Você está na página 1de 24

CARTOGRAFIA PROF MARCOS

ROSA DOS VENTOS


“MOVIMENTO APARENTE DO SOL”
CARTOGRAFIA

Cartografia é a ciência da produção e estudo de mapas,


tradicionalmente feitos de papel e que, com o aparecimento dos
computadores, passaram por uma verdadeira revolução e estão
sendo feitos com softwares próprios:
- Sistemas de Informação Geográfica (SGIs);
- CAD ou software especializado em ilustração para mapas.
A cartografia utiliza-se de estudos e operações científicas,
artísticas e técnicas, que têm como base os resultados de
observação.
A Terra é ‘redonda’, mas não é uma esfera
perfeita, já que é levemente achatada nos pólos,
recebendo por isso, o nome de geóide.
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

Os sistemas de projeções cartográficas foram desenvolvidos para


dar uma solução ao problema da transferência de uma imagem
da superfície curva da esfera terrestre para um plano da carta, o
que sempre vai acarretar deformações.
Os tipos de propriedades geométricas que caracterizam as
projeções cartográficas, em suas relações entre a esfera (Terra) e
um plano (mapa), são:
a) Conformes – os ângulos são mantidos idênticos (na esfera e no
plano) e as áreas são deformadas.
b) Equivalentes – as áreas apresentam-se idênticas e os ângulos
deformados.
c) Afiláticas – as áreas e os ângulos apresentam-se deformados
PROJEÇÕES
CARTO GRÁFICAS
ALGUMAS PROJEÇÕES UTILIZADAS

Projeção de Mollweide
Projeção cônica Os paralelos são linhas retas e os
Os meridianos convergem para os meridianos, linhas curvas. Sua área é
polos e os paralelos são arcos proporcional à da esfera terrestre,
concêntricos situados à igual distância tendo a forma elíptica. As zonas
uns dos outros. São utilizados para centrais apresentam grande exatidão,
mapas de países de latitudes médias. tanto em área como em configuração,
mas as extremidades apresentam
grandes distorções.
Projeção de Goode, que Projeção de Holzel
modifica a de Moolweide
Projeção equivalente, seu contorno
É uma projeção descontínua, pois tenta elipsoidal faz referência à forma
eliminar várias áreas oceânicas. Goode aproximada da Terra que tem um
coloca os meridianos centrais da ligeiro achatamento nos polos.
projeção correspondendo aos meridianos
quase centrais dos continentes para
lograr maior exatidão.
Projeção Azimutal
Eqüidistante Oblíqua Projeção Azimutal Eqüidistante
Centrada na Cidade de São Polar
Paulo
Nesta projeção, centrada em São
Paulo, os ângulos azimutais são
mantidos a partir da parte central da
projeção.

Projeção eqüidistante que tem os pólos em sua


porção central. As maiores deformações estão
em suas áreas periféricas.
Peters ou Mercator

Projeção Cilíndrica Equivalente de Projeções de Mercator ou Cilíndrica


Peters Equatorial
- Data de 1973. - Os meridianos e os paralelos são
- Sua base é cilíndrica equivalente linhas retas que se cortam em
e determina uma distribuição dos ângulos retos.
paralelos com intervalos - Correspondem a um tipo cilíndrico
decrescentes desde o Equador até pouco modificado, onde as regiões
os polos. polares aparecem muito
exageradas.
ESCALAS
Escala é a relação entre a medida de um objeto ou lugar representado no papel e
sua medida real, onde a razão ou relação de semelhança é a seguinte:
E = d
D
D = um comprimento tomado no terreno, que denominar-se-á distância real
natural.
d = um comprimento homólogo no desenho, denominado distância prática ou
gráfica.

As escalas mais utilizadas são:

Numérica:

Gráfica:
ESCALAS

Comparando os mapas A e B, observamos que há maior riqueza de


detalhes no mapa B e sua escala é duas vezes maior do que no mapa A.

Observe, então, que quanto menor for o denominador da escala, maior


ela será e mais detalhes ela nos dará.
ISOLINHAS

São linhas desenhadas para ligar lugares diferentes que partilham um


valor comum. O prefixo ISO é uma palavra grega que significa igual,
portanto, uma isolinha deve ser uma linha que une pontos iguais.

Exemplo:
Curva de Nível – É uma linha traçada no mapa para se juntar todos os
lugares que estão à mesma altura acima do nível do mar (altitude)

Isoípsa ou curva de nível: Junta pontos da mesma altitude.


isóbata: une todos os pontos de igual profundidade no relevo submarino.
Isóbara: Junta pontos com a mesma pressão atmosférica.
Isotérmica: Junta pontos com a mesma temperatura.
Curva de Nível

É o método utilizado para representar o relevo terrestre,


que permite ao usuário, ter um valor aproximado da
altitude em qualquer parte do mapa.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
- As curvas de nível tendem a ser quase que paralelas entre si.
- Todos os pontos de uma curva de nível se encontram na mesma elevação.
- Cada curva de nível fecha-se sempre sobre si mesma.
- As curvas de nível nunca se cruzam, podendo se tocar em saltos d'água ou despenhadeiros.
- Em regra geral, as curvas de nível cruzam os cursos d'água em forma de "V", com o vértice
apontando para a nascente.
Curva de Nível
Perfil topográfico de uma área da cidade do Rio de Janeiro

- As linhas traçadas no mapa


são chamadas isoípsISOLas,
sendo que quanto mais próximas
estiverem, mais abrupto se
apresenta o relevo.

- Entre as duas elevações


existentes, na direção leste-
oeste, encontra-se uma
depressão relativa.

Você também pode gostar