Você está na página 1de 8

Aborto

Sérgio Sousa(nº27), Rafael Rito(nº21) e Pedro Vieira(nº19)


Índice
1. Apresentação inicial;
2. Introdução;
3. O que é o aborto?;
4. Argumentos contra;
5. Argumentos a favor;
6. Posição intermédia;
7. Outras perspetivas;
8. Conclusão.
Apresentação Inicial
O problema que definimos abordar é o aborto, por se tratar de um tema bastante
polémico na nossa sociedade.
Introdução
A discussão sobre o aborto levanta vários problemas, a nível filosófico, moral,
social, religioso e político. Iremos primeiro enquadrar filosoficamente este problema
e depois discutir diferentes argumentos, avaliando posições antagónicas.
O que é o aborto?
O aborto é a interrupção da gravidez, desde que a gestação ainda não tenha
chegado às 20 semanas. O aborto pode ser espontâneo, quando o feto se perde
por causas naturais ou induzido (interrupção voluntária da gravidez) quando é
provocado com o objetivo de eliminar o feto.
Argumentos contra
-Pode-se causar um risco maior à vida da gestante. O aborto, por ser um procedimento contra a natureza,
poderá acarretar danos irreversíveis para a mulher;

-A vida da gestante não tem maior valor do que vida do feto. Na verdade, não há colisão entre direitos, pois
tratam-se de pessoas distintas;

-Há outros meios para se salvar a vida da gestante. Os avanços da medicina podem possibilitar a garantia
de uma gestação próxima da normalidade e salvar a vida de ambos.
Argumentos a favor
-O feto é parte do organismo materno e a mulher tem livre disposição de seu corpo;

-Há no ventre materno apenas protoplasma, que é uma substância indefinida contendo os processos vitais
incluídos no interior das células. Não pode haver homicídio onde não há vida humana, figurando-se aí um
crime impossível;

-Falha do método contracetivo utilizado.