Você está na página 1de 15

NOVA LEI DE LICITAÇÕES:

INOVAÇÕES E AVANÇOS

Prof. André Albuquerque


@professorandrealbuquerque
Licitações - Conceito

Lei 8.666/93 - Licitação


• A licitação é o antecedente necessário do contrato administrativo.
• Por qual motivo? R: Art. 37, XXI da CF/88:

XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços,


compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública
que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que
estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da
proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação
técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações.

• É, nas palavras de Hely Lopes Meirelles, “é o procedimento


administrativo mediante o qual a Administração Pública
seleciona a proposta mais vantajosa para o contrato de seu
interesse”.
• Como procedimento, desenvolve-se através de uma sucessão
ordenada de atos vinculantes para a Administração e para os
licitantes, o que propicia igual oportunidade a todos os
interessados e atua como fator de eficiência e moralidade nos
negócios administrativos.
Obrigatoriedade, Finalidade e Importância

Obrigatoriedade

• Quem está obrigado a licitar?

• Os órgãos da administração direta, os fundos especiais, as


autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas e as
sociedades de economia mista e demais entidades controladas
direta ou indiretamente pela União, Estados, Distrito Federal e
Municípios.

• Também estão obrigadas a licitar as corporações legislativas


(Câmaras de Vereadores, Assembleias Legislativas, Câmara dos
Deputados e Senado Federal), bem como o Poder Judiciário e os
Tribunais de Contas.
Princípios Constitucionais e Infra
Princípios - Constitucionais
• Pela sua importância, a Constituição Federal, em seu art. 37, caput,
também arrola os princípios inerentes à Administração Pública.

Princípios - Infraconstitucionais
• A Lei nº 8.666/93, em seu art. 3º ao conceituar a licitação, define que o
procedimento deve ser julgado e processado em estrita conformidade
com os princípios básicos:

• da legalidade;
• da impessoalidade;
• da moralidade;
• da probidade administrativa; (honesto – seguir as regras – fiel – moral aos atos)
• da igualdade;
• da publicidade;
• da vinculação ao instrumento convocatório; e
Tipos de Licitação

Tipos
• Os tipos de Licitação previstos no Art. 45, § 1º, incisos I a IV são os
seguintes:

• • Menor Preço.
• • Melhor Técnica.
• • Técnica e Preço.
• • Maior Lance ou Oferta.

• Tipo licitatório é a forma como será julgada a licitação.

• Desde logo, cabe ressaltar que a modalidade concurso não será


combinada com nenhum desses tipos licitatórios, pois tal modalidade
tem regramento específico detalhada no artigo 52 do Estatuto de Licitações
Modalidades de Licitação

Quadro Resumo (Decreto 9412/2018)


Tipo Modalidade Valor

Obras e Serviços de Engenharia Convite Acima de R$ 33.000,00


Até R$ 330.000,00

Tomada de Preços Acima de R$ 330.000,00


Até R$ 3.300.000,00

Concorrência Acima de R$ 3.300.000,00

Compras e outros serviços Convite Acima de R$ 17.600,00


Até R$ 176.000,00

Tomada de Preços Acima de R$ 176.000,00


Até 1.430.000,00

Concorrência Acima de R$ 1.430.000,00


Hipóteses de Contratação Direta

Dispensa(Art.17daLei8.666/93)

Dispensabilidade(Art.24dalei8.666/93)

Inexigibilidade(Art.25daLei8.666/93)
Pregão

Características do Pregão
• Lei 10.520/2002

• Forma presencial ou eletrônica

Obejtivo: Administração Pública seleciona a melhor oferta, visando à contratação de bens e


serviços comuns.

Vantagens:

• Menor custo no procedimento licitatório;


• Maior agilidade, desburocratização;
• Melhor gerenciamento das despesas públicas;
• Publicidade e transparência do procedimento;
• Ampliação da disputa entre os fornecedores e Prestadores de serviço;
• Maiores vantagens econômicas;
• Não sofrer limitação de ordem econômica (Fracionamento da Despesa);
• Consegue alcançar sensíveis reduções de preços.
 
Nova Lei de Licitações

O que é o PL 1292/95?
O Projeto de Lei 1295/1995 tem o objetivo de instituir um novo
regime licitatório para toda a administração pública direta,
autárquica e fundacional. O texto propõe a revogação das
seguintes leis:

- Lei 8666/93 – Normas gerais de licitações e contratações


públicas;

- Lei 10.520/02 – Normas gerais sobre a modalidade pregão;

- Lei 12462/11 – Regime Diferenciado de Contratações Públicas –


RDC.

*Remetido no último dia 10/10/2019 para o Senado Federal.


Quais são as principais novidades da “Nova Lei de Licitações”?

Abrangência

A Nova Lei será aplicável à administração direta, autárquica e


fundacional de todos os entes da Federação. A norma deixa expresso
que suas disposições não se aplicam às empresas estatais, salvo
situações específicas.

Novos tipos de licitação

O Projeto prevê os seguintes tipos de licitação (critérios de


julgamento):

- menor preço;
- melhor técnica ou conteúdo artístico;
- técnica e preço;
- maior retorno econômico;
- maior desconto;
- maior lance (para o leilão).
Definição das fases de Licitação

Na nova lei de licitações, o procedimento licitatório terá, em


regra, as seguintes fases:

I – preparatória;
II – divulgação do edital de licitação;
III – apresentação de propostas e lances, quando for o caso;
IV – julgamento;
V – habilitação;
VI – recursos;
VII – homologação.

Portanto, a Nova Lei passa a considerar como regra geral a


realização do julgamento antes da habilitação (isso já ocorria no
pregão e no RDC).
Modalidades de Licitação

A Nova Lei de Licitações acaba com a divisão clássica das modalidades


conforme o valor estimado da contratação. Consequentemente, a tomada de
preços e o convite deixarão de existir.

A partir da aprovação, teremos como modalidades licitatórias as seguintes:

- pregão;
- concorrência;
- concurso;
- leilão;
- diálogo competitivo.

O pregão será a modalidade obrigatória para contratação de bens ou


serviços comuns (exceto os de engenharia).

Por outro lado, a concorrência será aplicável às contratações de bens e


serviços especiais e obras e serviços comuns ou especiais de engenharia.
Modalidades de Licitação

O concurso continuará servindo para contratação de serviço técnico,


científico ou artístico.
O leilão, por sua vez, será aplicável para alienação de bens móveis ou
imóveis. Com isso, a nova norma acaba com aquela confusão sobre a
modalidade aplicável na alienação. Agora, a modalidade será sempre o leilão,
seja para bens móveis ou imóveis.
O diálogo competitivo é a grande novidade e, também, a grande polêmica.
O diálogo competitivo é a “modalidade de licitação para contratação de
obras, serviços e compras em que a Administração Pública realiza diálogos com
licitantes previamente selecionados mediante critérios objetivos com o intuito de
desenvolver uma ou mais alternativas capazes de atender às suas
necessidades, devendo os licitantes apresentar proposta final após o
encerramento do diálogo”.
Nesse contexto, o diálogo competitivo será a modalidade para a contratação
de objeto que envolva inovação tecnológica ou técnica; ou que envolva soluções
que dependem de adaptação das opções disponíveis no mercado; ou, ainda, que
envolva especificações que não podem ser definidas de forma suficiente pela
Administração.
Novidades sobre Dispensa e Inexigibilidade
Novos valores para dispensa de licitação por baixo valor
Os valores de dispensa de baixo valor passarão para:
- menos de 100 mil: para obras ou serviços de engenharia, ou serviços de
manutenção de veículos automotores;
- menos de 50mil: outros serviços e compras.

Novos exemplos de inexigibilidade


Além dos três exemplos clássicos de inexigibilidade, foram incluídos outros
dois casos.
O primeiro é o credenciamento: é um procedimento em que a
Administração poderá contratar com inúmeras pessoas, sem que haja
concorrência entre elas. Imagine que uma secretaria de saúde queira cadastrar o
máximo de laboratórios para a realização de exames clínicos. Ao invés de licitar
e escolher um único laboratório, a secretaria poderá fixar um valor para cada
procedimento e lançar um edital de credenciamento.
O segundo caso trata da locação ou aquisição de imóveis cujas
características de localização e de instalação condicionem a sua escolha.
Esse caso constava na Lei 8666/93 como hipótese de dispensa, mas a doutrina
sempre alegou que estaria ali erroneamente. O caso é de inexigibilidade, já que
não existe procedimento competitivo, pois, em tese, somente aquele imóvel
atende adequadamente ao que a Administração precisa.
Os demais casos de inexigibilidade da Lei 8666/93 permanecerão na nova
legislação.
MANUAL DA APROVAÇÃO NA OAB
Este livro foi concebido para ser a fonte perfeita de informação aos
examinandos que irão se submeter ao Exame de Ordem. Nele foram trabalhados
os temas mais relevantes da prova objetiva.

Acesse o link:
https://www.editoraletramento.com.br/produto/manual-da-aprovac-o-oab-1-fase-3
60

Você também pode gostar