Você está na página 1de 46

Faculdade de Tecnologia e Ciências – FTC

Colegiado de Engenharia Civil


Química Geral

AULA 02
TABELA PERIÓDICA

PROFESSORA: Shaiala Aquino


shaiaquino@hotmail.com
TABELA PERIÓDICA

?????????
???

2
HISTÓRICO DA TABELA PERIÓDICA

Henry Moseley

J.L.Meyer
( 1830-1895)
A.B.Chancourtois
( 1820-1886)

Antoine Lavoisier
(1743-1794)

Glenn Seaborg
(1912 – 1999)
Dimitri Mendeleyev
(1834-1907)
J.A.R.Newlands
(1837-1898)
J.W.Döbereiner 3
(1780-1849)
HISTÓRICO DA TABELA PERIÓDICA

1869 - D. F. Mendeleiev:

     - Ordem crescente de massa atômica


     - Propriedades químicas semelhantes
     - Te e I ; "Ekas" nos espaços vazios 4
HISTÓRICO DA TABELA PERIÓDICA
LEI PERIÓDICA DE MOSELEY

Demonstrou que a carga do núcleo do átomo é


característica de um elemento químico;

Reordenou os elementos químicos em ordem crescente dos seus


números atômicos;
Tabela Periódica
H                                 He

Li Be                     B C N O F Ne

Na Mg                     Al Si P S Cl Ar

K Ca Sc Ti V Cr Mn Fe Co Ni Cu Zn Ga Ge As Se Br Kr

Rb Sr Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Cs Ba La Hf Ta W Re Os Ir Pt Au Hg Tl Pb Bi Po At Rn

Fr Ra Ac Unq Unp Unh Uns Uno Une Uun Uuu

5
HISTÓRICO DA TABELA PERIÓDICA
Glenn Seaborg (1951)

Descobriu todos os elementos transurânicos, do


número atômico 94 até ao 102, tendo reconfigurando a
tabela periódica e colocado a série dos actinídeos
debaixo da série dos lantanídeos.

Lantanídeos Ce Pr Nd Pm Sm Eu Gd Tb Dy Ho Er Tm Yb Lu

Actinídeos Th Pa U Np Pu Am Cm Bk Cf Es Fm Md No Lr

6
FAMÍLIAS OU GRUPOS
1 18

2 13 14 15 16 17
3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

GASES NOBRES
Alcalinos - TERROSOS

GRUPO DO BORO
GRUPO DO CARBONO

GRUPO DO NITROGÊNIO

CALCOGÊNIOS
Metais Alcalinos

HALOGÊNIOS
ELEMENTOS
DE
TRANSIÇÃO
Metais

ELEMENTOS REPRESENTATIVOS

Num grupo,(famílias),os elementos apresentam propriedades químicas semelhantes.


7
PERÍODOS OU CAMADAS
À medida que percorremos um período, as propriedades físicas variam
regularmente, uniformemente.
K
L
M
N
O
P
Q

P
Q

8
A PERIODICIDADE NAS CONFIGURAÇÕES
ELETRÔNICAS

9
A PERIODICIDADE NAS CONFIGURAÇÕES
ELETRÔNICAS
Metais Alacalinos 1 ns1
Bloco s
Metais Alcalinos Terrosos 2 ns2

Grupo do Boro 13 ns2 np1


Grupo do Carbono 14 ns2 np2
Bloco p
Grupo do Nitrogênio 15 ns2 np3
Calcogênios 16 ns2 np4
Halogênios 17 ns2 np5

Tabela dos Grupos dos blocos s e p , e as configurações eletrônicas gerais da camada de


valência dos átomos.
10
A PERIODICIDADE NAS CONFIGURAÇÕES
ELETRÔNICAS
3 Sc – Escândio [Ar] 4s2 3d1

4 Ti – Titânio [Ar] 4s2 3d3

5 V – Vanádio [Ar] 4s2 3d4

6 Cr – Crômio [Ar] 4s2 3d5

7 Mn – Mangânes [Ar] 4s2 3d5

8 Fe – Ferro [Ar] 4s2 3d6

9 Co – Cobalto [Ar] 4s2 3d6

10 Ni - Níquel [Ar] 4s2 3d7

11 Cu - Cobre [Ar] 4s2 3d10

12 Zn - Zinco [Ar] 4s2 3d10


Tabela Grupos dos blocos d, os elementos que encabeçam cada grupo e as
suas configurações da camada de valência. 11
Lantanídeos e Actinídeos
 Todos os elementos são metais reativos e prateados.

 Os lantanídeos são também chamados terras raras.

Representação da Tabela Periódica, com destaque para os grupos de elementos


classificados como Lantanídeos e Terras Raras

12
Lantanídeos e Actinídeos
Ao longo da série dos lantanídeos os
elétrons adicionais são colocados nos
orbitais do tipo f.

 Os orbitais 4f não são muito eficientes ao exercerem o efeito de


blindagem que atenua o efeito do núcleo sobre os elétrons mais
externos.

 Ao longo da série observa-se uma diminuição contínua do raio


do íon M3+, que varia de 1,061 Å no lantânio a 0,848 Å no lutécio.
Este efeito é denominado contração lantanídica.
13
Aplicações dos Terras Raras

Principais aplicações comerciais das Terras Raras, segundo a classificação por (a)
volume utilizado e (b) valor agregado 14
CLASSIFICAÇÃO DOS ELEMENTOS

GASES NOBRES
AMETAIS
METAIS

14
METAIS.
METAIS.

 Metal é todo elemento que se ioniza


positivamente;

 Os metais constituem cerca de 75% do


sistema periódico dos elementos;

 Quase sempre os metais são encontrados em


forma de óxidos ou sulfetos de minerais.
METAIS.
 Elevadas densidade, ponto de fusão e de
ebulição;

 Elevadas condutibilidades térmica e elétrica ;

 Elevado coeficiente de dilatação;

 Elevada maleabilidade (podem ser prensados


em folhas);

 Elevada ductilidade (podem ser estirados em


fios);

 Elevada resistência mecânica;

 Brilho acentuado.
Preocupação Ambiental Metais Pesados
 Lançados nos ambientes aquáticos através de várias fontes:
 Indústria de fundição, microeletrônica, fertilizantes, têxteis etc.
 Causam sérios problemas ao meio ambiente.
(Cu)

(Cd)

(Mn)

(Pb)

(Hg)

(Ni)
APLICAÇÃO

http://quimicanova.sbq.org.br/imagebank/pdf/Vol17No4_277_v17_n4_(1).pdf

20
Preocupação Ambiental Metais Pesados
 Os pigmentos formam uma superfície colorida agradável
esteticamente e refletem raios de luz, prolongando a duração da tinta.

Orgânicos (derivados da anilina);

Inorgânicos (óxidos de ferro e metais pesados – chumbo, cádmio,


cobre, ferro e prata).

21
Preocupação Ambiental Metais Pesados
Figura ilustrando a composição genérica de vários tipos de tinta do mercado. A
tinta de alto teor de sólidos e a tinta “NoVOC” são consideradas ecológicas.

*não basta ser a base de água para a tinta ser considerada ecológica.
Além de não conter COVs, ela não deve ter pigmentos à base de metais
pesados, fungicidas sintéticos ou derivados de petróleo.
APLICAÇÃO

23
APLICAÇÃO

24
Impacto Ambiental das Tintas

Tintas e produtos para pintura: podem conter substâncias / elementos


potencialmente tóxicos que causam efeitos na saúde dos seres vivos e
impactos no ambiente.

• COVs;

• Metais Pesados;

• Biocidas.
Impacto Ambiental das Tintas
METAIS PESADOS.

26
PROPRIEDADES PERIÓDICAS
A tabela periódica é utilizada para organizar os elementos de
modo significativo.

Como consequência dessa organização, existem propriedades


periódicas associadas à tabela periódica.

27
CARGA NUCLEAR EFETIVA
 A carga nuclear efetiva (Zef) : é a força atrativa que o núcleo

exerce sobre os e- da camada de valência.

 A carga nuclear efetiva difere da carga no núcleo devido ao


efeito dos elétrons internos (S).
Zef = Z–S
3 Li 4 Be 5 B 6 C N
7 8 O 9 F
K 2 2 2 2 2 2 2
L 1 2 3 4 5 6 7
Zef 3–2=1 4–2=2 5–2=3 6–2=4 7–2=5 8–2=6 9–2=7

28
PROPRIEDADES PERIÓDICAS
CARGA NUCLEAR EFETIVA

A Zef sofrida pelos e- de valência do Mg depende principalmente da carga 12+


do núcleo e da carga -10 do cerne de Ne. Se o cerne de Ne fosse totalmente
eficiente em blindar, cada e- de valência sofreria uma carga nuclear efetiva de
2+.

29
TAMANHO ATÔMICO
O tamanho atômico varia consistentemente através da tabela
periódica.

 Ao descermos em um grupo, os átomos aumentam.

 Ao longo dos períodos da tabela periódica, os átomos


tornam-se menores.

Existem dois fatores agindo:


 Número quântico principal, n, e

 A carga nuclear efetiva, Zef.


30
RAIO ATÔMICO
É definido como a metade da distância entre os núcleos de
dois átomos vizinhos. Determinado via técnica de difratometria
de raios X.

31
RAIO ATÔMICO

Mapa de Relevo: Raios atômicos de ligação para os primeiros 54 elementos da tabela


periódica. 32
RAIO IÔNICO
Raio Iônico  é a sua parte na distância entre íons vizinhos
em um sólido iônico. A distância entre os centros de um
cátion e um ânion vizinhos é a soma dos dois raios iônicos.

Q Na  QCl 
E
r

Todos os cátions são menores que seus átomos geradores, porque


os átomos perdem um ou mais elétrons para formar o cátion.
33
RAIO IÔNICO
Formação de um cátion Formação de um ânion

34
ENERGIA DE IONIZAÇÃO

É a energia necessária para retirarmos 1 elétron de um


átomo (ou íon) isolado no estado gasoso.


M(g)  M(g)  e-

er g ia
en

35
ENERGIA DE IONIZAÇÃO
13 Al – 1s 2
2s 2
2p6
3s2
3p1

Al(g) + 1a energia de ionização (6 eV) Al+(g) + e -

Al+(g) + 2a energia de ionização (18,8 eV) Al2+(g) + e -

Al2+(g) + 3a energia de ionização (28,4eV) Al3+(g) + e -

36
ENERGIA DE IONIZAÇÃO

Ocorre redução do raio iônico e aumenta a atração nucleo-eletrosfera.


37
ENERGIA DE IONIZAÇÃO

Mapa de Relevo: As primeiras energias de ionização para os elementos representativos


nos primeiros 6 períodos. A energia de ionização geralmente aumenta da esquerda para
a direita e diminui de cima para baixo. A energia de ionização do astato não foi
determinada.
38
ENERGIA DE IONIZAÇÃO

Primeira energia de ionização versus número atômico. Os pontos em vermelho marcam o


início de um período (metais alcalinos) e os pontos azuis o fim de um período (gases
nobres). Os pontos verdes indicam os elementos situados entre os metais alcalinos e os
gases nobres ao longo de cada período da tabela periódica
39
AFINIDADE ELETRÔNICA
É a energia envolvida quando um átomo neutro e isolado no
estado gasoso captura um elétron.

X(g) + e- X –(g)

Cl(g) + e- Cl -(g) + energia – processo exotérmico

Ar(g) + e- + energia Ar -(g) – processo endotérmico

r gia
ene

40
AFINIDADE ELETRÔNICA

Afinidades eletrônicas em KJ/mol para os elementos representativos dos primeiros


5 períodos. Quanto mais negativa a afinidade eletrônica, maior a atração do átomo
por 1 e-. Uma afinidade eletrônica > 0 indica que o íon negativo é mais alto em
energia que o átomo ou e- separadamente.

41
CARATÉR METÁLICO

O caráter metálico refere-se às


propriedades dos metais (brilhante,
maleável e dúctil, os óxidos formam sólidos
iônicos básicos e tendem a formar cátions
em solução aquosa).

42
CARATÉR METÁLICO
Aumento no caráter metálico
Aumento no caráter
metálico

43
Vamos Praticar!!!

01.A configuração eletrônica de um átomo é 1s² 2s² 2p6 3s² 3p6 4s² 3d5.

Para este elemento podemos afirmar


I) É elemento representativo II) É elemento de transição.
III) Seu número atômico é 25. IV) Possui 7 subníveis de energia.

a) somente I é correta.
b) somente II e III são corretas.
c) somente II, III e IV são corretas.
d) todas são corretas.
e) todas são falsas.
44
Vamos Praticar!!!

02. Um elemento químico tem número atômico 33. A sua configuração


eletrônica indica que está localizado na:

a) família 5 A do período 3.
b) família 3 A do período 3.
c) família 5 A do período 4.
d) família 7 A do período 4.
e) família 4 A do período 7.

45
Vamos Praticar!!!

03. Assinale a alternativa verdadeira sobre as propriedades periódicas dos


elementos:
a) A I1 (primeira energia de ionização) do Lítio é menor que I1 do Césio.
b) O raio atômico do átomo de Potássio é maior que o do átomo de Césio.
c) Cada elemento exibe um aumento maior na energia de ionização quando os
elétrons são removidos de seu cerne de gás nobre.
d) Em cada período o raio atômico tende a diminuir quando vamos da esquerda
para a direita. O principal fator influenciando essa tendência é a diminuição da
carga efetiva.
e) Os elementos conhecidos como gases nobres são todos não metais e nem
todos são monoatômicos. 46

Você também pode gostar