Você está na página 1de 14

Universidade Federal do Ceará

Faculdade de Educação
Departamento de Fundamentos da Educação
Linha Educação, Marxismo e Luta de Classes (E-Luta)
Grupo de Estudos e Pesquisas Marxismo e Educação (GEPEM)

História das Ideias Pedagógicas no Brasil


Capítulo 3: A institucionalização da pedagogia jesuítica ou o ¹ Ratio Studiorum

Autor: Dermeval Saviani


Anotações: Stephanie Barros
Capítulo 3: A institucionalização da pedagogia
jesuítica ou o ¹ Ratio Studiorum
• Em 1564 a coroa portuguesa institui o plano de
redizima, no qual 10% de todos os impostos
arrecadados da colônia brasileira foram destinados
aos colégios jesuíticos.
• Contraste entre o primeiro e segundo momento da
missão jesuítica: No segundo período da missão
houve a implantação do Ratio em todos os colégios
jesuíticos do mundo.
1 – Antecedentes do Ratio Studiorum:
Modus Italicus versus Modus Parisienses
• Fundação de colégios para estudantes não
pertencentes à congregação: Modus Parisienses

Considerado o “melhor” em matéria de repetições, disputas,


composições, interrogações e declamações – Facilitou o aprendizado
da gramática
• Colégio Romano: Referência para toda a ordem jesuítica.
• O primeiro esboço do Ratio Studiorum que foi enviado para
Roma visava uniformizar a organização e funcionamento dos
colégios.
• Idade Média até o final do século XV: Ensino por meio do
Modus Italicus. • Não segue um programa de estudos estruturados
• Não vincula assistência dos discípulos a determinada
disciplina
• Os alunos passavam de uma disciplina para outra sem
preencher pré-requisitos
• Turmas em diferentes níveis de formação e idade
• Monitoria dos mais adiantados para os mais atrasados

• Transição a partir do ínicio do século XVI do Modus Italicus


pelo Modus Parisienses
Modus Parisienses
• Distribuição dos alunos em classes
• Realização pelos alunos de exercícios escolares
• Mecanismos de incentivo ao trabalho escolar
• Cada sala é regida por um professor
• Ensino baseado na escolástica
i. Lectio: Preleção dos assuntos que deveriam ser estudados
ii. Disputatio: Exames das questões suscintadas pela lectio
iii. Repetitiones: Os alunos, em pequenos grupos, repetem as lições
explanadas pelo professor diante dele ou de um aluno mais adiantado
• Mecanismos de incentivo aos estudos
Castigos corporais Prêmios
Louvores Condecorações
Práticas de denuncia e delação
• O Modus Parisienses contém o germe da
organização do ensino que veio a construir a escola
moderna
• Classes Homogênea
• Progressão dos níveis de escolarização
com séries e programas sequenciais.
2- Abrangência das Regras do Ratio Studiorum
• Constituído por um conjunto de regras cobrindo
todas as atividades dos agentes ligados ao ensino.
• Pirâmide hierárquica provincial
Reitor
Prefeito de Estudos : Assistente do reitor para auxiliá-lo na boa ordenação dos
Professores estudos, a quem os professores e todos os alunos
deveriam obedecer.
Bedel
Aluno
• Função Supervisora destaca-se das demais funções
3 – Sentido e Êxito do ideário pedagógico do
Ratio Studiorum.
• O Ratio era de caráter :
UNIVERSALISTA ELITISTA
Adotado indistintamente Destinado aos filhos dos colonos
e excluindo os indígenas.
Os colégios jesuítas se
converteram no instrumento de
formação da elite colonial.
• Plano de Estudos:
I. Curso de Humanidades ou “Estudos Inferiores”
(atual Ensino Médio)

 Disciplinas ou Classes
* Retorica * Gramática Média
* Humanidades * Gramática Inferior
* Gramática Superior
• Plano de Estudos:
II. Cursos de Filosofia e Teologia ou “Estudos Superiores”
Filosofia : Duração de 3 anos
1° ano: Lógica e Introdução as ciências
2° ano: Cosmologia, Psicologia, Física e Matemática
3° ano: Psicologia, Metafisica e Filosofia Moral
Teologia : Duração de 4 anos
Teologia Escolástica: 4 anos
Teologia Moral: 2 anos
Sagrada Escritura: 2 anos
Língua Hebraica: 1 ano
No Brasil: Os cursos de filosofia e teologia eram, na prática,
limitados a formação de padres jesuítas.

No período colonial houve no Brasil um curso de


humanidades – estudos inferiores – que tinha duração de
seis a sete anos. Seu conteúdo reeditava o Trivium da Idade
Média : a gramática.
4 a 5 séries
Divisão em Gramática: Inferior – Média – Superior

A B A B
• A dialética destinava-se a assegurar expressão rica e
elegante
• A retórica buscava garantir uma expressão poderosa
e convincente
 Latim e Grego : disciplinas dominantes
 Disciplinas subordinadas: Língua Vernácula História
Geografia
Ensinada na leitura, versão e
comentário de autores clássicos.
• Êxito no método pedagógico:
Paralelo entre a agregação dos padres jesuítas em torno do plano de
estudos dos colégios e as manufaturas nascentes.
• Ideário pedagógico subjacente ao Ratio Studiorum :
 Base para a pedagogia tradicional
 Visão essencialista do homem
 Homem com essência universal e imutável.
 A educação cabe moldar a existência particular e real de cada
educando a essência universal e ideal que o define como ser
humano.
 Tomismo como base do Ratio Studiorum
 Pedagogia ativa : Superação das práticas educativas medievais em
direção a pedagogia moderna.
• Igualdade substantiva/emancipação humana
como oposição a emancipação política (Sobre
a questão judaica) : igualdade real – luta pelos
mesmos direitos entre os seres humanos.
• Saviani : Historia da formação do prof no
Brasil e Newton Duarte