Você está na página 1de 47

Disciplina: Área de Integração - Área II - Sociedade

(Componente sociocultural)

Curso Profissional de Técnico de … (Nível IV – 12º ano)

Módulo I - Área de Integração


Subtema – O trabalho, sua evolução e estatuto no Ocidente

Extraído de: http://psicologia-paulo-rafa.webnode.com.pt

Ano Curricular:
Ano letivo:
Nº de horas totais do módulo:
Disciplina: Área de Integração

Apresentação do Tema-Problema:
Este Tema-problema aborda o conceito de Trabalho, com ênfase na
mutação de modelos ao longo do tempo e na interdependência
desses modelos com as condições sociais, económicas e culturais.  

Conteúdos:
-O trabalho, sua evolução e estatuto no Ocidente.
Disciplina: Área de Integração

Objetivos Gerais:

. Pesquisar a origem etimológica de “Trabalho” e as referências


clássicas aos conceitos de “ócio” e “negócio”, trabalho
manual/servil-trabalho intelectual;

-Compreender o trabalho como suporte de sobrevivência pessoal e


das sociedades, do homem recolector à produção e troca de
recursos de subsistência, ao esclavagismo e servilismo, em vários
momentos da História do Ocidente;
Disciplina: Área de Integração

Objetivos Gerais:

-Conhecer a evolução das relações de trabalho e a sua interacção


com a organização social;

Contactar com propostas clássicas do século XX sobre organização


do trabalho: Taylorismo, Fordismo, crise dos modelos;
Disciplina: Área de Integração

 Principais actividades:
Leitura e análise de documentos, interpretação de imagens,
realização de fichas de trabalho, trabalho de pesquisa e
apresentação oral e ficha de trabalho de avaliação sumativa.
 
Modalidades e instrumentos de avaliação:
Trabalho individual (25%), fichas de trabalho e fichas de
avaliação sumativa (25%) e trabalho de pesquisa e apresentação
oral (25%) e avaliação contínua (25%).
 
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

Na acepção comum, trabalho significa qualquer actividade em que nos


ocupamos e despendemos grande parte da nossa vida, seja de forma
remunerada ou não. De facto, as actividades, por exemplo,
desenvolvidas em casa, como as tarefas domésticas, tratar do jardim
ou arranjar o carro, embora não sendo remuneradas, não deixam de
constituir uma forma de trabalho, não sendo contudo contabilizadas
na riqueza produzida numa economia.
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

Para o sociólogo Anthony Giddens:

… pode definir-se trabalho como a realização de tarefas que envolvem


o dispêndio de esforço mental e físico, com o objetivo de produzir
bens e serviços para satisfazer necessidades humanas.
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

O trabalho em especial o remunerado, desempenha um


papel importante na vida das pessoas, pois permite:

 obter um rendimento, que é utilizado para satisfazer as


necessidades;

Extraído de: http://blog.sucessomais.net http://manuellarangel.com.br


Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

 desenvolver capacidades, que de outra forma poderiam não ser


exercitadas;

Extraído de: http://www.bib.ualg.pt


Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

 contactar outros ambientes e contextos, diferentes dos vividos no


lar;

http://www.estesl.ipl.pt
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

 organizar o dia-a-dia, de acordo com o ritmo de trabalho e assim ter


uma estrutura de referência do tempo;

http: http://estou-sem.blogspot.com
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

 diversificar os contactos sociais e poder criar laços de conhecimento


ou amizade com um grupo maior de pessoas;

http://www.pucminas.br
Disciplina: Área de Integração

NOÇÃO DE TRABALHO

 um certo grau de auto-realização e de integração social.

http://www.ufmbb.org.br/jca/?p=499
Disciplina: Área de Integração

O TRABALHO ANALISADO SOB DIVERSAS PERSPETIVAS

 O trabalho como técnica de produção;

 O trabalho como fenómeno social;

 O trabalho como prática da sociedade.


Disciplina: Área de Integração

O TRABALHO ANALISADO SOB DIVERSAS PERSPETIVAS

 O trabalho como técnica de produção;

O trabalho é encarado como mera técnica de produção, enquanto


relação homem/máquina, estudando-se o posto de trabalho e a
adequação do indivíduo a esse mesmo posto, quer a nível fisiológico,
quer a nível psicológico (estudo das motivações do trabalho).
A principal crítica a esta perspetiva é o facto de se efectuar um corte
entre o sujeito e a sociedade, pois apenas se analisam as relações
directas entre o trabalhador e o seu trabalho.

Formadora: Ana Paula Comendinha


Disciplina: Área de Integração

O TRABALHO ANALISADO SOB DIVERSAS PERSPETIVAS

 O trabalho como fenómeno social;

Nesta aceção colocam-se em evidência as diferentes formas de relações


organizadas no trabalho e em torno do próprio trabalho, isto é, o
trabalho surge com a dupla função de dar origem ao fabrico do produto
e a relações sociais de produção específicas do mundo laboral.
A empresa, enquanto local de trabalho, surge como objeto central de
análise. No entanto, estudam-se também as relações socioprofissionais
e as estratégias dos grupos envolvidos
Disciplina: Área de Integração

O TRABALHO ANALISADO SOB DIVERSAS PERSPETIVAS

O trabalho terá, então, nesta aceção, uma papel social como gerador de
relações sociais. No entanto, essas relações são consideradas como
elementos que se podem abstrair do sistema de produção no seu
conjunto (da sociedade em geral), isto é, são específicas do mundo do
trabalho.
Disciplina: Área de Integração

O TRABALHO ANALISADO SOB DIVERSAS PERSPETIVAS

 O trabalho como prática da sociedade.

Nesta perspetiva, o trabalho é encarado como resultado da atividade


social, isto é, só pode ser definido, para qualquer sociedade, partindo da
análise das relações sociais. Daí que as transformações sociais, ao
implicarem alterações nas forças sociais em presença e nas suas
relações, tragam consigo novas formas de trabalho.
Esta abordagem do conceito de trabalho é, assim, a mais global de
todas, pois não só possibilita a análise de todas as dimensões estudadas
pelas perspectivas anteriores como também apela à análise histórica.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO


Origem etimológica

- A origem etimológica de “trabalho” deriva da palavra latina


“tripalus” (três paus), que significa do latim popular, um instrumento
feito de três paus aguçados e com pontas de ferro, utilizado para
ferrar animais de grande porte ou para debulhar os cereais e o linho.

- Designava também um instrumento utilizado para torturar.


Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO


Origem etimológica

- Durante muito tempo considerou-se


o trabalho como algo penoso ou um
castigo que era desenvolvido pelos
escravos (esclavagismo) ou pelas
classes sociais mais baixas, os servos
da gleba (servilismo) – uma vez que
trabalhar era uma condição pouco
digna dos homens livres, que se
http://cordaescravidao.blogspot.pt dedicavam ao lazer, à contemplação, à
reflexão e ao ócio.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO


Origem etimológica

Em oposição a esta visão negativista,


começa a surgir outra conceção que
encara o trabalho como fonte de
libertação, de progresso e de auto-
realização, considerando que o
trabalho dá dignidade ao ser
humano.

http://www.lfg.com.br/public_html/article.php?
story=20100510120606576
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Divisão natural do trabalho

Divisão das tarefas


baseada no sexo e na
idade

1ª Divisão Social do
Trabalho
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

1ª Divisão Social do Trabalho

Separação em tarefas
especializadas

Agricultores Pastores
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

2ª Divisão Social do Trabalho

Agricultores Pastores

Artesãos
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

ANTIGUIDADE

Sociedade

Homens Livres Escravos

Dedicavam-se ao ócio, ao Asseguravam a realização de todas as


lazer e à contemplação, tarefas necessárias ao funcionamento da
vivendo para serem economia e da sociedade. Todos os
servidos pelos escravos. trabalhos manuais, pesados e exaustivos
eram realizados pelos escravos.

O conceito de trabalho passa a ser associado a algo penoso, duro e a


atividades subalternas.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO


FEUDALISMO

Em termos
sociais
Os Escravos ganham
liberdade e tornam-se De facto, o estatuto de escravo pode ter
cidadãos livres – Servos mudado, mas não a sua condição servil.
da gleba A seguir à escravidão segue-se o
servilismo.

Os servos da gleba trabalham as


terras dos grandes proprietários O servilismo não é mais do que uma forma
e em troca têm de lhes pagar mais branda de escravidão. O servo da
pesados tributos, ficando com gleba não tinha quaisquer direitos, vivendo
uma parte que nem sempre na completa dependência do senhor feudal,
chegava para a sua estendo ligado a este e à terra
sobrevivência perpetuamente.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

FEUDALISMO

No regime feudal, o trabalho continuou a ser


visto como castigo e algo de degradante,
próprio dos estratos mais baixos, uma vez que
os nobre não trabalhavam.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

FEUDALISMO

No final da Idade Média, o servilismo começa a desaparecer, devido a


fatores como:

- As epidemias (fome, peste e guerra), que, dizimando grande parte da


população, tornam o trabalhador mais raro e mais valorizado;

- O crescimento do comercial (século XII);

- Ressurgimento da vida urbana (fuga do campo para a cidade);

- Falta de mão de obra (fruto de elevada mortalidade causada por doenças


epidémicas).
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

FEUDALISMO

Cidade
(Local de atração)

Corporações – associações de Figura do Mestre – é fundamental


artesãos e de mercadores de uma neste tipo de organização de
determinada cidade, que têm por trabalho.
finalidade regular a respectiva atividade.

Estamos perante o trabalho corporativo ( Ninguém


podia exercer livremente uma atividade sem o consentimento da corporação)
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

FEUDALISMO

TRABALHO CORPORATIVO

Este sistema era uma forma ainda ligada a práticas servis de alguma
violência e prepotência dos membros das corporações sobre aqueles que
queriam exercer de modo livre uma atividade. As corporações eram uma
forma de privilégio para os seus membros.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Em termos simbólicos estes privilégios foram


eliminados, no séc. XVIII, com a Revolução
Francesa, que representa , enquanto projeto de
liberdade, igualdade e fraternidade, o fim do
feudalismo como sistema.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

Fruto do Descobrimentos e Expansão Colonial (séculos XVI-XVIII)

MUNDIALIZAÇÃO da ECONOMIA

Constituição de unidades de produção de tipo OFICINA


Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

O trabalho começa a ser desempenhado, em troca de um salário.

TRABALHO ASSALARIADO
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

Começa a afirmar-se uma nova classe social sobre a ruína do sistema


feudal

A BURGUESIA COMERCIAL
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

Processo histórico marcado pelo capitalismo

Sistema económico e social assente na propriedade privada dos meios de


produção (fábricas, máquinas, equipamentos), que são propriedade de uma

minoria, os capitalistas.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

CAPITALISTAS - Assumem riscos, organizam a produção e dirigem a

economia com vista a uma grande finalidade: o lucro, a acumulação de

capital.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO


A Revolução Industrial

OFICINA ARTESÃO MANUFATURA

FÁBRICA OPERÁRIO MAQUINOFATURA

O operário é sujeito a duras condições, com vista a maximizar a


produtividade e o lucro. E na perspetiva do máximo lucro, surge também o
recurso ao trabalho feminino e o trabalho infantil, por ser mais barato e
mais fácil de controlar e disciplinar mulheres e crianças.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A este modo de produção, que coloca em confronto o capitalista e o


operário, corresponde uma estrutura política e jurídica, assente na
liberdade económica e na ausência de intervenção do estado na regulação

das relações de trabalho, conhecida por liberalismo.


Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

A FÁBRICA torna-se um lugar , com centenas, milhares de


trabalhadores, … que realizam o seu trabalho em condições precárias,
sem higiene e segurança, originando …

Descontentamento, protestos,
revoltas, … que levam os Movimento de
trabalhadores a organizar-se e a contestação dos
lutar por melhores condições e operários
melhores salários.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

A Revolução Industrial

Movimento de contestação dos operários

… origina a criação de sindicatos, obriga a intervenção do estado, que cria


a legislação regulamentar do exercício do trabalho. Começa, então a ser
elaborado o quadro legal que levará à criação do Direito do trabalho.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Segunda Revolução Industrial

No final do século XIX vão ser introduzidos outros inventos e


tecnologias no processo de produção, bem como a utilização de novas
fontes de energia: a eletricidade e o petróleo.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Segunda Revolução Industrial

Fruto das inovações, destaca-se uma nova estrutura do trabalho:

- Especialização do trabalho (sendo cada trabalhador responsável por uma


única tarefa, facto que conduz a uma maior produtividade);

- Automatização da produção/robotização de tarefas ( em destaque a


partir dos anos 60, com as novas tecnologias robóticas) – o robô desempenha
tarefas com maior rapidez, precisão e produtividade.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Segunda Revolução Industrial

Acumulação de capital
(O operário passa a ser entendido, como uma peça de uma máquina, perdendo
identidade, liberdade, motivação e iniciativa).

Modelo de trabalho que durará até ao final da II Guerra Mundial:


Menos Custo versus Maior Produtividade
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Revolução do Conhecimento

A partir dos anos 80, surgem os “trabalhadores do conhecimento”

Pessoas muito qualificadas, competentes científica e


intelectualmente, dominando as tecnologias de informação.
Pessoas altamente valorizadas pelas empresas, que pretendem
acrescentar valor, inovação e competitividade ao desenvolvimento do
trabalho.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Revolução do Conhecimento

CONHECIMENTO INFORMAÇÃO

Mudam a forma, o conteúdo e a natureza do trabalho.

Por seu lado, as tecnologias de informação e da comunicação aplicadas ao


processo de produção, vão originar o teletrabalho.
Disciplina: Área de Integração

EVOLUÇÃO HISTÓRICA DO CONCEITO DE TRABALHO

Revolução do Conhecimento

Passa a ser o trabalho, que irá até ao trabalhador … através de…

- Acesso a redes;
- Videoconferência;
- Utilização partilhada de documentos;
- Internet;
- Telemóvel;
- Redefinição do espaço e horário de trabalho;
- Email, …
Disciplina: Área de Integração

Bibliografia de apoio:

PAIS, Maria João, e outros (2011). Área de Integração, Módulo 3,


Texto Editores, Lisboa.