Você está na página 1de 38

PROTEÇÃO DE

BARRAMENTOS
André Medeiros
Bruno Gonçalves
Esther da Costa
Gustavo Gomes

2
1. Barramentos
Definição, características e evolução histórica.
Definição de Barramentos

Elemento crítico de um sistema eléctrico de energia,


sendo um ponto de convergência de alguns circuitos
eléctricos, tais como:
▪ Linhas de transmissão
▪ Geradores
▪ Cargas
▪ Transformadores
4
Função e importância

▪ A proteção de barramentos procura limitar o impacto


do defeito do barramento do resto da rede, por
conseguinte as suas proteções têm de se
específicas para prevenir disparos desnecessários e
seletivos, disparando somente os aparelhos de
corte necessários para eliminar o defeito.

5
Características da proteção

Características Específicas dos relés :


▪ Têm de ter tempos de atuação curtos
▪ Devem operar apenas nos defeitos internos
▪ Devem operar apenas na zona do barramento
afetada
▪ Devem ser imunes a operações erradas
▪ Têm de ser seguros e de grande fiabilidade
6
Evolução histórica

7
2. Tipos de barramentos
Fatores de dimensionamento e influência dos TI’s.
Tipos de barramentos- Simples

9
Tipos de barramentos- Principal e transferência

10
Tipos de barramentos- duplos

11
Tipos de barramentos- anel

12
Tipos de barramentos- Tabela comparativa

13
Fatores do dimensionamento

▪ Valores máximos e mínimos das correntes de


defeito no barramento (defeitos monofásicos fase-
terra e defeito trifásico)
▪ Informações sobre os TI´s: Localização, razão de
transformação, classe de precisão, curvas de
saturação.
▪ Velocidade de operação de atuação da proteção
(temporizações por nível de alarme)
14
Influência dos TI’s- Tipos de enrolamentos

▪ Enrolamento de medição:
▪ Serve para medir correntes e contadores de energia, é linear,
constituindo uma imagem mais perfeita das correntes do
primário e satura mais rapidamente a correntes de defeito de
modo a proteger os aparelhos de medida.
▪ Enrolamento de proteção:
▪ São uma imagem menos perfeita da corrente medida no
primário e a saturação com correntes de defeito é mais lenta,
mas acontece diminuindo a ação da proteção dos barramentos.
15
Influência dos TI’s

16
3. Proteção contra curtos
Fase-terra x fase-fase e fase-terra, proteções digitais,
combinadas e reserva.
Proteção fase-terra X fase-fase e fase-
terra

▪ A planta do edifício de uma subestação


condicionará o tipo de esquema de proteção a
instalar, dependendo dos edifícios permitirem ou
não a comutação com segregação das 3 fases.
▪ Se não houver qualquer segregação de fases,
teremos proteções para defeitos fase-terra e fase-
fase.

18
Proteção fase-terra X fase-fase e fase-
terra

▪ Se houver comutação com segregação de fases, ao


nível dos terminais de comutação ou ligação quer
ao longo de todo o barramento, podemos ter 2 tipos
de proteções:
▪ Para tensões reduzidas
▪ Temos apenas a Proteção a defeitos fase-terra
▪ Para tensões acima dos 6KV
▪ Temos a proteção a defeitos fase-fase e fase-terra 19
Proteções digitais

▪ São ideais para configurações complexas de


barramento
▪ As zonas de proteção óptimas são calculadas pelas
proteções através da abertura ou fecho dos
aparelhos de corte por software, mantendo
operacionais e sem corte as correntes normais de
funcionamento.

20
Proteções digitais

▪ A introdução de proteções baseadas em


microprocessadores que protegem os barramentos
com dados somente de1 fase da corrente tem
diminuindo os custos associados às proteções.

21
Proteções digitais, problemas

▪ No processamento de vários dados, muitos valores


de corrente e tensão há problemas em trazer as
informações à proteção isto é um número elevado
de entradas digitais e analógicas.
▪ Várias zonas de proteção são necessárias para
proteger diferentes zonas do barramento,
dependendo da configuração atual, implicando um
grande poder de processamento da proteção.
22
Proteção combinada

A proteção do barramentos e do banco de


transformador numa só zona diferencial assenta dois
fatores fundamentais:
▪ Fator econômico
▪ Localização dos TI’s
Exemplo: sistemas de relés com bobinas de limitação
múltipla.

23
Proteção de reserva

▪ Este tipo de proteção é utilizado habitualmente em


subestações de pequenas redes radiais no nível
mais baixo de distribuição, onde até a mais simples
forma de proteção pelo seu custo económico pode
não ser justificável.

24
Proteção de reserva

▪ Medidas de melhoramento da segurança de


fornecimento:
▪ Quando permitidas pela configuração das subestações,
procura-se projetar a proteção de modo a dividir o
barramento em secções
▪ Disparando apenas as saídas de uma das secções
▪ Disparando sequencialmente as outras saídas se após
uma temporização ainda existir corrente de defeito
25
4. Tipos de proteções
Diferencial com relés de máxima intensidade,
comparação direcional e digital
Diferencial com relés de máxima
intensidade

▪ O esquema para proteção diferencial é obtido através da


colocação em paralelo de TI’s por cada fase de cada
entrada do barramento, estando as saídas alimentadas
por reles de máximo de intensidade do tipo disco de
indução.
▪ Este tipo de esquemas diferencia defeitos externos dos
internos.
▪ Desvantagens: custo em engenharia é elevado, sendo
necessário estudos completos em aplicações deste 27
gênero.
Diferencial com relés de máxima
intensidade

28
Diferencial com relés de máxima
intensidade

29
Diferencial percentual

▪ É possível melhorar a resposta de um sistema de


proteção diferencial com a introdução de uma resistência
estabilizadora ou de uma bobina de limitação.
▪ desvantagens: a introdução da bobina, aumentando os
custos, e piora o tempo de resposta do sistema

30
Diferencial percentual

31
Comparação direcional

▪ O esquema utiliza relés direcionais com duplo contato.


Todos os contatos normalmente abertos estão em
paralelo e ligados ao relé de disparo (tripping) enquanto
que todos os contatos normalmente fechados estão
também em paralelo mas ligados ao relé de bloqueio
(blocking) que pode bloquear o disparo.

32
Diferencial percentual

33
Proteção digital

▪ Proteção, supervisão e controle de barramentos de média


tensão, subestações de distribuição e postos de corte e
seccionamento.
▪ Grande precisão de regulação de correntes, tensões,
temporizações.
▪ Flexibilidade na escolha do relé com as funcionalidades
mais adequadas a cada caso.
▪ Possibilidade de controlo à distância, permitindo interface
de rede LONTALK 34
Proteção digital

35
Proteção digital

36
Proteção digital

37
OBRIGADO!

38