Você está na página 1de 161

Como Satanás conseguiu

anular a pregação do
Evangelho Eterno?
MAT 24:14
E este evangelho do reino será pregado em todo
o mundo, em testemunho a todas as nações, e
então virá o fim.

AP 14:6
E vi outro anjo voar pelo meio do céu, e tinha o
evangelho eterno, para o proclamar aos que
habitam sobre a terra, e a toda a nação, e tribo, e
língua, e povo...
Romanos 1:16

Porque não me envergonho do evangelho


de Cristo, pois é o PODER DE DEUS PARA
SALVAÇÃO de todo aquele que crê;
primeiro do judeu, e também do grego.
Mt 1:21

E dará à luz um filho e chamarás o seu


nome JESUS; porque Ele salvará o seu povo
dos seus pecados.
...é necessário que saibamos o que é pecado,
para que possamos livrar-nos de seu poder. João
diz: “Todo aquele que pratica o pecado também
transgride a lei, porque o pecado é a
transgressão da lei.” 1 João 3:4. Temos aqui a
verdadeira definição do pecado; ele “é a
transgressão da lei”. ... {FO 105.2}
Quantas vezes o pecador é incentivado a
abandonar os seus pecados e a ir a Jesus; será,
porém, que o mensageiro que quis conduzi-lo a
Cristo indicou claramente o caminho? Apontou
ele claramente para o fato de que “o pecado é a
transgressão da lei” e que o pecador precisa
arrepender-se e abandonar a transgressão dos
mandamentos de Deus? ... {FO 105.2}
Atos 3:19-21

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que


sejam apagados os vossos pecados, e venham assim
os tempos do refrigério pela presença do Senhor, E
envie ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi
pregado. O qual convém que o céu contenha até aos
tempos da restauração de tudo, dos quais Deus falou
pela boca de todos os seus santos profetas, desde o
princípio.
O tema central da Bíblia, o tema em redor do qual giram
todos os outros no livro, é o plano da redenção, a
restauração da imagem de Deus na alma humana.
Desde a primeira sugestão de esperança na sentença
pronunciada no Éden, até àquela última gloriosa
promessa do Apocalipse... o empenho de cada livro e
passagem da Bíblia é o desdobramento deste
maravilhoso tema — o erguimento do homem, ou seja, o
poder de Deus “que nos dá a vitória por nosso Senhor
Jesus Cristo”. 1 Coríntios 15:57. {Ed 125.2}
Como foi completo o sacrifício feito em nosso
favor, assim deve ser a nossa RESTAURAÇÃO
DO AVILTAMENTO DO PECADO. Nenhum ato
de impiedade será desculpado pela lei de
Deus; ... A ética do evangelho não reconhece
nenhuma norma senão a perfeição do caráter
divino. [...] {RV 51.3}
EFÉSIOS 4:13

Até que todos cheguemos à unidade


da fé, e ao conhecimento do Filho de
Deus, a homem perfeito, à medida da
estatura completa de Cristo.
E qual é a norma que Ele coloca ante todos
que nEle creem? “Sede, pois, perfeitos,
como é perfeito vosso Pai que está nos
Céus.” Mateus 5:48. Como Deus é perfeito
em Sua esfera, assim pode o homem ser
perfeito na sua. {CE 232.1}
Satanás declarou que demonstraria
ante os mundos criados por Deus e
perante as inteligências celestiais,
que é impossível guardar a lei de
Deus. — The Review and Herald, 3 de
Setembro de 1901. {VA 51.3}
Satanás declara que é impossível aos filhos e
filhas de Adão cumprirem a lei de Deus e, por
isso, acusou Deus de falta de sabedoria e amor.
Se não poderiam cumprir a lei, então a falha
estaria no Legislador. Homens que se encontram
sob o controle de Satanás repetem estas
acusações contra Deus, afirmando que os
homens não poderão cumprir a lei de Deus. −
Signs of the Times, 16 jan. 1896.
O Senhor requer neste tempo o
mesmo que Ele requereu de Adão
no Éden — perfeita obediência à
lei de Deus. Precisamos ter justiça
sem um defeito, sem uma mancha.
{FO 79.2}
O Evangelho
que não prega
a Restauração
do Homem a
imagem de
Deus, pode ser
considerado o
Evangelho
Eterno?
Logo se o evangelho é a restauração
completa do ser humano a imagem
que foi perdida no éden e perfeita
obediência a sua lei, o que satanás
deve fazer para prolongar seu tempo
de vida e retardar a volta de Jesus?
O inimigo das almas tem procurado introduzir a
suposição de que uma grande reforma devia
efetuar-se entre os adventistas do sétimo dia, e que
essa reforma consistiria em renunciar às doutrinas
que se erguem como pilares de nossa fé, e
empenhar-se num processo de reorganização. Se
tal reforma se efetuasse, qual seria o resultado?
Seriam rejeitados os princípios da verdade,
que Deus em Sua sabedoria concedeu à
igreja remanescente. Nossa religião seria
alterada. Os princípios fundamentais que
têm sustido a obra neste últimos cinquenta
anos, seriam tidos na conta de erros.
Estabelecer-se-ia uma nova organização.
{ME1 204.2}
Muitos se levantarão em nossos púlpitos
tendo nas mãos a tocha da falsa
profecia, acesa na infernal tocha de
Satanás. Caso sejam alimentadas
dúvidas e descrença, os ministros fiéis
serão afastados do povo que pensa que
tanto sabe. {TM 409.3}
 Reforma de Saúde;

 Credibilidade no EP;

 Justiça pela fé;

 Conceito de Pecado;

 Natureza Humana de Cristo; e

 Doutrina do Santuário.
1 - ATAQUE A REFORMA DE SAÚDE:
E pela mesma razão os discípulos de Cristo hoje
não compreendem importantes questões da
verdade. Tão embotada tem sido a compreensão
até mesmo daqueles que ensinam a verdade a
outros, que muitas coisas não lhes poderão ser
expostas enquanto não chegarem ao Céu. Não
devia ser assim.
Mas ao se tornarem estreitas as mentes, pensam que
sabem tudo, e fincam uma estaca após outra em pontos
da verdade dos quais têm apenas um vislumbre. As
pessoas fecham a mente como se nada mais houvesse
para aprender, e se o Senhor tentasse guiá-las adiante,
não acompanhariam a luz maior. Apegam-se ao ponto
onde julgam ver um lampejo de luz, quando ela é
apenas um elo na corrente viva de verdades e
promessas a serem estudadas. ... {CT 329.5}
Por meio do pervertido apetite seus órgãos e
faculdades têm-se tornado debilitados, enfermos e
inutilizados. E esses resultados que Satanás tem
acarretado por suas próprias especiosas tentações, ele
usa para escarnecer de Deus. Ele apresenta diante de
Deus o corpo humano que Cristo adquiriu como Sua
propriedade; e que deformada representação de seu
Criador é o homem! Porque pecou contra o corpo, e
corrompeu seus caminhos, Deus é desonrado. {CRA
18.3}
Os que condescendem com qualquer
espécie de intemperança, seja no comer,
seja no beber, desgastam suas energias
físicas e enfraquecem as faculdades
morais. — Christian Temperance and Bible
Hygiene, 53 (1890). {CRA 18.1}
A sobriedade na alimentação é
recompensada com vigor mental e moral;
é também eficaz no domínio das paixões...
Existem homens e mulheres de excelentes
aptidões naturais, que não realizam
metade do que poderiam efetuar se
exercessem domínio sobre si mesmos
quanto a negar-se ao apetite. {CBV 308.2}
Quando homens e mulheres são
verdadeiramente convertidos,
conscienciosamente consideram as leis da
vida que Deus estabeleceu em seu ser,
buscando assim evitar debilidade física,
mental e moral. — Testimonies for the
Church 6:369, 370 (1900). {CRA 18.4}
Ninguém que professe piedade considere com
indiferença a saúde do corpo, iludindo-se com o
pensamento de que a intemperança não é
pecado e não afeta a espiritualidade. Existe
íntima correspondência entre a natureza física e
a natureza moral. — The Review and Herald, 25
de Janeiro de 1881; Conselhos Sobre Saúde,
67. {CRA 43.1}
2 – A Rejeição da Mensagem de

Mineápolis /1888:
Em Sua grande misericórdia, enviou o Senhor
preciosa mensagem a Seu povo por intermédio dos
pastores [E. J.] Waggoner e [A. T.] Jones. Esta
mensagem devia pôr de maneira mais preeminente
diante do mundo o Salvador crucificado, o sacrifício
pelos pecados de todo o mundo. Apresentava a
justificação pela fé no Fiador; convidava o povo para
receber a justiça de Cristo, que se manifesta na
obediência a todos os mandamentos de Deus.

{EF 200.1}
Quando eu expressei claramente a minha fé, houve
muitos que não me compreenderam, e eles disseram que
a irmã White havia mudado; a irmã White tinha sido
influenciada por seu filho W. C. White e pelo Pastor A. T.
Jones. Naturalmente, tal declaração procedente dos
lábios daqueles que me conheciam há vários anos, que
haviam crescido com a mensagem do terceiro anjo e
tinham sido honrados com a confiança e fé de nosso
povo, devia ter alguma influência. {ME3 173.1}
Tornei-me objeto de comentários e
críticas, mas nenhum de nossos
irmãos veio ter comigo, fazendo
perguntas ou procurando alguma
explicação de mim. {ME3 173.2}
Houvesse o desígnio de Deus sido cumprido por Seu
povo em dar ao mundo a mensagem de misericórdia, e
Cristo haveria, antes disto, de ter vindo à Terra, e os
santos teriam recebido as boas-vindas à cidade de Deus.
— Testimonies for the Church 6:450 (1900). {Ev 694.3}

Sei que, se o povo de Deus houvesse mantido viva


ligação com Ele, se Lhe houvessem obedecido à Palavra,
estariam hoje na Canaã celestial. — General Conference
Bulletin, 30 de Março de 1903. {Ev 694.4
“Eu amei o irmão Smith juntamente com meu
próprio marido e filhos, por que ele teve uma parte
no trabalho por muitos anos. Eu tenho estimado
altamente o Pastor Butler. Mas esses homens
deixaram-me sozinha. Esses homens, a quem o
Senhor falou muitas vezes que deveriam
permanecer unidos com meu marido e comigo em
mais próxima união até o fechamento do tempo.
The Ellen G.White 1888 Materials, pág. 741.
Eles causaram-me tristeza tal e dor de espírito
que não posso descrever. Eu senti a morte de
meu marido, oh, tão profundamente que
unicamente Deus sabe, mas eu senti o curso
cruel desses homens em direção ao trabalho que
Deus me tem dado a fazer, de forma mais intensa
que a morte de me marido.” The Ellen G. White
1888 Materials, pág. 741.
“Quando você afirmou que a Sra. White foi
influenciada por Willie White, A.T. Jones e E.J.
Waggoner, você plantou nos corações a infidelidade
que tem sido nutrida e produziu fruto... oposição
decidida teria feito menos dano. Uma falta de fé nas
mensagens que Deus tem me dado a apresentar à
ordem representada, é uma descrença decidida à
todos os objetivos e propósitos.” The Ellen G. White
1888 Materials, pág. 796-797.
“Vocês tem recusado os testemunhos dado a
mim à vocês pelo Senhor assim como vocês
tem trabalhado para fazê-los como fez
Nemuel, Datã e Abirão. Vocês o fizeram e
desta forma isto está registrado contra vocês
nos livros do céu. Eu sinto a mais terna
compaixão por vocês.” The Ellen G. White
1888 Materials, pág. 599, 602.
“Eu daria minha vida à tortura e morte se isto
pudesse salvar suas almas. Mas vocês tem a
mesma experiência de outros que trilharam o
mesmo caminho aonde vocês colocaram os pés.
Vocês trilharam os mesmos passos daqueles que
desprezaram o conselho e fizeram de nenhum
efeito os testemunhos.” The Ellen G. White 1888
Materials, pág. 599, 602.
“Muitas vezes em minha experiência tenho sido
chamada a desaprovar a atitude de uma certa
classe que reconhece que os testemunhos são de
Deus, mas tomam a posição de que ‘esta questão’
ou ‘aquela questão’ são opinião e julgamento da
irmã White.” The Ellen G. White 1888 Materials,
pág. 257.
“Isto se enquadra aqueles que não amam a repreensão e
correção, e quem, se suas ideias são cruzadas fazem ocasião
de explicar a diferença entre o humano e o divino. Se as
opiniões preconcebidas ou ideias particulares de alguns
são cruzados, sendo reprovados por testemunhos, possuem
um fardo de uma só vez para deixar claro suas posições em
diferenciar entre os testemunhos, definindo o que é
julgamento humano da irmã White, e o que é a palavra de
Deus.”

The Ellen G.White 1888 Materials, pág. 257


“Tudo o que sustenta suas acariciadas
ideias, são divinos e os testemunhos para
corrigir os seus erros são humanos – as
opiniões da irmã White. Eles fazem de
nenhum efeito o conselho de Deus, por
causa de suas tradições.”

The Ellen G.White 1888 Materials, pág. 257


Quando fui ao Colorado, achava-me tão preocupada
por vocês que, em minha fraqueza, escrevi muitas
páginas para serem lidas em sua reunião campal.
Débil e trêmula, levantei-me às três horas da
madrugada para escrever. Deus estava falando por
intermédio da argila. Podem dizer que essa
comunicação não passava de uma carta. Sim, foi uma
carta, mas motivada pelo Espírito de Deus, a fim de
apresentar diante de vocês as coisas que me foram
mostradas.
Nessas cartas que escrevo, nos testemunhos que
apresento, coloco diante das pessoas exatamente
aquilo que o Senhor me apresentou. Não escrevo
um artigo sequer, na revista, expressando meras
ideias minhas. Correspondem ao que Deus me
revelou em visão — os preciosos raios de luz que
brilham do trono. {T5 67.2}
“Será ateado contra os testemunhos um ódio satânico a
operação de Satanás será perturbar a fé das igrejas,
por esta razão: satanás não pode achar caminho tão
fácil para introduzir seus enganos e prender almas em
suas mentiras se as advertências e repreensões e
conselhos do Espírito de Deus forem atendidos. Qual
melhor caminho de agradar o inimigo e entristecer o
Espírito de Deus que poderia ser seguido do que o que
tem sido trilhado por vós, meu irmão, um professor em
Israel.” The Ellen G.White 1888 Materials, pág. 796-797
A.C Lacey disse: “Em nossa estimativa ao Espírito de
Profecia, não é seu valor para nós mais na luz espiritual
que brilha em nossos corações e vidas mais do que a
precisão intelectual em questões histórias e teológicas.
Não deveríamos tomar esses escritos como a voz do
Espírito aos nossos corações ao invés da voz do
professor em nossas mentes? E não é a prova final do
Espírito de Profecia mais o seu valor espiritual do que a
sua precisão histórica?” A.C. Lacey – The Use os the Spirit
of Profecy in Our Teaching of Bible and History Teachers
Conference, July 30.
“Bem, agora, de acordo com meu entendimento, a irmã
White nunca afirmou ser uma autoridade na história, e
nunca afirmou ser uma professora dogmática em teologia.
Ela nunca delineou um curso de teologia, como o livro da
Sra. Eddy, em ensinamento. Ela apenas fez afirmações
fragmentadas, mas deixou os pastores e evangelistas e
pregadores a trabalharem todos esses problemas de
escrituras e de teologia e de história.” A.G. Daniels – The
Use os the Spirit of Profecy in Our Teaching of Bible and
History Teachers Conference, July 30.
Uma coisa é certa: Os adventistas do
sétimo dia que se colocam sob o
estandarte de Satanás abandonarão
primeiro sua fé nas advertências e
repreensões contidas nos Testemunhos do
Espírito de Deus. {ME3 84.3}
O último engano de satanás será exatamente
anular o testemunho do Espírito de Deus. “Não
havendo profecia, o povo se
corrompe.” Provérbios 29:18. Satanás trabalhará
engenhosamente, por diferentes maneiras e por
instrumentos diversos, para perturbar a
confiança do povo remanescente de Deus no
testemunho verdadeiro... {ME2 78.2}
Samuele Bacchiocchi.
Samuelle Bacchiocchi, autor do livro “Do sábado para o
Domingo”.

Foi o primeiro não católico a se formar na Pontifical


Gregorian University, em Roma, tendo recebido uma
medalha de ouro do Papa Paulo VI por conquistar a
distinção acadêmica summa cum laude por sua tese:

Do Sábado Para o Domingo: Uma investigação histórica


do surgimento da observância do domingo no
cristianismo primitivo. Professor na Andrews University.
“Ellen White fala às necessidades espirituais de nossas
almas melhor do que outros escritores contemporâneos.
O papel importante que Ellen White possui em nossa
vida devocional deve servir para dissipar a alegação de
que eu falho em respeitar Ellen White por submeter uma
tentativa de uma nova interpretação à profecia dos 1260
dias.”
Dr. Samuele Bacchiocchi – Endtimes Newsletter, N. 87,
Aug. 2002.
www.biblicalperspectives.com/endtimesissues/eti_87.ht
ml
“A questão é: O respeito pela autoridade de Ellen White
impede qualquer nova investigação dos assuntos Bíblicos
ou históricos discutidos em seus escritos? Ellen White se
viu como a final e infalível autoridade em profecia,
exegética, teológica e interpretações históricas? Ela esperou
os adventistas aceitarem qualquer coisa que ela escreveu
sem questionar?”
Dr. Samuele Bacchiocchi – Endtimes Newsletter, N. 87,
Aug. 2002 –
www.biblicalperspectives.com/endtimesissues/eti_87.html
“A Irmã White não é a originadora destes livros.
Eles contêm a instrução que durante o trabalho
de sua vida Deus tem estado a dar-lhe. Eles
contêm a preciosa, confortadora luz que Deus,
graciosamente, deu a Sua serva para ser dada ao
mundo. De suas páginas, esta luz deve brilhar no
coração de homens e mulheres, guiando-os ao
Salvador.” — O Colportor Evangelista, 123
“Nos tempos antigos, Deus falou aos
homens pela boca de profetas e apóstolos.
Nestes dias, Ele lhes fala por meio dos
testemunhos do Seu Espírito. Nunca houve
um tempo no qual Deus instruísse Seu
povo mais intensamente do que os instrui
agora a respeito de Sua vontade e da
conduta que deseja que sigam.” {T5 661.1}
“Se Ellen White estivesse viva hoje, iria ela dar boas vindas
ao auxílio dos competentes estudiosos e estaria disposta a
corrigir as imprecisões restantes encontradas no “O Grande
Conflito” e outras publicações? Não há razão para pensar o
contrário, pois ela foi uma mulher que reconheceu suas
limitações, e era comprometida em buscar a verdade.”

Dr. Samuele Bacchiocchi – Endtimes Newsletter, N. 87, Aug.


2002 –
www.biblicalperspectives.com/endtimesissues/eti_87.html
“Da minha parte, eu ficaria feliz em oferecer meus
serviços a ela, porque não consigo parar de
agradecer a Deus pelas inestimáveis contribuições
que ela fez à minha vida espiritual e à mensagem e
missão de nossa Igreja Adventista.” Dr. Samuele
Bacchiocchi – Endtimes Newsletter, N. 87, Aug. 2002
www.biblicalperspectives.com/endtimesissues/eti_
87.html
Enquanto preparava o manuscrito de O Grande
Conflito muitas vezes estive consciente da
presença dos anjos de Deus. E muitas vezes as
cenas a respeito das quais eu estava escrevendo
foram-me de novo apresentadas em visões da
noite, de maneira que ficavam frescas e vívidas
em minha mente. — Idem 56, 1911. {CEv 128.3}
Ou Deus está ensinando sua igreja reprovando seus erros e
fortalecendo a sua fé, ou não está. Esta obra é de Deus ou
não é. Deus nada faz em parceria com Satanás. Meu
trabalho, ao longo dos últimos trinta anos, traz o selo de
Deus ou o do inimigo. Não há meio termo nesta questão.
Os Testemunhos são do Espírito de Deus ou do diabo. Ao
postar-se contra os servos de Deus, você está realizando
uma obra para Deus ou para o diabo. {T4 229.2}
Se os Testemunhos não falarem de acordo com a Palavra
de Deus, podem rejeitá-los. Cristo e belial não se unem.
Por amor de Cristo, parem de confundir o espírito do
povo com sofismas e ceticismo, tornando de nenhum
efeito a obra que Deus deseja fazer. {T5 691.2}
O Espírito Santo é o Autor das escrituras e
do Espírito de Profecia. — Carta 92,
1900. {ME3 30.3}
"Os perigos dos últimos dias estão sobre nós. Lede
Mateus 25:14. Satanás assume o domínio de toda mente
que não está decididamente sob o domínio do Espírito
de Deus. Alguns vêm cultivando ódio contra os homens a
quem Deus comissionou para dar uma mensagem
especial ao mundo. Eles começaram essa satânica obra
em Mineápolis. Mais tarde, ao verem e sentirem a
demonstração do Espírito Santo, que testificava que a
mensagem era de Deus, odiaram-na ainda mais, pois
eram um testemunho contra eles.
Não queriam humilhar o coração para se
arrependerem, darem glória a Deus, e vindicarem o
direito. Prosseguiram em seu espírito, cheios de
inveja, ciúme e más suspeitas, como os judeus.
Abriram o coração ao inimigo de Deus e do homem.
Contudo esses homens têm ocupado posições de
confiança e têm moldado a obra à sua semelhança,
tanto quanto podem." TM p.80
Os que trouxeram a mensagem e foram pisados, são
apenas homens, mas qual é o caráter da mensagem que
eles carregam? Você ousará dar as costas as advertências
porque Deus não o consultou sobre o que seria sua
Preferência? ... da mesma forma como os homens de
influencia fecham seus próprios corações e estabelecem
suas próprias vontades em oposição ao que Deus tem
dito, eles vão procurar tirar o raio de luz daqueles que
têm lutado e orado por luz e poder vivificante. Cristo tem
Registrado todos os discursos duros, orgulhosos,
sarcásticos contra seus servos como contra si mesmo.
A mensagem do terceiro anjo não será compreendida, a luz
que iluminará a terra com sua glória será chamada de luz
falsa, por aqueles que se recusam a andar em sua glória que
avança. O trabalho que poderia ter sido feito, será deixado de
lado pelos rejeitadores da verdade, por causa de sua
incredulidade. EGW RH – 27/05/1890
Quando surgem erros e são ensinados como verdade bíblica,
os que têm ligação com Cristo não confiarão no que diz o
pastor, mas, à semelhança dos nobres bereanos, examinarão
as Escrituras todos os dias para ver se essas coisas são de
fato assim. Quando eles descobrem qual é a recomendação
do Senhor, colocam-se ao lado da verdade. Ouvem a voz do
verdadeiro Pastor dizendo: “Este é o caminho; andai
nele.” Isaías 30:21. Assim sereis ensinados a fazer da Bíblia o
vosso conselheiro, e não ouvireis nem seguireis a voz do
estranho. {FO 76.2}
**************************
3 – CARNE SANTA - PERFECCIONISMO
O movimento da “carne santa” se desenvolveu em 1899 e
1900 e, na época, foi apoiado por alguns dirigentes da igreja.
O pregador adventista S. S. Davis (Evangelista da Associação
de Indiana), percorreu todo o estado pregando sua
“mensagem de purificação”. O livro Portadores de Luz diz
que Davis “introduziu serviços religiosos caracterizados pela
música impetuosa e o bater de palmas, os gritos e os saltos...
Os adoradores frequentemente caíam prostrados e depois...
se declarava que eles haviam passado ‘pela experiência do
jardim’ a que Cristo havia tido no Getsêmani.”
Ellen White estava na Austrália nessa época. A Conferência

Geral enviou o Pastor Stephen N. Haskell para investigar o

novo movimento. Ele informou Ellen White em duas cartas.

Haskell escreveu para Ellen White:

“Está além da minha compreensão. Eu nunca vi nenhum

grupo assim, composto de certo número de líderes

ministeriais, confabularem com tanta convicção como pude

notar em Indiana.” (Carta 1, S. N. Haskell para Ellen White, 25

de Setembro de 1900).
“Visando a obter a experiência do Jardim, que pode nos
conceder a natureza não-caída, as pessoas agruparam-se
em encontros nos quais havia longas orações, estranhas,
música instrumental pesada e excitante, sermões
demorados e histéricos.” Arthur White descreveu. “Eles
eram orientados a buscar uma experiência por meio da
demonstração exterior. Bateria e pandeiros auxiliavam
nesse objetivo.” (IBID, The Early Elmshaven Year, Volume
5, p. 101).
Os três elementos desse tipo de adoração:

 (1) “longas orações”;

 (2) “Sermões demorados e histéricos”;

 (3) “música instrumental pesada e excitante” com


bateria e pandeiros auxiliando na operação de
erro.

Estes três elementos são absolutamente essenciais


para estimular emocionalmente qualquer
assembleia reunida.
Nos encontros da “Carne Santa”, em Indiana, muitas
pessoas atingiram um estado de histeria e
desmaiavam. Monitores tiveram que carregar essas
pessoas para a frente “onde doze ou mais pessoas
estavam reunidas, gritando ‘Glória a Deus!’ enquanto
outros oravam e cantavam.” (IBID, The Early
Elmshaven Year, Volume 5, p. 101). Quando
recobravam a consciência consideravam-se prontos,
imbuídos da Carne Santa, para serem trasladados.
“Eles possuem um órgão, uma viola, três violinos, duas flautas,
três tamborins, três trompetes, e uma grande bateria, e,
ocasionalmente, outros instrumentos os quais não mencionei.”,
Haskell observou. “Eles são bem ensaiados em suas trilhas
musicais como qualquer Exército da Salvação que você já ouviu
dizer.” (IBID, Haskell, Carta 1, 25 de Setembro de 1900).
Haskell acrescenta, “e quando eles alcançam um alto tom, você
não consegue ouvir uma palavra na congregação enquanto
cantam, a menos que você se manifeste como um insano. Eu não
imagino que eu esteja exagerando em todo o meu relato.” (IBID,
Carta 1, 25 de Setembro de 1900).
“Os fatos ocorridos no passado ocorrerão no
futuro.”, Ellen White alerta. “Satanás transformará
a música em uma armadilha em relação ao
caminho em que será conduzida. Deus deseja que
Seu povo, os que a têm a luz na Palavra e nos
Testemunhos, a ler e considerar, e ser cautelosos.”
(Mensagens Escolhidas II, p. 38).
“Os fatos que você me descreveu, os quais
tiveram espaço em Indiana foram-me
mostrados pelo Senhor como relativos a
acontecerem pouco antes da última prova.”,
Ellen White escreveu para Stephen Haskell.
“Tudo o que estiver encoberto será revelado.”
(Last Day Events, p.159).
“Tivemos que enfrentar...alguns que pretendiam
estar santificados e que já não podiam pecar, que
estavam selados e que todas as suas impressões e
ideias estavam em harmonia com a vontade de Deus.
Pretendiam curar os enfermos e operar milagres.
Tinham poder satânico e eram ditatoriais, cheios de
imposições e cruelmente opressores.” 2 ME, 27
“Eles sustentavam que aqueles que foram
santificados não podem pecar. E isso
naturalmente leva a crer que as afeições e
desejos dos santificados eram sempre retos, e
não corriam o risco de conduzi-los ao pecado.
De acordo com esses enganos, praticavam os
piores pecados sob o manto da santificação...”
Life Sketches, 83 e 84
“o Senhor mostrou-me... que a
história do passado se repetiria.”

2 ME, 37.
“Quando declaramos crer que Cristo nasceu
em humanidade caída, eles imaginavam que
críamos que Cristo pecou, apesar de
havermos declarado nossa posição de
maneira tão clara que parecia não haver quem
pudesse interpretá-la mal.”
O argumento teológico deles sobre este aspecto específico
parece ser este: Creem que Cristo tomou a natureza de Adão
ANTES da queda; revestiu-se assim, da humanidade
conforme ela era no Jardim do Éden, e, portanto a
humanidade era santa, e esta era a humanidade que Cristo
possuía; e agora, dizem eles, chegou para nós o tempo
determinado para nos tornarmos santos naquele sentido e
depois termos a ‘fé para a transladação’ e nunca mais
morrermos.” (Haskell, Carta 2, datada em Battle Creek,
Michigan, de 25 de Setembro de 1900).
Preste atenção nessas duas importantes declarações
feitas por Haskell:

 (1) os defensores da Carne Santa “acreditam que


Cristo possuía a natureza de Adão antes do pecado.”;

 (2) “Quando eu afirmei que nós acreditávamos que


Cristo nasceu com a natureza humana caída, eles nos
representaram como se crêssemos que Cristo pecou
PRINCIPAIS CARACTERISTICAS DESSE MOVIMENTO:
 - cultos histéricos com longas orações;

 - música alta e bater de palmas;

 - Criam em pecado original;

 - Criam que Cristo tinha a natureza de Adão não caída;

 - Criam que tinham obtido o corpo transformado;

 - Criam na impossibilidade de pecar;

 - Criam que, uma vez livres da possibilidade de pecar, todo e


qualquer impulso ou desejo que possuíssem eram santos por
natureza;
"vocês não percebem que a ideia de que a carne de Jesus não
era semelhante a nossa, necessariamente envolve a ideia da
imaculada concepção de Maria? Prestem atenção, nEle não
há pecado, mas o mistério de Deus manifesto na carne, a
maravilha dos séculos, o assombro dos anjos, que mesmo
agora desejam compreender e sobre o qual não podem
formar uma ideia exata, exceto como o ensinam para a igreja,
é a perfeita manifestação da vida de Deus em sua imaculada
pureza na carne pecaminosa.
Oh, não é mesmo uma maravilha! Cristo estabeleceu a
vontade de Deus na carne e assim provou que a vontade
de Deus pode ser realizada em qualquer humana e
pecaminosa carne. Mas antes de tudo, essa maravilha
precisa ser realizada no homem pecaminoso, não
simplesmente na pessoa de Cristo, mas em Jesus Cristo
reproduzido e multiplicado em seus milhões de
seguidores...
Jesus nos concede a experiência de Seu poder na carne
pecaminosa... Para calcar a pés e tornar submissa a Sua
vontade essa carne pecaminosa. Não importa o que nossa
herança possa ter sido em natureza , o Espírito de Deus tem
poder sobre a carne pecaminosa e pode reverter
completamente tudo isso, e tornar-nos participantes da
natureza divina, libertando-nos da corrupção que pela
concupiscência há no mundo; assim Deus manifesta seu
poder por nosso intermédio.
http://docs.adventistarchives.org/.../GCB1901-01ex17.pdf...
“aquilo que é ensinado com relação ao que se
chama de ‘carne santa’ é um erro. Todos
podem obter agora coração santo, mas não é
correto pretender nesta vida possuir carne
santa... É algo impossível.” Conference
Bulletin, 23 de Abril de 1901, pág. 419-421
“a maneira como as reuniões em indiana
têm sido dirigidas, com barulho e
confusão, não as recomenda a mentes
pensantes e inteligentes.” General
Conference Bulletin, 23 de Abril de 1901,
pág. 419-421.
 A mensagem de Waggoner e o testemunho de Ellen White
foram atendidos, e no dia seguinte os dois principais
líderes do movimento, S. S. Davis e R. S. Donnell (presidente
da Associação de Indiana) confessaram seu erro diante de
um auditório de aproximadamente 300 espectadores.

 Davis abandonou a crença na “carne santa”, mas continuou


crendo que Jesus tinha uma natureza pré-lapsariana e, por
isso, em 1905 ele foi excluído definitivamente do ministério
adventista.
“Como aproximadamente todos vocês sabem, no
Testemunho de ontem pela manhã, o teste chegou a
mim. Mas, irmãos, eu posso agradecer a Deus nesta
manhã porque minha fé no Espírito de Profecia
permanece inabalável. Deus falou. Ele diz que eu
estou errado, e eu respondo, Deus está certo e eu
estou errado...”
“Eu sinto muito, muito que eu tenha feito algo que
prejudicaria a causa de Deus, e conduziria outros no caminho
errado. Eu pedi a Deus que me perdoasse, e eu sei que Ele o
fez. Como delegados e representantes da causa de Deus na
Terra, eu agora peço que vocês me perdoem dos meus
pecados, e eu peço as suas orações por força e sabedoria
para andar corretamente no futuro. É minha determinação
pela ajuda de Deus, saudá-los no reino de Deus.” S. N. Haskell
– Man of Action, pág. 174 e 175.
Quando eu for embora daqui, ninguém deve
adotar nenhum outro ponto de doutrina e
considerá-lo verdade. Não existe um fio de
verdade em todo o tecido. G. A. Roberts, The
Holy Fanaticism, Depositários de Ellen White
Documento 190
4 – PANTEÍSMO – KELLOG – DEUS EM MIM
O inimigo das almas tem procurado introduzir a
suposição de que uma grande reforma devia efetuar-se
entre os adventistas do sétimo dia, e que essa reforma
consistiria em renunciar às doutrinas que se erguem
como pilares de nossa fé, e empenhar-se num processo
de reorganização. Se tal reforma se efetuasse, qual
seria o resultado? Seriam rejeitados os princípios da
verdade, que Deus em Sua sabedoria concedeu à igreja
remanescente. Nossa religião seria alterada.
Os princípios fundamentais que têm sustido a obra
neste últimos cinquenta anos, seriam tidos na conta
de erros. Estabelecer-se-ia uma nova organização.
Escrever-se-iam livros de ordem diferente.
Introduzir-se-ia um sistema de filosofia intelectual.
Os fundadores deste sistema iriam às cidades,
realizando uma obra maravilhosa.
O sábado seria, naturalmente, menosprezado, como
também o Deus que o criou. Coisa alguma se permitiria
opor-se ao novo movimento. Ensinariam os líderes ser a
virtude melhor do que o vício, mas, removido Deus,
colocariam sua confiança no poder humano, o qual, sem
Deus, nada vale. Seus alicerces se fundariam na areia, e
os vendavais e tempestades derribariam a
estrutura. {ME1 204.2}
- Durante os anos de 1876 a 1904, como talentoso médico,
escritor e eficiente administrador o Dr. Kellogg prestou a
IASD um serviço sem precedentes na área da saúde, sendo
talvez o membro mais da igreja mais bem conhecido pelo
público;
- Nossa igreja teve um poder de testemunho enorme durante
esse período por causa da mensagem de saúde e Kellogg;
- O sonho dele era de que toda igreja chegasse a ser formada
por médicos missionários, “bons samaritanos” enviados pelo
mundo;
- Kellogg perdeu o respeito pelos pastores adventistas ao
perceber que muitos não davam o valor que deveriam dar à
mensagem de saúde, sendo muitos deles comedores de
carne;

- Ele acreditava, embora contrário aos conselhos de Ellen


White, que o Battle Creek Sanitarium deveria ser uma
instituição privada e independente da Associação Geral;
Ellen White não compartilhava das ideias administrativas de
Kellogg;
 Um de seus primeiros passos errados foi
desenvolver uma centralização de autoridade no
âmbito da obra médico-missionária;

 Na década de 1890, ele começou a difundir ensinos


que a principio pareciam atrativos, corretos e
inofensivos mas acabariam resultando em
‘Panteísmo’, onde Deus é mera essência e não um
ser com personalidade;
Em seu livro “The Living Temple” na pág 28 está escrito:

“Deus é a explicação da natureza que se manifesta em


meio de todas as coisas, movimentos invariados,
fenômenos do universo e por meio dele”.

Por causa da publicação desse livro, contrário aos


conselhos da irmã White, que a casa publicadora foi
queimada; o próprio sanatorium também foi queimado
porque havia uma desconsideração a luz que Deus
estava enviando;
No congresso da associação geral celebrado em 1897,
Kellogg declarou com grande convicção: “Essa força que
mantém unidas todas as coisas, que está presente em
todos os lugares, que palpita por todo o universo, que
atua instantaneamente através do espaço ilimitado, não
pode ser outra coisa, senão o próprio Deus. Quão
maravilhoso é pensarmos que o próprio Deus está em
nós e em tudo.” General Conference Bulletin, 12 de
Fevereiro de 1893, pág. 83
 No inicio do século XIX, Kellogg chegou à conclusão de
que Ellen White era sua inimiga e que escrevia a ele
com a mente preconceituosa contra ele;

 Esse foi e é o erro de muitos, achar que Ellen White foi


influenciada pelos meus inimigos. Por exemplo a
mensagem de 1888.

 O mesmo houve com Kellogg. Quando ela fica contra


suas ideias, ele julgava que ela estava sendo
manipulada contra ele.
Numa reunião antes da assembleia da
associação geral de 1901 com vários lideres, a
irmã White aconselhou que Sanatório de
Battle Creek devia ser mudado para o campo
e reduzido o seu tamanho, dizendo: “A menos
que haja uma mudança, a mão de Deus cairá
pesadamente sobre vós;”
 A casa publicadora, contrariando os conselhos de Ellen
White, aceitou os manuscritos do livro em referência;

 Quando já as chapas metálicas estavam prontas para


imprimi-lo, o juízo divino se fez sentir, e a casa publicadora
sofreu os resultados da ação devastadora de um incêndio;

 Os manuscritos foram enviados posteriormente a outra


editora, que imprimiu uma grande tiragem do livro ‘The
Living Temple’, difundindo dessa forma o panteísmo com
grande eficiência e grande repercussão;
 Grandes pregadores, médicos respeitados e
professores adventistas, apesar dos avisos da irmã
White, aceitaram os ensinamentos de Kellogg,
gerando uma crise sem paralelo na história da
IASD;

 Esta tinha sido a maior crise até o momento, pois


foi a que mais arrastou lideres da igreja.

 Quando Kellogg sai da igreja, muitos o


acompanharam em sua apostasia.
Eis minha mensagem para vós: Não mais consintais em
escutar sem protesto a perversão da verdade. Desmascarai os
pretensiosos sofismas que, uma vez recebidos, levarão
pastores e médicos e obreiros missionários médicos a passar
por alto a verdade. Cada um tem de estar agora em guarda.
Deus chama homens e mulheres a tomarem posição sob a
ensanguentada bandeira do Príncipe Emanuel. Fui instruída
a advertir nosso povo; pois muitos se encontram em perigo de
receber teorias e sofismas que solapam as colunas
fundamentais da fé. {ME1 196.4}
 A crise atingiu seu clímax, quando dez obreiros procedentes de
Battle Creek, no concílio anual da Associação Geral em Takoma
Park, Maryland em 1903, defenderam o pensamento panteísta
do livro ‘The Living Temple’;

 O Pres. da associação geral, A.G. Daniells, leu nesse concilio as


seguintes palavras de Ellen White: “Sede cuidadosos acerca de
como defendeis os conceitos deste livro no tocante a
personalidade de Deus. Segundo me apresentou o Senhor, estes
conceitos não tem aprovação de Deus. São um ardil que o
inimigo preparou para estes últimos dias.” EGW, Carta 201, 1903.
 A leitura do manuscrito em referência produziu
unidade entre os que se dispuseram a aceitar os
conselhos enviados pela pena inspirada e separação
da parte daqueles que preferiram seguir suas próprias
convicções, repudiando o testemunho inspirado;

 Pouco depois a Sra. White enviou a Daniells outra


mensagem, descrevendo que, em visões da noite, foi-
lhe mostrado um navio navegando em meio a densa
cerração;
Pouco tempo depois de enviar os testemunhos acerca dos
esforços do inimigo para solapar os alicerces de nossa fé mediante
a disseminação de teorias sedutoras, lera eu um incidente
acerca deum navio envolto em cerração, tendo à frente um
iceberg. Por várias noites pouco dormi. Tinha a
impressão de estar arcando sob um fardo, como um carro
carregado de molhos. Uma noite foi-me apresentada claramente
uma cena. Achava-se sobre as águas um navio, envolto em densa
cerração. Súbito o vigia bradou: “Iceberg à frente!” Ali, elevando-se
muito mais alto que o navio, estava um gigantesco iceberg.
Uma voz autorizada exclamou: “Enfrentai-o!” Não houve um
momento de hesitação. Urgia ação rápida. O maquinista pôs todo
o vapor, e o timoneiro dirigiu o navio diretamente para cima do
iceberg. Com um estrondo o navio deu contra o gelo. Houve
tremendo choque e o iceberg se desfez em muitos pedaços,
despencando sobre o convés, com um ruído de trovão. Os
passageiros foram sacudidos violentamente pela força da colisão,
nenhuma vida se perdeu. O navio sofreu avaria, mas não
irreparável. Refez-se da colisão, tremendo de proa a popa, qual
criatura viva. E seguiu então seu caminho. {ME1 205.3}
No dia 10 de
Novembro de 1907,a
igreja de Battle Creek
excluiu Kellogg, sem
protesto dele, como
membro da IASD;
Não vos enganeis; muitos se afastarão da fé,
dando ouvidos a espíritos sedutores e
doutrinas de demônios. Temos agora perante
nós o alfa desse perigo. O ômega será de
natureza mais assustadora. {ME1 197.4}
5 – QUESTÕES SOBRE DOUTRINA - 1957
Na década de 50 o professor Walter Martin, estava
escrevendo seu famoso livro “O mundo das seitas” (Kindon of
the cults), e ele estava classificando a IASD como uma seita,
mas por que?

Para eles, uma igreja cristã é considerada seita, quando


baseia suas doutrinas na Bíblia e em algum outro livro, como é
o caso dos Mórmons e também a IASD que baseia suas
doutrinas na Bíblia e no Espírito de Profecia de E. G. White,
enquanto os protestantes e evangélicos só aceitam a Bíblia
como única regra de fé e prática.
O pastor Barnhouse escreveu em seu artigo:
“Discernimento espiritual, como ler livros
religiosos, na revista Eternity em Junho de
1950, que o livro Caminho a Cristo era falso
totalmente, uma verdadeira contrafação, que
promovia universalismo e erros satânicos”
Sobre os Dez Mandamentos:

“Eles adotam uma posição para nós irracional, que


os Dez Mandamentos devem ser obedecidos”.
Eternity, Set 1956.
O Juízo investigativo:

“Essa doutrina, para mim, é uma das tentativas


deles de encobrir a vergonha da decepção
dos Mileritas.” Eternity, Set 1956
A Natureza de Cristo:

“A doutrina que Jesus tomou uma natureza caída é


completamente repugnante a igreja Cristã em geral.”
Eternity, Set 1956.
Os pontos principais, para Martin, que desqualificavam
a IASD como uma denominação Cristã eram:

 1 - O papel de Ellen White como profetiza do Senhor;

 2 - O papel da Cruz na Expiação e a doutrina do Juízo


investigativo; e

 3 - A Natureza Pós-Lapsariana de Jesus.


Walter Martin não concordava que Ellen White
era profetiza. Ele reconheceu publicamente
que ela era uma boa mulher, escreveu bons
livros e etc., mas negava seu papel de
profetiza. Ele dizia que ela cometeu erros e
que não era a palavra final em questões
teológicas.
O livro Questões sobre Doutrina não fala mal
da irmã White, não fala que ela não era uma
profetiza, apenas a rebaixa de Profetiza do
Senhor a uma boa mulher, co-fundadora de
nossa igreja, uma excelente escritora, como
alguém que tinha um dom, mas não era
infalível
“Jamais consideramos Ellen G. White na mesma
categoria dos escritores do cânon das escrituras...
Deus Se utilizou de uma linha de profetas ou
mensageiros que viveram contemporaneamente com
os escritores de ambos os Testamentos, mas cujas
declarações jamais fizeram parte do cânon
escriturístico.” “É nessa última categoria de
mensageiros que classificamos Ellen G. White.” QSD,
Pág. 99
Para Martim, a expiação foi feita na Cruz. Quando Jesus
morreu na Cruz, Ele satisfez as exigências da lei. E
quando eu aceito Jesus como meu salvador, Ele se torna
meu substituto, e quando Deus olha pra mim, Ele não vê
minha vida de pecado, Ele vê a perfeita vida de
obediência de Jesus. E quando estou em Cristo, não há
condenação para mim, portanto, se não estou condenado,
não há Juízo para aqueles que estão em Cristo. Logo, se
não há juízo, 1844 é lançado por terra e
consequentemente a doutrina do santuário também.
“Alguns primitivos escritores Adventistas do Sétimo Dia,
crendo que a palavra ‘expiação’ possuía sentido mais amplo
do que pensavam muitos de seus amigos Cristãos,
expressaram-se de modo a indicar que a expiação não foi
efetuada na cruz do calvário, mas foi realizada por Cristo
após o inicio de Seu ministério sacerdotal no Céu...
Acreditavam com a maior convicção que esse sacrifício foi
efetuado uma vez por todas e para sempre. Mas preferiam
não usar a palavra ‘expiação’ como referindo-se apenas* a
obra sacrifical de Cristo no calvário.” QSD. Pág. 254.
*- A palavra “apenas” é problemática aqui e apresenta uma
leitura equivocada da história adventista. A maioria dos
primeiros líderes adventistas pensadores absolutamente
NUNCA relacionou o vocábulo “expiação” à “obra sacrifical
de Cristo no calvário”. Para eles, a obra de expiação de Cristo
tomou lugar depois que o Salvador ascendeu ao céu; mais
especificamente, durante o dia antitípico da expiação, que
começou no fim dos 2300 dias, em outubro de 1844. QSD.
Pág. 254.
A Natureza de Cristo

“A doutrina que Jesus tomou uma natureza


caída é completamente repugnante a igreja
Cristã em geral.” Eternity, Set 1956.
"Em Sua humanidade, Cristo participou de nossa natureza
pecaminosa, caída. Senão, não seria então ‘em tudo
semelhante aos irmãos’ não seria como nós, em tudo tentado,
não venceria como temos de vencer, e não seria, portanto o
completo e perfeito Salvador que o homem necessita e deve
ter para ser salvo. A ideia de que Cristo nasceu de uma mãe
imaculada ou isenta de pecado, sem herdar tendências para
pecar, e por isso não pecou, põe-nO à parte do domínio de
um mundo caído, e do próprio lugar onde é necessário o
auxílio.
De Sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que herda
todo filho Adão – uma natureza pecaminosa. E tudo isso foi
feito para colocar a humanidade num plano vantajoso, e
demonstrar que da mesma maneira todo que é ‘nascido do
Espírito’ pode obter idênticas vitórias sobre o pecado, mesmo
em sua pecaminosa carne. Assim cada um tem de vencer
como Cristo venceu. Apocalipse 3:21. Sem este nascimento,
não pode haver vitória sobre tentação, nem salvação do
pecado. João 3:3-7.
Deus, em Cristo, condenou o pecado, não por se pronunciar
contra ele como simples juiz assentado no tribunal, mas vindo e
vivendo na carne, na pecaminosa carne, sem todavia pecar. Em
Cristo Ele demonstrou que é possível, por Sua graça e poder,
resistir à tentação, vencer o pecado e viver uma vida sem pecado
na pecaminosa carne... Em Sua humanidade, Cristo dependia
tanto do poder divino para realizar as obras de Deus, como
qualquer outro homem. Não empregou para viver uma vida santa
nenhum outro meio que não esteja ao alcance de qualquer criatura
humana.” Estudos Bíblicos, (Casa Publicadora Brasileira), 1989,
págs. 140 e 141
Este foi um PROBLEMA real para os delegados
adventistas, uma vez que, em pesquisa
recente entre vários líderes adventistas, o
próprio Froom havia descoberto que ‘quase
todos eles’ achavam ‘que Cristo tivera a nossa
natureza pecaminosa’. QSD, Pág. 13.
A desconfiança de que os delegados adventistas podem ter
OCULTADO a verdade da posição tradicional adventista é
aparentemente confirmada na seção do apêndice do livro questões
Sobre Doutrina sobre “A Natureza Humana de Cristo Durante a
Encarnação”. No apêndice das citações de Ellen White, os autores
do livro acrescentam um título afirmando que Cristo “Assumiu a
Natureza Humana Sem Pecado”. Esse título é problemático, pois
implica que essa era a ideia de Ellen White, quando de fato ela foi
bem enfática em declarar repetidamente que Cristo tomou a
“nossa natureza pecaminosa” e que “ tomou sobre Si a natureza
humana caída e sofredora, degradada e contaminada pelo pecado”.
George Knight, QSD, pág. 13.
“Embora a carta Baker tenha feito importante
contribuição para esse debate, de maneira
nenhuma ela é absolutamente essencial para
que se estabeleça a posição de Ellen White.”
Ellen White e a Humanidade de Cristo, pág.
78.
“Eles (os representantes Adventistas) NÃO CRÊEM
COMO SEUS FUNDADORES ENSINAVAM, que a obra
expiatória de Jesus não foi completada na cruz do
calvário, e que Ele está desde 1844 executando a
segunda fase de sua obra expiatória no lugar
santíssimo. Eles acreditam que Jesus, desde sua
ascensão, está ministrando os benefícios de Sua
expiação feita na Cruz.”

Donald G. Barnhouse, Eternity, 1956.


6- ALBION FOX BALLENGER & DESMOND FORD
- Ballenger nasceu em Lar Adventista. Aos 29 anos iniciou
um ministério na área de liberdade religiosa, ocupando o
cargo de secretário da Associação Nacional de Liberdade
Religiosa.

- Foi editor da American Sentinel em 1894 antes de ser


enviado para a Europa;
 Ele tinha certas inquietudes quanto a 1844 e o
santuário. Ele queria poder provar todas as nossas
doutrinas apenas com a Bíblia, sem precisar usar o
Espírito de Profecia.
 Enquanto estava na Irlanda, chegou à conclusão de que
o dia da expiação não havia começado em 1844;
 Ele concluiu que 1844 e a doutrina da Expiação, que os
Adventistas tradicionalmente criam, era apenas uma
tentativa de cobrir a vergonha do desapontamento
Milerita.
Ao estudar o assunto por si mesmo, ele encontrou o
que ele julgava ser “nova luz”, e apresentou à
comissão da União Britânica no inicio de 1905;

Depois desse concílio, o pastor E.W. Farnsworth


comunicou ao pastor A.G. Daniells (pres. da
conferencia geral) através de uma carta, o qual
escreveu a William White;
Farnsworth escreveu:
“O irmão Ballenger chegou a uma conclusão em sua mente
que, a meu ver, o incapacitaria completamente de pregar a
mensagem.”
Ele tem estudado muito o assunto do santuário
recentemente, e chegou à conclusão que a expiação de Cristo
foi completa quando Ele foi crucificado, e quando subiu ao
céu, foi imediatamente ao Lugar Santíssimo e que Seu
ministério desde então se realiza lá.” Carta de AG Daniels a
WC White, 16 de Março, 1903
Na assembleia da Associação Geral de 1905, o
pastor Ballenger teve a oportunidade de apresentar
suas ideias durante três reuniões aos lideres da
igreja;
Nessas apresentações, a irmã White teve várias
visões e Deus alertou-a sobre as heresias de
Ballenger e dos perigos que acarretariam para a
igreja, caso ele continuasse a promover essas ideias
na Inglaterra.
Em 1909, Ballenger escreveu o livro: “Expulso por
causa da Cruz”. Nesse livro ele relata de como foi
expulso da IASD por que ensinava que a Expiação
foi feita na cruz.

Ele entendia que a ‘Expiação’ não foi iniciada em


1844, mas sim na cruz. E por consequência se Jesus
não entrou no Santíssimo no final dos 2300 dias,
então não há juízo investigativo.
“Todos os homens foram corrompidos sem
sua vontade ou cooperação e, portanto, todos
os homens poderiam ser resgatados sem sua
vontade ou cooperação. Quê? Salvar um
homem sem sua vontade? sim!”
Gillian Ford, esposa de Desmond, afirma que
o adventismo seria mais feliz aceitando “a luz
que vem da cruz do Calvário”, do que
sustentando “nossas velhas ideias”, que
necessitam ser descartadas. (FORD & FORD,
1982, p. 74-75)
1 - DEFINIÇÕES DE JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ

Ao expor sobre o livro de Romanos, Ford afirma


que essa carta é “os portais do paraíso” e que vai
no mais profundo de nossa alma, pois trata de um
livro sobre perdão onde a palavra chave é
justificação. FORD, 2012, prefácio, §7; cap 1, § 13,
16, 28.
Segundo Ford, a justificação não é uma
mudança interna mas o contrário de
condenação. Dizer que alguém esteja
condenado não é torna-lo mal, mas somente
declarar que é mal. O mesmo se dá com a
justificação: é uma declaração. FORD,
2012,cap. 4, § 3, 5.
2 - A OPERAÇÃO DA JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ

Ford adverte que ninguém deve tomar a


justificação como somente o ponto de partida
da vida cristã, ao qual depois se segue a
santificação – para ele, a justificação se
encontra sempre sobre nós, como o sol ou a
coluna de fogo no deserto. FORD, 2012,
capítulo 4, § 14.
Estar diante de Deus não depende do
que se faz, todavia, do que Cristo está
fazendo. Simplesmente não há
justificação nova, porém a justificação
está sempre sobre o homem. FORD, 2012,
capítulo 4, §16, 20.
3 - As consequências da justificação pela fé

Justificação, para Ford, é seu status, enquanto


santificação, seu estado. O status e sempre o
mesmo em Cristo - perfeito, mesmo que o
estado possa estar ruim. (FORD,2012, capítulo
4, § 26, 28 )
4 - Por fim, o evangelho é baseado no que
Cristo faz por mim e todo verdadeiro crente,
justificado pela fé, já tem a sentença final do
juízo de Deus, sem medo da condenação e
sem a preocupação de ser perfeito em
nenhum momento de sua existência.
<FORD&FORD, 1982, p. 82)
Ford praticamente anula a necessidade de
santificação e se abstém de enfatizar a vitória
sobre os pecados.

A justificação se torna ela mesma a salvação


(modelo luterano/ evangélico), pelo menos, a
parte realmente importante do que é a
salvação.
Não há importância no estilo de vida
adventista, entendido pelos pioneiros como
parte da vivencia de salvação.

Ford reduz a expressão “evangelho eterno”,


fazendo com que seja somente justificação
sem conexão com outras verdades enfatizadas
pelos adventistas.
As doutrinas distintivas perdem sua relevância
perante o fato de que a única coisa realmente
importante é crer na salvação que Jesus nos deu.
Assim, “a interpretação do santuário e das profecias
apocalípticas deixa de ser a chave para interpretar o
evangelho, ao contrário, . .]o evangelho é a chave
para interpretar profecias apocalípticas. “(CANALE,
20121,, p. 108-109)
 Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma,
antes estabelecemos a lei. Romanos 3:31

 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto


não vem de vós, é dom de Deus. Efésios 2:8

 E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam


diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro
livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas
coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas
obras. Apocalipse 20:12
 O QUE É SANTIFICAÇÃO?

 "Santificação é um ESTADO de santidade, exterior e interior, sendo santo e sem


reservas PERTENCENDO ao Senhor, não na forma, mas de verdade. Toda
impureza de pensamento, toda paixão concupiscente, SEPARA a alma de Deus;
pois Cristo JAMAIS pode pôr a Sua veste de justiça sobre um pecador, para
oculta-lhe a DEFORMIDADE. " Nossa Alta Vocação, 212.

 Ninguém diga: Não posso corrigir meus defeitos de caráter. Se chegardes a


essa decisão, certamente deixareis de alcançar a vida eterna. A
impossibilidade está em vossa própria vontade. Se não quiserdes não
vencereis.— Parábolas de Jesus, p. 175
A ordem é: “Passa pelo meio da cidade, pelo meio de
Jerusalém, e marca com um sinal as testas dos homens
que suspiram e que gemem por causa de todas as abominações
que se cometem no meio dela.” Ezequiel 9:4. Esses que suspiram
e gemem haviam estado a pregar as palavras da vida; haviam
reprovado, aconselhado e suplicado. Alguns dos que estavam
desonrando a Deus, arrependeram-se e humilharam o coração
diante dEle. Mas a glória do Senhor apartara-se de Israel; se bem
que muitos ainda mantivessem os aspectos formais da religião,
faltava Seu poder eSua presença. {T5 210.2}