Você está na página 1de 25

Universidade Federal do Maranhão

Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia


Engenharia da Computação

Circuitos Digitais (CCCT0049)

Prof. Denisson Oliveira


dq.oliveira@ufma.br
Revisão

• Álgebra booleana : 0 ou 1.
• Variáveis booleanas;
• Operações básicas: AND, OR, NOT
• Outras operações: NAND e NOR
Teoremas de álgebra booleana

• Teoremas de uma variável: são regras utilizadas na simplificação de


expressões e circuitos lógicos
Teoremas de álgebra booleana

• Teoremas de uma variável: são regras utilizadas na simplificação de


expressões e circuitos lógicos
Teoremas de álgebra booleana

• Teoremas com mais de uma variável

Leis da comutatividade

Leis da associatividade

Leis da distributividade
Teoremas de álgebra booleana

• Precedência de operador
• Ocasionalmente pode ser confuso determinar qual operação deve ser realizada
primeiro.

• Quando houver uma expressão onde apareçam as operações AND e OR, a


operação AND deve ser realizada primeiro, a menos que existam parênteses
determinando a ordem correta.


• Exemplo: Z = 𝐴 + 𝐵𝐶
Teoremas de álgebra booleana

• Exemplos:

ത + 𝐴𝐵ത 𝐷
• Simplifique a expressão 𝑦 = 𝐴𝐵𝐷 ഥ;

• Simplifique a expressão: 𝑧 = 𝐴ҧ + 𝐵 𝐴 + 𝐵 ;

ҧ
• Simplifique a expressão: 𝑥 = 𝐴𝐶𝐷 + 𝐴𝐵𝐶𝐷
Teoremas de DeMorgan

• Dois dos mais importantes teoremas da álgebra booleana são


atribuídos a um grande matemático chamado DeMorgan. Os
teoremas de DeMorgan são extremamente úteis para simplificar
expressões nas quais o produto (AND) ou a soma (OR) das variáveis
é invertido.

• Exemplo:
Teoremas de DeMorgan

• Exemplos
Teoremas de DeMorgan

• Soluções:
Teoremas de DeMorgan

• Os teoremas de DeMorgan podem ser estendidos para problemas


com mais de duas variáveis lógicas
Teoremas de DeMorgan

• Aplicação a portas lógicas:


Teoremas de DeMorgan
Teoremas de DeMorgan
Circuitos Integrados e portas lógicas
Símbolos IEEE/ANSI
Símbolos IEEE/ANSI
Método da paridade para detecção de erros

• A movimentação de dados binários e códigos de um lugar


para o outro é a operação mais frequentemente realizada
em sistemas digitais. Para se evitar e detectar erros, o
método da paridade é bastante usado.

• Um bit de paridade é um bit que é anexado ao grupo de


bits do código que está sendo enviado. O bit de paridade
pode ser um 0 ou um 1 dependendo do tipo de paridade
aplicada.
Método da paridade para detecção de erros

• Paridade par:
Método da paridade para detecção de erros

• Paridade ímpar:
Gerador e verificador de paridade
• Vimos anteriormente que um transmissor pode anexar um bit de
paridade a um conjunto de bits antes de transmiti-lo para o receptor.
• A figura mostra um exemplo de circuito lógico que é usado para
geração e verificação de paridade. Este exemplo em particular usa
um grupo de quatro bits como sendo os dados a serem transmitidos
e utiliza um bit de paridade par.
Gerador e verificador de paridade

• Esse circuito pode ser facilmente adaptado para utilização de


paridade ímpar e para qualquer número de bits. Na Figura (a), os
dados a serem transmitidos são aplicados ao gerador de paridade,
que produz um bit que é transmitido para o receptor junto com os bits
originais de dados, formando um total de cinco bits.
Gerador e verificador de paridade

• Na Figura (b), os bits (dados + paridade) chegam ao circuito


verificador de paridade do receptor, que produz uma saída de erro E,
que indica se ocorreu um erro simples em um bit.
Gerador e verificador de paridade

• Exemplo: Determine a saída do gerador de paridade par para cada


um dos seguintes dados de entrada, 𝐷3 𝐷2 𝐷1 𝐷0 :
(a) 0111; (b) 1001.
• Material complementar:

https://www.youtube.com/watch?v=AvkzMOpmxgY

https://www.youtube.com/watch?v=xxK__wIuLr4

https://www.feis.unesp.br/Home/departamentos/engenhariaeletrica/eletronica_
basica_capitulo_08_algebra_booleana_2014.pdf

https://web.fe.up.pt/~jca/feup/lsdi/slides/lsdi-0607-slides-aula-TP3-4.pdf

http://iris.sel.eesc.usp.br/sel414m/Aula%202%20-%20Paridade.pdf