Você está na página 1de 31

CICLO DE ESTUDOS

DO GEF
MÓDULO III – MEDIUNIDADE

AULA 04
OS MILAGRES DE JESUS À LUZ DA DOUTRINA ESPÍRITA
OBJETIVOS

 CONCEITUAR MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA.

 ANALISAR ALGUNS FENÔMENOS PSÍQUICOS PROVOCADOS POR JESUS.

 ANALISAR AS FINALIDADES DAS CURAS OPERADAS POR JESUS.


ABORDAGENS

 O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA.


 A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS.
 JESUS E ALGUNS "MILAGRES":
 A CURA DO CEGO DE JERICÓ (Mc 10:46-52)
 A CURA DO PARALÍTICO (Jo 5:1-15)
 A CURA DOS DEZ LEPROSOS (Lc 17:11-19)
 A PESCA MARAVILHOSA (Lc 5:1-11)

 A VERDADEIRA CURA
O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA
O QUE É MILAGRE?

• s.m. lat. miraculum admirar-se,


Milagre:
• v. lat. mirare maravilhar-se

 Fato inexplicável.
 Algo que ninguém acredita ser possível.
 Acontecimento extraordinário e que não tem
explicação Á LUZ DA CIÊNCIA DA ÉPOCA.
O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA
O QUE É MILAGRE?
CATOLICISMO ESPIRITISMO
No Cristianismo, o milagre tem um papel Segundo a Doutrina Espírita, religião que tem
central. como base o Cristianismo, não existem milagres na
Tem como finalidade conduzir os seres concepção comumente empregada a este termo.
humanos a Deus de modo extraordinário. Para o Espiritismo, todos os acontecimentos
Na religião católica não é pedido pela Igreja ocorrem dentro das Leis da Física, da Química e
que se acredite em nenhum outro milagre da Biologia.
que não sejam os narrados na Sagrada Sendo essas Leis criadas e mantidas por Deus, e
Escritura. sendo Deus perfeito, não haveria motivo para
Estes são considerados como fazendo parte derrogá-las ou contradize-las, uma vez que elas
da Revelação pública Divina. próprias derivam da perfeição.
O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA
O QUE É MILAGRE?

“(...) O ´milagre´ é uma postergação das


leis eternas fixadas por Deus. Obras
que são da sua vontade, e seria pouco
Cap. 5 digno da suprema Potência exorbitar
Provas experimentais da sua própria natureza e variar em
da sobrevivência
seus decretos.”
O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA
O QUE É MILAGRE?
“(...) O ´milagre´ é sempre o coroamento do mérito, mas
nunca derrogação das Leis naturais, que funcionam,
igualmente, para todos.”
Agar

“(...) Não cremos em milagres que se não façam


precedidos de intensa preparação no trabalho justo.
Não há frutos sem sementeiras adequadas.”
Aura Celeste
O MILAGRE SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA
O QUE É MILAGRE?

Cap. 8
MILAGRE: designação de fatos
naturais cujo mecanismo familiar à Lei
Divina ainda se encontra defeso ao
entendimento fragmentário da
criatura.”
A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS
“Antes de tudo, precisamos compreender que Jesus não foi um
filósofo e nem poderá ser classificado entre os valores
propriamente humanos, tendo-se em conta os valores divinos de
sua hierarquia espiritual, na direção das coletividades terrícolas. Q. 283

Enviado de Deus, Ele foi a representação do Pai junto do rebanho


de seus filhos transviados do seu amor e da sua sabedoria[...].
Diretor angélico do orbe, seu coração não desdenhou
permanência direta entre os tutelados míseros e ignorantes[...]”
A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS
“A SUPERIORIDADE DE JESUS SOBRE OS HOMENS NÃO ESTAVA NO CORPO FÍSICO,
MAS NO SEU ESPÍRITO, QUE DOMINAVA A MATÉRIA DE MANEIRA ABSOLUTA.”

“Sua alma devia estar ligada ao corpo apenas pelos laços


indispensáveis.
Constantemente desprendida, ela devia dotá-lo de dupla-vista
superior aos dos homens comuns.
CAP. 15
Seria Jesus médium? Um poderoso médium de curas?
Não, porque o médium é um intermediário dos Espíritos
desencarnados.
O Cristo possuía fluidos perispirituais de imenso poder magnético
e não necessitava de assistência espiritual.”
A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS
ESCALA DOS ESPÍRITOS

1ª ordem ESPÍRITOS PUROS

2ª ordem ESPÍRITOS BONS

3ª ordem ESPÍRITOS IMPERFEITOS


MORALIDADE

CONHECIMENTO
A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS
ESCALA DOS ESPÍRITOS PUROS

SERES SUPERIORES, chegados ao mais alto


Isto é, designados para uma
grau da hierarquia celeste, depois de terem
missão importante. São
atingido uma perfeição que os torna infalíveis MESSIAS
escolhidos entre os Espíritos
daí por diante, e acima das fraquezas
capazes de as cumprir.
humanas, mesmo na encarnação.
Entretanto, como têm livre- Agemdolivremente
Admitidos nos conselhos Altíssimo,e
arbítrio, podem falir por falta de porpalavra,
sua própria
recebem diretamente sua que são
ESPÍRITOS
coragem, de perseverança ou de
encarregados de transmitir evontade
fazerMARCADOS
cumprir.
fé e não estão livres dos
Verdadeiros representantes da Divindade, da
acidentes que podem abreviar
qual têm o pensamento, é entre eles que
os seus dias
Deus ESPÍRITOS
escolhe seus enviados especiais, ou
seus Messias, para as grandes missões gerais.
SUPERIORES
Lacordaire - Paris,
Fev/1862
A SUPERIORIDADE DA NATUREZA DE JESUS
ESCALA DOS CRISTOS

 "(...) consideramos Jesus Cristo como sendo


Espírito de evolução suprema, em confronto com
a evolução dos chamados terrícolas, que somos
nós outros. Não o senhor do sistema solar (...)."
 “(...) Jesus seria o Cristo da Terra. E o Cristo do
sistema solar será, então, um Cristo de uma
Capítulo
potência construtora mais alta ainda."
Presente de Natal
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“

“Como já sabemos, a origem


dos fenômenos psíquicos
CAP. 15
repousa nas propriedades do
fluido perispiritual, que é o
agente magnético.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“

“O fluido universal é o elemento primitivo do corpo carnal


e do perispírito, os quais são simples transformações dele.
Pela identidade da sua natureza, esse fluido, condensado
CAP. 14 no perispírito, pode fornecer princípios reparadores ao
corpo.
O Espírito, encarnado ou desencarnado, é o agente
propulsor que infiltra num corpo deteriorado uma parte
da substância do seu envoltório fluídico.“
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
“A cura se opera mediante a substituição de uma molécula
doente por outra sã.
O poder curativo dependerá, diretamente:
 da pureza da substância inoculada;
CAP. 14  da energia da vontade que, quanto maior for, tanto mais
abundante emissão fluídica provocará e tanto maior força de
penetração dará ao fluido;
 das intenções daquele que deseje realizar a cura, seja homem
ou Espírito.
Os fluidos que emanam de uma fonte impura são quais
substâncias medicamentosas alteradas.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO CEGO DE JERICÓ (Mc 10:46-52)

"E aconteceu que, chegando Ele perto de Jericó, estava um cego assentado junto
do caminho, mendigando. E, ouvindo passar a multidão, perguntou que era
aquilo.
E disseram-lhe que Jesus, o Nazareno, passava. Então, clamou, dizendo: ‘Jesus,
Filho de Davi, tem misericórdia de mim!’
E os que iam passando repreendiam-no para que se calasse; mas ele clamava
ainda mais: ‘Filho de Davi, tem misericórdia de mim!’
Então, Jesus, parando, mandou que lho trouxessem; e, chegando ele, perguntou-
lhe, dizendo: Que queres que te faça? E ele disse: ‘Senhor, que eu veja’.
E Jesus lhe disse: ‘Vê; a tua fé te salvou’.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO CEGO DE JERICÓ (Mc 10:46-52)
As enfermidades originam-se de diferentes causas:
• ações cometidas pelo doente em existências anteriores;
CAP. 61
• relação com processos obsessivos;
• testemunhos que fazem parte das provações previstas no
planejamento reencarnatório do Espírito.
A doença do cego de Jericó parece indicar equívocos que o Espírito
cometeu em existências anteriores, que alcançam o presente na forma
de lesão física.
Por outro lado, é possível que esse tipo de cegueira estivesse
associado, também, à influência obsessiva.
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO CEGO DE JERICÓ (Mc 10:46-52)

A cegueira é uma enfermidade curável em certos casos, mas qual o


médico que já restabeleceu a vista a um cego, unicamente com a
CAP. 61
virtude da palavra?
Poderia também a cegueira ter por causa a ação de um Espírito
maléfico que, para se vingar de Bartimeu […], dirigisse fluidos
deprimentes sobre o nervo óptico […].
Conhecida hoje a ação dos fluidos, e as obsessões que se verificam a
todos os momentos produzindo moléstias que enganam os mais
perspicazes facultativos, não há como negar a probabilidade de tais
afecções terem por causa um mal psíquico.
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO PARALÍTICO (Jo 5:1-15)
“Depois disso, tendo chegado a festa dos judeus, Jesus foi a Jerusalém. Ora, havia em
Jerusalém a piscina das ovelhas, a qual tinha cinco galerias, onde em grande número se
achavam deitados doentes, cegos, coxos e os que tinham os membros ressecados, todos
à espera de que as águas fossem agitadas – porque, o anjo do Senhor, em certa época,
descia àquela piscina e lhe movimentava a água e aquele que fosse o primeiro a entrar
nela, depois de ter sido movimentada a água, ficava curado, qualquer que fosse a sua
doença.
Ora, estava lá um homem que se achava doente há trinta e oito anos. Jesus, tendo-o
visto deitado e sabendo-o doente desde longo tempo, perguntou a ele: Quer ficar
curado? – O doente respondeu: Senhor, não tenho ninguém que me lance na piscina
depois que a água for movimentada; e, durante o tempo que levo para chegar lá, outro
desce antes de mim.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO PARALÍTICO (Jo 5:1-15)
“– Disse Jesus: Levante-se, toma a tua maca e vai! – No mesmo instante o homem ficou
curado e, tomando de seu leito, pôs-se a andar.
Então os judeus disseram àquele que foi curado: Não te é permitido carregar a tua
maca.
– Respondeu o homem: Aquele que me curou disse ‘Toma a tua maca e anda!”
– Perguntaram-lhe eles então: Quem foi esse que te disse “Toma o teu leito e anda?”
– Mas nem mesmo o homem que se curou sabia quem o havia curado, porque Jesus
havia se retirado do meio da multidão que lá estava.
Depois, encontrando aquele homem no templo, Jesus lhe disse:
– Veja que foi curado; não torne a pecar no futuro, para que te não aconteça coisa pior!
O homem foi ter com os judeus e disse a eles que foi Jesus quem o havia curado.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO PARALÍTICO (Jo 5:1-15)
A piscina de Betesda (beit + chéssed = casa da misericórdia), em Jerusalém, era uma
cisterna, próxima ao Templo, alimentada por uma fonte natural, cuja água parece
ter tido propriedades curativas.
Sem dúvida, era uma fonte temporária que em certas épocas jorrava com força,
agitando a água. Segundo a crença comum, esse era o momento mais propício às
curas.
Na realidade, talvez que a água, ao brotar da fonte, fossem mais ativas as suas
propriedades, ou que a agitação que o jorro produzia na água fizesse vir à tona a
lama salutar para algumas moléstias.
Tais efeitos são muito naturais e perfeitamente conhecidos hoje; mas, então, as
ciências estavam pouco adiantadas e se atribuíam à maioria dos fenômenos
incompreendidos uma causa sobrenatural.
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A CURA DO PARALÍTICO (Jo 5:1-15)

Os judeus, pois, tinham a agitação da água como devida à presença de um anjo e


tanto mais fundadas lhes pareciam essas crenças, quanto viam que naquelas
ocasiões a água se mostrava mais curativa.
Depois de haver curado aquele paralítico, Jesus lhe disse “não volte a pecar no
futuro, a fim de que não te aconteça coisa pior”.
Por essas palavras, deu-lhe a entender que a sua doença era uma punição e que, se
ele não se melhorasse, poderia vir a ser de novo punido e com mais rigor, doutrina
essa inteiramente conforme à do Espiritismo.
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
OS DEZ LEPROSOS (Lc 17:11-19)

“Um dia, Jesus indo para Jerusalém, passava pelos confins da Samaria e da Galileia,
e estando prestes a entrar numa aldeia, dez leprosos vieram ao seu encontro e,
conservando-se afastados, clamaram em altas vozes: Jesus, Senhor nosso, tem
piedade de nós. Indo até eles, disse-lhes: Vão e se apresentem aos sacerdotes!
Enquanto caminhavam, eles ficaram curados.
Um deles, vendo-se curado, voltou a seguir os passos de Jesus, glorificando a Deus
em altas vozes; e foi lançar-se aos seus pés, com o rosto em terra, a lhe render
graças. Esse era samaritano.
Disse então Jesus: Não foram curados todos os dez? Onde estão os outros nove?
Nenhum deles houve que voltasse e glorificasse a Deus, a não ser este estrangeiro?
– E disse a esse: Levante-se e vai; tua fé te salvou.”
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
OS DEZ LEPROSOS (Lc 17:11-19)

 A enfermidade tsar’at, traduzida por lepra, é descrita com detalhes em Lv 13, mas
a descrição podia, e provavelmente incluía mesmo, outras doenças de pele. […]
 O1 próprio
Falou mais termo
o SENHORtambém
a Moisés eé aaplicado às vestes e às casas (Lv 14:55) e parece ter
Arão, dizendo:
2 Quando um homem tiver na pele da sua carne, inchação, ou pústula, ou mancha lustrosa,
sido geralmente
na pele de sua carne empregado
como praga da para
lepra, descrever algoaque
então será levado Arão,era cerimonialmente
o sacerdote, ou a impuro.
um de seus filhos, os sacerdotes.
 Quando um leproso
3 E o sacerdote 54 Esta éera
examinará aa lei“purificado”
pragade toda a praga
na pele edaassim
da carne; se o pronunciado
lepra, pelo na praga se pelo
tornousacerdote, é
branco, e a praga 55 E da lepra
parecer mais das roupas,doe que
profunda das acasas,
pele daesua carne, é praga deatualmente
lepra;
provável que a56condiçãoE da inchação,era auto
e daspor limitadora,
pústulas, não aquilo que
o sacerdote o examinará, e o declarará imundo.e das manchas
chamaríamos
4 Mas, se a mancha lustrosas;
denalepra,
pele deisto é, uma
sua carne enfermidade
for branca, causada
e não parecer por uma
mais profunda do bactéria
57 Para
que a pele, e o pelo ensinar
não se tornouquando
branco,alguma
então ocoisa será imunda,
sacerdote encerrará o que tem a
específica. e quando será limpa. Esta é a lei da lepra.
praga por sete dias;
5 E ao sétimo dia o sacerdote o examinará; e eis que, se a praga, ao seu parecer parou,
e na pele não se estendeu, então o sacerdote o encerrará por outros sete dias;
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A PESCA MARAVILHOSA (Lc 5:1-11)
“Um dia, estando Jesus à margem do lago de Genesaré, como a multidão de povo o
comprimisse para ouvir a palavra de Deus, Ele viu duas barcas atracadas à borda do
lago e das quais os pescadores haviam desembarcado e lavavam suas redes. Entrou
numa dessas barcas – que era de Simão – e lhe pediu que a afastasse um pouco da
margem; e, tendo-se sentado, ensinava ao povo de dentro da barca.
Quando acabou de falar, disse a Simão: Avança para o mar e lança as tuas redes de
pescar! – Simão lhe respondeu: Mestre, trabalhamos a noite toda e nada apanhamos;
contudo, porque estás mandando, sob a tua palavra eu lançarei a rede. – Tendo a
lançado, apanharam tão grande quantidade de peixes, que a rede se rompeu.
Acenaram para os companheiros que estavam na outra barca, a fim de que viessem
ajudá-los. Eles vieram e encheram as barcas de tal modo que por pouco estas não se
afundaram.“
JESUS E ALGUNS "MILAGRES“
A PESCA MARAVILHOSA (Lc 5:1-11)

Estes fatos não apresentam nada de surpreendente, desde que se conheça o


poder da dupla vista e a causa muito natural dessa habilidade.
Jesus a possuía em grau elevado e podemos dizer que
É a faculdade ela era
graças o seuquem
à qual estado
a
normal, conforme atesta grande númeropossuide
vê,atos
ouvedaesua vida,
sente os dos
além quais, hoje é
limites
dos sentidos humanos.
explicado pelos fenômenos magnéticos e o Espiritismo.
Percebe o que exista até onde estende
A pesca, qualificada de miraculosa, se explica pela dupla vista.
a alma e sua ação. Vê, por assim dizer,
Jesus não produziu espontaneamente através
peixesda vista
onde ordinária
não havia; e como por
uma
Ele viu, com a vista da alma, o lugar onde se espécie os
achavam depeixes
miragem.
e disse com
segurança aos pescadores que lançassem aí suas redes.
A VERDADEIRA CURA
“Tudo passa e tudo se renova na Terra, mas
somente o que vem do alto permanecerá.”
Chico Xavier..

Buscamos sempre a cura externa, ou melhor, a cura do corpo, e isso não está
errado, pois não queremos sofrer. Mas o Espiritismo nos propõe uma cura maior,
que é a cura integral, ou seja, corpo, mente e espírito.
Mas como obter essa cura?
O Espiritismo nos ensina sempre que a verdadeira cura ocorre de dentro para
fora; assim, a cura do corpo poderá ser algo temporário.
A VERDADEIRA CURA
Devemos e precisamos, sem dúvida, buscar a cura do corpo, mas precisamos ter
em mente a busca de uma cura perene, que somente a cura do espírito nos
facultará um não retorno à dor.
Curar de dentro para fora, ou seja, curar o espírito, que por sua vez irá refletir no
perispírito, e, portanto, no corpo físico. Essa é uma luta constante que vai levar a
vida toda e, até mesmo, adentrar outras encarnações, porque a cura integral está
associada à prática do bem, conhecimento e mudanças de comportamento.
Já nos ensinava Jesus, quando curou um doente e disse-lhe:
“vá e não tornes a pecar para que não te ocorra coisa pior”.
A VERDADEIRA CURA
ATITUDES QUE VÃO NOS CURANDO DE DENTRO PARA FORA:

 Mudança de comportamento, tendo como base os ensinos de Jesus;


 Vivência de amor pleno em nós;
 Paz em nossos corações;
 Perdoar a todo instante;
 Trabalhar sempre;
 Amar sem limites;
 Sorrir para a vida.
A VERDADEIRA CURA
ELEMENTOS COADJUVANTES QUE NOS AUXILIARÃO NESSE PROCESSO DE CURA

 Leitura edificante;
 Tratamento espiritual;
 Prática do Evangelho no Lar;
 Atitudes enobrecedoras em cada novo dia.

Tudo isso nos levará a um novo despertar, para uma nova forma de ver
a vida, e energias renovadoras, com certeza, irão fazer parte de nós,
nos envolvendo numa aura diferente de paz, equilíbrio e de cura.