Você está na página 1de 32

ESQUIZOFRENIAS

E OUTROS
TRANSTORNOS
PSICÓTICOS
Profª. Silvana Ferreira
SÚMULA PSICOPATOLÓGICA

APARÊNCIA

ATITUDE

FALA

PENSAMENTO

CONSCIÊNCIA

ATENÇÃO

HUMOR

AFETO

VONTADE

PRAGMATISMO

MEMÓRIA

INTELIGÊNCIA

SENSOPERÇÃO

PSICOMOTRICIDADE

CONSCIÊNCIA DO EU

CONSCIÊNCIA DE MORBIDADE
(JUÍZO CRÍTICO)
■ CONSCIÊNCIA
PLANOS PARA ODE MORBIDADE
FUTURO (JUÍZO
(PROSPECÇÃO)
CRÍTICO)
O QUE É A ESQUIZOFRENIA?

■ Transtorno grave, heterogêneo, de evolução


crônica recidivante,
PSICOSE ou sintomas psicóticos sãode causa
aqueles onde hádesconhecida, que,
perda do juízo crítico, também
chamado de juízo de realidade .
em
Durante umsua fase
episódio psicótico, aguda cursa
podemos encontrar com
alterações sintomas
no pensamento (delírios -
psicóticos que prejudicam
falsas crenças) e na sensopercepção significativamente
(alucinações falsas percepções) e o indivíduo temo
dificuldade em entender o que é real e o que não é.
funcionamento social do indivíduo.
■ Tem evolução crônica e prognóstico sombrio. A
consciência clara e a capacidade intelectual estão
normalmente mantidas, embora tardiamente
possa ocorrer déficit cognitivo com a evolução
Secundário a alterações na
do
quadro (fase residual). afetividade, vontade e
pragmatismo
HISTÓRIA
Início precoce com Dinâmica psicológica Esforço em definir sinais
similitude e da “Dementia e sintomas
especificidade dos praecox”, inspirado patognomônicos
estados finais em Freud.(4 As) (Sintomas de1ª e 2ª
(demência). ordem)

■ Emil Kraepelin (1856- ■ Eugene Bleuler (1857- ■ Kurt Schneider (1887-


1926) 1939) 1967)
“dementia praecox” “esquizofrenias”
AMBIVALÊNCIA
1º A de Bleuler
EPIDEMIOLOGIA
■Prevalência de 1%
■Igualmente prevalente entre os sexos
■Parentes de 1° grau: risco 10x maior
■Uso de substâncias – fator de risco
EPIDEMIOLOGIA
■Doença não respeita nível socioeconômico ou aspectos
culturais
– Hipótese de declínio
– Hipótese da causa social
■75% dos esquizofrênicos graves não conseguem
trabalhar
■Esquizofrênicos ocupam 50% de todos os leitos de
hospitais psiquiátricos e respondem por 16% da
população psiquiátrica
ETIOPATOGENIA

■NENHUM fator etiológico isolado é considerado


responsável pela esquizofrenia

■Modelo diátese-estresse G
– Fatores neurobiológicos
– Fatores genéticos
– Fatores psicossociais
A Ψ
 
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

■Quadro clínico polimorfo e heterogêneo


■NÃO há sinal patognomônico
Kurt
Schneider clínicas podem mudar com a
■Características
evolução paranóid
e
■Personalidades
Aos doze anos, (...) pré-mórbidas
era bastante evidente seu gosto pela
esquizóid
solidão, pois preferia fazer as coisas sozinho a estar em contato
e trabalhar em grupo. eMartha, sua irmã, (...) escreveu mais
tarde: "Johnny sempre foi diferente. Meus pais sabiam disso.
(...) John sempre quis fazer as coisas a sua maneira. Minha mãe
insistia para eu fazer as coisas por ele, para eu incluí-lo nas
esquizotípi
minhas amizades... mas eu não estava muito interessada em
mostrar o meu estranho
ca irmão." (sobre John Nash, “Uma Mente
SÚMULA PSICOPATOLÓGICA

APARÊNCIA
ATITUDE
FALA
PENSAMENTO Sintomas positivos Sintomas negativos
CONSCIÊNCIA (ou produtivos): (ou residuais): mais
ATENÇÃO mais frequentes frequentes em
HUMOR na fase aguda fases mais tardias
AFETO
VONTADE
PRAGMATISMO
MEMÓRIA
INTELIGÊNCIA
SENSOPERÇÃO
PSICOMOTRICIDADE
CONSCIÊNCIA DO EU
CONSCIÊNCIA DE MORBIDADE (JUÍZO
CRÍTICO)
PLANOS PARA O FUTURO (PROSPECÇÃO)
SINTOMAS POSITIVOS
PENSAMENTO E LINGUAGEM
■ PENSAMENTO
– CURSO (velocidade, objetividade)– pode estar acelerado, tangencial
– FORMA (se segue a sintaxe, se é compreensível) – desagregação do
pensamento = perda dos nexos associativos do discurso
Mais um dos 4 A’s de
– CONTEÚDO – ideias delirantes de cunho persecutório, místico,
Bleuler
grandioso (ininfluenciáveis e incompreensíveis pela lógica)
- concretude do pensamento – menor capacidade de
abstração e linguagem passa a ser uma “coisa”, perde sua
finalidade de comunicação (afasia expressiva)
■ LINGUAGEM
– NEOLOGISMOS - palavras “novas” ou novos sentidos para palavras
conhecidas
– MANEIRISMOS DE FALA – modo singular de utilizar a linguagem
SENSOPERCEPÇÃO (1),
CONSCIÊNCIA DO EU (2) e
PSICOMOTRICIDADE (3)

■ (1) ALUCINAÇÕES AUDITIVAS E CENESTÉSICAS


– VOZES DE VÁRIAS PESSOAS QUE FALAM SOBRE O PACIENTE NA
TERCEIRA PESSOA
– SENSAÇÕES VISCERAIS – DORES, MANIPULAÇÃO, CONTROLE

■ (2) VIVÊNCIAS DE INFLUÊNCIA no domínio dos sentimentos,


tendências, controle e vontade
■ (3) AGITAÇÃO PSICOMOTORA, normalmente relacionada aos delírios
ou INIBIÇÃO PSICOMOTORA, na CATATONIA
ATITUDE ALUCINATÓRIA

LIBERDADE
POÉTICA:
ALUC. VISUAIS Ñ
SÃO
CARACTERÍSTICAS,
Ñ HÁ JUÍZO
IDEIAS DELIRANTES
deREALIDADE
AGITAÇÃO
PSICOMOTORA

APARÊNCIA
SINGULAR
MANEIRISMOS
ALUCINAÇÕES
AUDITIVAS

UMA MENTE BRILHANTE, Ron Howard, 2001


SINTOMAS NEGATIVOS
HUMOR (1) e AFETO (2)

■ (1) HUMOR APÁTICO, POUCO MODULADO


– ATITUDE AUTISTA

■ (2) EMBOTAMENTO AFETIVO – dificuldade de expressão das emoções,


pouca reatividade aos estímulos externos, indiferença afetiva
VONTADE (1) E PRAGMATISMO
■(2)
(1) HIPOBULIA – diminuição da vontade, não inicia atividades, não
mantém as atividades antes desenvolvidas
■ (2) HIPOPRAGMATISMO – dificuldade de executar e terminar
atividades, inclusive da vida diária
– Pode resultar em alterações da aparência (descuido com higiene,
por exemplo)

http://www.ccms.saude.gov.br/cinquentenariodomu
seu/fernando-diniz.php
APARÊNCIA singular (maneirismos da
aparência)

ARTE
DIAGNÓSTICO - SISTEMAS CLASSIFICATÓRIOS

Diagnóstico é clínico e padrão ouro é exame


do especialista, baseado em critérios clínicos
bem definidos.
CID-10 E DSM-V
CID 10
INÍCIO 20-30 ANOS
MELHOR PROGNÓSTICO
■ Esquizofrenia ParanoidePREDOMÍNIO DE SINTOMAS
INÍCIO 15 – 25 ANOS POSITIVOS
■ Esquizofrenia
PIOR PROGNÓSTICO HebefrênicaPREDOMÍNIO DE ALT AFETO E FORMA DO
PENSAMENTO
■ Esquizofrenia Catatônica
PREDOMÍNIO DE SINT. PSICOMOTORES (INIBIÇÃO OU
AGITAÇÃO)
■ TARDIO
QUADRO Esquizofrenia Indiferenciada
(demência precoce
■ Esquizofrenia
de Kraepelin)
Residual PREDOMINANTEMENTE SINTOMAS
NEGATIVOS
■ Esquizofrenia Simples
■ Depressão pós-esquizofrênica
Estamira - Marcos Prado, 2006.
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
■SINTOMAS POSITIVOS (FASE AGUDA)
– Alucinações auditivas
– Ideias delirantes paranoides
– Comportamento bizarro
– Agitação psicomotora
– Ideias bizarras, não necessariamente
delirantes
– Produções linguísticas como neologismos
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
■SINTOMAS NEGATIVOS
– Embotamento afetivo
– Retração social
– Empobrecimento da linguagem e do
pensamento
– Diminuição da fluência verbal
– Diminuição da volição
– Autonegligência
– Lentificação psicomotora
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
■Outros transtornos psicóticos
■Transtornos do humor
■Transtornos de personalidade
■Quadros orgânicos com manifestação
esquizofreniforme
CURSO (1) E PROGNÓSTICO (2)
■ (1) CURSO
– Sintomas prodrômicos: Ansiedade , Depressão,
Perplexidade
– Eventos desencadeantes: Traumas, Drogas, Estresse
– Exacerbações e remissões

■ (2) PROGNÓSTICO RUIM


– 40 a 60% possuem alto grau de comprometimento da
funcionalidade
TRATAMENTO
■Complexo, uma única intervenção não modifica
prognóstico. Inclui:
– Tratamento psicoterápico
– Tratamento medicamentoso
■ Antipsicóticos (também chamados
neurolépticos):
– Típicos – alta
Antagonistas dopaminérgicos: potência: haloperidol e flufenazina
bloqueio receptores D1 e D2
- baixa potência: clorpromazina e
levomepromazina
Antagonistas dopaminérgicos:
bloqueio receptores D2
– Atípicos: risperidona, olanzapina, quetiapina,
TRATAMENTO
– Tratamento de suporte:
■ Questões familiares
■ Trabalho
■ Lazer
■ Moradia
– Internação
■ Medida extrema
■ Menor duração possível
■ Proteção (e não exclusão) do paciente, quando
os outros meios falharam
OUTROS
TRANSTORNOS
PSICÓTICOS
■ DIFEREM DA ESQUIZOFRENIA EM RELAÇÃO A TEMPO DE
DURAÇÃO E PROGNÓSTICO

■ MUITAS VEZES INDIFERENCIÁVEIS NA FASE AGUDA


■ A Esquizofrenia transtorno que dura pelo menos 6 meses e inclui pelo
menos 1 mês de sintomas da fase ativa (sintomas positivos ou
produtivos)
■ O Transtorno Psicótico Breve caracteriza-se por um quadro sintomático
equivalente à Esquizofrenia, exceto por sua duração
– dura + que 1 dia e tem remissão em 1 mês. (Betty Blue)
■ O Transtorno Esquizofreniforme caracteriza-se por um quadro
sintomático equivalente à Esquizofrenia, exceto por sua duração
– dura de 1 a 6 meses e há ausência da exigência de um declínio no
funcionamento.
■ O Transtorno Delirante caracteriza-se por pelo menos 1 mês de delírios
não-bizarros sem outros sintomas da fase ativa da Esquizofrenia. (Bem
me Quer, Mal me Quer)
■ O Transtorno Psicótico Compartilhado é uma perturbação que se
desenvolve em um indivíduo influenciado por outra pessoa com um
delírio estabelecido de conteúdo similar. (Bug – Possessão)
■ QUADROS SECUNDÁRIOS

– Transtorno Psicótico Devido a uma Condição Médica


Geral:
■ sintomas psicóticos são considerados uma
conseqüência fisiológica direta de uma condição
médica geral. (ex: psicose lúpica)

– Transtorno Psicótico Induzido por Substância


■ sintomas psicóticos são considerados uma
conseqüência fisiológica direta de uma droga de
abuso, um medicamento ou exposição a toxina.
Remitem após interrupção do uso.