Você está na página 1de 25

GUERRA ESPIRITUAL

O PORQUÊ DA GUERRA
 1) TEMPO DE SAQUE: (I Cr. 20:1-2)
Na guerra espiritual, há despojos preciosos a serem tomados: VIDAS CRIADAS
À IMAGEM DE DEUS. (Mt. 12:29)
 2) É TEMPO DE VINGANÇA
 Muitas guerras são travadas por causa de disputas antigas. Satanás armou uma
emboscada e aprisionou o homem.
 Jamais esqueceremos o que Satanás fez no Éden.
 Não descansaremos até nos vingarmos de Satanás e suas hostes pelo dano que nos
causaram. (Ex. 17: 8,14)
 3) É TEMPO DE CONQUISTAR TERRITÓRIO
 Alargar as fronteiras tem sido uma boa razão para guerras.
 Temos que reconquistar o território invadido (cedido) pelo inimigo. (At. 1:8)
1
GUERRA ESPIRITUAL
 4) TEMPO DE CONQUISTAR GLÓRIA E HONRA A JESUS
 Davi destruiu a Golias para defender a honra e a glória de Deus.
AS CARACTERÍSITCAS DO EXERCÍCITO
 No capítulo 2 de Joel vemos um exército que precederá o grande derramamento do
Espírito. É a convocação do Senhor dos Exército (Joel 2:1)
1. Um povo numeroso (v.2 e v.11)
2. Uma força devastadora (v.3)
3. Uma força veloz (v.4)
4. Uma força de combate (v.5b)
5. Um povo temido (v.10)
6. Uma força corajosa (v.7a)
7. Uma força invasora (v.7a, v.9)
8. Uma força ordenada (v.7b, .8a)
9. Uma força imbatível (v.8b)
10. Uma força imprevisível (v.9)
11. Uma povo poderoso (v.20, v.5, v.11)
2
GUERRA ESPIRITUAL

AS MARCAS DO GUERREIRO
 Davi levantou e treinou um exército regular.
 Davi tinha profissionais de guerra, forças regulares adestradas para o combate.
 Não combatia apenas quando eram atacadas, mas se constituíam uma força
invasora, subjugando reis e reinos.
 Hoje vivemos espiritualmente no tempo de Davi
1. Lealdade ao comandante em chefe
Jesus é o rei. Devemos estar às suas ordens, imbuídos da mais profunda lealdade
2. Espírito de sacrifício (I Cr. 11:17-18)
Há risco no combate. Guerra é uma coisa séria e cheia de perigos.
Não devemos temer os inimigos, mas está clara que guerra não é um divertimento.
Temos razão para aceitar o desafio. Milhões serão arrebatados do inferno e a paz se
fim virá sobre a terra no reinado do Senhor Jesus.

3
GUERRA ESPIRITUAL

AS MARCAS DO GUERREIRO (continuação)


3. Equilíbrio (I Cr. 12:2)
As verdades e atividades devem ter equilíbrio. Há uma tendência de enfatizar-se
demais um aspecto da verdade e negligenciar outro. É daí que vem a fraqueza, o
engano e as heresias.
4. Treinamento (I Cr. 12:2, 8, 33)
Jesus passou três anos treinando seus discípulos.
Só guerreiros bem treinados serão bem sucedidos em combate.
5. Adestramento
O adestramento é conseqüência de um treinamento continuado.
6. Ligeireza (I Cr. 12:8b)
A vitória na batalha depende muitas vezes da velocidade dos soldados.
4
GUERRA ESPIRITUAL

AS MARCAS DO GUERREIRO (continuação)


7. Prontidão (I Cr. 12: 23-24)
Os homens de Davi estavam prontos para a peleja.
É importante estarmos em prontidão o tempo todo.
8. Coragem
Os Gagitas eram homens valentes (I Cr. 12: 8).
Sem coragem e ousadia não se faz guerra.
Um dos propósitos do batismo do Espírito Santo é revestir-nos de coragem.
Em outras palavras Deus nos deu um Espírito de ousadia (At. 4:31)
9. Boa reputação (I Cr. 12: 30)
As virtudes de caráter devem estar presentes em um exército vencedor.
Zelar pelo nosso bom nome é zelar pelo nome de Cristo.
5
GUERRA ESPIRITUAL

AS MARCAS DO GUERREIRO (continuação)


10. Sabedoria (I Cr. 12:32)
A vitória exige uma estratégia sábia.
É preciso conhecer o inimigo, saber a hora certa e modo de ataque.
Os recursos da sabedoria divina e revelação do Espírito estão à nossa disposição
11. Disciplina
A disciplina implica no fato de que cada um sabe a sua posição no exército e se
submete a liderança reconhecida.
Insubordinação e rebeldia num exército levam a julgamento.
12. Qualificação, excelência
Os homens de Davi eram especialistas em guerra.
A necessidade não é apenas de um exército numeroso, mas também qualificado.
6
GUERRA ESPIRITUAL

AS MARCAS DO GUERREIRO (continuação)


13. Singularidade de propósito
Sem unidade é impossível alcançar vitória.
O exército de Davi era composto por soldados que “não eram de coração dobre”
I Cr. 12:33b e I Cr. 12:38b
O exército de Jesus Cristo deve igualmente estar devotado a Ele com uma
singularidade de propósito.
A terra deve ser subjugada a Jesus Cristo.
14. Material bélico
Para que haja guerra, soldados não bastam. Há que equipá-los com material bélico
à altura do desafio.
O Senhor nos deu todas as armas necessárias para o combate. (Ef. 6:10-11,1318)

7
GUERRA ESPIRITUAL

A EXISTÊNCIA DE DEMÔNIOS
 A EXISTÊNCIA DE DEMÔNIOS É AMPLAMENTE CONFIRMADA NA
BÍBLIA.
 Na queda de Satanás, ele arrastou consigo parte das hostes angelicais, dos mais
diversos escalões.
 Grande parte do ministério de Jesus foi devotada a expulsão de demônios.
 Jesus deu aos seus discípulos para fazerem o mesmo (Mt. 10:1)

NOMES DE DEMÔNIOS NA BÍBLIA


No Velho Testamento
 Há cinco palavras no hebraico que são traduzidas no grego para demônio

8
GUERRA ESPIRITUAL
NOMES DE DEMÔNIOS NA BÍBLIA (continuação)
No Velho Testamento
1. Shehim (Dt. 32:17, Sl. 106:37) – Fala de ídolos como senhores.
2. Seirim (Lv. 17:7; 2Cr.11:15)
3. Elilim (Sl. 96:5) – Essa passagem identifica os demônios com ídolos
4. Gad (Is. 65:11) – Essa idolatria era chamada o culto a Baal ou bel.
5. Qeter (Sl. 91:6) – A “mortandade” (qeter) que assola ao meio dia era tida
como um mau espírito.
No Novo Testemunho
1. Daimon (Mt. 8:31) – desta palavra é que se origina o nome em português
“demônio”.
2. Daimônion – aparece 63 vezes
3. Pneumata – 43 vezes os demônios são identificados como “pneuma” –
espírito.
4. Anjos (Mt. 25:41) – Expulsos do céu, com Satanás, têm sua morada no
segundo céu.
9
GUERRA ESPIRITUAL

A ORIGEM DOS DEMÔNIOS


 Todos os anjos foram criados perfeitos, como o foi Lúcifer. (Jó 38:7, Ez.28:15)
 Há duas classes de seguidores de Satanás: os livres e os presos
 Quanto aos presos a dois lugares de confirmação:
 1 – No “Tartarus”- traduzido por “inferno” (2 Pe 2:4) – estão confinados até o dia do
julgamento final .
 2 – No abismo (Lc. 8:31).
A DESCRIÇÃO DOS DEMÔNIOS
A PERSONALIDADE
1. Pronomes pessoais (Lc. 8:27-30)
2. Têm nome (Lc. 8:30)
3. Falam (Lc. 4:33-35)
4. Têm inteligência (Mc. 1:23, 24)
10
GUERRA ESPIRITUAL

A DESCRIÇÃO DOS DEMÔNIOS (continuação)


CARACTERÍSTICAS
1. Seres espirituais
2. Moralmente pervertidos
a) Em suas pessoas
b) Em sua doutrina
c) Em sua conduta
3. Invisíveis, mas capazes de manifestação
11
GUERRA ESPIRITUAL

PODERES DOS DEMÔNIOS


1. INTELIGÊNCIA SOBRENATURAL
 Conhecem a identidade de Cristo – Mc. 1:14, 34
 O poder de Cristo – Mc. 5:6-7
 Sabem o lugar de sua prisão e seu julgamento – Mt. 8:28-29
 Mascaram-se como anjos de luz – 2 Co 11:13-15
 Tem conhecimento de coisas futuras ou ocultas – Atos 16:16
2. FORÇA SOBRENATURAL
 Em controlar os homens (At. 19:14-16)
 Em afligir os homens (Ap. 9:1-19)
 Em operar obras sobrenaturais. (2 Ts. 9, Ap. 13:13,15)
3. PRESENÇA SOBRENAUTRAL
Assim como os anjos se movem no espaço rapidamente também os demônios
(Dn. 9:21-23)
12
GUERRA ESPIRITUAL

O TRABALHO DOS DEMÔNIOS


 As atividades dos demônios visam promover a injustiça e a destruição de tudo
quanto é bom.
Promovem o Programa de Satanás
 Os demônios obedecem a Satanás e servem a seus propósitos.
 Satanás não é onipotente, nem onipresente, nem onisciente
 Os maus espírito não cessam de promover o engano e a maldade satânica.
Filosofia de Satanás em vários escalas:
1. Na vida de indivíduos (Ef. 2:1-2)
2. Nos governos das nações (Dn. 10: 13,20)
3. No sistema mundial (Mt. 12:26; Jo 12:31)
Opõem-se ao programa de Deus
1) Promovendo rebelião (Ts. 2: 3-4)
13
GUERRA ESPIRITUAL

O TRABALHO DOS DEMÔNIOS (continuação)


Opõem-se ao programa de Deus (continuação)
2) Caluniando, acusando – Eles acusam Deus diante dos homens (Gn. 3:1-5);
e os homens diante de Deus (Jo 1:9,11)
3) Promovendo idolatria – (Lv. 17:7; Dt. 32:17)
4) Rejeitando a graça – Eles aborrecem a graça, são incapazes de
arrependimento e salvação e tentam impedir o homem de recebê-la.
5) Promovendo falsas religiões – Nas suas mentiras Satanás e seus demônios
tanto trabalham dentro, quanto fora da verdadeira religião.
6) Oprimem a humanidade
7) Através das forças da natureza – (Jo 1:12,16)
8) Degradando a natureza humana – (Ef. 2:1-3)
14
GUERRA ESPIRITUAL

O TRABALHO DOS DEMÔNIOS (continuação)


Opõem-se ao programa de Deus (continuação)
9) Desviando da verdade – os demônios cegam os homens para a verdade. (2
Co 4:3-4)
10) Desestabilizam o corpo – eles causam muitos tipos de problemas físicos.
11) Perturbando a mente – certas desordens mentais têm origem demoníacas,
outras são de caráter físico.
12) Destruindo a vida – (Ap. 9:14-19)
13) Dominando indivíduos – (At. 16:16-19)
Oposição aos Santos
1) Contra os crentes em geral (Ef. 6:12)
15
GUERRA ESPIRITUAL

O TRABALHO DOS DEMÔNIOS (continuação)


Oposição aos Santos (continuação)
2) Contra indivíduos
a) Atacando a confiança e dedicação
b) Tentando a pecar
c) Infligindo enfermidade
3) Contra a Igreja
a) Criando divisões. O corpo deve estar unido (Ef. 4:3-6)
b) Contra – atacando o ministério do Evangelho
c) Causando perseguições.

16
GUERRA ESPIRITUAL

O TRABALHO DOS DEMÔNIOS (continuação)


 LIMITADO POR DEUS

1. Em disciplinar o crente
 Corrigindo erros (I Tm 1:19-20)
 Criando discernimento (Jó. 40:1-2)
 Cultivando a dependência (2 Co 12:7-10)

2. Em derrotar o ímpio

17
GUERRA ESPIRITUAL

AS FORÇAS DE SATANÁS
 Quando Lúcifer se rebelou contra Deus, levou consigo um grande número de
anjos. Talvez um terço deles (Ap. 12:4), a legião de Satanás é descrita em Ef.
6:10-12.
PRINCIPADOS
 Arche “Magistrados, poderes, principados, começo”.
 Refere-se aos espíritos poderosos do primeiro escalão.
 São eles que formam o conselho governante de Satanás, são chamados de
príncipes (Dn 10:20)
 A Bíblia fala de três céus:
 O primeiro céu é o firmamento na atmosfera da terra ( Gl. 1:6-8)
 O segundo céu, é neste segundo céu que Satanás e seus anjos fazem morada.
 O terceiro céu, ou “paraíso” ( 2 Co. 12:2-4)

18
GUERRA ESPIRITUAL

AS FORÇAS DE SATANÁS (continuação)


POTESTADE
 “Poder delegado”
 Exousi – “autoridades que se permitem ou impedem
 “Tem poderes executivos
 Esse grupo de governantes é a autoridade que delega poder, detona poder que
governa.
GOVERNOS
 Kosmokrator. Os senhores do mundo.
 Fala de sistema de governo
 Eles são responsáveis por aqueles que são dominados pela cegueira
 Ele governa sobre nações através do seu poder de cegar a mente dos homens.
19
GUERRA ESPIRITUAL

AS FORÇAS DE SATANÁS (continuação)


FORÇAS ESPIRITUAIS DO MAL
 Pneumatikós. Vem da raiz da palavra “Pneuma”, que significa “ESPÍRITO”.
 “Forças espirituais do mal nas regiões celestes” pode significar o mal em si, que
opera e inspira esses principados, autoridades e governadores da treva.
 Também fala da frente de batalha, são soldados que executam as atividades
malígnas e demoníacas na vida dos homens.
DEMONIZACAO
O Novo Testamento deixa clara a possibilidade de demônios entrarem nas
pessoas e se manifestarem. (Mt. 12:22-23; 28-29, At.5:16)
1. O Termo Bíblico
A Bíblia não usa o termo “possessão demoníaca”, a palavra usada no grego é
“DAIMONIZOMAI”, “ter um demônio”ou “demonizado”.
Na tradução em português, na Bíblia Amplificada, significa “sob o poder de
demônios”. Ou “ter demonio”.
20
GUERRA ESPIRITUAL

A EXPULSÃO DE DEMÔNIOS
 Jesus confiou à Igreja, com a autoridade do Seu nome e as armas providas por
Deus, a tarefa de libertar os cativos.
 O Ministério de libertação responsabilidade da Igreja.
 Autoridade do nome de Jesus. (1 Jo 3:8)
 O revestimento do poder. A autoridade e o poder são provados em grande medida
pelo Batismo do Espírito Santo (At.1:8)
 O Espírito de Deus é o dedo de Deus. (Lc.11:20)
 O Nome de Jesus – Jesus está na mais alta posição de autoridade, direta do
Pai.
 A Igreja é seu corpo extensão dEle aqui na terra
 Diante do Nome de Jesus, o poder do Espírito Santo e a Palavra de Deus,
que a obra de libertação deve ser realizada.
21
GUERRA ESPIRITUAL

A LIBERTAÇÃO DE DESCRENTES
A libertação dos cativos de opressões demoníacas exige alguns passos;
1 – Receber a Cristo como Senhor
Só com o novo nascimento a pessoa está em condições de enfrentar e vencer
os demônios (Cl 1:13)
2 – Confessar os pecados
3 – Renunciar o diabo e suas obras
4 – Desprezar todos os objetos de ocultismo e suas ligações
5 – Descanse em Cristo e resista ao diabo
6 – Submeter-se a Cristo é Sua Palavra
7 – Receber o batismo no Espírito Santo

22
GUERRA ESPIRITUAL

A AUTO LIBERTAÇÃO
A auto libertação possível a todo cristão nascido de novo. Jesus nos deu a
autoridade de usar o Seu nome.
Os passos a seguir podem ser usados:
1 – Arrependa-se do pecado que abriu a porta para os demônios entrarem.
2 – Confesse todos os pecados, seus e dos seu antepassados que podem ter dado
brecha.
3 – Peça o perdão do Senhor e a purificação pelo sangue de Jesus
4 – Renuncie a sua associação com o pecado, o mal e qualquer coisa impura.
5 – Confesse o Senhorio de Cristo sobre o seu corpo em palavras, em ações e
em pensamentos.
6 – ORDENE OS ESPÍRITOS MALIGNOS QUE DEIXEM SEU CORPO, NO
NOME DE JESUS, EM FÉ.
23
GUERRA ESPIRITUAL

AS ARMAS DO NOSSO COMBATE


A preparação para a guerra envolve mais que um treinamento físico e uma vida
disciplinada.
1. ARMAS DEFENSIVAS
 O sangue de Jesus (Ap. 12:11)
 A Palavra de Deus (Ef. 6:14a, 17b)
 A couraça da justiça (Ef. 6:14)
A justiça nos dá confiança diante de Deus , uma confiança sem ofensa (At. 24:16)
 O escudo da Fé (Ef. 6:16)
 O capacete da salvação (Ef.6:17) – O capacete protege a cabeça.
 A preparação do evangelho da paz (Ef. 6:15)

24
GUERRA ESPIRITUAL

AS ARMAS DO NOSSO COMBATE (continuação)


2. ARMAS OFENSIVAS
 O Nome de Jesus (Mc. 16:17-18) – o nome de Jesus é o poder de Deus outorgado
ao crente com o propósito de edificar e expandir o Reino de Deus.
 A Palavra da Fé (Mc. 11:22) – Ter a fé de Deus é possuir o tipo de fé que Deus tem
 A Palavra de Deus (Mt 4:1-11)
 Louvor e adoração (Sl. 22:3; At. 16:23, 25, 26)

COMO VESTIMOS A ARMADURA DE DEUS


CHAVES PARA A VITÓRIA
PPRINCÍPIOS DE GUERRA
25

Você também pode gostar