Você está na página 1de 25

BARROCO

ANTECEDENTES
Reforma Protestante
• A Igreja Católica condenava a acumulação de
capitais, mas detinha altas somas
• Começaram a vender indulgências pregando
que qualquer cristão poderia comprar o
perdão
• A igreja católica possuia muito poder político .
Estava – se em fase de transição do sistema
feudal para monarquias nacionais
PRÉ – REFORMA PROTESTANTE
• Espalham – se as bases ideológicas que
Martinho Lutero defendia ( 95 teses
publicadas em Outubro de 1517
• John Wycliffe defendia que o poder político
devia ficar apenas nas mãos dos reis
• Retorno da Igreja à primitiva pobreza
• Limitar seu poder apenas às questões
espirituais
Alemanha
• M. Lutero foi processado por heresia,
excomungado e exilado, todavia suas ideias já
se tinham espalhado e obtido adesão
• População e até padres e freiras entraram
nessa rebelião ideológica
França
• O humanista João Calvino ex integrante do
clero era visto como representante do
movimento protestante
• Adesão de muitos banqueiros e burgueses
para o Calvinismo
• Mesmo após a sua morte – 1534 –
permanece como figura central da história da
Suiça
Contra – reforma
Concílio de Trento
• Convocado pelo Papa Paulo III em 1542 e
durou entre 1545/63
• Reacção da I. C. à Reforma Protestante
• Condenar as novas doutrinas protestantes
• Reafirmar os dogmas da fé católica
• Adopção de medidas para melhorar o nível de
instrução dos membros do clero
Decisões do Consílio de Trento
• Condenação à venda de indulgências
• Confirmação do princípio da salvação pelas
obras e pela fé
• Importância da missa dentro da liturgia
católica
• Confirmação do culto aos santos e à virgem
Maria
• Reactivação da Inquisição
continuação
• Reafirmação da doutrina da infalibilidade
papal
• Confirmação da existência do purgatório
• Confirmação dos sete sacramentos
• Proibição do casamento para os membros do
clero
• Criação de seminários para a formação dos
sacerdotes
Cont.
• Confirmação da indissolubilidade do
casamento do casamento
• Nos estados protestantes, onde as condições
sociais foram mais favoráveis à liberdade de
pensamento, o racionalismo e a curiosidade
científica do Renascimento continuaram – se
a desenvolver
• Já nos Estados católicos , sobretudo na
península Ibérica , desenvolveu – se a
contrarreforma, que procurou reprimir todas
as tentativas de manifestações culturais ou
religiosas contrárias às determinações da
Igreja Católica
• O clima geral era de austeridade e repressão.
• O Tribunal da Inquisição, que se estabelecera em
portugal para julgar casos de heresia, ameaçava
cada vez mais a libertdade do pensamento
• o complexo contexto sociocultural fez com que
o homem tentasse conciliar a glória e os valores
humanos despertados pelo Renascimento com
as ideias de submissão e pequenez perante deus
e igreja
• Ao antropocentrismo renascentista, opõs –se
teocentrismo inspirado nas tradições
medievais
• Essa situação contraditória resultou em um
movimento artístico que expressava também
atitudes contraditórias do artista em face do
mundo, da vida, dos sentimentos e de si
mesmo; esse movimento recebeu o nome de
BARROCO
• O homem se vê colocado entr o céu e a terra,
consciente da sua grandeza, mas atormentado
pela ideia de pecado e, nesse mesmo dilema,
busca a salvação de forma angustiada
• Os sentimentos se exaltam, as paixões não são
mais controladas pela razão, e e o desejo de
exprimir esses estados de alma vai se realizar
por meio de antíteses, paradoxos e
interrogações
• Essa oscilação que leva o homem do céu ao
ao inferno, que mostra a sua dimensão
carnal e espiritua, é uma das principais
cacterísticas da literatura barroca
Origem do termo Barroco
• Barroco – valor pejorativo nos meios
humanistas do Renascimento 0 Argumento
falso e turtuoso
• Barroco = usado na língua portuguesa séc XVI
Pérola de forma irregular
• Pérola não redonda e imperfeita
• Representava uma oposição ao Renascimento
cujas formas primavam pela harmonia
simplicidade e equilíbrio
• A ideologia barroca é fornecida pela Contra –
reforma
• As obras de arte deviam falar aos fiéis com a
maior eficácia possível
• A arte barroca tinha que convencer, conquistar,
causar admiração
• Na literatura prima pela virtuosidade da
linguagem, refinamento e subtileza das palavras
TEMAS DO BARROCO
• Conflito corpo/alma = oposição entre os ideias da
eterna vs vida terrena; espírito/carne. Ora
ajoelha – se diante de Deus, ora celebra as
delícias da vida
• Passagem do tempo = Consciência integral no
que se refere à fugacidade da vida humana =
Morte – expressão máxima da efemeridade =
instabilidade
• Formas tumultuosas – Princípios renascentistas /
ética cristã =
Cont.
• Antíteses, paradoxos e inversões =
desequilíbrio
• Cultismo – Uso de linguagem culta, rebuscada,
extravagante jogos de palavras, emprego
abusivo de figuras de estilo etc.
• Conceptismo – ocorre principalmente na
prosa 0 jogo de ideias, de conceitos, seguindo
um raciocínio lógico = retórica aprimorada
BARROCO EM PORTUGAL
• Séc. XVII – consolidação das diversa
monarquias europeias
• Fortalecimento da classe burguesa
acumulação da riqueza
• Avanços significativos das ciências = Galilleu ,
Descartes e outros pensadores
• Inquisição e Companhia de Jesus Prosperam
na Península Ibérica = C/ Reforma
• Crise política – Portugal foi anexado à Espanha
• Brasil torna – se uma sub – colónia
• Fénix renascida
• Padre António Vieira
Características principais
• Dualidade, contradição e complexidade
• Obscurantismo e sensualismo
• Temas religosos e profanos
• Preciosismo vocabular
• Valorização dos detalhes
• Linguagem rebuscada, dramática e exagerada
• Uso de figura de linguagem :antíteses ,
hipérbole e metáforas
• Cultismo ou gongorismo (jogo de palavras)
• Conceptismo ( jogo de ideias)
Temas
• A fugacidade da vida e a instabilidade das
coisas
• Morte, expressão máxima da efemeridade das
coisas
• Concepção do tempo comno agente da morte
e da dissolução das coisas
• Arrependimento
• Narração de cenas trágicas
cont
• Erotismo
• Misticismo
• Apelo à religião
Principais autores Portugueses
• Padre António Vieira (1608-1697)
• Padre Manuel Bernarde (1644-1716)
• Francisco Manuel de Melo (1608-1666)
• Francisco Rodrigues Lobo (1580-1621)
• Soror Mariana Alcoforado ( 1640- 1723)