Você está na página 1de 25

9.

Intimidade
• Uma vida sexual plena e prazerosa é fruto de uma intimidade baseada
na aliança.
• Como já estudamos, quando há aliança desenvolve-se a confiança e esta
é a base para um relacionamento sexual feliz.
• Muitos casais, influenciados pelo pensamento natural, imaginam que se
aprenderem algumas técnicas terão uma vida sexual realizada, mas a
verdade é que sexo é um estilo de vida e não uma simples aquisição de
técnicas.
• No coração de Deus o sexo e a intimidade da aliança estão
completamente interligados. O sexo pleno vem de uma intimidade
plena.
• Ao contrário do que o mundo ensina, o sexo não é a parte mais
importante de um casamento.
• Um relacionamento sério com Deus e uma intimidade baseada na
aliança são os fundamentos seguro.
• Um bom sexo não garante um bom casamento, mas uma aliança íntima
verdadeira garante um bom sexo porque o potencializa e o torna
gratificante.
• A Palavra de Deus nos dá em I Coríntios 7 pelo menos quatro
princípios básicos que devem reger nossa vida sexual.
• Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque
em mulher; mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua
própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido. O marido
conceda à esposa o que lhe é devido, e também,
semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem
poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também,
semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio
corpo, e sim a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez
por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos
dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que
Satanás não vos tente por causa da incontinência. E isto vos digo
como concessão e não por mandamento. Quero que todos os
homens sejam tais como também eu sou; no entanto, cada um
tem de Deus o seu próprio dom; um, na verdade, de um modo;
outro, de outro. I Cor. 7:1-9
1. Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem sexual, que
devem ser supridas apenas no casamento
• a. Apenas no casamento
• O texto diz: “cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma,
o seu próprio marido” (7:2).
• O mandamento do Senhor é claro: não adulterarás (Ex. 20:14).
• O Compromisso é essencial para promover a comunhão íntima
que resulta numa vida sexual fantástica.
• O mandamento de não adulterar é como uma cerca ao redor do
jardim do casamento.
• Mas freqüentemente olhamos para a cerca como algo a ser
transposto por causa de uma suposta grama mais verde do
outro lado.
• Deve haver em nós a resolução clara de jamais acalentar
pensamentos a respeito de outra pessoa ou permitir que se
aproximem ao ponto de ameaçar nossa aliança.
1. Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem sexual, que
devem ser supridas apenas no casamento
• b. O sexo é também para desfrute e prazer.
• Na história do cristianismo o sexo tem sido retratado como algo feio e
pecaminoso.
• Em muitos segmentos o sexo ainda é visto somente como um meio de
procriação, como se Deus fosse contra o prazer sexual no casamento.
• Isto, porém é um grande equívoco. Precisamos resgatar o plano de Deus
santificando e desfrutando da maravilha do prazer sexual.
• A intenção de Deus é que o homem e a mulher usufruíssem a diversão, a
recreação e o prazer do ato sexual.
• Isto pode ser visto em alguns lugares da Palavra de Deus.
• Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço.
Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e, pelas praças, os ribeiros de
águas? Sejam para ti somente e não para os estranhos contigo. Seja
bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade,
corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o
tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias. Pv. 5:15-19
1. Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem
sexual, que devem ser supridas apenas no casamento
• É precioso lermos as palavras alegra-te, saciem-te e
embriaga-te pois todas elas trazem o sentido de prazer e
satisfação.
• O sexo é um manancial de águas refrescantes dado por
Deus a nós no casamento.
• Beija-me com os beijos de tua boca; porque melhor é o
teu amor do que o vinho. Ct. 1:2
• O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu
rebanho entre os lírios. Ct. 2:16
• Os teus dois seios são como duas crias...
Os teus dois seios são como duas crias...
Venha o meu amado para o seu jardim e coma os seus
frutos excelentes! Ct. 4:5, 15 e 16
1. Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem
sexual, que devem ser supridas apenas no casamento
• O sexo é a excitante exploração do corpo um do outro, com o objetivo de
proporcionar prazer.
• É criar uma atmosfera santa e divertida no jardim de ambos compartilhando
os excelentes frutos e o poço das águas vivas do relacionamento sexual.
• Isso parece completamente claro nesses textos de Cantares.
• Como és formosa, querida minha, como és formosa! Os teus olhos são como
os das pombas e brilham através do teu véu. Os teus cabelos são como o
rebanho de cabras que descem ondeantes do monte de Gileade. São os teus
dentes como o rebanho das ovelhas recém-tosquiadas, que sobem do
lavadouro, e das quais todas produzem gêmeos, e nenhuma delas há sem
crias. Os teus lábios são como um fio de escarlata, e tua boca é formosa; as
tuas faces, como romã partida, brilham através do véu. O teu pescoço é
como a torre de Davi, edificada para arsenal; mil escudos pendem dela,
todos broquéis de soldados valorosos. Os teus dois seios são como duas
crias, gêmeas de uma gazela, que se apascentam entre os lírios. Antes que
refresque o dia, e fujam as sombras, irei ao monte da mirra e ao outeiro do
incenso. Tu és toda formosa, querida minha, e em ti não há defeito.Ct. 4:1-7
1. Tanto o homem como a mulher possuem carências de ordem
sexual, que devem ser supridas apenas no casamento
• Quando um homem se casava em Israel ele era liberado do
serviço militar por um ano, para poder desfrutar de sua esposa e
vice-versa.
• Homem recém-casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá
qualquer encargo; por um ano ficará livre em casa e promoverá
felicidade à mulher que tomou. Dt. 24:5
• Um exemplo impressionante é o de Isaque que foi flagrado
acariciando Rebeca.
• Não eram carícias comuns, mas algo que remetia ao prazer sexual.
• Ora, tendo Isaque permanecido ali por muito tempo,
Abimeleque, rei dos filisteus, olhando da janela, viu que Isaque
acariciava a Rebeca, sua mulher. Então, Abimeleque chamou a
Isaque e lhe disse: É evidente que ela é tua esposa; como, pois,
disseste: É minha irmã? Respondeu-lhe Isaque: Porque eu dizia:
para que eu não morra por causa dela. Gn. 26:8-9
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo

• Erramos o alvo se consideramos o ato amoroso como sendo


simplesmente excitação física, relação sexual e técnicas.
• Um verdadeiro ato sexual inclui alegria, excitamento,
confiança, compromisso, cuidado altruísta e um amor
prazeiroso e pleno.
• Na verdade sexo sem esses ingrediente é só um exercício físico.
• Todavia, não podemos desprezar a importância do prazer sexual.
Paulo diz que agora o nosso corpo pertence ao nosso cônjuge e
vice-versa.
• Isto evidentemente não significa que o sexo deva ser tomado por
coerção por qualquer dos cônjuges.
• Significa apenas que devemos ser livres para desfrutar do corpo
um do outro com todo o arsenal de carícias que dispomos.
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo

• a. A freqüência sexual
• Esta é uma questão que aflige muitos casais. Qual a freqüência ideal
para o sexo?
• Quando realmente é o limite aquém do qual podemos dizer que
estamos sendo privados?
• Paulo diz que não devemos privar o nosso cônjuge do prazer sexual.
• O importante é tomarmos consciência de que não existe uma
freqüência ideal para se ter relações sexuais.
• Pesquisas indicam que o brasileiro tem em média duas relações por
semana, mas o importante é o casal estar satisfeito com sua
freqüência sexual, e procurar valorizar mais a qualidade da
intimidade, do que o número de vezes que ela acontece.
• Lembre-se, porém, que quanto mais relações sexuais você tem, mas
vontade você terá.
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo

• b. A carícia
• Quando falamos de carícias estamos falando de zonas erógenas. A sensualidade e a
sensibilidade ao toque devem ser desenvolvidas e incluídas no relacionamento sexual.
• As áreas erógenas podem ser dividas em três níveis de acordo com a sensibilidade para
produzir excitação sexual.
• O nível 3 é o menos sensível, mas ainda assim capaz de produzir excitação. Esse nível inclui
todo o corpo com sua pele. Se você pensa que a pele não tem o poder de excitar
experimente receber uma massagem sensual do seu cônjuge. Deite-se de costas, feche os
olhos e desfrute todo o seu corpo sendo acariciado. Você verá que o couro cabeludo, as
costas, as nádegas, as coxas podem ser muito prazeirosas.
• O nível 2 é aquele onde se concentram a maior parte das terminações nervosas e por isso
mesmo são mais sensíveis. Neste nível estão aquelas partes que acariciamos no momento
chamado preliminar ou de despertamento. Utilize as suas mãos, a boca e a língua para
acariciar as áreas do nível dois que inclui (1) a parte posterior dos joelhos, (2) a parte de
dentro das coxas, (3) as axilas e a região dos seios, (4) a barriga e o umbigo, (5) a parte de
baixo das costas, (6) o pescoço, (7) a palma das mãos e a planta dos pés, (8) o rosto com
todas as suas partes (9), a boca (10) e a língua.
• O nível 1 é a parte erógena mais sensível e sexualmente estimulante. Elas incluem no
homem os mamilos, o pênis, os testículos e o períneo. Na mulher são os seios e mamilos,
os grandes e pequenos lábios, o clitóris, a vagina e a área do períneo.
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo
• c. O ciclo sexual
• Durante o relacionamento sexual nosso corpo passa por quatro fases distintas: 1) a fase de
despertamento, 2) a fase do platô, 3) a fase do orgasmo e 4) a fase do relaxamento.
• A primeira fase é a fase de despertamento. No homem a excitação sempre começa com a ereção do
pênis. O tamanho e ângulo do pênis podem variar de homem para homem. Um pênis ereto varia em
média de 12,5 a 17,5 centímetros.
• Mas é sempre bom lembrar que o prazer da mulher não depende do tamanho ou volume do pênis
do marido. Com estimulação direta uma ereção pode durar de 10 minutos a mais de uma hora.
• Só o fato de pensar em ter uma relação sexual já pode despertar o homem, mas geralmente o
homem aprecia olhar e tocar os órgãos genitais de sua esposa.
• O despertamento da mulher pode ser mais lento, por isso o marido poderia intensificar o lado
romântico de suas esposas ajudando-a em alguma tarefa de casa ou investindo tempo ouvindo-a.
• A excitação feminina é demonstrada pela lubrificação da vagina, pelo enrijecimento dos mamilos,
por um ligeiro aumento no volume dos seios, que se torna ainda mais excitante para o marido.
• Quando a mulher estiver suficientemente excitada, os grandes lábios se achatam e os pequenos
lábios da vulva aumentam de volume, criando um caminho excitante para o pênis penetrar a vagina.
• O clitóris aumenta de duas a três vezes de tamanho e torna-se uma área ainda mais sensível. As
mulheres variam muito na forma como gostam de ser tocadas e acariciadas, por isso o casal deve
desenvolver uma comunicação onde essas preferências possam ser livremente expressadas.
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo
• c. O ciclo sexual
• A segunda fase é chama de platô ou tempo de maios excitação. Esta fase
deveria ser a mais longa e a mais excitante e prazerosa do ciclo sexual.
• Nesse momento o pênis aumenta de volume e a cabeça muda de cor. A
terça parte da vagina reduz o seu diâmetro aumentando assim a pressão
maior sobre o pênis durante a relação.
• Nesse período um líquido lubrificante é secretado pelo pênis, antes da
ejaculação, e tanto o homem como a mulher experimentam uma
aceleração nos batimentos cardíacos, a respiração se torna ofegante e a
pressão sanguínea aumenta.
• As carícias e as estimulações vão aumentar com a penetração do pênis.
• Um homem atingirá o orgasmo em menos de dois minutos, enquanto a
mulher demandará um tempo maior para tingir o clímax. Um casal sábio
vai aprender a controlar a excitação percebendo a iminência da
ejaculação e assim retirando o pênis da vagina prolongando a fase de
platô por um período prolongado de prazer e relacionamento amoroso.
• c. O ciclo sexual
• A terceiro fase do ciclo sexual é o orgasmo. Um relacionamento sexual saudável permite que uma
pessoa tenha o objetivo de atingir o próprio clímax e também dar prazer ao seu cônjuge.
• No momento do orgasmo os movimentos se intensificam acompanhados de contrações musculares.
Na mulher as contrações estão concentradas na área vaginal e no esfíncter anal. Ela experimenta uma
série de espasmos dependendo da intensidade da orgasmo.
• O homem semelhantemente experimenta espasmos durante a ejaculação que também pode variar
dependendo do nível de excitação.
• Depois de um orgasmo o homem precisa de um intervalo de recuperação que pode variar de alguns
minutos na juventude a mais de um dia na maturidade.
• As mulheres, por outro lado, não precisam desse intervalo e podem ter orgasmos repetidos que
inclusive aumentam de intensidade. As mulheres possuem a capacidade de terem múltiplos
orgasmos.
• Alguns casais preferem buscar sempre o orgasmo simultâneo, mas a maioria dos casais prefere que a
mulher tenha um ou mais orgasmos antes do marido. Cada casal deve determinar seu próprio ritmo.
• Freud estabeleceu que uma mulher pode ter dois tipos de orgasmo: o clitoriano e o vaginal, sendo o
segundo o mais intenso. Hoje se sabe que toda mulher precisa da estimulação do clitóris para chegar
ao orgasmo. A penetração do pênis é muito prazerosa, mas a estimulação do clitóris deve anteceder e
acompanhar a maior parte do ciclo sexual até o orgasmo.
• O orgasmo é a parte mais curta do ciclo sexual, mas ele é o seu objetivo primário. Como homem de
Deus lembre-se de ter o orgasmo de sua esposa em perspectiva quando você falar, brincar, cuidar e
prolongar a excitação num companheirismo íntimo.
• Sempre que você se preocupar em buscar apenas o seu prazer ou usar o seu cônjuge, a sua vida
sexual rapidamente declinará. O orgasmo originado num relacionamento afetuoso é muito mais
intenso
2. Quando alguém se casa ele perde o direito sobre o próprio corpo

• c. O ciclo sexual
• A quarta e última fase do ciclo sexual é o relaxamento. Após o
orgasmos há uma sensação de bem estar e alívio das tensões.
• O pênis pode se tornar muito sensível depois de uma relação e cada
casal deve aprender aquilo que agrada o outro nessa fase.
• Assim como é importante prolongar a fase de platô e bom estender
o tempo de relaxamento.
• É um tempo de afirmação mais importante para a mulher do que
para o homem, por isso o marido deveria envolver sua esposa num
abraço demorado e conversas íntimas onde confirma o seu amor
por ela.
• Esses momentos fortalecem o sentimento de intimidade e
companheirismo.

• d. As posições sexuais
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• No texto de I Coríntios 7 Paulo diz que o marido deve conceder à esposa


o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu
marido.
• A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e
também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu
próprio corpo, e sim a mulher.
• A orientação é bastante clara: “Não vos priveis um ao outro”. ( I Cor.
7:3-5).
• Não devemos, porém, utilizar as direções de Deus como armas de um
contra o outro. Alguns maridos pressionam suas esposas dizendo que se
elas naquele dia não fizerem sexo com eles estarão pecando.
• Na verdade eles é que estão pecando por não investirem tempo,
carinho e energia para atraírem suas esposas de uma forma romântica.
• Porque um cônjuge privaria o outro de sexo? Existe uma gama enorme
de situações e possibilidades, mas não devemos nos acomodar diante
de nenhuma delas.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• a. Excesso de atividade e cansaço


• Uma realidade da nossa vida é a dificuldade de dizer não. Acabamos por acumular
muitas atividades e deixar de lado aquelas que são prioridade. Uma maneira de
resolver esse problema é reservar dias ou horas exclusivas para o sexo.
• b. Tédio e monotonia
• A falta de criatividade acaba levando a vida sexual a uma monotonia que tira a
excitação. Seja criativo e injete um pouco mais de romance e diversão em sua vida
íntima. Experimente novas posições e lugares e sua casa, uma pequena variação
pode fazer uma grande diferença.
• c. Inibições
• Por falta de conhecimento e pelos preconceitos adquiridos durante os anos,
algumas pessoas se fecham para um sexo prazeiroso com receio de estar fazendo
algo errado.
• Outras, por causa de experiências passadas se sentem feias e sem atração. Lute
contra essas inibições, aprenda, estude e leia sobre sexo na vida de um cristão.
• É um sentimento de companheirismo único e muito excitante estar nu e não sentir
vergonha alguma, quando celebramos o sexo no casamento.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• d. Tensões, ressentimentos e conflitos não resolvidos


• Tudo isso destrói a intimidade sexual. Muitas mulheres sentem
verdadeira aversão ao sexo quando estão magoadas com o cônjuge.
Aprenda a resolver seus conflitos sem demora com uma
comunicação franca e um espírito perdoador.
• e. Crianças pequenas
• É verdade que o cuidado com as crianças tomam toda a energia e
exigem todo o tempo disponível do casal, mas é possível estabelecer
limites viáveis para guardar um tempo para a intimidade sexual.
• f. Não ser prioridade
• A atitude de sempre deixar para depois pode afetar drasticamente a
freqüência sexual. É melhor estabelecer metas e aprenderem a
desfrutar de relações sexuais em momentos programados.
• Muitos casais pensam que o sexo deve ser sempre espontâneo, mas
se as circunstâncias exigem é melhor planejá-lo.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• g. Frigidez
• Aponta para a falta de desejo sexual feminino e não para a incapacidade de ter orgasmo. O
desinteresse pelo sexo está ligado a fatores psicológicos, sendo um dos mais freqüentes a
monotonia conjugal.
• Um ensino distorcido sobre sexo na adolescência, a falta de diálogo com o marido, as
práticas sexuais pouco gratificantes, mágoas e ressentimentos guardados acabam minando
o relacionamento produzindo o desinteresse. Assim o desinteresse sexual contínuo pode
ser fruto de um relacionamento ruim.
• h. Culpa e medo
• Algumas pessoas foram criadas em um ambiente onde o sexo era visto como sendo algo
errado e sujo. Esses sentimentos em relação ao sexo podem perdurar até mesmo depois de
casados e despertar sensações de culpa.
• A melhor maneira de superar isso é recebendo uma nova instrução bíblica e equilibrada do
lugar do sexo prazeroso no propósito de Deus para o casal.
• i. Uso do sexo como moeda de negociação
• Algumas mulheres usam o sexo para recompensar ou se abstém dele para punir seu
marido.
• Esta é uma atitude algumas vezes inconsciente, mas que está frontalmente contrária ao
ensino bíblico de que o corpo do cônjuge não pertence mais a si mesmo. Privar o outro do
que lhe é devido é um tipo de defraudação pecaminosa.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• j. Ejaculação precoce
• Ejaculação precoce é quando o homem chega ao ápice da relação – antes,
durante ou logo após a penetração – com o mínimo de estímulo sexual e sem
ter desejado. Ela é mais freqüente nos jovens e após um período de abstinência.
• A ejaculação precoce pode ser o resultado de tensões emocionais. O homem se
sente pressionado e isto interfere no seu controle ou mesmo quando o homem
se sente muito excitado e não sabe como se controlar parando a relação e a
estimulação do pênis quando a ejaculação já é inevitável.
• A ejaculação precoce também pode vir de um comportamento aprendido.
Quando garoto o homem com medo de ser pego se masturbando ficava ansioso
e procurava chegar ao orgasmo o mais rápido possível.
• Assim na mente desse homem o sexo torna-se somente uma questão de atingir
o orgasmo e não uma relação de intimidade e amor. Uma causa ainda comum é
o puro egoísmo de alguns homens que simplesmente ignoram as necessidades
de suas esposas.
• Esse é um problema que pode ser resolvido por meio de alguns exercícios.
Procure um conselheiro conjugal para obter ajuda.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• l. Impotência
• Depois dos quarenta anos mais da metade dos homens já enfrentou
situações onde não conseguiu ter uma ereção ou mantê-la o suficiente.
• Sendo algo ocasional não deve causar preocupação, mas quando se
torna algo permanente então é necessária a ajuda médica.
• Um homem não escolhe ter uma ereção, ela simplesmente acontece
quando ele é eroticamente estimulado. Portanto essa reação reflexa
pode ser destruída pela ansiedade, pelo medo do fracasso, medo da
rejeição, repressão sexual na infância, culpa, ira, tristeza e depressão.
• O problema é tentar fazer sexo sem antes lidar com tais sentimentos. O
resultado pode ser frustração.
• Além de causas emocionais pode haver impotência causada por
doenças como diabetes, problemas renais, níveis baixos de um
hormônio chamado testosterona ou o uso de certos medicamentos,
drogas ou álcool.
• Se a impotência for persistente e constante procure um urologista.
3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer a necessidade sexual do cônjuge

• m. Menstruação
• Não há nada de imundo no fluxo menstrual e não há nada de errado em se manter relações
sexuais durante esse período, se assim o casal o desejar. É possível que um dos cônjuges
tenha uma atitude negativa a esse respeito que devem ser discutidas e resolvidas.
• n. Gravidez
• A não ser que haja recomendação médica em contrário não há qualquer restrição para a
relação sexual durante a gravidez. Muitas mulheres relatam que têm um aumento do
desejo sexual devido à alteração hormonal da gravidez.
• Evidentemente o casal terá que procurar posições mais confortáveis. Por exemplo a posição
de lado com a esposa à frente e a penetração por detrás; ou com o marido sentado sobre
um baquinho ou cadeira sem braços e a esposa sentada em seu colo; ou ainda com a
esposa deitada na beira da cama e o marido em pé ou ajoelhado na beira.
• A mulher pode se sentir mais feia ou menos atraente a medida que os meses avançam,
mas o homem pode realmente se sentir mais excitado e desejoso pelo corpo da mulher
justamente por ela estar grávida dele.
• o. Excesso de peso
• Como no caso da gravidez o excesso de peso não deve ser obstáculo, mas o casal deve
procurar aquelas posições que propiciem conforto, por exemplo com a mulher por cima. O
maior efeito do excesso de peso sobre o sexo é a diminuição da auto-estima.
4. O ato sexual é aprovado por Deus
• Pode haver algum tipo de relação sexual que não é aprovada por Deus?
• a. A questão do sexo oral
• A comunidade cristã de forma geral tem se mostrada contrária ao sexo oral.
Algumas vezes por razões pequenas como por considerar a região genital “anti-
higiênica” ou por pensarem se tratar de algo permissivo e mundano.
• Quando a Bíblia não trata diretamente de um assunto precisamos nos apegar a
outros valores das escrituras que nos auxiliem a nos posicionar. E não há nada
que proíba esse tipo de carícia amorosa.
• As carícias orais e até o sexo oral é uma das muitas maneiras de tornar prazeirosa
a relação sexual. Todavia, cada um deve agir conforme a sua consciência.
• Isto significa que jamais devemos fazer ou praticar qualquer coisa que viole as
sensibilidades do nosso cônjuge ou ofenda-o sexualmente. O ato sexual é uma
celebração do amor e da intimidade e nunca deveria ser visto como uma busca
egoísta do orgasmo.
• Todavia precisamos deixar de lado toda inibição e vergonha de nossas partes
genitais. Devemos confiar estas partes íntimas somente ao nosso cônjuge, porém
a vinha que me pertence está ao meu dispor.
4. O ato sexual é aprovado por Deus
• b. A sodomia
• Enquanto a Bíblia não menciona nada a respeito de sexo oral ela condena claramente o
sexo anal. Muitos homens cristãos têm permitido que o sexo anal se torne uma
verdadeira obsessão, em detrimento do resto do relacionamento.
• Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem
impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas. I Cor. 6:9
• Impuros, sodomitas, raptores de homens, mentirosos, perjuros e para tudo quanto se
opõe à sã doutrina. I Tm. 1:10
• Não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do SENHOR, teu
Deus, por qualquer voto; porque uma e outra coisa são igualmente abomináveis ao
SENHOR, teu Deus. Dt. 23:18
• O tecido vaginal foi concebido por Deus para ser usado no relacionamento sexual,
porém o ânus não.
• Com hemorróidas e a fragilidade da área retal é sensato não fazer do ânus uma área de
excitação sexual. É extremamente fácil provocar lesões ou ferimentos na área do reto.
Além disso muitas bactérias presentes ali podem provocar infecções vaginais e outros
problemas.
• Um homem de Deus é sempre sensível às necessidades da sua esposa. Talvez, essa seja
uma das suas fantasias favoritas, mas é aconselhável desistir dela.
4. O ato sexual é aprovado por Deus
• O sadomazoquismo - Perversão sexual que consiste
na conjugação do sadismo e do masoquismo
• O fetichismo – fantasia com objetos sexuais.

• O voeurismo -

• As fantasias sexuais – está associada a lascívia -


Mt. 5:28, Fl. 4;8, II Cor. 10:5