Você está na página 1de 18

LUÍS DE CAMÕES LÍRICO

Análise de composições poéticas


- A influência tradicional
- A medida velha
Quem ora soubesse
Onde o amor nasce,
Que o semeasse.

Verdes são os campos


da cor do limão
assim são os olhos
do meu coração.

Aquela cativa
que me tem cativo,
Porque nela vivo Se Helena apartar
Já não quer que viva. Do campo seus olhos,
Nascerão abrolhos
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
INFLUÊNCIA TRADICIONAL - MEDIDA VELHA
FORMAS TEMAS

Redondilhas • a ida à fonte


• o vilancete • a menina dos olhos verdes
• a cantiga • a natureza
• a esparsa • a saudade
• as trovas • os temas humorísticos
Métrica • (…)
- Redondilha menor (cinco sílabas)
- Redondilha maior (sete sílabas)
Mote:
Verdes são os campos
da cor do limão
assim são os olhos
do meu coração.

Voltas:
Campo que te estendes
com verdura bela;
ovelhas que nela
vosso pasto tendes:
d’ervas vos mantendes
que traz o Verão,
e eu das lembranças
do meu coração.

Gado que paceis,


co contentamento
vosso mantimento
não o entendeis;
isso que comeis
não são ervas , não:
São graças dos olhos
Do meu coração.
Presente a devoção O sujeito poético
amorosa e os começa por apresentar
elementos da o ponto de partida
Natureza. para a criação poética:
A semelhança entre a
Destaca-se a cor dos olhos da
banalidade e Mote alheio amada e a cor dos
trivialidade da campos/ da Natureza.
Verdes são os campos
inspiração poética. da cor do limão Estabelece uma
assim são os olhos comparação entre
Observa-se a do meu coração.
presença dos ambos.
elementos bucólicos Os olhos representam
estão presentes, a amada no seu todo
reforçando essa (a parte pelo todo –
simplicidade e metonímia)
trivialidade.
É apresentado o destinatário ou destinatários
deste lamento: Campo, Ovelhas e Gado.
O sujeito poético dirige-se a esses elementos.

Primeiro começa por invocar o campo verde


que se estende de forma bela, mas passa logo
Voltas: de seguida para as ovelhas que estão tão
Campo que te estendes próximas dessa beleza verde.
com verdura bela;
ovelhas que nela O sujeito poético deixa-lhes um recado, ao
vosso pasto tendes: lembrar-lhes que, por um lado, elas se
d’ervas vos mantendes alimentam/ elas se mantêm vivas por causa
que traz o Verão, dessa verdura que o verão torna possível, por
e eu das lembranças outro lado o sujeito poético alimenta-se vive
do meu coração. por causa das lembranças/ das memórias que
tem da amada.

Pressupomos, portanto, uma relação


dominada pela saudade, pela tristeza e pela
nostalgia.
Dirige-se agora ao Gado, no geral, que não
tem consciência da realidade do seu
sofrimento.

O sujeito poético de uma forma exagerada


(hipérbole) assume a projecção da amada na
Natureza, assumindo que, sem se dar conta,
Gado que paceis,
o gado come a graciosidade dos olhos da
co contentamento
amada.
vosso mantimento
não o entendeis;
Ao longo da cantiga temos uma comparação
isso que comeis
entre os olhos da amada e os campos que se
não são ervas , não:
vai tornando cada vez mais evidente aos
São graças dos olhos
olhos do sujeito poético.
Do meu coração
A repetição do advérbio de negação “não”
transmite um tom de oralidade ao poema, e
temos a certeza de que o sujeito poético
está convencido desta projecção da amada
na Natureza.

No final da composição poética os campos


não são como os campos (comparação)
São os próprios campos verdes (metáfora).
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
INFLUÊNCIA CLÁSSICA - MEDIDA NOVA
FORMAS TEMAS

Redondilhas • O retrato ideal da mulher amada


• Soneto – modelo petrarquista.
• O conceito de amor idealizado.
• Canção
• Ode • O conflito entre o amor platónico
e o amor sensual.
Métrica
• Os efeitos contraditórios do amor.
Doce estilo novo ou versos decassílabos
• O destino.
ou versos heroicos ou medida nova
• A mudança e o desconcerto do
mundo.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A EXPERIÊNCIA AMOROSA E A REFLEXÃO SOBRE O AMOR
Tema dominante em Camões, marcado pelo mito do amor-paixão:

AMOR

espiritual (de feição platónica) sensual (de erotismo audacioso)

Conflito interior
Tensão amorosa
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A REPRESENTAÇÃO DA AMADA
Relacionada e influenciada pelo modelo petrarquista:
• a mulher como exemplo de perfeição física e espiritual;
• a sua descrição é construída a partir de elementos, imagens e
metáforas naturais.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A REPRESENTAÇÃO DA AMADA (cont.)
• Os cabelos são “ouro”
• A pele “neve”
• As faces “rosas”
• Os lábios “coral”.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A EXPERIÊNCIA AMOROSA E A REFLEXÃO SOBRE O AMOR
• O amor a um ser angelical deixa o poeta insatisfeito.
• O amor a uma criatura terrena leva-o a sentir-se culpado.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A REPRESENTAÇÃO DA NATUREZA
A natureza é:
- evocada, subjetivizada e vitalizada;
- composta pelos elementos primordiais;
- inseparável da relação do poeta com a amada.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A REPRESENTAÇÃO DA NATUREZA
LOCUS AMOENUS
- natureza ideal, amena e com características bucólicas.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
A REFLEXÃO SOBRE A SUA VIDA PESSOAL
- os erros e o amor;
- o destino impiedoso;
- a infelicidade e a desilusão;
- falta de esperança de uma vida melhor.
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
O TEMA DO DESCONCERTO DO MUNDO

A ordem racional do mundo parece ter deixado de existir

O mundo cotidiano está em desconcerto relativamente aos valores bíblicos:


OS BONS SÃO CASTIGADOS E OS MAUS SÃO RECOMPENSADOS

Esse desconcerto não se aplica ao poeta


O poeta quando se comporta mal é duplamente castigado
LUÍS DE CAMÕES LÍRICO
O TEMA DAS MUDANÇAS CONSTANTES

O mundo é dinâmico

As mudanças da natureza são previsíveis,


ao passo que as mudanças das pessoas são imprevisíveis.

As mudanças imprevisíveis trazem tristeza, dor e sofrimento.


LUÍS DE CAMÕES LÍRICO