Você está na página 1de 31

Retirantes (1936) – Cândido Portinari

Aula 3

Fluxos migratórios
Conteúdo da Aula 3
Definição
Migrações Externas
Migrações Internas
Tipos
Números sobre a migração internacional
Ciclos migratórios internacionais
Consequências das migrações internacionais
Imigração no Brasil
Questões para discussão
Definição
Fluxos migratórios (movimento migratório ou migração) é o
deslocamento da população de um lugar para outro podendo ser
definitivos ou temporários
Diversos motivos levam as pessoas a migrar: guerras, condições
econômicas desfavoráveis, adversidades naturais como climas
extremamente frios ou quentes, atividade vulcânica intensa, entre
outros.
Os movimentos migratórios podem ser:

Internos Externos
Migrações Externas
A migração externa, também denominada migração internacional,
ocorre quando a população se desloca entre países. Há dois tipos de
migração externa:

IMIGRAÇÃO EMIGRAÇÃO
• Corresponde ao • Refere-se ao
movimento de entrada movimento de saída
das pessoas das pessoas de seu país
estrangeiras em um de origem. Essas
país. Elas são imigrantes pessoas são emigrantes
nesse país. no seu país de origem.
Migrações Internas
A migração interna ocorre quando a população se desloca no interior de
um país.
Existem outros dois tipos de migração interna:

MIGRAÇÃO PENDULAR TRANSUMÂNCIA


•Movimento diário de •Deslocamento
vaivém da população populacional que
que desloca da ocorre em certos
periferia para o períodos do ano.
centro e vice-versa.
Tipos
- Migrante: qualquer pessoa que muda de país ou região.

- Emigrante: quem deixa seu local de nascimento.

- Imigrante: quem entrou em uma nova região ou país.

- Refugiado: pessoa que muda de país ou região para fugir de


guerras, conflitos internos, perseguição (política, étnica, religiosa,
de gênero, etc.) e violação de direitos humanos.

- Solicitante de asilo: pessoa que pediu proteção internacional e


aguarda concessão do status de refugiado.
Tipos
- Inter-regional (entre diferentes regiões): 3,4 milhões de pessoas entre 1995
e 2000 no Brasil.
- Intra-regional (dentro de um mesmo estado ou entre estados de uma mesma
região): 4,6 milhões de pessoas entre 2005 e 2010.
- Definitiva: a pessoa passa a residir no novo local.
- Temporária: o migrante fica apenas um tempo pré-determinado.
- Sazonais: o migrante se desloca em determinadas épocas do ano.
- Pendulares: a pessoa sai de sua cidade todos os dias para trabalhar ou estudar.
- Espontânea: a pessoa sai de sua cidade de origem por vontade própria.
- Forçada: o deslocamento ocorre por conta de guerras, conflitos ou outas condições
adversas.
- Êxodo Rural: saída da zona rural para zonas urbanas.
Internas Êxodo Rural
Êxodo Urbano
Espaço

Externas Intracontinentais
Intercontinentais

Definitivas

Duração
Temporárias

Migrações
Voluntárias

Forma
Forçadas

Legais

Controle

Clandestinas
Motivos

Causas de Atração Causas de Repulsão


•Melhores condições •Desastres naturais.
de vida. •Conflitos
•Maior oferta de políticos/religiosos.
emprego. •Situação econômica
ruim.
Números sobre a migração
internacional
Números sobre a migração
internacional
Fluxo global de
pessoas entre 1990
até 2010
Ciclos migratórios
internacionais
1º ciclo - Século XV ao XVII
- Descobrimentos
2º ciclo - Século XVII ao XIX
– Movimento dos escravos
3º ciclo – Século XIX e início do século XX
- 70 milhões de europeus emigraram para América, Austrália e
África.
4º ciclo –Século XX década de 30
- Diminuição devido às guerras e crises econômicas.
Ciclos migratórios
internacionais
5º ciclo – Século XX década de 50

- Retomada modesta das migrações para a Europa e Estados


Unidos no período pós-guerra.
6º ciclo – Século XX década de 70

- Interrupção no crescimento das migrações devido à sucessivas


crises econômicas (crise do petróleo, desemprego, fechamento de
indústrias).
7º ciclo – Século XX década de 90

- Movimentos migratórios retomados (fim da URSS, retomada


do crescimento econômico)
Ciclos migratórios
internacionais
8º ciclo – Século XXI

- Aumento das migrações X maior controle das fronteiras.


- Estão sendo feitas políticas públicas que dificultam a entrada e
permanência do imigrante de forma ilegal no país receptor.
Consequências das migrações
internacionais
NAS ÁREAS DE EXPULSÃO NAS ÁREAS DE ATRAÇÃO
POPULACIONAL POPULACIONAL
• Diminuição da população; • Aumento da população devido à
• Diminuição da taxa de natalidade entrada de imigrantes;
devido à escassez de população • Aumento da taxa de natalidade
jovem e adultos; consequência do elevado número
• Envelhecimento da população; de jovens e adultos;
• Diminuição da população ativa; • Rejuvenescimento da população;
• Entrada • Aumento da população ativa;
de divisas (moeda
pelos • Possível aparecimento de bairros
estrangeira) enviadas
emigrantes; degradados;
• Dificuldades de aceitação de novas
culturas, línguas e costumes;
• Xenofobia
Portugueses Escravos africanos
Séc. XVI até início do XX Séc. XVI e XIX
Lei Eusébio de Queirós - 1850
Imigração no Brasil
Norte: Principalmente imigrantes portugueses. A
partir do século XX chegaram japoneses que
começaram plantações de chá e juta e também
sírios-libaneses que chegaram à região para
trabalhar com comércio.

Nordeste: Imigrantes portugueses e africanos. Em


alguns momentos franceses e holandeses.

Centro-Oeste: Imigrantes portugueses.

Sudeste: Principalmente imigrantes portugueses


e africanos. O Rio de Janeiro e Espírito Santo
receberam também imigrantes suíços e alemães
no século XIX. São Paulo recebeu italianos,
espanhóis, japoneses, árabes, coreanos,
chineses, bolivianos, nigerianos, angolanos e
haitianos.
Sul: Japoneses, alemães e eslavos.
Operários (1933) – Tarsila do Amaral
Franceses Holandeses
1555 – Invasão ao Rio de Janeiro 1630 – 1654 Invasão de Olinda e Recife
Confederação dos Tamoios
1612 – Invasão ao Nordeste

Imigrantes Italianos Imigrantes Japoneses


1870 – Políticas de estimulo para a vinda de 1908 - 1921– Políticas japonesas de estimulo à
europeus para substituis a mão de obra escrava. emigração.
1928 - 1935 – Emigração pós Segunda Guerra.
Alemães Bolivianos
Ápice entre 1920 e 1930 – Refugiados das Desde 2004 – busca por melhores
Guerras Mundiais condições de vida

Haitianos
Desde 2010 – refugiados (terremoto em
2010) e imigrantes.
Imigração no Brasil
Migrações no Brasil
Migrações no Brasil
a partir de 2000
Êxodo rural no Brasil
Migração em massa da população do campo para a cidade.

A mecanização do campo, concentração da produção e piores condições


de vida serviram como fator de repulsão no Brasil entre os anos 1960 e
1980.
A saída de trabalhadores do campo durante essas duas décadas for
responsável por 20% da urbanização.
O Êxodo rural desacelerou depois dos anos 2000 graças a quantidade já
escassa de trabalhadores rurais (exceto no Nordeste) e também devido a
programas sociais para melhorar as condições de vida no campo.
Emigração do Brasil
Questões para discussão
Questões para discussão
Quais são os prós e contras dessa migração internacional?