Você está na página 1de 27

DIREITO CONSTITUCIONAL I

NACIONALIDADE
MONITOR: MATEUS DANTAS DE CARVALHO
NACIONALIDADE

▪ (1) CONCEITO – É o vínculo jurídico de direito público interno que une o individuo a um
determinado Estado, criando uma relação bilateral de direitos e deveres recíprocos.

VÍNCULO JURÍDICO

Direito
Público
Interno
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

É o conjunto de pessoas que fazem parte de um Estado, é o elemento humano


POVO
do Estado, ligado a este pelo vínculo da nacionalidade.

POPULAÇÃO É conceito meramente demográfico, mais amplo que o conceito utilizado para
designar o conjunto de residentes de um território, quer sejam nacionais, quer
sejam estrangeiros.

são todos aqueles que se encontram presos ao Estado por um vínculo jurídico
NACIONAIS
que os qualifica como seus integrantes.

CIDADÃO É aquele que está no gozo de seus direitos políticos (votar e ser votado).

Considera-se polipatrida aquele que possui vínculo jurídico com mais de um


POLIPATRIDA/APATR
Estado. – Já o apátrida é aquele que não tem qualquer vínculo jurídico com
IDA
Estado algum.
Ano: 2017 Banca: FGV Órgão: TRT - 12ª Região (SC)
Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa

▪ Beto e Pedro travaram intenso debate a respeito dos conceitos de nacionalidade e cidadania.
De acordo com Beto, todo nacional, que é necessariamente cidadão, possui direitos políticos.
Para Pedro, por sua vez, só o cidadão, não qualquer nacional, possui direitos políticos. À luz
da sistemática constitucional, é correto afirmar que:
▪ a) Beto e Pedro estão totalmente corretos;
▪ b) Beto está totalmente correto e Pedro parcialmente correto, já que todo nacional é cidadão;
▪ c) Beto está incorreto em parte, pois o nacional não precisa ser cidadão e Pedro incorreto, já que
não só o cidadão tem direitos;
▪ d) Pedro está totalmente correto e Beto incorreto, pois nacionalidade e cidadania são institutos
distintos;
▪ e) Beto e Pedro estão totalmente incorretos.
Aplicada em: 2016 Banca: CESPE Órgão: DPU

▪ Acerca dos direitos e garantias fundamentais, de acordo com o disposto na


Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o próximo item.
▪ Adotou-se como regra o critério sanguíneo para a definição da nacionalidade
brasileira.

▪ ( ) CERTO ( ) ERRADO
(1) LETRA “D”
(2) ERRADO
ESPÉCIES DE NACIONALIDADE

Vínculo Sanguíneo

ORIGINÁRIA

Vínculo Territorial

Nacionalidade
é a que se adquire por ato volitivo,
depois do nascimento (em regra, pela
DERIVADA naturalização). Cuida-se de aquisição
voluntária de nacionalidade, resultante
da manifestação de um ato de vontade.
DOS BRASILEIROS NATOS

▪ Art. 12. São brasileiros:


▪ I - natos:
▪ a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde
que estes não estejam a serviço de seu país;
▪ b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer
deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil;
▪ c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República
Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela
nacionalidade brasileira; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 54, de 2007)
▪ Até 18 anos É nacional
Nacionalidade
Após os 18 anos
Suspensa
Julgado do STF
▪ São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou de mãe brasileira,
desde que venham a residir no Brasil e optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade
brasileira. A opção pode ser feita a qualquer tempo, desde que venha o filho de pai
brasileiro ou de mãe brasileira, nascido no estrangeiro, a residir no Brasil. Essa opção
somente pode ser manifestada depois de alcançada a maioridade. É que a opção, por
decorrer da vontade, tem caráter personalíssimo. Exige-se, então, que o optante tenha
capacidade plena para manifestar a sua vontade, capacidade que se adquire com a
maioridade. Vindo o nascido no estrangeiro, de pai brasileiro ou de mãe brasileira, a residir
no Brasil, ainda menor, passa a ser considerado brasileiro nato, sujeita essa nacionalidade a
manifestação da vontade do interessado, mediante a opção, depois de atingida a
maioridade. Atingida a maioridade, enquanto não manifestada a opção, esta passa a
constituir-se em condição suspensiva da nacionalidade brasileira. [RE 418.096, rel. min.
Carlos Velloso, j. 22-3-2005, 2ª T, DJ de 22-4-2005.]
Aplicada em: 2017 Banca: FGV Órgão: OAB Prova:
Exame de Ordem Unificado - XXII

▪ Luca nasceu em Nápoles, na Itália, em 1997. É filho de Marta, uma ilustre pintora italiana, e
Jorge, um escritor brasileiro. Quando de seu nascimento, seus pais o registraram apenas
perante o registro civil italiano. Luca nunca procurou se informar sobre seu direito à
nacionalidade brasileira, mas, agora, vislumbrando seu futuro, ele entra em contato com um
escritório especializado, a fim de saber se e como poderia obter a nacionalidade brasileira.
Assinale a opção que apresenta, em conformidade com a legislação brasileira, o procedimento
indicado pelo escritório.
▪ a Luca não tem direito à nacionalidade brasileira, eis que seu pai não estava ou está a serviço do
Brasil.
▪ b Luca não poderá mais obter a nacionalidade brasileira, tendo em vista que já é maior de idade.
▪ c Luca tem direito à nacionalidade brasileira, mas, ainda que a obtenha, não será considerado
brasileiro nato.
▪ d Luca deverá ir residir no Brasil e fazer a opção pela nacionalidade brasileira.
Ano: 2017 Banca: IBFC Órgão: POLÍCIA CIENTÍFICA-Prova:
Auxiliar de Necropsia e Auxiliar de Perícia

▪ Considerando as normas da Constituição Federal, assinale a alternativa correta sobre


os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde
que eles não estejam a serviço de seu país.
▪ a) São brasileiros naturalizados
▪ b) São estrangeiros
▪ c) São estrangeiros naturalizados
▪ d) São estrangeiros natos
▪ e) São brasileiros natos
GABARITO
▪ (1) LETRA – “D”
▪ (2) LETRA – “E”
DOS BRASILEIROS NATURALIZADOS

▪ II - naturalizados:
▪ a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigidas aos originários
de países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e
idoneidade moral;
▪ b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do
Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que
requeiram a nacionalidade brasileira.
▪ § 1º Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade em
favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os casos
previstos nesta Constituição.
▪ § 2º A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo
nos casos previstos nesta Constituição.
Espécies de Naturalização

X Naturalização Ordinária Naturalização Extraordinária


Tipo de Estrangeiro Estrangeiros nativos de países com Estrangeiros de qualquer
língua portuguesa. nacionalidade
Tempo de Residência 01 ano 15 anos
Ato Administrativo Discricionário (pode a administração Direito Público Subjetivo – sem
pública negar a naturalização do discricionariedade.
estrangeiro mesmo que tenha todos os
requisitos legais)
Condenação Penal Não pode!! Não pode!!
DO PORTUGUÊS EQUIPARADO

▪ # Nessa hipótese, não se trata de concessão aos


portugueses da nacionalidade brasileira

▪ # Os portugueses residentes no Brasil continuam


portugueses e os brasileiros que vivem em Portugal
continuam com a nacionalidade brasileira.

▪ # o português não precisa naturalizar-se brasileiro


para auferir os direitos correspondentes à condição
de brasileiro naturalizado.
Julgado do STF

▪ A norma inscrita no art. 12, § 1º, da CR – que contempla, em seu texto,


hipótese excepcional de quase-nacionalidade – não opera de modo
imediato, seja quanto ao seu conteúdo eficacial, seja no que se refere a todas
as consequências jurídicas que dela derivam, pois, para incidir, além de supor
o pronunciamento aquiescente do Estado brasileiro, fundado em sua própria
soberania, depende, ainda, de requerimento do súdito português
interessado, a quem se impõe, para tal efeito, a obrigação de preencher os
requisitos estipulados pela Convenção sobre Igualdade de Direitos e Deveres
entre brasileiros e portugueses. [Ext 890, rel. min. Celso de Mello, j. 5-8-
2004,1ª T, DJ de 28-10-2004.]
Ano: 2014 Banca: CESPE Órgão: TJ-CE Prova: Técnico
Judiciário - Área Administrativa

▪ Em relação aos direitos de nacionalidade, assinale CERTO/ERRADO.


▪ Aos portugueses com residência permanente no país, serão atribuídos os direitos
inerentes a brasileiro nato.
▪ ( ) CERTO ( ) ERRADO
ERRADO
Cargos Privativos de Brasileiro Nato
▪ § 3º São privativos de brasileiro nato os cargos:
▪ I - de Presidente e Vice-Presidente da República;
Vocação Sucessória
▪ II - de Presidente da Câmara dos Deputados;
▪ III - de Presidente do Senado Federal;
▪ IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;
▪ V - da carreira diplomática; Relações Internacionais

▪ VI - de oficial das Forças Armadas.


Segurança do Estado
▪ VII - de Ministro de Estado da Defesa
Demais distinções entre brasileiro nato e
naturalizado.
▪ (1) Direito de Propriedade
▪ - Art. 222. A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e
imagens é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, ou de
pessoas jurídicas constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no País. (Redação
dada pela Emenda Constitucional nº 36, de 2002)
▪ (2) Extradição
▪ - LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum,
praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de
entorpecentes e drogas afins, na forma da lei;
▪ (3) Funções no Conselho da República.
▪ no Conselho da República, órgão superior de consulta do Presidente da República, foram
constitucionalmente reservadas seis vagas a cidadãos brasileiros natos (CF, art. 89, VII)
Aplicada em: 2015 Banca: FGV Órgão: OAB Prova:
Exame de Ordem Unificado - XVI - Primeira Fase
▪ Alessandro Bilancia, italiano, com 55 anos de idade, ao completar 15 anos de residência
ininterrupta no Brasil, decide assumir a nacionalidade “brasileira”, naturalizando se de
renomado professor, cuja elevada densidade intelectual e capacidade de liderança são muito
bem vistas por um dos maiores partidos políticos brasileiros. Na certeza de que Alessandro
poderá fortalecer os quadros do governo caso o partido em questão seja vencedor nas
eleições presidenciais, a cúpula partidária já ventila a possibilidade de contar com o auxílio do
referido professor na complexa tarefa de governar o País. Analise as situações abaixo e
assinale a única possibilidade idealizada pela cúpula partidária que encontra respaldo na
Constituição Federal.
▪ a Alessandro Bilancia, graças ao seu reconhecido saber jurídico e à sua ilibada reputação, poderá
ser indicado para compor o quadro de ministros do Supremo Tribunal Federal.
▪ b Alessandro Bilancia, na hipótese de concorrer ao cargo de deputado federal e ser eleito, poderá
ser indicado para exercer a Presidência da Câmara dos Deputados.
▪ c Alessandro Bilancia, na hipótese de concorrer ao cargo de senador e ser eleito, pode ser o líder
do partido na Casa, embora não possa presidir o Senado Federal.
▪ d Alessandro Bilancia, dada a sua ampla e sólida condição intelectual, pode ser nomeado para
assumir qualquer ministério do governo.
Aplicada em: 2012 Banca: FGV Órgão: OAB
Prova: Exame de Ordem Unificado - VII -
Primeira Fase

▪ A Constituição de 1988 proíbe


qualquer discriminação, por lei,
entre brasileiros natos e
naturalizados, exceto os casos
previstos pelo próprio texto
constitucional. Nesse sentido, é
correto afirmar que somente
brasileiro nato pode exercer
cargo de
▪ a Ministro do STF ou do STJ.
▪ b Diplomata.
▪ c Ministro da Justiça.
▪ d Senador.
GABARITO

▪ 1 – Letra “D”
▪ 2 – Letra “B”
Perda da Nacionalidade

▪ § 4º - Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que:


▪ I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em
virtude de atividade nociva ao interesse nacional;
▪ II - adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos:
▪ a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei
estrangeira;
▪ b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao
brasileiro residente em estado estrangeiro, como condição para
permanência em seu território ou para o exercício de direitos civis;
Julgado do STF

▪ Brasileira naturalizada americana. Acusação de homicídio no exterior. Fuga para o


brasil. Perda de nacionalidade originária em procedimento administrativo regular.
Hipótese constitucionalmente prevista. Não ocorrência de ilegalidade ou abuso de
poder. (...) A Constituição Federal, ao cuidar da perda da nacionalidade brasileira,
estabelece duas hipóteses: (i) o cancelamento judicial da naturalização (art. 12, § 4º, I); e
(ii) a aquisição de outra nacionalidade. Nesta última hipótese, a nacionalidade brasileira
só não será perdida em duas situações que constituem exceção à regra: (i)
reconhecimento de outra nacionalidade originária (art. 12, § 4º, II, a); e (ii) ter sido a
outra nacionalidade imposta pelo Estado estrangeiro como condição de permanência
em seu território ou para o exercício de direitos civis (art. 12, § 4º, II, b). No caso sob
exame, a situação da impetrante não se subsume a qualquer das exceções
constitucionalmente previstas para a aquisição de outra nacionalidade, sem perda da
nacionalidade brasileira. [MS 33.864, rel. min. Roberto Barroso, j. 19-4-2016, 1ª T, DJE
de 20-9-2016.]
Aplicada em: 2017Banca: CESPEÓrgão: TRT - 7ª Região
(CE)Prova: Analista Judiciário - Área Administrativa

▪ Caio, nascido na Itália, filho de mãe brasileira e pai italiano, veio residir no Brasil aos
dezesseis anos de idade. Quando atingiu a maioridade, Caio optou pela nacionalidade
brasileira. A partir das informações dessa situação hipotética, assinale a opção correta.
▪ a Caio poderá ser extraditado se tiver praticado delito comum antes de sua opção pela
nacionalidade brasileira, embora seja brasileiro nato.
▪ b O fato de Caio ser brasileiro nato impede a sua extradição, em qualquer hipótese.
▪ c Caio poderá vir a ser extraditado pela prática de delito hediondo ou tráfico ilícito de
entorpecentes posterior à naturalização, em razão de sua naturalização ser
secundária.
▪ d Se Caio tiver praticado delito comum no exterior, antes de sua naturalização, ele
poderá ser extraditado, pois não é brasileiro nato.
GABARITO

▪ 1 – Letra “B”