Você está na página 1de 14

I CONGRESSO DOS FARMACÊUTICOS DE

MOÇAMBIQUE

DESAFIOS E OPORTUNIDADES DA
FARMÁCIA COMUNITÁRIA PARA O
FUTURO DE MOÇAMBIQUE

Orlando Penicela
Maputo, 02 de Novembro de 2018
INTRODUÇÃO
 A farmácia comunitária é uma das principais portas de
entrada no Sistema de Saúde e é fundamental
acessibilidade (disponibilidade, aceitabilidade, capacidade
de pagamento e informação).
 As farmácias comunitárias têm em comum o seu papel
social e lado empresarial.
 A realidade das farmácias comunitárias em Moçambique
se tem mostrado desafiadora.
 Para descrever alguns desafios e oportunidades para as
farmácias, o modelo de análise escolhido foi a Análise
SWOT.
 Premissa: uma farmácia COMUNITÁRIA é uma organização
que oferece serviços ao cidadão mas tem fins lucrativos.
POR QUÊ SWOT?

“Conhece teu inimigo e conhece a ti mesmo, se tiveres


cem combates a travar, cem vezes será vitorioso. Se
ignoras teu inimigo e conheces a ti mesmo, tuas
chances de perder e de ganhar serão idênticas. Se
ignoras ao mesmo tempo teu inimigo e a ti mesmo,
só contarás teus combates por tuas derrotas”. Sun
Tzu (2007:41).
MATRIZ SWOT

https://marketingdeconteudo.com/como-fazer-uma-analise-swot/, acesso 21/10/2018


DESAFIOS E OPORTUNIDADES DA
FARMÁCIA COMUNITÁRIA PARA O
FUTURO DE MOÇAMBIQUE

(Análise SWOT)
ANÁLISE INTERNA

PONTOS FORTES PONTOS FRACOS

 Localização no seio das  Qualidade de Recursos Humanos


comunidades que servem (Incluindo honestidade dos mesmos);
(acessibilidade é um dos seus  Incapacidade de possuir todos os
activos mais valiosos); produtos/variedades destes;
 Disponibilizam o acesso a todos os  Dificuldade de stocks sustentáveis;
grupos socioeconómicos;  Limitada capacidade de gestão
 Acesso a um grande número de financeira e de gestão da produção
pessoas que poderão não recorrer (ausência de planos de negócio com
regularmente a outros profissionais estudos de viabilidade, desde a
de saúde; entrada no negócio, por ex.);
 Mantém um contacto regular com os  Dificuldade de acesso a
doentes que pode ser usado para financiamento (falta de garantas reais
ajudar a melhorar a adesão a e risco de crédito);
terapêutica e fidelizar clientes;  Políticas de retenção de lucro e de
 Horário alargado. endividamento deficientes;
ANÁLISE INTERNA

PONTOS FORTES PONTOS FRACOS

 Políticas de retenção de lucro e de


As farmácias comunitárias endividamento deficientes;
estão na situação ideal para  Deficientes sistemas de controlo que
fazerem a detecção inicial de potenciam práticas ilegais como a venda de
doenças nas quais uma produtos de uso exclusivo do SNS, aumento
intervenção precoce seria de preços, etc.;
benéfica. Ex. diabetes tipo 2,  Fraco poder de negociação;
teste rápido de malária,  Fraco poder de investimento face altos
pressão arterial, etc. custos fixos do negócio;
 Falta de garantias reais para captar
financiamento por capitais alheios.
ANÁLISE EXTERNA

OPORTUNIDADES AMEAÇAS

 Localização no seio das  Degradação da rentabilidade do


comunidades que servem; negócio;
 Potencial aumento da procura de  Aumento da concorrência (facilidade
cuidados de saúde nas de entrada);
comunidades;  Concorrência desleal (oligopólios,
 Rede hospitalar ainda insuficiente e distribuidoras detentoras de farmácias,
“Desconfiança” em relação as US; venda de medicamentos em postos como
 Suposta falta de medicamentos nas supermercados (locais que não se sabe se
tem algum responsável técnico), existência
US;
de farmácias em clinicas privadas,
 Novos tratamentos a surgirem; mercado paralelo, importação ilegal de
 Crescimento de investimentos no medicamentos por algumas farmácias e;
país e de seguradoras de saúde; funcionários que vendem medicamentos;
 Aumento do nível de escolaridade  Prática de descontos para fazer face
nas comunidades; a farmácia mais próxima sem levar
 Considerando a tendência em conta o real impacto;
mundial, a legislação poderá num  Poder de negociação quer dos
futuro alargar a área de actuação clientes como dos fornecedores;
das farmácias;
ANÁLISE EXTERNA

OPORTUNIDADES AMEAÇAS

 Maior possibilidade de fidelização  Custos de ir ao distribuidor;


de clientes e criação de imagem;  Obrigações fiscais elevadas;
 Assimetria espacial no tocante a  Multas por infracções cometidas por
presença de entidades que funcionários de má conduta;
fornecem medicamentos a nível  Aumento de custos fixos;
privado e estatal (concentração nas  Tendências de medicamentos
zonas urbanas, particularmente nas genéricos aparecerem a preços cada
vez mais baixos;
cidades de Maputo e Matola).
 Crise económica?
As oportunidades para a organização
são as variáveis externas e não
controladas, que podem criar as
condições favoráveis para a
organização, desde que a mesma
tenha condições ou interesse de
utilizá-las (REZENDE, 2008).
Saldo do nosso empresário da farmácia comunitária face aos desafios
CONSIDERAÇÕES

 As farmácias comunitárias moçambicanas têm grande


potencial económico e de provisão da acessibilidade aos
serviços de saúde.
 Os desafios que enfrentam têm a ver tanto com factores
externos assim como com factores internos. Parte dos
desafios são decorrentes do incumprimento da legislação.
 É preciso criar sinergias entre farmácias, com organismos
governamentais, com distribuidores, etc. o que só é
possível com Associação de Farmácia forte e unida.
 As farmácias comunitárias devem se capacitar e apostar
num maior rigor na sua gestão.
CONSIDERAÇÕES
 Colaborar com as autoridades em busca do alargamento
das áreas de intervenção para reduzir a dependência a
questão preço de medicamento ou margem de
comercialização.
 Buscar aprovação de uma lista de medicamentos não
sujeitos a receita médica e alguns cosméticos ou artigos
de comodidade claramente identificados de acordo com o
risco que envolvem para a saúde que poderiam ser de
venda exclusiva das farmácias.
 Levantar o debate do concurso publico para abrir
farmácias e estende-las às zonas recônditas favorecendo
o principal papel destas.
Farmácia Comunitária é um negócio. Ela representa um
investimento de recursos captados para dar uso produtivo.
Contribui para PIB e para redução do desemprego no país.
E como empresa, é preciso lembrar que não existe
empresa sem fins lucrativos. É preciso conciliar o serviço
farmacêutico com a gestão empresarial.
Por outro lado, farmácia comunitária é parceira do
Governo e como tal deve ser protegida, apoiada para que
seja sustentável.
orlas.penicela@gmail.com
Cotacto: +258 82 7175 831