Você está na página 1de 20

LEGISLAÇÃO

PROFª: RAYANE ADELLE B. PEREIRA


TECNÓLOGA EM RADIOLOGIA
CRTR: 00167N
LEGISLAÇÃO

Constituição Federal
Seção II
Da Saúde
Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido
mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco
de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às
ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
Art. 197. São de relevância pública as ações e serviços de saúde,
cabendo ao poder público dispor, nos termos da lei, sobre sua
regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita
diretamente ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou
jurídica de direito privado.
LEGISLAÇÃO

Constituição Federal
Seção II
Da Saúde
Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede
regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único,
organizado de acordo com as seguintes diretrizes:
I - descentralização, com direção única em cada esfera de governo;
II - atendimento integral, com prioridade para as atividades
preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais;
III - participação da comunidade.
LEGISLAÇÃO

Constituição Federal
Seção II
Da Saúde
Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada.
§ 1º - As instituições privadas poderão participar de forma complementar do
sistema único de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de
direito público ou convênio, tendo preferência as entidades filantrópicas e as
sem fins lucrativos.
Art. 200. Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições,
nos termos da lei:
I - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse
para a saúde e participar da produção de medicamentos, equipamentos,
imunobiológicos, hemoderivadose outros insumos;
II - executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as
de saúde do trabalhador;
LEGISLAÇÃO

LEI ORGÂNICA DE SAÚDE


8.080/90
Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da
saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes
e dá outras providências.

LEI 8.142/90 – SUS


Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema
Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de
recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências.
LEGISLAÇÃO

PRINCÍPIOS DO SUS

UNIVERSALIDADE
Expresso no direito à saúde enquanto direito de cidadania de todas as
pessoas, independentemente de sexo, raça, renda, ocupação, ou outras
características sociais ou pessoais.
EQUIDADE
Princípio da justiça social. Objetiva diminuir a desigualdade (direitos
iguais e necessidades diferentes). A noção de equidade diz respeito à
necessidade de se “tratar desigualmente os desiguais” de modo a se
alcançar a igualdade de oportunidades de sobrevivência, de
desenvolvimento pessoal e social entre os membros de uma dada
sociedade.
LEGISLAÇÃO

PRINCÍPIOS DO SUS

EQUIDADE
LEGISLAÇÃO

PRINCÍPIOS DO SUS

INTEGRALIDADE
Considerar as pessoas como um todo, considerando todas as suas
necessidades. Integração de ações incluindo a promoção da saúde,
prevenção de doenças, o tratamento e a reabilitação.
LEGISLAÇÃO

LEI Nº 7.394, DE 29 DE OUTUBRO DE


1985.
Regula o Exercício da Profissão de Técnico em Radiologia, e dá outras
providências.
Art. 1º - Os preceitos desta Lei regulam o exercício da profissão de
Técnico em Radiologia, conceituando-se como tal todos os Operadores
de Raios X que, profissionalmente, executam as técnicas:
I - radiológica, no setor de diagnóstico;
II - radioterápica, no setor de terapia;
III - radioisotópica, no setor de radioisótopos;
IV - industrial, no setor industrial;
V - de medicina nuclear.
LEGISLAÇÃO

LEI Nº 7.394, DE 29 DE OUTUBRO DE


1985.
Art. 2º - São condições para o exercício da profissão de Técnico em
Radiologia:
I - ser portador de certificado de conclusão de 1º e 2º Graus, ou equivalente,
e possuir formação profissional por intermédio de Escola Técnica de
Radiologia, com o mínimo de 3 (três) anos de duração;
Art. 3º - Toda entidade, seja de caráter público ou privado, que se propuser
instituir Escola Técnica de Radiologia, deverá solicitar o reconhecimento
prévio.
Art. 4º - As Escolas Técnicas de Radiologia só poderão ser reconhecidas se
apresentarem condições de instalação satisfatórias e corpo docente de
reconhecida idoneidade profissional, sob a orientação de Físico, Tecnólogo,
Médico Especialista e Técnico em Radiologia.
LEGISLAÇÃO

LEI Nº 7.394, DE 29 DE OUTUBRO DE


1985.
Art. 14 - A jornada de trabalho dos profissionais abrangidos por esta Lei
será de 24 (vinte e quatro) horas semanais.
Art. 16 - O salário mínimo dos profissionais, que executam as técnicas
definidas no Art. 1º desta Lei, será equivalente a 2 (dois) salários
mínimos profissionais da região, incidindo sobre esses vencimentos
40% (quarenta por cento) de risco de vida e insalubridade.
LEGISLAÇÃO

LEI Nº 10.508, DE 10 DE JULHO DE 2002.


Art. 1º O inciso I do art. 2º da Lei no 7.394, de 29 de outubro de 1985,
passa a vigorar com a seguinte redação:
"Art. 2º .......................................
I – ser portador de certificado de conclusão do ensino médio e possuir
formação profissional mínima de nível técnico em Radiologia;
Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
LEGISLAÇÃO

LEI Nº 1.234, DE 14 DE NOVEMBRO DE


1950.
Confere direitos e vantagens a servidores que operam com Raios X e
substâncias radioativas.
Art. 1º Todos os servidores da União, civis e militares, e os empregados
de entidades paraestatais de natureza autárquica, que operam
diretamente com Raios X e substâncias radioativas, próximo às fontes
de irradiação, terão direito a:
a) regime máximo de vinte e quatro horas semanais de trabalho;
b) férias de vinte dias consecutivos, por semestre de atividade
profissional, não acumuláveis;
c) gratificação adicional de 40% (quarenta por cento) do vencimento.
LEGISLAÇÃO

DECRETO Nº 92.790, DE 17 DE JUNHO DE


1986
Regulamenta a Lei nº 7.394, de 29 de outubro de 1985, que regula o
exercício da profissão de Técnico em Radiologia e dá outras
providências.
NORMA REGULAMENTADORA Nº 32 -
NR 32
Estabelece as diretrizes básicas para a implementação de medidas
de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços
de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de
promoção e assistência à saúde em geral.
LEGISLAÇÃO

NORMA REGULAMENTADORA Nº 32 - NR
32
Seu objetivo é prevenir os acidentes e o adoecimento causado pelo
trabalho nos profissionais da saúde, eliminando ou controlando as
condições de risco presentes nos Serviços de Saúde.
Ela recomenda para cada situação de risco a adoção de medidas
preventivas e a capacitação dos trabalhadores para o trabalho seguro.
A NR-32 abrange ainda a questão da obrigatoriedade da vacinação do
profissional (tétano, difteria, hepatite B e etc), com reforços e sorologia
de controle pertinentes, conforme recomendação do Ministério da
Saúde, devidamente registrada em prontuário funcional com
comprovante ao trabalhador.
LEGISLAÇÃO

NORMA REGULAMENTADORA Nº 32 - NR
32
A NR-32 determina (em seus artigos normatizadores) que:
32.2.4.4. Os trabalhadores com feridas ou lesões nos membros superiores só
podem iniciar suas atividades após avaliação médica obrigatória com
emissão de documento de liberação para o trabalho.
32.2.4.5. O empregador deve vedar:
• a utilização de pias de trabalho para fins diversos dos previstos;
• o ato de fumar, o uso de adornos e o manuseio de lentes de contato nos
postos de trabalho, o consumo de alimentos e bebidas nos postos de
trabalho;
• a guarda de alimentos em locais não destinados para este fim;
• o uso de calçados abertos.
LEGISLAÇÃO

DIRETRIZES BÁSICAS DE PROTEÇÃO


RADIOLÓGICA - CNEN Nº 3.01
1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO
1.1 OBJETIVO O objetivo desta Norma é estabelecer os requisitos básicos de
proteção radiológica das pessoas em relação à exposição à radiação
ionizante.
1.2 CAMPO DE APLICAÇÃO
1.2.1 Esta Norma se aplica as práticas, incluindo todas as fontes associadas a
essas práticas, bem como a intervenções.
1.2.2 As práticas para as quais esta Norma se aplica incluem:
a) O manuseio, a produção, a posse e a utilização de fontes, bem como o
transporte, o armazenamento e a deposição de materiais radioativos,
abrangendo todas as atividades relacionadas que envolvam ou possam
envolver exposição à radiação;
LEGISLAÇÃO

PORTARIA/MS/SVS Nº 453, DE 1º DE
JUNHO DE 1998
Aprova o Regulamento Técnico que estabelece as diretrizes básicas de
proteção radiológica em radiodiagnóstico médico e odontológico,
dispõe sobre o uso dos raios-x diagnósticos em todo território nacional
e dá outras providências.
Art. 3º Compete aos órgãos de Vigilância Sanitária dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios o licenciamento dos estabelecimentos
que empregam os raios-x diagnósticos, assim como a fiscalização do
cumprimento deste Regulamento, sem prejuízo da observância de
outros regulamentos federais, estaduais e municipais supletivos sobre a
matéria.
LEGISLAÇÃO

RESOLUÇÃO 50 DA ANVISA
Dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento, programação,
elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos
assistenciais de saúde.
OBRIGADA!