Você está na página 1de 17

GRAMÁTICA

Sintaxe - Funções sintáticas


sujeito, predicado, vocativo, complemento
direto, complemento indireto,
complemento oblíquo, predicativo do
sujeito, complemento agente da passiva,
modificador, modificador do nome
(restritivo e apositivo)
FRASE
Enunciado lingüístico com sentido completo
Não exige verbo

Ex: Socorro !

ORAÇÃO
Contém um verbo ou uma locução verbal

Ex: Eu fui a praia. Eu teria ido ao teatro

PERÍODO
Simples (possui uma oração) Composto (mais de uma oração)

Ex: Ontem chegamos tarde


Ontem chegamos tarde, por que trabalhamos
1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

O sujeito simples pode ser substituído pelo pronome


pessoal na sua forma nominativa (ex.: eu, tu, ele, nós, vós,
eles) ou pelo pronome demonstrativo: isso
ex:
Chegaram os meus primos do Porto.
(= Eles chegaram do Porto). (primos=> núcleo do sujeito)
O consumo das famílias cresceu
(= Ele creceu ) (consumo=> núcleo do sujeito)
Ficou sozinho, o pobre menino.
(= Ele ficou sozinho) (menino=> núcleo do sujeito)
1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

O sujeito composto tem as mesmas caracteristicas de


substituição (ex: nós, eles) do sujeito simples porem tendo
dois ou mais núcleos.
Pedro e eu saimos juntos
(= Nós saimos juntos). (Pedro; eu => núcleos do sujeito)
Brasil e Argentina disputam o título
(= Eles disputam o título). (Brasil; Argentina => núcleos do sujeito)
Atenção neste exemplo:
O gasto com alimentação e transporte pesa no bolso
O verbo pesa concorda com núcleo do sujeito(gasto).
Alimentação e transporte são adjuntos adnominais de gasto
1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

O sujeito oculto ou desinencial ele não está explícito na


frase mas fica claro pelo finalzinho do verbo (desinência)
ex:
Chegaram atrazados.
Pensei em você.
Estás enganado.
1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

O sujeito inderminado é aquele que não conseguimos


identificar o sujeito dentro do contexto apresentado (está
na terceira pessoa do singular (com o uso do –se) ou na
terceira pessoa do plural)
ex:
Roubaram meu celular.
Precisa-se de secretária
Atenção:
Os ladrões entraram na minha casa, roubaram tudo
O roubaram tem um sujeito que não é indeterminado (Os ladrões)
1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

O sujeito inexistente ocorre em verbos que indicam


fenômenos da natureza (chover, amanhecer, ventar,
esfriar....) ou o verbo HAVER no sentido de existir, acontecer.
Cuidado: se na frase ao invez de estar o verbo haver, estiver acontecer ou existir, neste caso há
sujeito.
Outro caso é FAZER e HAVER no sentido de tempo.
Ontem esfriou muito. Ventou a bessa.
Atenção: Choveu candidatos para a vaga
Aqui o choveu está no sentido figurado. Sujeito é candidatos.

Lá fora, haviam muitas pessoas (haviam no sentido impessoal)


1. Como identificamos o sujeito?
SUJEITO– termo(s) sobre o(s) qual(ais) se faz uma declaração
PREDICADO– é tudo que se diz sobre o sujeito

Temos vagas para moças – sujeito NÓS

Existem vagas para moças – sujeito VAGAS

Há vagas para moças – sujeito inexistente


(haver no sentido de existir)
2. Como identificamos o
complemento direto?

O complemento direto pode ser substituído pelo


pronome pessoal na sua forma acusativa (-o,-a,-os,-as) ou
por um pronome demonstrativo, quando se trata de uma
oração (isso). Outra forma de identificar é se perguntar ao
verbo usando o “o que”
ex:
Li ontem um livro interessante = Li-o ontem
(ou, o que li ontem ? >>> Um livro interessante)
3. Como identificamos o
complemento indireto?

O complemento indireto pode ser substituído pelo


pronome pessoal na sua forma dativa (-lhe,-lhes). Pode
também ser indenficado utilizando a pergunta ao verbo de
“a quem”

Ofereci uma flor à minha mãe = Ofereci-lhe uma flor.


(A quem ofereci uma flor? >>> à minha mãe
5. Que elemento da frase seleciona o
complemento oblíquo?

O complemento oblíquo é um complemento


selecionado por um verbo transitivo indireto ou transitivo
direto e indireto
ex:
Vou a Paris.
4. Que pontuação específica
apresenta o vocativo?
O vocativo é o termo que tem a função de chamar, invocar
ou interpelar dentro da oração. Não possui relação
sintática com outros termos da oração, não pertence nem
ao sujeito, nem ao predicado O vocativo está quase
sempre delimitado por uma vírgula
Maria, abre a janela.
Não diga isso dentro de uma igreja, Amanda!
Na vida, meu querido, não se pode ter tudo.
Oh, Senhor, escutai minhas súplicas!
Ei! Moço! Com licença, pode me dar uma informação?
6. Que subclasse de verbo seleciona
predicativo do sujeito?
O predicativo do sujeito é uma função sintática que está
no predicado e refere-se ao sujeito dando uma caracteristica
a este sujeito. Estão na frase verbos de ligação (mas nem
sempre)
As crianças ficaram alegres (o verbo ficar é de ligação)
Os meninos chegaram animados
(o verbo chegar é um verbo intransitivo e não de ligação. Mas não
perderia sentido a frase se eu dissesse: Os meninos estão animados
(estar é verbo de ligação)
Empolgado, Marcio comprou um carro.
(o verbo comprar é um verbo transitivo direto, a frase poderia ser sem
7. O complemento agente da passiva
pode existir em todas as frases?
O complemento agente da passiva só existe em frases com
verbos conjugados na forma passiva (com a presença de um
verbo auxiliar + verbo principal), ou seja, o sujeito nesta
versão passiva não pratica a ação. Entendendo que o sujeito
da frase na voz ativa passa ser o agente na voz passiva
Picasso pintou este quadro >>> voz ativa > este quadro é Obj.Dir.
Este quadro foi pintado por Picasso >>> voz passiva
O aluno leu o edital >>> voz ativa > o edital é Objeto direto
O edital foi lido pelo aluno >>> voz passiva
Minha avó foi atropelada na faixa de pedestres por um
bêbado >>> voz passiva > minha avó é Objeto direto
8. O modificador é um complemento?

Um modificador não é um complemento. Um


modificador pode ser retirado da frase sem que esta perca
seu sentido. Este modificador restringe o que modifica

ex: Ontem, fui ao cinema. >>> ontem, advérbio de tempo

Neste caso ao colocar ontem na frase eu restringi sua ocorrencia pois


a ida do cinema ficou restrita a ontem
9. O que distingue o modificador do
nome restritivo do modificador do
nome apositivo (Aposto)?
O modificador do nome restritivo restringe o nome que
modifica (Na quinta, estarei com você)
enquanto o modificador do nome apositivo acrescenta
informação adicional e está sempre isolado por vírgulas

D. Dinis, rei trovador, compôs várias cantigas de amigo