Você está na página 1de 23

DIAGNÓSTICO DA

GESTAÇÃO
PROFª LÍCIA KÉRCIA
GINECOLOGISTA E OBSTETRA
CRM 5917
Diagnóstico da gestação

Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia HU - UFMA


Diagnóstico da gestação
Diagnóstico da gestação

 SINAIS DE POSSIBILIDADE OU PRESUNÇÃO - SINAIS


SISTÊMICOS/PERCEBIDOS PELA MÃE.

 SINAIS DE PROBABILIDADE

 SINAIS DE CERTEZA
Clínicos

PRESUNÇÃO
• Amenorreia

• Náuseas/ vômitos/
cefaleia

• Alterações mamárias /
pele

• Polaciúria
Clínicos

PROBABILIDADE

• Amenorreia (após 10-14


dias)

• Aumento volume
uterino/ Alterações na
genitália.

• Alteração da
consistência e forma
uterina

• HCG
SINAIS DE PROBABILIDADE

 Sinal de Osiander- Pulso Vaginal

 Sinal de Nobile-Budin- perda do formato piriforme

 Sinal de Piskacek- Assimetria uterina no local da implantação

 Sinal de Hegar- sinal da dodradiça

 Sinal de Holzapfel- Aspereza do peritônio devido a congestão


Clínicos

CERTEZA

• Sinal de Puzos

• Movimento fetal / Partes


fetais

• Ausculta fetal

Pinard: 18 semanas
REZENDE, J. de.; MONTENEGRO, C.A.B. Obstetrícia fundamental. 12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara. Sonar-doppler: 10 – 12
Koogan, 2011
semanas
LABORATORIAL

Gonadotrofina Secretado na circulação materna


Coriônica após a implantação
Humana
Sustenta o corpo lúteo
FRAÇÃO BETA
Dobra a cada 48 - 72h

Sangue Urina > 1.000 mUI/ml : 95% certeza de


gestação
3 semanas (5 4 a 6 semanas (>= 20 -
mUI/ml) 50mUI/ml)
Pico: 8 -11 semanas
(60.000 – 90.000 mUI/ml)

> 100.000mUI/ml: sugestivo de


Doença Trofoblástica
Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia HU - UFMA
LABORATORIAL

Human chorionic gonadotropin: Testing in pregnancy and gestational trophoblastic disease and causes of low
persistent levels. UpToDate, 2018
Ultrassonografia

Saco Embrião BCF CALOTA


Gestacional
Usg abdome 5 semanas 6 semanas 7 semanas 12 semanas
Usg 4 semanas 5 semanas 6 semanas 11 semanas
transvaginal
Clinical manifestations and diagnosis of early pregnancy. UpToDate, 2018
Clinical manifestations and diagnosis of early pregnancy. UpToDate, 2018
AVALIAÇÃO DO PROGNÓSTICO DA GESTAÇÃO

SINAIS DE RUIM
PROGNÓSTICO  S. G sem vesícula vitelínica: > 8mm (US TV) ou > 20mm (US
Abd)

 S. G com vesícula, mas sem embrião: > 16mm (US TV) ou >
25mm (US Abd)

 S. G > 25 mm sem vesícula e sem embrião

 C. C. N >= 7 mm sem BCF (Colégio americano e Britânico de


radiologia)

 Reação decidual fraca (< 2mm) / Ausência de duplo halo

 S.G de contornos irregulares ou implantação baixa

 BCF < 100 bpm


Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia HU - UFMA
Zugaib Obstetrícia, 2016
Spontaneous abortion: Risk factors, etiology, clinical manifestations, and diagnostic evaluation. UpToDate, 2018
ULTRASSONOGRAFIA X BETA hCG
Paciente 27 anos, não recorda DUM, traz resultado de Beta- hCG quantitativo de
ontem igual a 1800 UI/L, porém USG TV não evidencia saco gestacional na cavidade
uterina. Nega dor pélvica, nega perdas vaginais. Mirelle é a estagiária do plantão e
resolve solicitar um novo beta hCG após 3 dias

Após 72 horas...

Beta hCH
Beta hCH =
= 3.600
3.600 UI/L
UI/L Beta hCH
Beta hCH =
= 2.100
2.100 UI/L
UI/L Beta hCH
Beta hCH =
= 800
800 UI/L
UI/L
ULTRASSONOGRAFIA X BETA hCG

ZONA DISCRINATÓRIA DE HCG: 2.000 – 3500 UI/L


ZONA DISCRINATÓRIA DE HCG: 2.000 – 3500 UI/L

•hCG crescendo normalmente: Avaliar com USG TV quando beta-hCG atingir 3500
UI/ml.

•hCG crescendo, mas NÃO normalmente: sugere prenhez ectópica, ou tópica que
pode resultar em aborto.

•hCG decrescendo: aborto espontâneo, gravidez ectópica resolvida


espontâneamente
Paciente 28 anos, não recorda DUM, traz USG TV evidenciado gestação tópica de 5sem 6d, embrião
com C.C.N = 4,6mm, não identificado BCF. Paciente procurou maternidade de risco habitual e seria
internada para realização de AMIU, porém não aceitou o diagnóstico de óbito embrionário e
procurou o Acolhimento do Hospital Materno Infantil.
Jackson é o estagiário de plantão e, lembrando da aula de diagnóstico de gestação, ela decide que
a melhor conduta é:

Confirmar oo óbito
Confirmar óbito Tranquilizar aa paciente
Tranquilizar paciente ee Solicitar B-hcG
Solicitar B-hcG aa cada
cada
embrionário e
embrionário e internar
internar aa solicitar novo
solicitar novo US
US com
com 48h ee hemograma
48h hemograma em em
paciente para
paciente para realização
realização intervalo de
intervalo de 10-14
10-14 dias
dias dias alternados
dias alternados até
até
de AMIU
de AMIU resolução do
resolução do caso
caso

Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia HU - UFMA


Paciente 22 anos GIIPI (vaginal há 4 anos)AI, procura atendimento de urgência por metrorragia há 01
semana associada a dor em B.V. Solteira, uso irregular de AHCO há cerca de 01 ano. Ao exame físico,
BEG, afebril, acianótica, PA = 100/60mmHg, pulso = 80 ipm, dor à palpação em baixo ventre e ao toque
manual combinado; com sangramento discreto. Foram solicitados os exames: B-hcG = 12.000 e USG =
saco gestacional tópico com 30mm sem embrião. Diante desse quadro o diagnóstico mais correto é:

Gravidez
Gravidez Gravidez
Gravidez Gravidez
Gravidez Mola
Mola
insipiente
insipiente ectópica
ectópica anembrionada
anembrionada hidatiforme
hidatiforme

Programa de Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia HU - UFMA


Adolescente procura atendimento com história de sangramento uterino de pequena quantidade
e dores leves em região hipogástrica há cinco dias. Relata que faz uso de ACHO de forma
irregular e que a menstruação estava atrasada antes do sangramento. É nuligesta.
Ao exame físico, mostra bom estado geral, hidratada, corada, com frequência cardíaca de 80/m,
PA = 110/70 mmHg e exame ginecológico mostrando moderado sangramento uterino e dores ao
toque combinado. Foram solicitados exames: B-hCG = 900 mUI/ml e USG = útero e ovários
normais.
Diante desse quadro, a conduta mais adequada é:
Repetir o B-hCG Repetir o B-hCG Realizar a Realizar o
após 48 horas, após 48 horas, laparoscopia, tratamento com
quando este quando este por se tratar de methotrexate,
deverá deverá se manter uma gestação por se tratar de
duplicar na estável na ectópica uma gestação
gestação tópica gestação ectópica ectópica
Referências

• UpToDate
• ZUGAIB M. Zugaib Obstetríca, 3ª ed, SP: Manole,
2016
• REZENDE, J. de.; MONTENEGRO, C.A.B. Obstetrícia
fundamental. 12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara.
Koogan, 2011
Colossenses 3:23

 “Tudoque fizerem, façam de todo o coração,


como para o Senhor, e não para o homem.”