Você está na página 1de 13

O Modelo de Auto-Avaliação da BE no

contexto da Escola/Agrupamento
A Auto-Avaliação da BE
2
“A Biblioteca Escolar ( BE) constitui um contributo essencial para o sucesso

educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a


aprendizagem”. Para que se concretize este papel fulcral da BE é fundamental
que:
 Haja colaboração entre o prof. bibliotecário e os restantes docentes na
identificação de recursos e no desenvolvimento de actividades conjuntas
orientadas para o sucesso do aluno;
 Haja acessibilidade e qualidade nos serviços prestados;
 Haja adequação da colecção e dos recursos tecnológicos.

 Neste sentido é importante:


 -que se conheça o impacto da BE nas aprendizagens
 -o grau de eficiência e eficácia dos serviços prestados
 -o grau de satisfação dos utilizadores


formanda: Otília de Azevedo
A Auto-Avaliação da BE
3
Esta análise é um princípio de boa gestão;
É um instrumento indispensável num plano de desenvolvimento.

 Permite:
 -contribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE;
 -determinar até que ponto a missão e os objectivos estabelecidos para a BE estão

ou não a ser alcançados;


 -identificar práticas que têm sucesso e que deverão continuar;
 -identificar pontos fracos que importa melhorar.

 A auto-avaliação da BE deve ser incorporada no processo de auto-


avaliação da própria Escola/Agrupamento, dada a sua relação
estreita com a sua missão e objectivos.


formanda: Otília de Azevedo
A Auto-Avaliação da BE
4
 O papel da Biblioteca Escolar está condicionado por diversos factores :
ü A sua estrutura interna;
ü As suas condições físicas;
ü O equipamento e recursos de que dispõe e que disponibiliza.
ü

ü
ü “…sendo ela própria um sistema integrado e aberto à influência de
outros sistemas, a nível micro, meso e macro, com os quais interage”
(in texto da sessão)
ü

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
5

 A estrutura do Modelo

(metodologias de operacionalização)


A. Apoio ao Desenv/ Curricular

B. Leitura e Literacia
Domínios


C. Projectos, Parcerias e Act. Livres e de
Abertura à Comunidade


D. Gestão da Biblioteca Escolar

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
6

 A estrutura do Modelo

(metodologias de operacionalização)

A.1. Articulação Curricular da BE com estruturas de Coordenação Educativa e Supervisão Pedagógica e Doc
A.2. Promoção das literacias da Informação, Tecnológica e Digital
B.
C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular.
C.2. Projectos e Parcerias
D.1..Articular da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE.
D.2. Condições humanas e materiais para a prestações de serviços.
D.3. Gestão da colecção /da informação

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
7
 Cada Domínio/Subdomínio é apresentado num quadro que inclui um conjunto de
indicadores que se concretizam em diversos factores críticos de sucesso. Estes
pretendem ser exemplos de situações, ocorrências e acções que operacionalizam
o respectivo indicador que terá que ter um valor informativo/formativo e que
constituirá um guia orientador para a recolha de evidências que irão suportar a
avaliação e que constituirão indicadores de acção para a melhoria, no caso de
ser necessário melhorar o desempenho da BE em campos específicos.
 A Avaliação deve apoiar-se em evidências que deverão ser recolhidas de forma
sistemática, ao longo do ano lectivo e que incida m sobre a população -alvo da
avaliação.
 O Modelo aponta para a utilização de alguns instrumentos construídos
especificamente no âmbito da auto-avaliação da BE, que podem ser adequados à
realidade de cada BE em função da sua tipologia.
 A Avaliação vai articular-se em cada Domínio/subdomínio com os perfis de
desempenho. Na caracterização dos perfis optou-se por uma escala de 4 níveis
que é a que melhor corresponde aos propósitos da auto-avaliação que são os de
fomentar a reflexão construtiva e contribuir para a procura da melhoria.

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
8

 O Papel e mais-valias da auto-avaliação da BE



AVALIAR-PORQUÊ?
 A BE pode contribuir positivamente para o ensino e a aprendizagem, podendo
estabelecer-se uma relação entre a qualidade do trabalho da BE e os resultados
escolares dos alunos;
 A Auto-Avaliação é um instrumento de regulação e de melhoria;
 A Auto-avaliação da BE deve ser entendida como um processo conducente à
reflexão e capaz de originar mudanças na prática quotidiana do trabalho na
escola.

AVALIAR-PARA QUÊ?
Para responder a questões como:

 Onde nos encontramos?/O que estamos a fazer?


 O que pretendemos alcançar?/Como o aferimos?/Como e o que vamos mudar?

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
9

O processo de implementação e o necessário


envolvimento da Escola / Agrupamento

AVALIAR-COMO?
 Utilizando o modelo de auto-avaliação proposto pela RBE
 Baseando a auto-avaliação na recolha sistemática de evidências(“Evidence-Based
Practice)
 Envolvendo os utilizadores e medindo os impactos
 Mobilizando toda a escola para a importância da aplicação deste modelo de auto-
avaliação
 Entendendo a auto-avaliação da BE como um processo de reflexão, regulação e
melhorias das práticas
 Pretendendo avaliar a qualidade e a eficácia do trabalho da BE e não o desempenho
do prof. bibliotecário ou outro elemento da equipa.

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
10

 Etapas do Processo
1. Escolha do domínio a avaliar e sua fundamentação
2.
3. Apresentação dessa escolha em reunião de Conselho Pedagógico
4.
5. Gestão e interpretação da informação recolhida, mediante cruzamento de dados
(Equipa)
6.
7. Inclusão da escola/Agrupamento num perfil de desempenho
8.
9. Divulgação dos resultados
10.
11.Comunicação dos resultados do Relatório Final de Auto-Avaliação, em reunião de
Conselho Pedagógico
12.
13.Plano de melhoria: discussão e aprovação em Conselho Pedagógico(Órgão de
Gestão)
14.
formanda: Otília de Azevedo
A Auto-Avaliação da BE
11

 A Elaboração do Relatório

 Nesta fase é importante que:


 As evidências estejam interpretadas;



 A informação recolhida sobre o domínio escolhido e objecto de avaliação tenha
sido analisada e se tenha transformado em conhecimento sobre a realidade
da BE;

 Se estabeleçam relações entre os diferentes dados.

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
12
 A Relação com o Processo de Planeamento

Avaliação da BE

Capacidade de liderança Acompanhamento


Colaboração nas respostas aos inquéritos e grelhas de observação
Coadjuvação do Processo Discussão e emissão de parecer sobre o relatório de auto-avaliação e
Organização e análise de evidências

formanda: Otília de Azevedo


A Auto-Avaliação da BE
13

 A Integração dos Resultados na Auto-Avaliação da


Escola

 Elaboração de um relatório final de auto-avaliação da BE.



 Divulgação do relatório no Conselho Pedagógico.

 Inclusão do relatório da BE ou de uma síntese no relatório de avaliação da
Escola/Agrupamento.

formanda: Otília de Azevedo