Você está na página 1de 16

FRANCISCO DE ASSIS BERTINI MORAES

RG 7.629.439 , CPF 016.586.358-76

CONCURSO FMPFM/IUDS NO. 06


INSCRIÇÃO NO. 04

ENGENHARIA II
PAPEL E CELULOSE

Produção de Celulose

1. Contexto Atual de Produção de Celulose no Brasil


2. Produtos de Consumo de Celulose
3. Madeira de Eucalipto para Produção de Celulose
4. Rendimento da Madeira de Eucalipto
5. Processo de Produção de Celulose
6. Sustentabilidade da Indústria de Celulose no Brasil
1. Contexto Atual de Produção de Celulose no Brasil
mil toneladas

IBA – INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES (2019)

1,3 % do PIB , 6,9 % do PIB industrial , 86 bilhõesR$.


550 mil empregos diretos e 3,8 milhões empregos indiretos.
Árvores 100% plantadas (reflorestamento), eucalipto e pinus.
7,8 milhões de hectares mais 5,6 milhões de hectares de nativas preservadas.
Produção de 22,0 milhões de toneladas de celulose, sendo 19 de eucalipto, 2,5 de pinus e 0,5 de pastas de alto rendimento.
2º. Maior Produtor Mundial (1º. EUA : 48,0 milhões de toneladas). Brasil utiliza “state of art” na tecnologia de celulose.

Papel : 10,4 milhões de toneladas (estável desde 2008).

Perfil energético adequado aos processos mais eficientes de cogeração e autossuficiência.


A madeira de eucalipto como diferencial no sucesso da indústria de celulose no Brasil

A madeira de eucalipto, para produção de celulose, tem um tempo de 6 a 7 anos para crescimento.
Principais produtores de Celulose no Brasil (mil toneladas) :

Suzano Papel e Celulose...............................................................10,1


Suzano-SP.................................................0,6
Limeira-SP.................................................0,8
Bahia Sul-BA.............................................0,7
Imperatriz-MA..........................................2,0
Tres Lagoas-MS.........................................3,0
Aracruz-ES.................................................2,5
Jacareí-SP..................................................1,0
Eldorado Celulose (Tres Lagoas-MS)..............................................3,0
Veracel (Eunápolis-BA)..................................................................1,0
CENIBRA (Belo Horiente-MG)........................................................1,1
CMPC (Porto Alegre-RS)................................................................1,0
BRACEL.........................................................................................0,5
Camaçari-BA............................................0,3
Lençois Paulista-SP...................................0,2
International Paper........................................................................0,6
Mogi Guaçu-SP........................................0,3
Luiz Antonio-SP.......................................0,3
Outros............................................................................................4,7

Total.............................................................................................22,0
2. Produtos de Consumo de Celulose

tencel
3. Madeira de Eucalipto para Produção de Celulose
Tora de Eucalipto
S3

S2 Parede
Secundária

S1

P Parede
Primária
LM Lamela
Média

Anel
Crescimento
Fibras
Fibra

Poro

Raio

Vaso
Lenhoso

Raio

A madeira : ~72% de polissacarídeos (52% de celulose e 20% de hemicelulose) e 25% de lignina, 2,5% resinas e 0,5% cinzas

A maior concentração de lignina encontra-se na lamela média e a de celulose na parede secundária, no entanto, apesar da menor
concentração, a maior quantidade de lignina encontra-se também na parede secundária, existindo uma forte interação entre
lignina-hemicelulose-celulose.
4. Rendimento da Madeira de Eucalipto
O processo kraft de produção de celulose tem como função dissolver e extrair a lignina da madeira, com o
objetivo de liberar as fibras com o mínimo de degradação dos carboidratos (celulose e hemicelulose), ou seja, o
maior rendimento possível. Da lignina dissolvida em álcali (licor preto), deve-se obter o máximo de energia
possível, com o mínimo de perda de álcali e de material orgânico.

100 kg-madeira = 55 kg-Polpa + 45 kg-Orgânicos


Base Seca Fibras Licor Preto

52 Celulose = 44 Celulose + 8 Celulose


20 Hemicelulose = 10,5 Hemicelulose + 9,5 Hemicelulose
25 Lignina = 0,3 Lignina + 24,7 Lignina
2,5 Resinas = 0,1 Resinas + 2,4 Resinas
0,5 Cinzas = 0,1 Cinzas + 0,4 Cinzas

Matéria – Prima Produto Produto : Energia


Eucalipto Fibras de Celulose Autosuficiência e
Venda En. Elétrica

 Investimento em melhoria genética das espécies de eucalipto para melhor rendimento florestal e industrial.
5. Processo de Produção de Celulose RIO
Fardos de
ETA ETE Celulose
Filtrado
Água
Toras de Polpa
Eucalipto PRÉ Branqueada SECAGEM
Celulose PREPARAÇÃO Cavacos DIGESTOR PÓS
LAVAGEM BRANQUEAMENTO BRANQUEAMENTO DE
DE MADEIRA Eucalipto (COZIMENTO) COM O2
LAVAGEM
CELULOSE
Toras P/
Energia ClO2
Licor Negro Diluído H2O2
Orgânicos - Na Água
Licor Branco MÁQUINA DE
Orgânicos - S
Energia Condensado PAPEL
Cascas NaOH Vapor
Cavacos Na2S Elétrica Contaminado
Baixa e Média EVAPORAÇÃO Stripper
Resíduos Na2CO3 Pressão

Licor Negro Orgânicos - Na


Concentrado Orgânicos - S Papel
Trat.Gases
Gases
TURBOGERADOR Vapor Gases
CO2
Alta Pressão CALDEIRA CO2
DE
SOx
H2O
CALDEIRA DE Vapor Ar RECUPERAÇÃO NOx
BIOMASSA
Alta Pressão O2 T-R-S

NaOH + CaCO3  CaO + Na2CO3


Na2CO3 , Na2S
CAUSTIFICAÇÃO
Licor Verde

CaCO3 CaO
CARBONATO
Liberação gradativa de NaOH FORNO DE CAL CO2 DE CÁLCIO
no Cozimento CaCO3  CaO + CO2
Na2S + 2 H2O  2 NaOH + H2S
PREPARAÇÃO DE MADEIRA DIGESTOR (COZIMENTO) LAVAGEM E BRANQUEAMENTO
D
EOP
75 C

80 C
A/D
80 C

90 C D
EOP
A/D

ClO2
NaOH
ClO2 H2O2
H2SO4
EVAPORADOR DO LICOR PRETO EM MULTIPLO EFEITOS

Vapor Evap. Evap. Evaporado

Licor Licor

Licor
Licor Diluído
Concentrado Licor
CALDEIRA DE RECUPERAÇÃO
N2H2O , CO2 , O2 , SO4 , Nox ,
(CO , H2S) , Na2SO4 , NaCl , HCl

VAPOR

ÁGUA
ZONA OXIDAÇÃO
Na , SO2 , O2 - Na2SO4
AR TERCIÁRIO
Vapor Água
H2S , O2 - SO2 , H2S

H , C , O - CO2 , H2O

H2O , C , Na , NaOH , H2S


1050 C
LICOR NEGRO AR SECUNDÁRIO
CONCENTRADO

Licor
ZONA SECAGEM
Preto
CO , CO2
NaOH
Licor AR PRIMÁRIO
Na , H2S
Verde
ZONA REDUÇÃO
Na2SO4 , C , O2
800 C
Na2S , Na2CO3 , CO2

Na2S , Na2CO3 ,
Na2SO4 , NaCl
CAUSTIFICAÇÃO E FORNO DE CAL H2O
CO2

CO2 + pó CaO

Gás l
ia Forno de Ca Scrubber
Natural Transferênc
de Ca lo r
Transferência
Filtro
de Massa
CaO (s) Rotativo
Separação
Silo Mecânica

Na2CO3 NaOH
Na2CO3 (l) + Ca(OH)2 (l) 2 NaOH (l)+ CaCO3 (s)

Tanque Tanque

CaO + H2O  Ca(OH)2


CaCO3
Reatores Químicos

Bombeamento Decantador Tanque


Armazenagem
Mecânica de Fluidos Separação Mecânica
Mecânica de Fluidos
FÁBRICA INTEGRADA DE CELULOSE E PAPEL
6. Sustentabilidade da Indústria de Celulose no Brasil
Proteção de Hábitats Naturais
As associadas da Ibá possuem 5,6 milhões de hectares de áreas
naturais protegidas na forma de Áreas de Preservação Permanente
(APPs), áreas de Reserva Legal (RL) e áreas de Reserva Particular
do Patrimônio Natural (RPPN) (Figura 33). Assim, para cada
hectare plantado com árvores para fins industriais, outro 0,7
hectare foi destinado à conservação.
Investimentos Socioambientais
Dentro do tripé de sustentabilidade, o setor preza por gerar oportunidades e valorizar pessoas. Em 2018,
os investimentos em programas de responsabilidade social e ambiental realizados pelas empresas
associadas à Ibá totalizaram R$ 482 milhões e beneficiaram cerca de 1,5 milhão de pessoas.
Emissões de CO2
Tema focal para as associadas e para a Ibá, as mudanças climáticas trazem riscos e oportunidades. Em 2018, o
estoque de CO2 equivalente (CO₂eq) do segmento somou 4,2 bilhões de toneladas. O setor de árvores
plantadas para fins industriais é um dos mais aptos a fortalecer os objetivos do Brasil no Acordo de Paris, que
prevê reduzir as emissões gases do efeito estufa em 43% frente à realidade de 2005; restaurar e reflorestar 12
milhões de hectares de florestas; incentivar a integração de lavoura, pecuária e florestas (ILPF) em 5 milhões de
hectares; zerar desmatamento ilegal; atingir 45% de energias renováveis no mix brasileiro, sendo 18% em
bioenergia; e expandir o consumo por biocombustíveis.
Autosuficiência em Energia