetil-CoA para o ciclo do ácido cítricoO
- Via sangüínea
 Glicose (sofre várias reações para virar oxaloacetato do ciclo do ácido
cítricoO
 Piruvato ʹ Lactato (condições anaeróbiasO
Absorção dos lipídios
Mobilização dos lipídios

eceptor 7TM:
Xstimulado por
epinefrina e
glucagon.
Inibido pela insulina.

Ácidos graxos de
cadeia longa:
transportados pela
albumina.
Ativação dos ácidos graxos
ácido graxo + CoA + ATP acil-CoA graxo + AMP + PPi
Transporte dos ácidos graxos
 Papel da carnitina acil-transferase ʹ passagem do ácido graxo para dentro da
mitocôndria

Na mitocôndria: oxidação em 3 etapas ʹ beta-oxidação, ciclo de Krebs e cadeia respiratória.


Metabolismo dos
ácidos graxos
m 
Sequência de quatro reações:
- Oxidação por FAD
- Hidratação
- Oxidação por NAD+
- Tiólise pelo CoA
Oxidação dos ácidos graxos

Oxidação do palmitato
(16 carbonosO
Metabolismo dos ácidos graxos
endimento da oxidação do ácido esteárico
- Cada molécula possui 18 C requer 8 ciclos de reações
A acetil-CoA 27 NADH X 2,5= 67,5 ATP
- Cada molécula: 8 FADH2 X 1,5 = 12 ATP A FADH2 X 1,5 = 13,5 ATP
8 NADH X 2,5 = 20 ATP A GTP = A ATP

Total: 122 - 2= Î   

Os ATPs gastos servem para:


- 1 ATP na ativação da lipase
- 1 ATP para unir o Ác. Xsteárico
com o CoA
Metabolismo da Glicose
 Quantidade de ATPs formada na oxidação de 1 mol de glicose:
- 1 glicose 2 piruvatos + 2 NADH + 2 ATP
- 2 piruvatos 2 acetil-CoA + 2 NADH

6 NADH X 2,5 = 15 ATP


- 2 acetil-CoA 2 FADH2 X 1,5 = 3 ATP
2 GTP = 2 ATP

- 4 NADH x 2,5 = 10 ATP

-      
Metabolismo do colesterol
Síntese de
Colesterol

Xnzima chave:
HMG CoA
redutase
Lipoproteínas
 Cerne de lipídeos hidrófobos envolvido por uma capa de
lipídeos mais polares e proteínas (apolipoproteínasO;
 Funções:
Solubilizam lipídeos hidrófobos
Contém sinais de endereçamento às células
 Classificação:
HDL
LDL
VLDL
Quilomícrons
Lipoproteínas
 Quilomícron
- Transporta triacilglicerol, colesterol
e outros lipídeos exógenos.
- Suas proteínas são: ApoB-48, ApoX
e ApoC-II (ApoC-II e ApoC-IIIO.
- Os quilomícrons remanescentes
são resíduos ricos em colesterol e
são captados pelo fígado.
- É um dos atores na absorção
intestinal.
Lipoproteínas
 VLDL
- Transporta triacilglicerol e colesterol endógenos.
- Suas proteínas são: ApoB-100, ApoX, ApoC-I, ApoC-II e ApoC-
III.
- Os remanescentes ricos em colesterol (IDLO vão para o fígado
ou são transformados em LDL pela remoção adicional de
triglicerídeos.
Lipoproteínas
 LDL
Transporta colesterol para tecidos
periféricos e regula indiretamente a
síntese de colesterol nestes tecidos.
 egula a HMG-CoA redutase
regulando o nível de colesterol.
A proteína é a ApoB-100
Lipoproteínas
 HDL
- ealiza o transporte reverso de colesterol: Transporta colesterol
de células mortas e de membranas em renovação que são
levados para o fígado e para tecidos que sintetizam hormônios
esteróides.
- A proteína é a ApoA.
Lipoproteínas
Doença Arterial Coronariana
 Deficiência de ApoB-100
- Não ocorre endocitose do
colesterol nos tecidos
periféricos.
- O LDL fica percorrendo a
circulação sanguínea.
Formação da placa de ateroma
 Aumento do LDL plasmatico + lesão no endotélio = entrada de LDL
no subendotélio.
 Oxidação do LDL no subendotélio ʹ liberação de citocina
(sinalizador do monócitoO.
 Xntrada do monócito/macrófago no subendotélio ʹ formação da
célula espumosa ʹ libera fator de crescimento dependente de
plaqueta (PDGFO ʹ migração de fibroblastos da camada muscular
para o subendotélio.
Formação do trombo
 Quando ocorrer contato dos
componetes subendoteliais
com o sangue, há
estimulação para a
formação de coágulo.
 Tanto a placa quanto o
coágulo obstruem a luz do
vaso.
 A mobilidade do coágulo
pode causar obstrução em
outros locais diferentes do
da formação da placa.
Formas de utilização do ATP pelo
miocárdio:
 Contração Muscular ʹ interação
actina/miosina

 Bombas de Na+/K+; Ca2+ ATPase


ʹ gênese/condução de
potenciais de ação
Papel da Lactato Desidrogenase (LDHO
 Xxiste no coração, nos músculos esqueléticos e nas hemácias
 Piruvato Lactato desidrogenase Lactato
 A reação acima libera NAD+, que garante a continuação da glicólise.
Angina Pectoris - classificação
 Xstável
- Ocorre durante o esforço físico e não está associado
à necrose.
 Isquemia sem necrose leva ao acúmulo de lactato.
 Instável
- Não ocorre necessariamente durante o esforço e
está associado a necrose
Doença Arterial Coronariana
 Fatores de risco
- hipertensão arterial (150 x A0 mmHgO
- níveis sangüíneos elevados de LDL ( 170 mg/dLO
- níveis baixos de HDL (37mg/dLO
- tabagismo (paciente fumanteO
- diabete melito
- obesidade
- sedentarismo
- estresse psicossocial
- envelhecimento
- histórico familiar
Tratamento
O objetivo do tratamento é cessar
as fontes primárias de colesterol às
células para que haja estímulo a
produção de receptores ApoB-100 e
para diminuir a concentração do
colesterol no sangue.
 Dieta
 Xstatinas
- Inibidores competitivos
da HMG-CoA redutase
- Administrar durante a
noite (ciclo circadianoO
- Lovastatina e Compactina
Tratamento
 Inibidores de absorção intestinal do colesterol
- Atuam nos receptores dos enterócitos jejunais
diminuindo a absorção de colesterol
- Não impede a absorção de triglicerídeos
- Xzetimiba
 Óxido nítrico (NitroglicerinaO
- Usado para aliviar a angina
- Vasodilatador
 Cirúrgico