Você está na página 1de 21

2

SU
BD
OM
EQUILÍBRIO QUÍMICO E
ÍNI
O
EXTENSÃO DAS REAÇÕES
QUÍMICAS
2.1 Reações incompletas e equilíbrio químico
2.2 Extensão das reações químicas
2.3 Fatores que alteram o equilíbrio químico
2
SU
BD
OM
EQUILÍBRIO QUÍMICO E
ÍNI
O
EXTENSÃO DAS REAÇÕES
QUÍMICAS
2.2 Extensão das reações químicas

SUMÁRIO: • Constante de equilíbrio


• Constante de equilíbrio e extensão da reação
• Quociente da reação
• Resolução de exercícios e problemas para consolidação
dos conteúdos lecionados.
CONSTANTE DE EQUILÍBRIO
Um estado de equilíbrio pode ser estabelecido a partir de qualquer
combinação de reagentes e/ou produtos, desde que todos os reagentes,
ou todos os produtos, estejam presentes no início da reação.
No entanto, a composição do estado de equilíbrio atingido depende das
condições iniciais do sistema.
Exemplo: N2O4(g)  2 NO2(g)

Variação das concentrações dos reagentes e dos produtos da reação para diferentes
concentrações iniciais, a uma temperatura T.
CONSTANTE DE EQUILÍBRIO
Exemplo: N2O4(g)  2 NO2(g)
TABELA I – DIFERENTES ESTADOS DE EQUILÍBRIO DA DECOMPOSIÇÃO DO TETRÓXIDO
DE DINITROGÉNIO, EM FASE GASOSA, A TEMPERATURA CONSTANTE

Pode haver uma infinidade de estados de equilíbrio diferentes,


 NO2 
2

mas a relação  N 2O4  mantém-se constante e tem o valor


aproximado de 0,36, enquanto a temperatura se mantiver
inalterada, independentemente das concentrações iniciais.
LEI DA AÇÃO DAS MASSAS OU LEI DE GULDBERG-WAAGE - Para sistemas
químicos suficientemente diluídos, o valor da constante de equilíbrio não
depende das concentrações iniciais da mistura reacional.
Para uma determinada reação incompleta de equilíbrio, a temperatura
constante, o valor da constante de equilíbrio é sempre o mesmo para
todos os estados de equilíbrio.

Para a reação incompleta de equilíbrio genérica representada pela


equação química seguinte:

a constante de equilíbrio é definida por:


Exercício resolvido
Num recipiente com um litro de capacidade introduziram-se 1,000 mol de
H2 e 1,000 mol de CO2, à temperatura de 800 C, tendo-se formado 0,491
mol de CO e 0,491 mol de H2O, de acordo com a equação química
seguinte:
H2(g) + CO2(g)  CO(g) + H2O(g)
Determine o valor da constante de equilíbrio, à temperatura de 800 C.

Proposta de resolução
• Calcular as concentrações iniciais e de equilíbrio conhecidas:
n 1,000
cH 2  cCO2    1,000 mol dm -3
V 1
n 0, 491
 CO   H 2O     0, 491 mol dm -3
V 1
Proposta de resolução

• Usando uma tabela "iVe", e representando por x a concentração de H2 que foi


consumida, obtém-se:
c / mol dm-3 H2(g) + CO2(g)  CO(g) + H2O(g)
Inicial 1,000 1,000 0 0
Variação x x +x +x
equilíbrio 1,000  x 1,000  x x = 0,491 x = 0,491

[H2] = [CO2] = 1,000  x  [H2] = [CO2] = 1,000  0,491 = 0,509 mol dm-3

• Conhecendo as concentrações no equilíbrio, pode calcular-se Kc:


[CO] [H 2O] 0,491  0, 491
Kc   Kc   0,931
[H 2 ] [CO 2 ] 0,509  0,509
Exercício proposto
O metanol é uma substância utilizada frequentemente como solvente ou como
reagente na síntese de muitas substâncias. O metanol era, em tempos, obtido
por aquecimento controlado da madeira, sem que ocorresse a combustão da
mesma. Os produtos eram recolhidos e o metanol era separado por destilação.
Por isso, o metanol é, por vezes, designado por “álcool da madeira”. Atualmente,
o metanol é produzido por reação, em fase gasosa, de monóxido de carbono
com hidrogénio, de acordo com a seguinte equação química:
CO(g) + 2 H2(g)  CH3OH(g)

A 327 ºC, a constante de equilíbrio da reação é 10,6. Se, a essa temperatura, as


concentrações de equilíbrio de CO e H2 forem, respetivamente, 0,079 mol dm-3 e
0,158 mol dm-3, calcule a concentração de CH3OH no equilíbrio.

Proposta de resolução
[CH 3OH] [CH 3OH]
Kc   10,6   [CH 3OH]  0,021 mol dm 3
 0,158  0,079
2 2
[H 2 ] [CO]
CONSTANTE DE EQUILÍBRIO E EXTENSÃO DA REAÇÃO
EXTENSÃO DE UMA REAÇÃO - Grau de conversão dos reagentes nos
produtos de reação, uma vez atingido o estado de equilíbrio.
Depende da temperatura a que é atingido o estado de equilíbrio e das
concentrações das substâncias inicialmente presentes.
A reação é tanto mais extensa (maior grau de conversão) quanto maior
for o valor da constante de equilíbrio.
• Se Kc >> 1 a reação ocorre • Se Kc << 1 a reação ocorre em
extensamente no sentido direto pequena extensão no sentido
predominando os produtos no direto predominando os reagentes
estado de equilíbrio. no estado de equilíbrio.
Uma particularidade da constante de equilíbrio é que se aplica apenas a
uma equação química em particular, apresentando formas diferentes, por
exemplo, para a reação direta ou inversa de um processo incompleto de
equilíbrio.

• Se Kc, direta << 1  Kc, inversa >> 1


• Se Kc, direta >> 1  Kc, inversa << 1
Outra particularidade da constante de equilíbrio é que, embora seja um
valor que caracteriza o equilíbrio de uma reação química e não dependa
das concentrações das substâncias inicialmente presentes, varia com a
temperatura.
Exemplo: N2O4(g)  2 NO2(g)

TABELA II – VARIAÇÃO DA CONSTANTE DE EQUILÍBRIO COM A TEMPERATURA

O valor da constante de equilíbrio, para uma reação química traduzida por


uma dada equação química, depende da temperatura.
Exercício resolvido
Atendendo aos valores da constante de equilíbrio de cada uma das
seguintes reações incompletas de equilíbrio e considerando que as
concentrações iniciais de todos os reagentes são iguais nas duas reações,
preveja em qual dos sistemas a concentração de hidrogénio, no equilíbrio,
será superior.
H2(g) + I2(g)  2 HI(g) Kc = 54,8
H2(g) + CO2(g)  CO(g) + H2O(g) Kc = 0,93
Proposta de resolução
Atendendo a que a estequiometria da reação é igual, a reação mais extensa no
sentido direto é aquela que apresenta um maior valor de Kc, o que é indicativo
de um maior grau de conversão dos reagentes em produtos da reação. Das
reações incompletas de equilíbrio apresentadas, a mais extensa no sentido
direto é a reação de síntese do iodeto de hidrogénio. Assim, o sistema que
apresentará maior concentração de hidrogénio no equilíbrio será aquele em que
o hidrogénio se consome menos, ou seja, quando o hidrogénio reage com
dióxido de carbono.
Exercício proposto
Considere a reação, em fase gasosa, de monóxido de carbono, CO, e cloro, Cℓ2,
com formação de fosgénio, COCℓ2.
CO(g) + Cℓ2(g)  COCℓ2(g)
À temperatura de 870 K o valor de Kc para esta reação é 0,20, mas a 370 K o
valor de Kc é 4,6  107.
Considerando apenas o valor de Kc, a produção de COCℓ2 é favorecida a baixas
ou a altas temperaturas?
Proposta de resolução

O valor de Kc é maior a 370 K, o que corresponde a uma maior concentração de


produto da reação nessas condições. Deste modo, a diminuição da temperatura
favorece a formação de COCℓ2.
QUOCIENTE DA REAÇÃO
Um modo de determinar se um sistema está ou não em equilíbrio e, caso
não esteja, prever o sentido de evolução da reação até atingir o
equilíbrio, consiste em comparar a constante de equilíbrio, Kc, com o
chamado quociente da reação (Qc).
O quociente da reação é determinado da mesma maneira que a
constante de equilíbrio, mas no seu cálculo usam-se as concentrações
presentes num dado momento.
Para uma reação genérica representada pela equação química:

A expressão de Qc, utilizando as concentrações num certo momento, é


definida por:
O sistema evoluirá sempre de forma que o valor de Qc se aproxime do
valor de Kc.
Se Qc < Kc , o sistema não está em equilíbrio. Para
atingir o equilíbrio, a reação deve evoluir no
sentido direto, convertendo reagentes em
produtos da reação (o denominador na
expressão de Qc diminui e o numerador
aumenta) até Qc igualar o valor de Kc.
Se Qc > Kc , o sistema não está em equilíbrio. Para
atingir o equilíbrio, os produtos da reação
devem formar reagentes, ou seja, a reação deve
progredir no sentido inverso (o denominador na
expressão de Qc aumenta e o numerador
diminui) até Qc igualar o valor de Kc.
Exercício resolvido
Num recipiente fechado com o volume de 1,50 L, à temperatura de
425  C, misturaram-se 0,243 mol de H2, 0,146 mol de I2 e 1,98 mol de HI,
de acordo com a equação química seguinte:
H2(g) + I2(g)  2 HI(g)
Sabendo que a constante de equilíbrio da reação de síntese de HI, à
temperatura de 425 C, é 54,8, verifique que o sistema não está em
equilíbrio e preveja o sentido em que a reação vai evoluir para o atingir.
Proposta de resolução
1. Calcular as concentrações de todos os intervenientes da reação:
n 0, 243
 H2     0,162 mol dm 3
V 1,50
n 0,146
 I2     0,0973 mol dm 3
V 1,50
n 1,98
 HI    1,32 mol dm 3
V 1,50
Exercício resolvido
Num recipiente fechado com o volume de 1,50 L, à temperatura de
425  C, misturaram-se 0,243 mol de H2, 0,146 mol de I2 e 1,98 mol de HI,
de acordo com a equação química seguinte:
H2(g) + I2(g)  2 HI(g)
Sabendo que a constante de equilíbrio da reação de síntese de HI, à
temperatura de 425 C, é 54,8, verifique que o sistema não está em
equilíbrio e preveja o sentido em que a reação vai evoluir para o atingir.
Proposta de resolução
2 . Substituir os valores das concentrações na expressão de Qc:
 HI
2
1,322
Qc   Qc   110
 H2   I2  0,162  0,0973

3º Comparar o valor obtido com o Kc da reação:


Como Qc  Kc comprova-se que o sistema não está em equilíbrio. Como Qc > Kc
(110 > 54,8), a reação evolui no sentido inverso, diminuindo a concentração de
produtos e aumentando a concentração de reagentes, até Qc igualar o valor de Kc.
Exercício proposto
Algum dióxido de enxofre e oxigénio são selados num recipiente para se estudar
a formação de trióxido de enxofre, um gás que intervém na formação da chuva
ácida:
2 SO2(g) + O2(g)  2 SO3(g)
A constante de equilíbrio desta reação, a uma dada temperatura, é 7,8  105. Se,
num dado instante as concentrações medidas são 0,013 mol dm-3 de SO2, 0,015
mol dm-3 de O2 e 0,097 mol dm-3 de SO3 indique, justificando, em que sentido se
irá deslocar o sistema para atingir um estado de equilíbrio.
Proposta de resolução

 SO3   0,097 
2 2

Qc   Qc   3,7  103
 SO2   O2   0,013   0,015 
2 2

Como Qc < Kc, a reação deve progredir no sentido direto aumentando a


concentração de produtos e diminuindo a concentração de reagentes de forma a
aumentar Qc até igualar o valor de Kc.