Você está na página 1de 41

 AULA 6

Sistema de Adiministração
de Produção
Prof. Edgar Bengui

2018
Para reflectir
Para reflectir
CONCEITOS IMPORTANTES

• Recurso — é o meio utilizado para a transformação


e movimentação de determinado produto.

• Fluxo — significa um material que tem um


determinado percurso ou movimento.

• Capacidade — é a medida de aptidão de um recurso


em tratar um fluxo; pode ser medido em
disponibilidade do recurso por período de tempo ou
em função da quantidade de produto fabricado.
CONCEITOS IMPORTANTES

• Carga produtiva — é a quantidade de fluxo requerido


para satisfazer a procura. Trata-se do débito
encomendado.

• Indicador de Desempenho — é um dado


quantificado que mede a eficácia de todo ou de uma
parte de um sistema relativamente a um padrão, um
plano ou um objectivo.
INTRODUÇÃO

• Com o aumento das exigencias de mercado as


empresas têm procurado melhorar os seus métodos
de Administração de Produção.

• Elas Têm escolhido métodos de administração que


lhes permite adaptar-se as mudanças, ter vantagens
competitivas, bem como a tomar decisões rápidas que
a concorrencia.
CONCEITO

• O SAP é um conjunto de filosofias ou métodos que


permitem melhor condução das actividades produtivas
de forma integrada, permitindo atingir os factores
competitivos de produção (ler GPO I).
FUNÇÃO

• O SAP tem a função principal de integrar recursos e


actividades permitindo uma visão sistémica dos
processos produtivos, afim de reduzir perdas,
desperdicios e retrabalhos.
TIPOS DE SAP

• MRP I
• MRP II
• OPT
• JUST IN TIME
• KAMBAN
SAP E OS TIPOS DE PRODUÇÃO
FOCALIZADA

• Produção Puxada
-Tradicional- envolve os cliente mas preocupa-se
menos com as perdas e desperdicios.
- Produção enxuta- foco máximo no cliente, bem como
na filosofia de redução de perdas.

• Produção Empurrada
-Tradicional- envolve menos os cliente preocupa-se
com a capacidade máxima de produção virada para
stock.
-Combinadas (Híbridas)- envolve menos os clientes
mas precupa-se com as perdas e o equilibrio de
produção.
SAP E O SISTEMA PRODUTIVO
É preciso entender o Sistema
Toyota de Produção “STP”

 Para melhor entendimento dos Sistemas


de Administração da Produção vamos
entender o que são perdas e
desperdícios.
Perdas

 Toda acção que resulta em falhas no processamento de uma


actividade produtiva. Normalmente são irracionais.
Tipos de Perdas

 Perdas por start up


 Perdas por Falhas nas Máquinas
 Perdas por Set up
 Perdas por rendimento de materiais
 Perdas por produtos defeituosos
Tipos de Perdas
Tipos de Perdas

 As perdas normalmente resultam de atividades


desnecessárias ou mal planificadas à produção
causadas principalmente pela ineficiência do
sistema que ocasionam de alguma forma aumento
dos custos de produção.
Desperdicio

 Segundo Pinto (2010,p.173), “os desperdícios refere-se a todas


as actividades que realizamos e que não acrescentam valor”.

 Estas actividades consomem tempo, consomem recursos e


fazem com que os produtos ou serviços disponibilizados no
mercado sejam mais caros.
Tipos de Desperdício

 Tempo perdido em conserto ou refugo


 Super produção
 Operações desnecessárias no processo de manufatura
 Transporte
 Estoque
 Movimento humano
 Tempo de Espera
 Produção com defeitos
Tipos de Desperdício
Causas de Desperdício

 Para Slack (2015) existem três causas dos desperdícios que


devem ser eliminadas ou reduzidas, tal como se observa no
quadro abaixo: Musa, Mura e Muri

 Muda: são as actividades em um processo que são


desperdiçadoras porque não agregam valor à operação ou ao
cliente.
Causa de Desperdício

 Mura: significa ”falta de consistência “ ou irregularidades


que resultam em sobre carga periódica de funcionários ou
equipamentos.
 Muri: significa o absurdo ou irracionalidade. Baseada na
ideia de que as exigências desnecessárias ou irracionais
colocadas em um processo resultarão em maus resultados.
Eliminação de Desperdícios

Para reduzir o desperdício é necessário:

 Racionalização da força de trabalho

 Just in time

 Produção Flexível
Eliminação de Desperdícios

 Portanto, os desperdícios impedem que qualquer


processo atinja a qualidade desejada pois influenciam
directamente na eficiência.
Eliminação de Desperdícios

 Segundo Corrêa e Corrêa (2012,600-601p),


“Produzir produtos defeituosos significa desperdiçar
materiais, disponibilidade de mão-de-obra,
disponibilidade de equipamentos, movimentação de
materiais defeituosos, armazenagem destes, inspeção
de produtos, entre outros.”
O Sistema Toyota de Produção e a
Produção enxuta e Lean Manufacturing,

surgiu no Japão, na fábrica de automóveis


Toyota, logo após a Segunda guerra
mundial.
Criada pela Toyota na pessoa Toyoda
Sakichi, seu filho Toyoda Kiichiro e o
principal executivo o engenheiro Taiichi
Ohno.
Racionalização da Força de Trabalho

 Para racionalizar a mão-de-obra, os operários foram colocados


em equipes, tendo um deles como líder.

 As Equipas são responsabilizados com um conjunto de tarefas


de montagem a serem cumpridas da melhor maneira possível.
Características do Sistema Toyota

 Eliminação do Desperdício
Just-in-time

 Fabricação com Qualidade


Jidoka
Just-in-Time

Aumentar Recursos

Diminuir perdas
Jidoka
Automação Inteligente

Aumentar a produtividade

Diminuir Produtos defeituosos


Just in Time = Na hora certa

• Permite uma filosofia de gestao da producao onde deve


haver um fluxo contínuo de material sincronizado com a
programação de produção, reduzindo o maximo a
necessidade de estoque
Just in Time
Fabricação com qualidade

 Fazer certo da primeira vez

 Corrigir os erros em suas causas fundamentais

 Utilizar Círculos da qualidade


Principio de Sistema Toyota de
Producao
Trabalho standard

O trabalho standard é a ferramenta de


formação dos operadores com o intuito de
garantir o gesto adequado.
Heijunka significa seqüenciamento, alisamento da
produção.

O objetivo de Heijunka é amortecer as irregularidades


da procura comercial produzindo por pequenos lotes
vários modelos diferentes na mesma linha.
TPM - Total Productive Maintenance, modelo de
gestão para produção, utilizado em muitos segmentos
industriais, cujo princípio é prevenção de perdas por
falta de gestão da manutenção.
Benefícios:
• Redução de estoques: não é necessário
disponibilizar um espaço e recursos humanos para
tratar dos aprovisionamentos.

• Redução de tempo: o mesmo nível de produção


pode ser atingido em menos tempo, o que evita
horas extraordinárias e/ou aumentar a produção face
a um aumento pontual da procura.
• Aumento da qualidade: evitam-se custos com peças
ou produtos defeituosos além de ser um excelente
argumento de venda, reforçando a presença no
mercado.
Desvantagem:

• Decorre de incertezas na envolvente da empresa. Se


algo não funcionar bem, por exemplo de uma greve
nos transportes é a mais evidente, tudo pode ficar
parado.

• Por isso, mantêm também o "Just in case" e estoque


de segurança que permite evitar perdas.
Os objetivos do sistema japonês de produção são :

1. Eliminar as perdas;
2. Reduzir o trabalho adicional;
3. Aumentar trabalho efetivo.
Referencias Bibliográficas

• MARTINS, Petrônio Garcia; LAUGENI, Fernando


Piero. Administração da Produção. São Paulo:
Saraiva, 1998.
• SLACK, Nigel et al. Administração da produção. São
Paulo: Atlas, 1999.

• BASTOS, João. Gestão e Organização Industrial.


Lisboa, Pronaci, 2000.

Você também pode gostar