Você está na página 1de 7

USO DO DO GÊNERO TEXTUAL

BIOGRAPHY COMO POSSIBILIDADE DE


PROMOVER O AUTOCONHECIMENTO

Vitória França Albuquerque


CONTEXTUALIZAÇÃO

• Experiência obtida durante o período de Estágio de


Regência de Língua Inglesa, com o Ensino Médio, em uma
escola pública de Sinop;
• Exercitar a compreensão da Língua Inglesa por meio do
gênero textual biography, possibilitar o reconhecimento de
vocabulário presente nos textos trabalhados, estudar o
simple past, e, além disso, produzir uma biografia, a fim de
verificar o entendimento dos alunos sobre a proposta, e
oportunizar o autoconhecimento.
COMO OCORREU O TRABALHO?

• Duração: durou 15 horas/aulas com turmas de 1º a 3º Ano


do Ensino Médio;
• Atividades desenvolvidas com uma turma de 1º Ano A, com
duração de 4 horas/aulas, pois foi a sala com mais
ocorrência de aulas.
• O trabalho desenvolveu-se em 4 módulos para melhor
atingir os objetivos propostos.
Avaliação Biografia da
diagnóstica; Rihana;
biografia de skimming e
Álvaro Morte; scanning e
skimming e exercícios de
scanning e interpretação
exercícios de
interpretação
Simple
Produção do Past/exercícios
gênero textual de fixação e
correção
ALGUMAS CONSIDERAÇÕES...

Compreensão da
proposta e Uma atividade
interiorização das profícua
principais
características do
gênero
Adolescente com
Daily Routine vida de adulto
REFERÊNCIAS

• ANDRADE, Arnon Mascarenhas de Andrade. O Estágio Supervisionado e a Práxis Docente. In: SILVA, Maria Lucia Santos Ferreira da. (Org.). Estágio Curricular:
Contribuições para o Redimensionamento de sua Prática. Natal: EdUFRN, 2005. Disponível em: < www.educ.ufrn.br/arnon/estagio.pdf >Acesso em: 20 de
novembro de 2018.

•  CÂNDIDO DE LIMA, Diógenes. Quando o ideal supera as adversidades: um exemplo a (não) ser seguido. In: CÂNDIDO DE LIMA, Diógenes (Orgs.). Inglês em
escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

•  JANUARIO, Gilberto. O Estágio Supervisionado e suas contribuições para a prática pedagógica do professor. In: Seminário de História e Investigações
de/em aulas de Matemática, 2, 2008, Campinas. Anais: II SHIAM. Campinas: GdS/FE-Unicamp, 2008. v. único. p. 1-8. Disponível em: <
http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEMATICA/Artigo_Gilberto_06.pdf > Acesso em: 20 de novembro de 2018.

•  MARCUSCHI, L. A. Gêneros Textuais no Ensino de Língua. In: MARCUSCHI, L. A (Org.). Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo:
Parábola Editorial, 2008, p. 146-225.

•  MONTEIRO, J, S.; SILVA, D. P. da. A influência da estrutura escolar no processo de ensino aprendizagem: uma análise baseada nas experiências do estágio
supervisionado em Geografia. Geografia Ensino & Pesquisa, v. 19, n.3, set./dez. 2015. Disponível em: <
https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/viewFile/14315/pdf > Acesso em: 28 de maio de 2018.

•  SIQUEIRA, Sávio. O ensino de inglês na escola pública: do professor postiço ao professor mudo, chegando ao professor crítico-reflexivo. In: CÂNDIDO DE LIMA,
Diógenes (Orgs.). Inglês em escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

•  SCHMITZ, John Robert. Diálogo com um professor de língua inglesa sobre a carreira docente e a escola pública. In: CÂNDIDO DE LIMA, Diógenes (Orgs.). Inglês
em escolas públicas não funciona? Uma questão, múltiplos olhares. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.
THANKS!!!