Você está na página 1de 38

Apresentação da disciplina

Geração e
Distribuição de vapor
OBJECTIVOS:
No fim desta disciplina os estudantes devem ser capazes de:
1. Conhecer os modos de geração de vapor,
a teoria relacionada ao processo e os tipos
de caldeiras industriais;
2. Identificar as tecnologias para o
aproveitamento do vapor em processos
industriais;
3. Aplicar a teoria da combustão e saber
fazer cálculos de balanço térmicos dos
geradores de vapor pelos métodos directo
e indirecto.
4. Aplicar as regras básicas de controlo e
segurança na exploração racional de
geradores de vapor.
5. Dominar os fundamentos do desenho,
montagem, exploração e manutenção dos
geradores de vapor para seu funcionamento
seguro e com eficiência máxima.
6. Identificar os potenciais uso do vapor com
a máxima eficiência e realizar o balanço
térmico de sistema de uso de vapor.
Conteúdo
Programático
Conteúdo Programático:
1. Introdução. Generalidades sobre a geração e
distribuição de vapor.
2. Conceitos e Fundamentos Termodinâmicos.
3. Combustível e Combustão.
4. Geradores de vapor. Generalidades. Balance térmico.
Exploração e segurança.
5. Distribuição de energia térmica. Tubulações. Isolação
térmica. Perdas de carga. Acessórios.
6. Uso do vapor. Aquecedores. Conversão de energia
térmica a energia mecânica. Esquemas térmicos.
AVALIAÇÃO:
Rex = (0.12 AC + 0.28 PP) + 0.6 REF
RExame = resultado final, incluindo a nota do exame
ordinário;
AC = média da avaliação contínua incluindo a
avaliação dos seminários;
PP- média da avaliação das provas parcelares;
Escala 0 à 20: Aprovado ≥ 10
RRecurso = 0,4 RExame + 0,6 RRecurso
RRecurso = resultado final incluindo a nota do exame de
recurso.
Bibliografia básica:
1. Bazzo, E.,1992 "Geração de Vapor", Editora da UFSC, Florianópolis.
 2. BABCOCK-WILCOX, Steam; its generation and use, The Babcock &
Wilcox Co, NY,1978.
 3. Pera, H., "Geradores de Vapor", Editora Fama, São Paulo, 1990.  
4. HEWITT, G.F.; SHIRES, G.L. BOTT, T.R. Process Heat Transfer, CRC
Press,1994
 5. TELLES, P.C. Silva,Tubulações Industriais,Livros Técnicos e Científicos
Editora S. A.,1999.

 
1. Eficiência energética no uso de vapor. Rio de
Janeiro: Eletrobrás, 2005. 196 pag.
2. Dvoinichinikov , V . A.; Leiev L.; Iziumov , M. A.
Construção e Cálculo de
caldeiras e Instalações de Caldeiras. Moscow, Ed
Mashinoestroenie, 1988
3. Pera H Geradores de Vapor de Água (Caldeiras)
Ed. Fama, São Paulo 1990.
Gussev Y .L. Princípios de projecto de unidades de
geradores de vapor , editora.
Link importantes:
Assistherm Assistência Térmica Ltda - Caldeiras
e Aquecedores
1. http://www.assistherm.com.br
Atec Combustão e Caldeiras ltda. epp
2. www.ateccaldeiras.com.br
DOMEL -Caldeiras e Aquecedores - Fabricante.
3. www.domel.com.br
SUBCON Indústria e Comércio Ltda - Manutenção
de Caldeiras
4. www.subcon.hpg.ig.com.br
TEC Caldeiras e Sistemas Ltda - Equipamentos &
Caldeiras
5. www.tecaldeiras.com.br
Triumpho Caldeiraria Ltda.
6. www.triumpho.ind.br
Tema I. Generalidades sobre os sistemas de
geração e distribuição de vapor

1.1 Introdução. Componentes de um


sistema de geração e distribuição de vapor.
1.2 Vapor de agua como fluido de trabalho.
1.2 Geradores de vapor. Generalidades.
1.3 Sistemas de distribuição.
Generalidades.
1.1 Componentes gerais de um sistema
geração e distribuição de vapor
Uma instalação de vapor em geral consiste num
Gerador de vapor, um ponto o sistema de
utilização, uma rede com ramais que componham
o sistema de distribuição de vapor e outro de
retorno de condensados à caldeira, todo isto em
circuito fechado.
Resumidamente um sistema de vapor consiste
basicamente em 4 subsistemas:
Geração.
Distribuição.
Aplicação ou uso final.
Retorno ou recuperação do condensado.
1.2 Vapor de agua como fluido de trabalho
É importante destacar aqui que o vapor de água é muito
utilizado como agente transportador de energia em diversos
processos industriais e nas centrais termelétricas. Isso se deve às
vantagens a seguir:
• A água é a substância mais abundante sobre a Terra.
• Não é inflamável nem explosivo.
• Possui alta energia térmica por unidade de massa.
• É compatível com a maior parte dos materiais (Quimicamente
pouco agressivo).
• Pode aquecer-se a relativamente altas temperaturas com
baixas pressões em estado de saturação.
1.2 Vapor agua como fluido de trabalho

O que é vapor?
Vapor é o gás formado quando a água passa do estado líquido para o gasoso. A nível
molecular, isto ocorre quando as moléculas de H20 conseguem se libertar das pontes
(i.e. pontes de hidrogénio) mantendo-se juntos.
 Vapor saturado seco aplica-se ao vapor quando todas as suas moléculas de água
mantém em estado gasoso. É um gás transparente.
 Vapor húmido aplica-se ao vapor quando uma porção das suas moléculas de água já
deram suas energias (calor latente) e condensam para formar pequenas gotículas de
água.
1.3 Geradores de vapor ou Caldeiras.
Generalidades.
Caldeira é o nome popular dado aos equipamentos geradores de vapor,
cuja aplicação tem sido ampla no meio industrial e também na geração
de energia elétrica nas chamadas centrais termoelétricas. Portanto, as
atividades que necessitam de vapor para o seu funcionamento, em
particular, vapor de água pela sua abundância, têm como componente
essencial para sua geração, a caldeira. Esse equipamento, por operar
com pressões acima da pressão atmosférica, sendo na grande parte das
aplicações industriais até quase 20 vezes maior à atmosférica e nas
aplicações para a produção de energia elétrica de 60 a 100 vezes maior
à atmosférica, podendo alcançar valores de até 250 atmosferas, estão
submetidos a elevados riscos na sua operação.
1.3 Geradores de vapor ou Caldeiras.
Generalidades.
Vários são os Aspectos relacionados ao funcionamento das
caldeiras, os quais serão tratados neste curso:
- Principais conceitos da Termodinâmica envolvidos na
operação de Caldeiras;
- Tipos e classificação das Caldeiras e seus acessórios
principais;
- Riscos de explosões;
- Tratamento da água de Caldeiras, etc.
Em Brasil a Norma Regulamentadora Nº 13.
Sistema de geração de vapor
O sistema de geração de vapor normalmente é composto por:
- sistema de tratamento de água (abrandador, RO);
- sistema de alimentação de água (tanque, desareador,
bombas de água);
- equipamentos da linha de combustível (tanques de
armazenamento, cavaletes de redução de pressão, válvulas e
actuadores);
- caldeiras ou geradores de vapor e outros componentes e
equipamentos, dependendo da aplicação e necessidade de
vapor.
Sistema de tratamento de Água
• O sistema de tratamento de água para caldeiras
constitui um escalão fundamental na operação dos
geradores de vapor.
• Este sistema é o responsável pela diminuição dos
custos de operação, manutenção e tempos de
parada.
• Utilizam-se para este sistemas alguns equipamentos
que variam desde tanques abrandadores de dureza
até equipamento de Osmose Reversa.
Sistema de alimentação de água
• Este sistema garante o constante
abastecimento de água à caldeira e está
composto geralmente por:
• Bombas de condensado para o
abastecimento;
• Tanques ou reservatórios de água tratada;
• Desareadores.
1.3 Geradores de vapor ou Caldeiras.
Generalidades.
Nos geradores de vapor, a energia térmica é liberada através das
seguintes formas:
• Pela queima de um combustível sólido (carvão, lenha), líquido
(óleos derivados do petróleo) ou gasoso (gás natural).
• Por resistências elétricas (eletrotermia).
• Por fontes não convencionais, como a fissão nuclear, energia
solar, energia geotérmica, etc..
A energia térmica liberada na queima de qualquer uma das fontes
acima, deve ser adequadamente transferida para as superfícies de
absorção de calor.
1.3 Geradores de vapor ou Caldeiras.
Generalidades.
Para os propósitos da NR 13, as caldeiras são classificadas em 3
categorias, conforme segue:
• Caldeiras da categoria A são aquelas cuja pressão de operação
é igual ou superior a 1960 kPa (19,6 bar = 19,98 kgf/cm2).
• Caldeiras da categoria C são aquelas cuja pressão de operação
é igual ou inferior a 58 kPa (5,8 bar = 5,9 kgf/cm2) e o volume
interno é igual ou inferior a 100 litros.
• Caldeiras da categoria B são todas aquelas que não se
enquadram nas categorias anteriores.
• De acordo com o conteúdo nos tubos as caldeiras
se classificam em flamotubulares e
aquotubulares.
• Flamotubulares
Neste tipo, os gases quentes da combustão
circulam no interior de tubos que atravessam o
reservatório de água a ser aquecida para produzir
vapor. Os tubos são montados como nos
permutadores de calor, com um ou mais passes.
Existem vários tipos de caldeiras flamotubulares,
dentre os quais se destacam a vertical e a
horizontal
• Vantagens:
• Construção fácil, com relativamente poucos
custos
• São bastante robustas
• Não exigem tratamento de água muito
cuidadoso
• Exigem pouca alvenaria
• Utilizam qualquer tipo de combustível, líquido,
gasoso ou sólido
• Desvantagens:
• Pressão limitada em torno de 15 atm, devido à
espessura da chapa dos corpos cilíndricos crescer
com o diâmetro
• Partida lenta, em função de se aquecer todo o
volume de água
• Baixa capacidade e baixa taxa de produção de
vapor por unidade de área de troca de calor
• Circulação de água deficiente
• Dificuldades para instalação de superaquecedores,
economizadores e preaquecedores de ar.
• Esse tipo de caldeira, geralmente de pequeno
porte, ainda é muito utilizado em pequenas
indústrias, hospitais, hotéis etc. em razão do
seu baixo custo de investimento e da
facilidade de manutenção, se comparada com
as caldeiras aquatubulares.
• Aquotubulares
• Nas caldeiras aquatubulares a água a ser
aquecida passa no interior de tubos que por
sua vez, são envolvidos pelos gases de
combustão.
• Vantagens:
• Maior taxa de produção de vapor por unidade de
área de troca de calor
• Possibilidade de utilização de temperaturas
superiores a 450°C e pressões acima de 60 atm
• Partida rápida em razão do volume reduzido de
água nos tubos
• A limpeza dos tubos é mais simples que na
flamotubular e pode ser feita automaticamente
• A vida útil destas caldeiras pode chegar a 30 anos
• Desvantagens:
• Uma caldeira aquatubular pode custar até
50% mais que uma caldeira flamotubular de
capacidade equivalente
• Construção mais complexa
• Exigem tratamento de água muito cuidadoso
• As caldeiras aquatubulares são usadas nos
modernos projetos industriais, pois podem
produzir grandes quantidades de vapor a
elevadas temperaturas.
• A produção de vapor neste tipo de caldeira
atinge até 750 ton/h.
1.4 Sistema de distribuição de vapor
Sistema de distribuição de vapor

O sistema de distribuição transporta o vapor das caldeiras


para os pontos de uso final. É constituído basicamente por
tubulações com isolação, válvulas, atenuadores da dilatação
térmica, purgadores (de ar e de condensado), instrumentos
de medição, sensores e equipamentos de segurança.
Com a finalidade de entregar o vapor na quantidade e
pressão necessária para cada aplicação, o sistema de
distribuição têm diversas linhas de transmissão, que operam
em diferentes pressões, separadas por válvulas de bloqueio
e retenção e válvulas reguladoras de pressão.
Principais Aplicações do Vapor

1. Vapor para Aquecimento (Trocadores de calor)


Vapor sob Pressão Positiva
Vapor a vácuo
2. Vapor para Propulsão/Movimento (Turbinas)
3. Vapor como Fluido Motriz (ejectores)
4. Vapor para Atomização (Queimadores)
5. Vapor para Limpeza (Superfícies de caldeiras)
6. Vapor para Hidratação
7. Vapor para Humidificação (Condicionadores de ar)
Aquecimento indirecto
O método de aquecimento indirecto por
vapor refere-se a processos onde o vapor
não está em contacto directo com o
produto que está sendo aquecido. É
O que é aquecimento indirecto?
O método de aquecimento indirecto por vapor refere-se a processos onde o vapor não

amplamente utilizado na indústria


está em contacto directo com o produto que está sendo aquecido. É amplamente
utilizado na indústria porque proporciona um aquecimento rápido e uniforme. Este
método usa frequentemente um trocador de calor para aquecer o produto.

porque proporciona um aquecimento


rápido e uniforme. Este método usa
frequentemente um trocador de calor
para aquecer o produto.