Você está na página 1de 15

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS

JURÍDICAS – PPGCJ
CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS - CCJ

O FENÔMENO DO
SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.

Disciplina: Constitucionalização do Direito Civil


Prof. Adriano Godinho.
Discente: Heloísa Santos – Doutoranda Linha 2
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• “share” (compartilhar) e “parenting” (criação,
cuidado parental).

• “A prática reiterada de compartilhamento, pelos


pais ou responsáveis, de imagens e informações
sobre a vida do filho e de seu cotidiano (escolas,
atividades extras, viagens, etc).” (Silvia Felipe –
Diretora do IBDFAM, 2019).

• Sociedade de Informação – Limites entre o


público e o privado.
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• 2017 - Pesquisa realizada pela Kaspersky Lab em conjunto com a consultoria de pesquisa de
mercado chilena CORPA:

Usuários de Redes Sociais - Brasil


Compartilham infomações sobre
filhos

34%
SIM
66% NÃO

Disponível em: https://www.kaspersky.com.br/about/press-releases/2017_dizendo-mais-do-que-se-deve-no-brasil-96-dos-usuarios-compartilham-


suas-informacoes-digitalmente
O FENÔMENO DO SHARENTING E A REPERCUSSÃO
JURÍDICA.
• Riscos do Sharenting – Cyberbullying: uma ação agressiva e intencional
realizada por um grupo ou por um indivíduo, com o uso de forma de contato
eletrônico, de forma repetida e ao longo de um período contra uma vitima que
não consegue se defender com facilidade (SMITH, 2004).
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Colisão entre direitos:
Direito à Liberdade de Expressão dos Pais X Direito à Privacidade dos Filhos
(Art. 5º, IV, CF/88) (Art. 5º, X, CF/88; Art. 21, CC/02 e Art. 100,V, ECA)

• “Art. 5º (...)
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização
pelo dano material ou moral decorrente de sua violação; ”

• “Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as
providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma.

• “Art. 100 (...)


V - privacidade: a promoção dos direitos e proteção da criança e do adolescente deve ser efetuada no respeito
pela intimidade, direito à imagem e reserva da sua vida privada; (Incluído pela Lei nº 12.010, de 2009)”.
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Sharenting – Danos Morais – Responsabilidade Civil
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Sharenting – Danos Morais – Responsabilidade Civil
Mundo - A atriz Gwyneth Paltrow publicou uma foto com a filha Apple, de
14 anos, em uma estação de esqui.
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Sharenting – Danos Morais – Responsabilidade Civil
Mundo -
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Sharenting – Danos Morais – Responsabilidade Civil
Mundo - REGULAMENTO (UE) 2016/679 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO
de 27 de abril de 2016 relativo à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento
de dados pessoais e à livre circulação desses dados e que revoga a Diretiva 95/46/CE (Regulamento
Geral sobre a Proteção de Dados).
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Sharenting – Danos Morais – Responsabilidade Civil
 Brasil – Código Civil Brasileiro (2002).
• Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito
e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.
• Art. 187. Também comete ato ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede
manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos
bons costumes. (grifo nosso). - Abuso do poder familiar.
• Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica obrigado a
repará-lo.
• Dano moral in re ipsa.
• Questões Outras:
 Seria uma possibilidade de aplicação da Mediação Familiar (NCPC – Art. 694)?
 Questão Penal: a criação de perfis em redes sociais, de filhos pelos pais, poderia vir a
caracterizar o crime de falsidade ideológica, nos termos do Art. 299, CPB?
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) (grifos nosso).
 Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público
assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao
respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.
 Art. 15. A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como
pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis,
humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis.
 Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e
moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da
autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
 Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo
de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Outros Aspectos Jurídicos quanto ao Sharenting:
 Direito ao Esquecimento – proteção de dados pessoais despidos de interesse público.
“Artigo 17. O Direito ao apagamento dos dados («direito a ser esquecido») 1. O titular tem
o direito de obter do responsável pelo tratamento o apagamento dos seus dados pessoais,
sem demora injustificada, e este tem a obrigação de apagar os dados pessoais, sem
demora injustificada, quando se aplique um dos seguintes motivos: f) Os dados pessoais
foram recolhidos no contexto da oferta de serviços da sociedade da informação referida
no artigo 8.o, n.o 1”. - Relativos a Crianças e Adolescentes.
 Autodeterminação Informativa: “a faculdade de o particular determinar e controlar os seus
dados pessoais” (CANOTILHO, 2007, p. 468). - Lei 12.414/2011 (Lei do Cadastro Positivo) no
art. 5º,VII.
 Necessidade de Consentimento dos Filhos para a publicação. / Questão de pais separados.
 Prazo Prescricional – Art. 198, C.C./02:
Art. 198. Também não corre a prescrição:
I - contra os incapazes de que trata o art. 3º;
O FENÔMENO DO SHARENTING E A
REPERCUSSÃO JURÍDICA.
• Referências:
BRASIL. Lex: Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm>. Acesso em: 02 de dez.
de 2019.
BRASIL. Lex: Código Civil Brasileiro. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406compilada.htm>. Acesso em: 02 de dez. de
2019.
EBERLIN. Fernando Büscher von Teschenhausen. Sharenting, liberdade de expressão e privacidade
de crianças no ambiente digital: o papel dos provedores de aplicação no cenário jurídico brasileiro.
Revista Brasileira de Políticas Públicas. UNICEUB. 2017.
SMITCH, P. K. (2004) Bullying: recent developments. Child and Adolescent Mental Health, 9(3), 98-
103.
PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS
JURÍDICAS – PPGCJ
CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS - CCJ

O B R I G A DA !

Disciplina: Constitucionalização do Direito Civil


Prof. Adriano Godinho.
Discente: Heloísa Santos – Doutoranda Linha 2

Você também pode gostar