Você está na página 1de 15

Orientando

Anderson Elias(aen@cin.ufpe.br)

Orientador
Eduardo Tavares (eagt@cin.ufpe.br)
Modelo de desempenho da Logística de
Suprimentos, em uma indústria de café.
Roteiro

• Introdução
• Motivação
• Objetivos
• Fluxo
• Modelo Formal (GSPN)
• Métricas
• Próximos Passos
– Estratégia de Coleta de Dados
• Referências
Introdução
• As empresas através do gerenciamento da cadeia de suprimento (Supply
Chain Management – SCM) objetivam principalmente aumentar de forma
considerável o valor percebido dos seus produtos que serão entregues ao
consumidor final.

• A gestão da cadeia de suprimento visa atingir o equilíbrio entre o custo e


o nível do produto para o cliente que se resume no alcance de vantagens
competitivas da empresa.
Introdução
Dois macro-processos subdividem a logística da cadeia de
suprimentos:

 Logística de suprimentos (Logística de Entrada) – Responsável pela


movimentação e armazenagem de matérias-primas até a manufatura.
 Planejamento de Aquisição, Produção e Processo de Controle de
Estoque.

 Logística de distribuição (Logística de Saída) – Refere-se às diferentes


atividades realizadas desde a manufatura do produto, até a sua
entrega no cliente final.
 Processo de Distribuição e Logística.
Motivação

• Os gestores das áreas envolvidas, procuram atender a critérios de


desempenho satisfatórios, e evitar gargalos em subprocessos que podem
chegar à impactar em toda cadeia de suprimento.

• Quando há uma grande variabilidade nos pedidos, mais preciso deve ser o
valor adotado para o estoque de segurança.

• Um dos modelos formais mais utilizados para representar cadeias de


suprimentos é Redes de Petri. Onde especificações e modelagens de sistemas
concorrentes e estocásticos podem ser representados.
Objetivo
• O foco deste trabalho será na avaliação de desempenho da logística de
suprimento das cadeias de suprimentos.
– Fornecimento das matérias-primas para fabricação do produto,
– Controle de inventário
– Armazenagem do produto final de forma estratégica até seguir para os
centros de distribuições.

• Serão construídos modelos formais de Redes de Petri Estocástica para


demonstrar aspectos relevantes da logística de suprimento.

• Sugerir melhorias no processo da Logística de Suprimentos.


Fluxo (Visão Macro)
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística de Entrada (Aquisição de Matéria-
Prima).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística Interna (manufatura e direcionamento
do produto final).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
• Processo caracterizado como Logística de Saída (Acomodação do produto
final e avariado).
Modelo – Rede de Petri Estocástica
LOGÍSTICA INTERNA LOGÍSTICA DE SAÍDA

LOGÍSTICA DE
ENTRADA

• Logística da aquisição da matéria-prima,


confecção e estoque do produto final, e
produtos com avarias. (Visão completa)
Métricas
• Gerenciar o estoque das diversas entidades ao longo da cadeia de
suprimentos.
– Média do Estoque do Almoxarifado: E{#Estoque_Almoxarifado}
– Probabilidade de Recebimento dos Fornecedores: P{#Recebimento>0}
– Média do Estoque de Itens Produzidos: E{#ProdutoOK}
– Média de itens com Avarias: E{#Avaria}

• A Probabilidade do estoque está abaixo do nível de segurança.


– Probabilidade do Estoque de Segurança da Produção: P{#ProdutoOK = Num_Aceitavel}
– Probabilidade do Estoque de Segurança do Almoxarifado: P{# Estoque_Almoxarifado =
Num_Aceitavel}

• Throughput de transições temporizadas(representando atrasos logísticos).


– Vazão da Matéria Prima na Máquina: P{#Mat_Prima>0}*(1/Taxa_Mat_Prima)
– Vazão de ProdutosOK: P{#ProdutoOK>0}*(1/Taxa_Producao)
Próximos Passos
Estratégia de Coleta de Dados

• Será realizado coleta de dados através do sistemas de gestão.


– No Almoxarifado (Quando solicita matéria-prima ao setor de compras) e quando
libera estes para o setor de produção.
– No Setor de Compras quando gera as ordens de compras e atualiza a
programação de recebimento destas mercadorias.
– No Setor de Recebimento de mercadorias quando estas chegam de fato à
empresa e são endereçadas ao setor de almoxarifado.

• Será coletado dados do maquinário industrial que fazem parte do processo


de produção e estas consomem insumos e matéria-prima.

• Será ainda coletado dados financeiros para comparativo de custos.


Referências
• B. M. Beamon, “Supply chain design and analysis: models and methods”, Int. J. Prod. Econ., Vol.
55, No. 3, pp. 281-294, 1998.;
• L. Amodeo, H. X. Chen, and A. E. Hadji, “Supply chain inventory optimization with multiple
objectives: an industrial case study”, Advances in Computational Intelligence, SCI 144, pp. 211-
230, 2008.
• JUNIOR, G. A. A. Avaliação de Desempenho de Cadeias de Suprimento utilizando Componentes
GSPN. 2007. 234 f. Tese (Mestrado em Ciência da Computação) - Centro de Informática,
Universidade Federal de Pernambuco, Recife. 2007.
• JIANG Yanhui, YAO Kaohua. “Emergency Supply Chain Integration based on Petri Net Thoery”.
International Conference on E-Business and E-Government. 2010
• Xiaoling Zhang, Qiang Lu, Teresa Wu. Petri-Net Based Application for Supply Chain Management:
An Overview - Sponsor and Financial Support: National Natural Science Foundation of China.
2009
• H. L. Lee, V. Padmanabhan, and S. Whang. The Bullwhip Eect in Supply Chain. Sloan Management
Review, 38(3), 1997.
• G. Balbo. Introduction to Stochastic Petri Nets. LNCS 2090, pages 84pp, 2001.
• M. A. Marsan, G. Balbo, G. Conte, S. Donatelli, and G. Franceschinis. Modelling with Generalized
Stochastic Petri Nets. John Wiley and Sons, 1995.