Você está na página 1de 27

Classes de palavras:

o adjetivo

Porto Editora
O adjetivo pertence a uma classe
aberta de palavras e, geralmente,
acompanha o nome.

Porto Editora
Quais são as subclasses do adjetivo?

qualificativo

numeral

Porto Editora
O adjetivo qualificativo

O adjetivo qualificativo atribui uma qualidade a um nome,


ocorrendo, normalmente, depois deste, embora também possa
antecedê-lo.
Ex.: homem inteligente / bela casa

Porto Editora
O adjetivo numeral

O adjetivo numeral indica ordem ou sucessão. Precede,


geralmente, o nome, podendo ser antecedido por
determinantes.

Ex.: primeiro aluno / o terceiro prémio

Porto Editora
1. Flexão em género

Como se designam os adjetivos que


têm uma forma para o feminino e
outra para o masculino?

São adjetivos biformes.

Porto Editora
1. Flexão em género
1.1. Adjetivos biformes

Os adjetivos terminados em -o
formam o feminino substituindo-se a
terminação do masculino -o pela do
feminino -a.

Ex.: lindo/linda

Porto Editora
1. Flexão em género
1.1. Adjetivos biformes

Os adjetivos terminados em -u,


-ês, -or formam o feminino
acrescentando-se -a.

Ex.: cru/crua
inglês/inglesa
sofredor/sofredora

Porto Editora
1. Flexão em género
1.1. Adjetivos biformes

Os adjetivos terminados em -eu e


-ão formam o feminino em -eia, -oa e
em -ã, -ona, respetivamente.

Ex.:
plebeu/plebeia ilhéu/ilhoa
mandrião/mandriona vilão/vilã

Porto Editora
1. Flexão em género

Como se designam os

São adjetivos uniformes. adjetivos que têm


apenas uma forma para
Ex.: Ele é um homem inteligente. o feminino e para o
Ela é uma mulher inteligente.
masculino?

Porto Editora
1. Flexão em género
1.2. Adjetivos uniformes

Os adjetivos que apresentam uma


só forma para o feminino e
masculino, geralmente, terminam
em -a, -e, -ar, -or, -l, -m, -s, -z.

Ex.: hipócrita doce exemplar


superior leal comum
simples atroz

Porto Editora
1. Flexão em género
1.3. Adjetivos compostos

Nos adjetivos compostos, geralmente, a


formação do feminino faz-se flexionando o
segundo elemento (podendo, excecional-
mente, flexionar-se todos os elementos).
Ex.:
afro-americano/afro-americana
autor-compositor/autora-compositora

Porto Editora
2. Flexão em número
Para o género, há adjetivos
uniformes e biformes. E para
o número?

Para o número também há


adjetivos uniformes e
biformes.

Porto Editora
2. Flexão em número

2.1. Adjetivos biformes


Formam o plural seguindo as mesmas regras de flexão dos nomes .

2.2. Adjetivos uniformes

Apresentam apenas uma forma para o singular e para o plural.

Ex.: simples

Porto Editora
2. Flexão em número

2.3. Adjetivos compostos


Geralmente, formam o plural flexionando apenas o segundo
elemento (podendo, excecionalmente, flexionar-se todos os
elementos).

Ex.: afro-americano/afro-americanos
autor-compositor/autores-compositores

Os adjetivos compostos por um adjetivo e um nome,


geralmente, não apresentam variação no plural.

Ex.: saia verde-alface/saias verde-alface


Porto Editora
3. Flexão em grau

Os adjetivos podem sofrer alteração de grau, o que


lhes permite caracterizar o nome que acompanham
com maior ou menor intensidade.

Ex.: Os meus pais compraram um


televisor enorme.

Porto Editora
3. Flexão em grau

Os graus dos adjetivos servem para


comparar, intensificar a ideia ou destacar
algo, por exemplo…

É um televisor mais plano (do) que os restantes.


É o melhor do mercado.
É o maior televisor que já se viu.

Porto Editora
3. Flexão em grau

grau normal

grau comparativo

grau superlativo

Porto Editora
Grau normal

No grau normal, o adjetivo


expressa simplesmente a
qualidade de um nome, não o
relacionando com outro(s).

Ex.: A televisão é fina.

Porto Editora
Grau comparativo

O grau comparativo estabelece o confronto de


qualidades de um nome com as de outro(s) e pode ser:

• de igualdade:
Ex.: Esta televisão é tão fina como/quanto a de minha casa.

• de inferioridade:
Ex.: Esta televisão é menos fina (do) que a de minha casa.

• de superioridade:
Ex.: Esta televisão é mais fina (do) que a de minha casa.
Porto Editora
Grau superlativo

O grau superlativo apresenta


as qualidades do nome num grau
elevado.
O grau superlativo pode ser:

• relativo
• absoluto

Porto Editora
Grau superlativo relativo
• de inferioridade:
Ex.: Esta televisão é a menos fina de todas.

• de superioridade:
Ex.: Esta televisão é a mais fina de todas.

Grau superlativo absoluto


• sintético:
Ex.: Esta televisão é finíssima.

• analítico:
Ex.: Esta televisão é muito fina.
Porto Editora
Porto Editora
Porto Editora
Nota:
Há adjetivos que admitem duas formas de
superlativo, uma irregular, outra regular. É o
caso de, entre outros:

bom
(ótimo/boníssimo)
doce
mau (dulcíssimo/docíssimo)
(péssimo/malíssimo)

grande frio
(máximo/grandíssimo) (frigidíssimo/friíssimo)

pequeno humilde
(mínimo/pequeníssimo) (humílimo/humildíssimo)
Porto Editora
Em síntese:

Adjetivo
qualificativo
Subclasses
numeral
uniforme
Flexão em género
biforme
uniforme
Flexão em número
biforme

Porto Editora
Em síntese:

Flexão em grau
Grau normal
de inferioridade
Grau de igualdade
comparativo
de superioridade
de superioridade
Grau relativo de inferioridade
superlativo
sintético
absoluto
analítico

Porto Editora