Você está na página 1de 1

ANÁLISE ESTRUTURAL DE ESTUFA AGRÍCOLA EM ARCO

Beatriz Borges Faria Fonseca, Universidade de Itaúna, bibiborges_11@hotmail.com. Guilherme Geraldo Faria Alves, Universidade de Itaúna, guialvesf@hotmail.com. Rafael Cônsoli Coelho,
Universidade de Itaúna, rafaconsolic@gmail.com. José Felipe Dias, Universidade de Itaúna, josefelipedias@gmail.com.

INTRODUÇÃO FIGURA 3 – Envoltórias de diagramas de momentos fletores

Estufas agrícolas são estruturas fechadas cobertas por materiais semitransparentes, que
possibilitam o controle das condições climáticas, além de proteger a cultura de agentes
externos, possibilitando produzir cultivos fora de estação e com grande produtividade.

Com base em reclamações, por parte do fabricante, de falha por ruptura ou deformação
plástica de elementos estruturais da estufa em arco, FIGURAS 1 e 2, realizou-se a análise
estrutural, com o auxílio do software Metálicas 3D, para a determinação dos esforços aos
quais ela é submetida, a fim verificar se ela está dimensionada de acordo com a norma
ABNT NBR 16032 (2012), referente a estufas e viveiros agrícolas.

FIGURA 1 – Estufa em arco

Tubos de
aço Fonte: Elaborado pelos autores (2018).

FIGURA 4 - Panorama das taxas de aproveitamento dos elementos


4m

Postes de  = 3,81
3m
Madeira
8m
Fonte: Elaborado pelos autores (2018).

FIGURA 2 – Estufa da região de Divinópolis após chuva ocorrida no dia 06/08/2018


 = 1,27  = 1,04

Fonte: Elaborado pelos autores (2018).

Como é possível perceber na FIGURA 3, as regiões onde ocorrem momentos fletores


máximos combinados com as forças normais, superam a resistência de cálculos dos
elementos utilizados, destacados em vermelho na FIGURA 4. As regiões com taxa de
aproveitamento superior ao valor 1 coincidem com as regiões de falha das estufas, como
mostra a FIGURA 2 e informações repassadas pela empresa Sodmec. Portanto, para que a
estufa suportasse tais carregamentos, seriam necessárias mudanças no projeto, como postes
de diâmetro mínimo de 150 mm ou reforços locais para as regiões críticas.
Fonte: Acervo Sodmec (2018).
CONCLUSÃO
METODOLOGIA
A estufa analisada nesse projeto está subdimensionada, visto que partes da estrutura falham
As dimensões e materiais utilizados na construção da estufa foram informados pela devido às cargas de vento aplicadas. Os cálculos indicam a necessidade de aumento de
Sodmec, fabricante de estufas agrícolas. Os postes são feitos em eucalipto com dimensões ou reforços nas regiões críticas, a fim de aumentar a vida útil da estrutura.
comprimento de 4 metros e diâmetro variando de 100 a 130 mm, o arco e a ligação entre
os arcos são feitos com tubos redondos em chapa de aço de 50,8 mm de diâmetro e 1,2 mm Sendo o filme plástico de cobertura que transmite os esforços gerados pelo vento e chuva,
de espessura e o tirante é feito em tubo retangular de chapa de aço com 1,2 mm de para os elementos estruturais da estufa, pretende-se dar continuidade à pesquisa criando
espessura, com dimensões de 50x30 milímetros. O estudo se baseou nas normas ABNT dispositivos ou ruptura do filme antes da ocorrência de cargas críticas na estrutura da
NBR 16032 (2012) e NBR 6123 (1988), a qual regulamenta as forças devido ao vento em estufa. Desta forma, a mesma seria preservada mesmo na ocorrência de ventos e chuvas
edificações. Foram analisados o vento a 0°, na direção perpendicular à estufa e o vento a acima da média, reduzindo os prejuízos e o risco de acidentes.
90°, na direção longitudinal, considerando duas hipóteses de coeficiente de pressão interna
(FONSECA et al., 2018). AGRADECIMENTO

RESULTADOS E DISCUSSÃO Os autores agradecem à empresa Sodmec, fabricante de estufas agrícolas e ao acadêmico
Douglas Oliveira da Silva, por repassarem todas as informações e imagens necessárias
Os resultados parciais da análise estrutural são apresentados nas FIGURAS 3 e 4, geradas para o desenvolvimento do trabalho.
pelo software Metálicas 3D e representam, respectivamente, as envoltórias dos diagramas
de momentos fletores e a taxa de aproveitamento () dos elementos, a qual varia
aceitavelmente de 0 a 1 (FONSECA et al., 2018).

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 6123: Forças devidas ao vento em edificações. Rio de Janeiro, 1988. 66 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 16032: Estrutura de estufa e viveiro agrícola – Requisitos de projeto, construção, manutenção e
restauração. Rio de Janeiro, 2012. 61p.

FONSECA, Beatriz B. F. et al. Análise estrutural de estufa agrícola em arco. In: SEMANA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNLÓGICA DOS CURSOS DE ENGENHARIA E
COMPUTAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE ITAÚNA, 2, 2018, Anais...Itaúna: Universidade de Itaúna, 2018.