Você está na página 1de 28

Tecido cutâneo

TRATAMENTO DE FERIDAS
1 - Escoriações/Abrasões

• Causadas por fricção ou


raspagem da pele sobre
uma superfície áspera.

• Remoção parcial da
epiderme

• Risco significativo de
infecção (sujidade ou
areias aderentes).
2 - Lacerações

• Incisões abertas.

• Resultantes do contacto com


arame farpado, máquinas ou
garras de um animal.

• Tendência para formar


coágulos (cortes irregulares).
• Pode existir tecido desvitalizado, corpos estranhos.
• Por vezes infectam.
3 - Feridas incisas

• Causadas por faca, lâmina ou


o bordo cortante duma folha de
papel.

• Pode sangrar abundantemente


(corte a direito nos vasos
sanguíneos não permite
contrair com facilidade).
4 - Punctiformes

• Causadas por objecto afiado ou


pontiagudo (pregos, agulhas, ancinhos,
gradeamentos, até alguns dentes)

• Podem existir lesões internas graves.

• Risco de infecção é elevado devido à


penetração de germes e à sujidade.
5 - Avulsões
• Perda de pele ao longo de todo o
perímetro.

• Impossível aproximar os bordos da


ferida.

• Pode existir atingimento de


músculos e tendões.

• Grande probabilidade de infecção

• Pode necessitar de enxerto de pele.


6 - Penetrantes
• Podem provocar lesões
internas graves.

• Órgãos internos, tecidos e


vasos sanguíneos danificados
aquando da passagem do
corpo estranho.

• Hemorragia interna e/ou


externa.
6 - Penetrantes

Actuação do socorrista

• Nunca retirar corpo estranho, pois pode estar a


fechar a ferida e a estancar a hemorragia.

• Cuidadosamente, colocar compressa sobre e/ou


à volta do corpo estranho, sem fazer pressão.
6 - Penetrantes

•Se vítima empalada (gradeamento ou outro tipo


de ferro pontiagudo):
Não tente tirá-la; alivie apenas o peso dos
membros e do corpo.
Chamar ambulância e solicitar assistência
dos bombeiros (necessidade ferramentas
especiais)
Feridas com corpos estranhos
• Remover apenas corpos
estranhos pequenos da
superfície da ferida, com
lavagem.

• Nunca retirar corpo estranho


grande, pois pode estar a fechar
a ferida e a estancar a
hemorragia.
• Tecidos circundantes podem ficar mais danificados se tentar
tirá-lo.
Feridas com corpos estranhos
Actuação do socorrista
• Colocar compressa sobre e/ou à volta do corpo
estranho.

• Colocar rodilhas.

• Evitar pressão sobre o objecto.

• Segurar penso com ligadura.

• Deixar o corpo estranho saliente.

• Elevar parte lesada e imobilizar.


Feridas com corpos estranhos
Actuação do socorrista
• Em caso de hemorragia:

• Compressão manual directa (apertando os bordos) evitar


dores maiores.

• Em caso de dúvida sobre a forma do corpo estranho


invisível ou dor aumentar - compressão manual indirecta.

• Se hemorragia grave prevenir/atenuar choque

• Se empalamento chamar ajuda especializada.

• Transporte para o hospital.


FERIDAS NA CABEÇA

• Dor, sensibilidade
hemorragia e edema.

• Possível levantamento do
couro cabeludo.

• Suspeitar sempre de fractura


craniana.

• Inconsciência
FERIDAS NA CABEÇA
Actuação do socorrista
Tratamento da ferida.

• Se hemorragia - compressão manual directa.

• Se fractura ou corpo estranho (cuidados inerentes).

• Verificar ventilação,pulsação e nível de consciência de


10/10`.

• Se inconsciente - ABC da ressuscitação.

Requer transporte imediato para o hospital.


FERIDAS NOS OLHOS

• Pancada directa ou pequenos


fragmentos.

• Não retirar corpo estranho se enterrado


no globo ocular ou pupilas/iris.

• Perda de visão, parcial ou total

• Dor, rubor, edema, lacrimejo,


hemorragia,etc.

• Achatamento do contorno normal do


globo ocular;
FERIDAS NOS OLHOS
Actuação do socorrista
• Sentar a vítima, de frente para a luz, e inclinada
para trás.

• Examinar convenientemente e Irrigar o olho.

• Inclinar a cabeça da vítima p/ lado lesionado


(evitar contacto olho saudável).

• Não forçar remoção


FERIDAS NOS OLHOS

Actuação do socorrista

• Cobrir com penso/compressa esterilizada, sem


medicamentos.

• Aconselhar a vítima a não mexer o olho bom,


movimento é transmitido ao olho lesionado.

• Providenciar transporte da vítima ao hospital.


FERIDAS PENETRANTES NO PEITO
E NAS COSTAS
• Dor no peito.

• Dificuldade em ventilar.

• Cianose labial, base das unhas


e pele (p/asfixia).

• Hemoptises (lesão pulmonar).

• Som do ar a ser aspirado para


dentro do tórax, na inspiração.
• Líquido ensanguentado borbulha na ferida, na expiração.
• Sinais e sintomas de choque.
FERIDAS PENETRANTES NO PEITO
E NAS COSTAS
Actuação do socorrista

Comprimir imediatamente a ferida aberta, de preferência,


com a mão da própria vítima.

• Vítima semi-sentada.

• Virar corpo para lado lesionado (optimiza ventilação).

• Penso esterilizado e sem medicamentos.

• Impermeabilizar o penso.
FERIDAS PENETRANTES NO PEITO
E NAS COSTAS
Actuação do socorrista
• Fixar penso em 3 lados e/ou uma ligadura em “telhas
sobrepostas”.

• Prevenir/atenuar choque.

• Verificar ventilação, pulso e nível de consciência de 10/10`.

• Vítima inconsciente – ABC da ressuscitação.

• Se PLS lado bom voltado para cima;

• Providenciar transporte da vítima ao hospital.


FERIDAS PENETRANTES NO PEITO
E NAS COSTAS
FERIDAS ABDOMINAIS

• Dor generalizada no abdómen.

• Hemorragia/feridas associadas.

• Intestino visível dentro ou fora


da ferida.

• Choque.

• A vítima pode vomitar.


FERIDAS ABDOMINAIS
Actuação do socorrista
• Deitar a vítima de costas com os joelhos semiflectidos.

• Não pressionar objectos salientes nem administrar algo à


vítima por via oral.

• Prevenir hipotermia / Amparar abdómen (tosse/vómito).

• Verificar ventilação e pulso de 10/10`.

• Prevenir infecção.

• Se vítima inconsciente - ABC da ressuscitação.


Transporte urgente p/ hospital
FERIDAS ABDOMINAIS

SE O INTESTINO SAIR PELA FERIDA

• Não manipular, comprimir ou reintroduzir os intestinos


salientes.

• Penso esterilizado/pano limpo ligeiramente humedecido,


fixar com ligadura pouco apertada;

• Providenciar transporte urgente


FERIDAS ABDOMINAIS