Você está na página 1de 27

Aprendizagem

Não podemos aprender sem


recordar, nem recordar sem
aprender
1
O que é aprender?
 A aprendizagem é sempre uma alteração
comportamental relativamente a um estado
anterior;
 As modificações processadas têm que
apresentar um carácter duradouro (ou
relativamente permanente);
 A aprendizagem implica sempre alguma
forma de prática, treino ou estudo (exercício).
Não é inata, mas adquirida.

2
Definição de aprendizagem
 A aprendizagem é uma alteração
relativamente estável do comportamento
ou de conhecimento, devida à experiência,
ao treino ou ao estudo, processo que
ocasiona essa alteração. Esta mudança de
comportamento, pode ocorrer num
processo individual ou interpessoal.

 Modificações na conduta originadas pela


fadiga, doenças, lesões ou uso de drogas
não se incluem no âmbito da
aprendizagem.

3
Factores de Aprendizagem

Aprendizagem

4.Factores sociais
1.Idade

5.Inteligência

2.Motivação
3. Aprendizagem anterior
e experiência

4
Idade
 São necessárias determinadas estruturas
intelectuais para que se possam concretizar
certas aprendizagens.
 A maturação fisiológica também influencia a
aprendizagem - uma criança de dois anos de
idade não consegue aprender a escrever.
 A cada estádio de desenvolvimento intelectual
correspondem capacidades específicas.
Motivação
 A motivação é uma tensão interna que leva o
indivíduo a agir com dinamismo e empenho numa
determinada direcção. Aprendemos mais
facilmente um assunto ou actividade, se estamos
motivados.
 A motivação para a aprendizagem pode ser
intrínseca (incentivada por factores internos) ou
extrínseca (incentivada por factores externos).
 Níveis de motivação baixos ou excessivamente
elevados podem dificultar ou mesmo impedir a
aprendizagem.

6
Aprendizagem anterior / Experiência
 Aquilo que aprendemos nunca é
inteiramente novo pois relaciona-se, de
alguma forma, com anteriores
aprendizagens.
 A transferência de uma situação para outra
pode facilitar ou dificultar a nova
aprendizagem.
 Sempre que a as aprendizagens anteriores
facilitam novas aprendizagens, referimo-nos
ao processo de transferência positiva. Por
exemplo, andar de bicicleta pode facilitar a
condução de motociclos.
 Fala-se de transferência negativa sempre
que as aprendizagens anteriores dificultam
as novas aquisições - saber andar de carro
dificulta a aprendizagem de andar de barco.

7
Fatores Sociais
 As aprendizagens escolares e
profissionais, as atitudes, valores,
sentimentos de autoestima, segurança,
respeito pelos outros são influenciados:

 pela família;

 pela escola;

 pelos padrões sociais e culturais da


comunidade a que se pertence.

8
Inteligência
 A inteligência é um aglomerado de várias capacidades
(cognitivas, emocionais,…) resultantes da interação
entre fatores hereditários e fatores ambientais.

 Essas capacidades facilitam a adaptação do indivíduo ao


meio.

 Um ambiente familiar e social intelectualmente


estimulante é facilitador das aprendizagens escolares e
profissionais.

9
TIPOS DE APRENDIZAGEM

1. Aprendizagem por condicionamento

 Condicionamento – conjunto de operações


efectuadas no animal ou no ser humano (em
que se associam estímulos a reacções do
organismo) e que permitem adquirir um novo
padrão de comportamento.
 O condicionamento é um mecanismo de
aprendizagem associativo.

10
1.1 Condicionamento clássico ou pavloviano
(Ivan Pavlov – fisiologista russo, 1849-1936)

 Pavlov tornou-se célebre, pois ao realizar


experiências sobre as secreções gástricas em
cães descobriu que para além dos reflexos
inatos se podem desenvolver reflexos
aprendidos.
 Em 1903, anuncia pela primeira vez a noção de
reflexo condicionado.
 Em 1904 foi-lhe atribuído o prémio Nobel da
Medicina e Fisiologia.

11
Antes das sessões de condicionamento

 Estímulo incondicionado (comida)

 Reação/resposta incondicionada
(salivação)
 Estímulo neutro (som) nenhuma
resposta

12
Durante as sessões de
condicionamento
 Estímulo neutro (som) + Estímulo
incondicionado (comida)

 Resposta incondicionada (salivação)

13
Após o condicionamento
 Estímulo condicionado (som)

 Resposta condicionada (salivação)


 A resposta condicionada é a que, depois do
condicionamento, se segue ao estímulo que antes era
neutro.

14
Conclusão:
 Provocando repetidamente o som da
campainha ao mesmo tempo ou alguns
segundos antes de distribuir a comida ao cão,
verificou que este passou a salivar ao som da
campainha mesmo que não se seguisse a esse
som a distribuição da comida. O toque da
campainha, estímulo que inicialmente era
neutro, por associação, desencadeia no
animal uma resposta semelhante à provocada
pelo estímulo incondicionado (estímulo a que o
animal reagiu naturalmente, a carne). Houve,
portanto, aprendizagem.

15
1.2. Condicionamento Operante
Thorndike e a Lei do Efeito – p.72

Um golfinho efetua um malabarismo


para obter um peixe como recompensa -
o malabarismo é um comportamento
desencadeado (uma resposta
instrumental) com vista à obtenção de
um efeito desejado: o peixe
(recompensa).
Edward Thorndike (1874-1949) – O que
faz com que certas respostas sejam
enfraquecidas e outras fortalecidas?
16
Condicionamento Operante
 Uma resposta acompanhada ou seguida de uma
recompensa é aprendida, consolidada; se não
houver recompensa ou se houver castigo, a
resposta enfraquecerá.

 LEI DO EFEITO – são os efeitos, as consequências de


uma resposta, que determinam as probabilidades de ela
se voltar a repetir, ou seja, uma resposta seguida de um
reforço positivo tem mais probabilidades de ocorrer.

17
Condicionamento operante - SKINNER
(psicólogo norte-americano, 1904-1990)

• No condicionamento operante, o sujeito


age, opera sobre o ambiente para obter
satisfação ou evitar a dor /sensações
desagradáveis. As respostas são, pois,
voluntárias.
• No condicionamento clássico, a atitude do
sujeito é passiva e as respostas são
involuntárias, automáticas, reflexas.

18
Condicionamento Operante
• A aprendizagem ocorre num esquema de
reforço e castigo.
• Reforço – qualquer estímulo que surge em consequência de um
comportamento e que aumenta a sua ocorrência.
• Reforço positivo – apresentação de qualquer estímulo apetecível
(ex. o alimento) e que aumenta a frequência do comportamento.
• Reforço negativo – retirada de qualquer estímulo aversivo e que
aumenta a frequência do comportamento. Ex.: o animal aprende a
evitar uma dor premindo uma alavanca.
-- O reforço positivo e o reforço negativo podem associar-se. Ex. Uma
criança efectua melhor determinadas aprendizagens para obter um
prémio (R.P) e, simultaneamente, para evitar ser repreendida (R.N).

19
Castigo ou punição - estímulo que surge em
consequência de um comportamento e que diminui a sua
frequência.

• O comportamento diminui quando é castigado, ou seja,


quando dele resulta algo de mau ou desagradável para
o sujeito.
• Esse algo de ‘mau ou desagradável é a característica
essencial do castigo e pode consistir em receber algo de
aversivo (ex. a dor) ou em ser privado de algo apetecível
(ex. o alimento).

20
2. APRENDIZAGEM SOCIAL – Albert Bandura

• A socialização implica aprendizagens em comunidade.


• A aprendizagem social ocorre pela observação das condutas
daqueles com quem convivemos.
• Observação e imitação – processo de aprendizagem que as
pessoas fazem através da observação de comportamentos sociais
próximos no tempo, os quais são mentalmente imitados ou
exteriormente expressos.
• Designa-se por modelagem ou aprendizagem por
modelação o processo de aprendizagem social feita por
observação e imitação de pessoas significativas – modelos. Estes
impõem-se aos outros pelo sucesso, classe, estatuto pessoal,
competência ou poder. Ex. pais, amigos, professores, artistas de
cinema, desportistas,…

21
Bandura – as pessoas podem aprender tão bem direta
como indiretamente.

 Aprendizagem direta – são aquisições por reforço ou


castigo direto em que as consequências positivas ou
negativas dos atos recaem sobre o sujeito que os
pratica. Ex. receber uma recompensa monetária acrescida pelo bom
desempenho profissional.

 Aprendizagem indireta ou vicariante – tipo de aprendizagem


que resulta da observação de um modelo cujo comportamento foi
reforçado. A imitação do comportamento é frequentemente
reservada a situações posteriores. Ex. os colegas de trabalho do
empregado do exemplo anterior tenderão a proceder como ele, em
virtude de terem observado que o seu bom desempenho foi
apreciado – aprendizagem por reforço indireto ou vicariante.

22
3. Aprendizagem motora

• Tipo de aprendizagem que envolve


movimentos como andar, vestir-se, guiar
um automóvel.
• Podemos designar como actividades
psicomotoras escrever, digitar um texto no
computador, tocar um instrumento
musical, etc.

23
4. Aprendizagem de discriminação

Tipo de aprendizagem que


está na base de todas as
outras aprendizagens.
Permite-nos apreender as
semelhanças e as
diferenças entre objectos,
pessoas, acontecimentos,
situações.

24
5. Aprendizagem verbal

Pode considerar-se uma das mais


importantes aprendizagens do ser humano.
É através de símbolos verbais que se
estabelecem as interacções sociais.
É a linguagem que estrutura a nossa
relação com o mundo e a nossa vida
psicológica.

25
6. Aprendizagem de conceitos
 É através dos conceitos, que são
representações universais de realidades
(físicas e abstractas), que organizamos as
informações que recebemos do mundo
natural e social.
 Ex.: conceito de mesa, de humanidade, de
justiça, etc.

26
7. Aprendizagem de resolução de
problemas
 Face aos problemas que se nos deparam,
procuramos soluções adequadas que vamos
aperfeiçoando com a experiência, isto é, vamos
aprendendo a resolver problemas.
 Podem ser problemas de carácter prático que
exigem a intervenção da inteligência prática (por
exemplo, abrir uma caixa); outros exigem o
recurso ao raciocínio lógico-formal (por exemplo,
resolver um problema de Física).

27