Você está na página 1de 14

FLORENCE NIGHTINGALE

Biografia de Florence Nightingale

 Florence Nightingale (1820-1910) foi uma destacada


enfermeira inglesa, foi a fundadora da Enfermagem
moderna. Ela foi a pioneira no tratamento de feridos em
batalhas, ficando famosa pela sua atuação na Guerra da
Crimeia. Criou a primeira Escola de Enfermagem da
Inglaterra no Hospital Saint Thomas, em Londres. Recebeu
a Ordem do Mérito, em 1901, durante a Era Vitoriana.

 Florence Nightingale nasceu em Florença, na Itália, no dia


12 de maio de 1820, na época em que seus pais residiam na
Itália. Filha do milionário William Shore Nightingale foi
aluna do King’s College de Londres. Em uma viagem ao
Egito, visitando hospitais, despertou sua vocação para a
enfermagem, apesar de na época não ser uma atividade
digna.
 Na Inglaterra, iniciou seu aprendizado, repartindo o
tempo entre aulas de anatomia e visitas ao hospital do
distrito. Em 1851, aventurou-se na Alemanha, para
frequentar a Escola de Enfermagem Fliedner, onde
viveu sua primeira experiência como profissional
entre as religiosas protestantes de Kaiserswerth.

 Em 1856, Florence Nightingale retornou à


preconceituosa Londres. Foi então indicada para a
superintendência de um hospital de caridade. Em
1854, surgiu a oportunidade para Florence seguir
para o hospital militar inglês em Scutari, que atendia
os feridos anglo-franceses na Guerra da Criméia, onde
os soldados morriam vítima da cólera e do frio.
 Dama da Lâmpada

 Com uma pequena equipe, com os equipamentos necessários e


com um trabalho árduo, mesmo contra a negligência dos
médicos militares, o ambiente tornou-se propício para atender
aos enfermos. A dedicação que devotava aos doentes reduziu
drasticamente as mortes no hospital militar. Foi chamada pelo
jornal The Times, de Londres, “A Dama da Lâmpada”, pois
percorria todas as enfermarias com uma lanterna na mão.

 Na volta à Inglaterra, Florence foi recebida com festejos, mas


sem saúde. Mesmo assim, ainda trabalharia muito na criação
de escolas de enfermagem e na reforma sanitária dos hospitais
militares e quarteis, onde soldados morriam, mesmo em tempo
de paz. Apesar do estímulo recebido da Rainha Vitória, a
oposição do Ministério da Guerra persistia, pois não via sentido
essas ideias em tempo de paz.
 Primeira Escola de Enfermagem de Londres

 Para esclarecer a opinião pública, e mobilizá-la em seu favor,


em 1858, Florence escreveu dois livros: “Administração
Hospitalar do Exército” e “Comentários sobre Questões
Relativas à Saúde”. Com as contribuições necessárias, as
reformas foram realizadas e um hospital foi construído. Em
1860, Florence viu nascer a Escola de Enfermagem do
Hospital Saint Thomas, em Londres. Com o trabalho
reconhecido, em 1883, Florence recebeu da rainha Vitória, a
Cruz Vermelha Real, e em 1901, se tornou a primeira mulher
a receber a Ordem do Mérito. O Dia Internacional da
Enfermagem é celebrado no dia de seu aniversário - 12 de
maio.

 Florence Nightingale faleceu em Londres, Inglaterra, no dia


13 de agosto de 1910.
 Criação da Escola de Enfermagem

 Florence Nightingale contraiu febre tifoide na Guerra da


Crimeia, e as sequelas dessa doença foram as responsáveis
pelo fim de sua atuação na enfermagem de hospitais. Em
1859, utilizando seu tempo acamada, ela desenvolveu o
projeto da Escola de Enfermagem do Hospital St. Thomas, em
Londres.

 O curso tinha duração de cerca de um ano, e as aulas eram


ministradas por médicos. Os conteúdos tinham exposição
teórica e atividades práticas para profissionalizar os futuros
enfermeiros. Alguns fundamentos da escola criada por
Florence focavam no atendimento aos pobres, ligação de
escolas aos hospitais para treinamento e no ensino por equipe
formada na área.
 Contribuições para Enfermagem
 Além do seu trabalho na Guerra da Crimeia e na criação da
Escola de Enfermagem, Florence Nightingale foi uma
referência na saúde pública.

 A britânica foi consultada durante a Guerra Civil Americana


sobre o formas de gerenciar hospitais de bases militares. Já
em 1867, sua consultoria foi para o saneamento básico de
militares e civis da Índia.

 Morte e homenagens
 Florence Nightingale morreu em 13 de agosto de 1910, em
Londres, aos 90 anos. Ela passou seus últimos anos em
repouso absoluto, em sua casa, por causa de complicações
tardias da febre tifoide.

 Em sua homenagem, a data de seu nascimento, 12 de maio, foi


instituída como o Dia do Enfermeiro. No Brasil, comemora-se
a Semana da Enfermagem no período de 12 a 20 de maio.
ANA NERY
 Biografia de Ana Néri

 Ana Néri (1814-1880) foi a pioneira da enfermagem no


Brasil, prestou serviços voluntários, nos hospitais
militares de Assunção, Corrientes e Humaitá, durante a
Guerra do Paraguai.

 Ana Justina Ferreira Néri nasceu em Vila de Cachoeira


do Paraguaçu, Bahia, no dia 13 de dezembro de 1814.
Casou-se aos 23 anos com Isidoro Antônio Néri, capitão-
de-fragata da Marinha, que estava sempre no mar. Ana
Néri acostumou-se a ter a casa sob sua
responsabilidade. Ficou viúva com 29 anos, quando em
1843, seu marido morreu a bordo do veleiro Três de
Maio, no Maranhão.
 Filhos
 Ana Néri teve três filhos, que criou sozinha, após a morte do marido. O
cadete Pedro Antônio Néri e os médicos Isidoro Antônio Néri Filho e
Justiniano de Castro Rebelo. Em 1865, o Brasil integrou a Tríplice
Aliança, que lutou na Guerra do Paraguai e os filhos de Ana Néri
foram convocados para lutar no campo de batalha.

 Voluntária na Guerra do Paraguai


 Sensibilizada com a dor da separação dos filhos, no dia 8 de agosto,
Ana Néri escreveu uma carta ao presidente da província oferecendo
seus serviços de enfermeira para cuidar dos feridos de Guerra do
Paraguai, enquanto o conflito durasse. Seu pedido foi aceito.

 Em 1865, Ana Néri partiu de Salvador em direção ao Rio Grande do


Sul, onde aprendeu noções de enfermagem com as irmãs de caridade
de São Vicente de Paulo. Com 51 anos, foi incorporada ao Décimo
Batalhão de Voluntários.

 Ana Néri começou seu trabalho nos hospitais de Corrientes, onde


havia, nessa época, cerca de seis mil soldados internados e algumas
poucas freiras vicentinas realizando os trabalhos de enfermagem. Mais
tarde, ajudou os feridos em hospitais de Salto, Humaitá e Assunção.
 Enfermaria-modelo

 Apesar da falta de condições, pouca higiene, falta de


materiais e excesso de doentes, Ana Néri chamou a
atenção, por sua dedicação ao trabalho como enfermeira,
por todos os hospitais onde passou. Ana Néri, com seus
próprios recursos, montou uma enfermaria-modelo em
Assunção, capital paraguaia, sitiada pelo exército
brasileiro. Ali, Ana Néri perdeu seu filho Justiniano.
 Condecorações
 No final da guerra, em 1870, Ana voltou ao Brasil com
três órfãos de guerra para criar. Foi condecorada com as
medalhas de prata Geral de Campanha e a Medalha
Humanitária de Primeira Classe. Recebeu do imperador
D. Pedro II, por decreto, uma pensão vitalícia com a qual
educou sua família.

 Ana Néri faleceu no Rio de Janeiro, no dia 20 de maio de


1880. A primeira escola oficial de enfermagem de alto
padrão no Brasil foi fundada por Carlos Chagas em 1923
e em 1926 recebeu o nome de Ana Néri, em homenagem
à primeira enfermeira brasileira.