Você está na página 1de 30

DEFINIÇÃO

• Causa desconhecida

• A asma é um distúrbio inflamatório crônico das vias aéreas

• As vias aéreas cronicamente inflamadas são hiper-responsivas


IMPACTO
• Aproximadamente 20 milhões de asmáticos no Brasil

• Já em 2011 foram registradas pelo DATASUS 160 mil hospitalizações


em todas as idades, dado que colocou a asma como a 4ª causa de
internações

• A taxa média de mortalidade no país, entre 1998 e 2007, foi de


1,52/100.000 habitantes (variação, 0,85-1,72/100.000 habitantes),
com estabilidade na tendência temporal desse período
FISIOPATOLOGIA
Hiper-reatividade
brônquica

Processo inflamatório
FISIOPATOLOGIA

= Remodelamento
alteração no que interfere na
hipertrofia e elevação no aumento das depósito e arquitetura da via
hiperplasia do número de células glândulas degradação dos aérea, levando à
músculo liso caliciformes submucosas componentes da irreversibilidade de
matriz extracelular obstrução em
alguns pacientes
REMODELAMENTO
Quadro Clínico
• Sibilância, dispneia, tosse, sensação de aperto no peito

• Piora dos sintomas a noite ou inicio da manhã

• Sintomas em um padrão sazonal

• Os sintomas ocorrem ou se agravam na presença de desencadeantes

• Sintomas respondem à terapia antiasmática


• (UNIFESP 2018) Paciente masculino, 33 anos de idade, com dispneia em crises no
último ano, associada à opressão torácica e tosse seca, principalmente noturna.
Relata rinite alérgica sem tratamento regular e crises de chiado na infância na
época do inverno. Ex-tabagista 5 anos/maço (parou há 1 ano). Nega uso de
medicações contínuas. Após passar em avaliação médica, foi solicitado radiografia
de tórax que foi normal e prova de função pulmonar. Qual o resultado da
espirometria e a hipótese diagnóstica? Abreviaturas: LIN: limite inferior da
normalidade; BD: broncodilatador; %: porcentagem do previsto.
DIAGNÓSTICO
Maiores de cinco anos VEF1/CVF < 0,7 = Obstrução
• Medidas de função pulmonar
(espirometria)
• Broncoprovocação
• Teste alérgenos (cutâneos ou IgE) ESPIROMETRIA PÓS-BRONCODILATADOR:
↑ > 12% + ↑ > 200 mL VEF1 = REVERSÃO
↑ > 12% em Crianças = REVERSÃO
Menores de cinco anos
• Baseado principalmente no julgamento
clínico
• Quanto mais jovem a criança, maior a TESTE PROVOCATIVO
chance de não ser asma
• Periodicamente revisado à medida que a METACOLINA
criança cresce
↓ 20% no VEF1
TRATAMENTO
Evolução do Tratamento da Asma

Corticóides salbutamol
Uso β 2 agonistas inalatórios
de curta ação

Combinações
Aumento do uso de (CI + β 2 agonistas )
corticóides inalatórios

Broncoespasmo β 2 agonistas de
Inflamação longa ação
Remodelamento
Box 3-5A Confirmation of diagnosis if necessary
Adults & adolescents 12+ years Symptom control & modifiable
risk factors (including lung function)
Comorbidities
Inhaler technique & adherence
Personalized asthma management: Patient goals
Assess, Adjust, Review response
Symptoms
Exacerbations
Side-effects
Lung function
Patient satisfaction Treatment of modifiable risk
factors & comorbidities STEP 5
Non-pharmacological strategies
Education & skills training High dose
Asthma medication options: ICS-LABA
Adjust treatment up and down for
Asthma medications STEP 4
Refer for
individual patient needs STEP 3 phenotypic
Medium dose
assessment
STEP 2 ICS-LABA ± add-on
PREFERRED STEP 1 Low dose therapy,
CONTROLLER Daily low dose inhaled corticosteroid (ICS), ICS-LABA e.g.tiotropium,
to prevent exacerbations As-needed or as-needed low dose ICS-formoterol * anti-IgE,
and control symptoms low dose anti-IL5/5R,
ICS-formoterol * anti-IL4R
Other Low dose ICS Leukotriene receptor antagonist (LTRA), or Medium dose High dose Add low dose
controller options taken whenever low dose ICS taken whenever SABA taken † ICS, or low dose ICS, add-on OCS, but
SABA is taken † ICS+LTRA # tiotropium, or consider
add-on LTRA # side-effects
PREFERRED As-needed low dose ICS-formoterol * As-needed low dose ICS-formoterol ‡
RELIEVER
Other
reliever option As-needed short-acting β2 -agonist (SABA)
* Off-label; data only with budesonide-formoterol (bud-form) ‡ Low-dose ICS-form is the reliever for patients prescribed
† Off-label; separate or combination ICS and SABA inhalers bud-form or BDP-form maintenance and reliever therapy
# Consider adding HDM SLIT for sensitized patients with
© Global Initiative for Asthma, www.ginasthma.org allergic rhinitis and 1FEV >70% predicted
Box 3-5A Confirmation of diagnosis if necessary
Adults & adolescents 12+ years Symptom control & modifiable
risk factors (including lung function)
Comorbidities
Inhaler technique & adherence
Personalized asthma management: Patient goals
Assess, Adjust, Review response
Symptoms
Exacerbations
Side-effects
Lung function
Patient satisfaction Treatment of modifiable risk
factors & comorbidities STEP 5
Non-pharmacological strategies
Education & skills training High dose
Asthma medication options: ICS-LABA
Adjust treatment up and down for
Asthma medications STEP 4
Refer for
individual patient needs STEP 3 phenotypic
Medium dose
assessment
STEP 2 ICS-LABA ± add-on
PREFERRED STEP 1 Low dose therapy,
CONTROLLER Daily low dose inhaled corticosteroid (ICS), ICS-LABA e.g.tiotropium,
to prevent exacerbations As-needed or as-needed low dose ICS-formoterol * anti-IgE,
and control symptoms low dose anti-IL5/5R,
ICS-formoterol * anti-IL4R
Other Low dose ICS Leukotriene receptor antagonist (LTRA), or Medium dose High dose Add low dose
controller options taken whenever low dose ICS taken whenever SABA taken † ICS, or low dose ICS, add-on OCS, but
SABA is taken † ICS+LTRA # tiotropium, or consider
add-on LTRA # side-effects
PREFERRED As-needed low dose ICS-formoterol * As-needed low dose ICS-formoterol ‡
RELIEVER
Other
reliever option As-needed short-acting β2 -agonist (SABA)
* Off-label; data only with budesonide-formoterol (bud-form) ‡ Low-dose ICS-form is the reliever for patients prescribed
† Off-label; separate or combination ICS and SABA inhalers bud-form or BDP-form maintenance and reliever therapy
# Consider adding HDM SLIT for sensitized patients with
© Global Initiative for Asthma, www.ginasthma.org allergic rhinitis and 1FEV >70% predicted
Box 3-5A Confirmation of diagnosis if necessary
Adults & adolescents 12+ years Symptom control & modifiable
risk factors (including lung function)
Comorbidities
Inhaler technique & adherence
Personalized asthma management: Patient goals
Assess, Adjust, Review response
Symptoms
‘Controller’ treatment Exacerbations
Side-effects
means the treatment Lung function
taken to prevent Patient satisfaction Treatment of modifiable risk
factors & comorbidities STEP 5
exacerbations Non-pharmacological strategies
Education & skills training High dose
Asthma medication options: ICS-LABA
Adjust treatment up and down for
Asthma medications STEP 4
Refer for
individual patient needs STEP 3 phenotypic
Medium dose
assessment
STEP 2 ICS-LABA ± add-on
PREFERRED STEP 1 Low dose therapy,
CONTROLLER Daily low dose inhaled corticosteroid (ICS), ICS-LABA e.g.tiotropium,
to prevent exacerbations As-needed or as-needed low dose ICS-formoterol * anti-IgE,
and control symptoms low dose anti-IL5/5R,
ICS-formoterol * anti-IL4R
Other Low dose ICS Leukotriene receptor antagonist (LTRA), or Medium dose High dose Add low dose
controller options
taken whenever low dose ICS taken whenever SABA taken † ICS, or low dose ICS, add-on OCS, but
SABA is taken † ICS+LTRA # tiotropium, or consider
add-on LTRA # side-effects
PREFERRED As-needed low dose ICS-formoterol * As-needed low dose ICS-formoterol ‡
RELIEVER
Other
reliever option As-needed short-acting β2 -agonist (SABA)
* Off-label; data only with budesonide-formoterol (bud-form) ‡ Low-dose ICS-form is the reliever for patients prescribed
† Off-label; separate or combination ICS and SABA inhalers bud-form or BDP-form maintenance and reliever therapy
# Consider adding HDM SLIT for sensitized patients with
© Global Initiative for Asthma, www.ginasthma.org allergic rhinitis and 1FEV >70% predicted
CLASSIFICAÇÃO DO CONTROLE
• (FESO 2018) Uma menina asmática de 12 anos de idade chega ao setor de
emergência com taquipneia, retrações intercostais, cianose perioral e
sibilância discreta. Recebe albuterol por nebulização e prednisona
intravenosa. Na reavaliação os sibilos aumentam em todos os campos
auscultatórios e a coloração da criança melhorou. Qual das explicações a
seguir é a explicação adequada para esses achados?

• A) A menina não apresentava uma crise de asma.


• B) A menina não está respondendo ao tratamento e seus sintomas estão se agravando.
• C) A menina está respondendo ao tratamento e seus sintomas estão melhorando.
• D) A dose de albuterol não foi adequada.
• E) Além de albuterol e prednisona intravenosa a menina deveria receber
corticosteroides inalatórios.
CRISE ASMÁTICA
Alérgenos
Vírus
Poluentes aéreos?

Inflamação HIPERRESPONSIVIDADE
Bronquite DAS VIAS AÉREAS
eosinofílica
crônica
GATILHOS
Alérgenos
Exercício
SINTOMAS Ar Frio
SO2
Tosse Sibilos Partículas
Aperto Dispnéia
TRATAMENTO CRISE ASMÁTICA

Oxigenioterapia
• Oferecer O2
• Se sat <93%
Alvo: 93 – 95%

Beta - 2 Agonista inalatório


• Indicada em todos os pacientes (evidência A)

• Inalador dosimetrado e espaçador (MDI) é preferível à inalação com


nebulizadores nos casos leves e moderados (evidência B)
Brometo de Ipatrópio
• Não indicado na Leve/Moderada

Corticóide

• administrar C sistêmico nos pacientes com crises moderadas e graves e em


pacientes que não responderam à terapia inicial com beta-2 (evidência A)
Sulfato de Magnésio
• Sulfato de magnésio EV: considerar MgSO4 nos pacientes com crises
com risco de morte e naqueles com crises graves sem melhora após
uma hora de tratamento (evidência A, em maiores de 5 anos)
Indicações de Intubação
• Fadiga progressiva ou exaustão

• Alteração no nível de consciência

• Alteração na frequencia respiratória

• PCR ou PCR iminente

• Hipoxemia grave

• Hipercarbia progressiva
CLASSIFICAÇÃO ACHADOS TRATAMENTO
Fala frases completas SABA: 20/20 min (1 h)
Não usa musculatura acessória
PFE > 50 % Prednisolona VO:
1mg/kg – Max 50 mg (Adulto)
FC < 120
LEVE / MODERADA SATO2 > 90 %
1-2 mg/kg – Max 40 mg (criança)
FR < 30 O2 Suplementar:
Alvo: SATO2: 93 a 95%
94 – 98% (Criança)
Fala por palavras (Anteriores)
Agitação
GRAVE PFE < 50 % Ipatrópio
FC > 120
Trocar Via Corticóide: VO p/ EV
SATO2 < 90 %
FR > 30 Considerar: MgSO4 ou CI Dose
Alta
Sonolento (Anterioes)
Confuso
MUITO GRAVE Tórax Silencioso Indicar CTI

Preparar IOT
Ventilação Não Invasiva

• Boa evidência em adultos com DPOC exacerbada e EAP

• Pouca evidência de VNI em crianças na emergência

• Pode ser usada em crianças colaborativas, como alternativa antes da


IOT

• Contra indicada em criança inconsciente, OVAS, malformação de face


e risco de aspiração
CASO CLÍNICO
• Durante uma festa em família, Junior, 24 anos, começa a tossir e ter
falta de ar após sentir o cheiro forte do perfume de uma convidada.
Um medico que estava no local, e o atendeu, notou também o olho
bem vermelho vermelho e uma queixa de prurido ocular(queixas
essas já iniciadas há duas semanas). Ao realizar a ausculta, o médico
ainda encontrou sibilos difusos. Apesar de consciente, Junior
pronunciava frases incompletas durante o exame, RCR, bulhas
normofoneticas, FC 120bpm, PA 110 x 70mmHg.
Doses
REFERÊNCIAS
• GINA... (ATUALIZAR)