Você está na página 1de 43

CRIOLIPÓLISE

Professora Karla Glazielle G. Santos Malachoski


Biomédica Esteta – CRBM 22326
A busca pelo corpo perfeito
Renascimento Século XXI
TECIDO CONJUNTIVO
CARACTERÍSTICAS GERAIS
• Grande quantidade de substâncias intercelulares com muitas
células e fibras

Conjuntivo Frouxo
• Substância intercelular pouco consistente
• Fibras em pequena quantidade
• Vasos sanguineos

•Fibroblasto: produz substância amorfa e as fibras fibras


•Macrófagos: defesa através da fagocitose
•Mastócitos: Heparina e Histamina
• Células: •Plasmócitos: produzem anticorpos
•Adipócitos: armazemam lipídios

4
TECIDO CONJUNTIVO
1. Fibra Colágena
2. Fibra Elástica
3. Linfócito
4. Monócito
5. Macrófago
6. Fibroblasto
7. Mastócito
8. Célula Mesenquimática
9. Plasmócito
10. Capilar
11. Célula Adiposa

5
TECIDO ADIPOSO
• Tipo especial de tecido conjuntivo.

• Predominância de células adiposas – adipócitos.

• Encontradas isoladas ou em pequenos grupos no


tecido conjuntivo frouxo.

• 20-25% do peso corporal na mulher e 15-20% no


homem de 15-20%.
TECIDO ADIPOSO
• Maior depósito corporal de energia (triglicerídeos).

• Funções:
 Fornecer energia;
 Modela o corpo;
 Absorção de choques;
 Isolamento térmico;
 Preenche espaços entre tecidos;
 Atividade secretora (órgão endócrino).
TECIDO ADIPOSO

Tecido adiposo comum,


amarelo ou unilocular.

Tecido adiposo pardo


ou multilocular.
TECIDO ADIPOSO
• As células adiposas do tecido adiposo são fibroblastos
modificados capazes de armazenar triglicerídios
praticamente puros em quantidades iguais a 80 a 95%
de seu volume.
• Sintetizam a Leptina que determina a quantidade de
tecido adiposo no organismo e na ingestão de
alimento
TECIDO ADIPOSO
Tecido adiposo comum, amarelo ou
unilocular:
TECIDO ADIPOSO
Tecido adiposo comum, amarelo ou unilocular:

• Cor: branco-amarela.
• Presente em adultos.
• Panículo adiposo (idade e
hormônio sexual).

• Adipócitos: células grandes.

• Forma: esférica (isoladas);


poliédricas (no tecido).

• Tecido com septo de tecido


conjuntivo (suporte e nutrição).
TECIDO ADIPOSO

ORIGEM
ADIPOGÊNESE
TECIDO ADIPOSO
TECIDO ADIPOSO
TECIDO ADIPOSO
LIPODISTROFIA
LOCALIZADA
LIPODISTROFIA LOCALIZADA
Classificação
Existem três tipos de obesidade segundo as células de gordura:
- A hipertrófica, que ocorre pelo aumento do tamanho das células e não pela
quantidade;
- A hiperplásica, que ocorre pelo aumento da quantidade de células;
- A mista que é a forma associada das duas anteriores.

- A obesidade pelo tipo hipertrófico é mais fácil de combater. Quando a


obesidade ocorre na fase adulta é mais comum a hipertrófica e na infância é
mais comum a hiperplásico.
TECIDO ADIPOSO
Lipodistrofia Localizada
- Andróide, Troncular ou Centrípeta, onde o acúmulo de
gordura está na cintura e o formato do corpo aproxima-se ao de
uma maçã;

- Obesidade Ginoide, onde a deposição de gordura é maior no


quadril, o formato aproxima-se de uma pera e pode estar
associada a um maior risco de aparecimento de artrose ou
varizes.
Lipodistrofia Localizada
• Cintura grande:
• Maior que 102 centímetros para homens
• Maior que 88 cm para mulheres
• É considerada como fator de risco adicional

• Criou-se um índice chamado Cintura-quadril que é


calculado pela divisão da medida da cintura
abdominal pela medida do quadril do paciente que
também indica o risco aumentado quando:
• Maior que 0.92 para homens e que 0.85 para mulheres.
TECIDO ADIPOSO
medição da gordura corpórea

- homens com mais de 25% de gordura


- mulheres com mais de 30% de gordura

Os dois métodos mais simples e utilizados são:

- através do teste da dobra, em que a pele abdominal é pinçada para ver a


espessura do tecido adiposo.

- Teste de impedância bioelétrica que consiste na medida da resistência da


gordura à passagem de uma corrente elétrica (500 a 800 micro A mono ou
multifrequencial); isso por que os diferentes componentes do corpo oferecem
diferentes resistências.
CRIOLIPÓLISE
CRIOLIPÓLISE
• Criada em 2005;

• Usado como fundamento em estudos,


episódios de paniculite relatados na literatura,
como Paniculite Picolé, Paniculite Equestre;

• Conclusão que tecidos ricos em lipídios são


mais suscetíveis a lesões pelo frio do que
tecidos ricos em água.
CRIOLIPÓLISE
• A gordura seria mais sensível aos efeitos do frio do que
a pele;

• Testes feitos com adipócitos, in vitro, demonstrou que


seu resfriamento às temperaturas acima do
congelamento, resultou em apoptose mediada por
morte celular;

• Em 2008, cientistas deram início as primeiras pesquisas


conclusivas referentes a essa técnica;
CRIOLIPÓLISE
• Foi observada uma redução de até 30% da gordura;

• As células mortas são metabolicamente eliminadas,


por uma cascata de reações inflamatórias que
envolvem células de defesa como os macrófagos,
que fagocitam essas células;
CRIOLIPÓLISE
• A apoptose celular é iniciada quando essas células
dos adipócitos são resfriadas a temperatura de 0°C.

• A sua destruição não provoca comprometimento a


nível hepático ou renal.

• A célula recebe um sinal para se autodestruir, reduz


seu tamanho, quebra a cromatina em pedaços e em
seguida é fagocitada.
CRIOLIPÓLISE
A apoptose programa genético

remoção de células lesadas autodigestão controlada

A morte celular programada é um processo essencial para a


manutenção do desenvolvimento dos seres vivos.
CRIOLIPÓLISE
• A inflamação aguda é a principal resposta da
imunidade inata, ela é geralmente rápida:

• Horas e dias;
• Envolve alterações vasculares;
• Exsudação de fluidos;
• Proteínas plasmáticas;
• Migração de elementos celulares;
CRIOLIPÓLISE
• Os fenômenos vasculares são:

vasoconstrição transitória mediada por tromboxanos

Para impedir uma possível hemorragia e


também para direcionar o sangue para o
local que mais necessita
CRIOLIPÓLISE

Histamina
Óxido nítrico (NO)
Vasodilatação Prostraglandinas
Citocinas
Fragmentos do complemento (C3a e C5a)

Maior número de leucócitos para o


processo inflamatório e aumento da Maior concentração de sangue
permeabilidade para auxiliar na
saída de células do sistema imune.
CRIOLIPÓLISE
• Hiperemia
• A velocidade sanguínea diminui (estase)
• Favorece a marginação dos leucócitos na parede
endotelial.
• Processo de rolamento
• Selectinas e integrinas
• Processo de transmigração (diapedese)
• Rede de fibrina serve de sustentação para a
migração
CRIOLIPÓLISE
• O tipo de leucócito emigrante varia com a idade da lesão inflamatória
e tipo de estímulo.

• Os neutrófilos predominam no infiltrado inflamatório durante as


primeiras 6 a 24 horas

• Sendo posteriormente substituídos por monócitos em 24 a 48 horas.

• Envolvem todo o agressor, englobando por endocitose formando,


então, uma vesícula endocítica.

• É dentro dessa vesícula que o leucócito fará a morte do agressor e


sua digestão por enzimas lisossomais
REAÇÕES ADVERSAS
• Os principais efeitos colaterais são:
• dor,
• eritema,
• edema,
• hematoma,
• dormência ligeira a moderada,
• diestesia transitória nos nervos periféricos
CONTRAINDICAÇÕES
• As principais contraindicações são:
• Sobrepeso, obesidade;
• Cirurgias há menos de 6 meses;
• Diabetes descontrolada;
• Processos infecciosos;
• Prega cutânea menor do que 2 cm (medidos pelo
adipômetro);
• Urticária;
• Doenças metabólicas descompensadas, como
diabetes, dislipidemia, síndrome metabólica;
CONTRAINDICAÇÕES
• Pacientes com hérnia no local a ser tratado;
• Pacientes com implantes metálicos;
• Doenças cardíacas;
• Gestantes;
• Neuropatias periféricas;
• Alta sensibilidade ao frio;
• Crioglobulinemia (doença relacionada ao frio);
• Doenças que causam alterações dos fatores de
coagulação, como hemofilia, trombocitopenia,
deficiência do Fator V de Leiden, entre outros;
RECOMENDAÇÕES PÓS
• Os resultados aparecem entre 6 e 8 semanas após a aplicação e no
final de 60 dias você deverá ter perdido entre 20% e 30% de gordura
localizada na área em que o tratamento foi feito.
• Não é recomendada a ingestão de anti-inflamatórios. Se o paciente
sentir desconforto, poderá tomar um analgésico.
• Não é recomendado realizar nenhum procedimento estético por pelo
menos 15 dias.
• Após os 15 dias, clientes que já apresentavam algum grau de
flacidez, um tratamento com radiofrequência para estimular o
colágeno, assim como também utilizar diariamente produtos que
contenham colágeno. Devido ao edema formado no local, tratamento
com drenagem linfática é uma ótima opção.
• E também associar outros protocolos, para potencializar a redução
de medidas no local.