Você está na página 1de 20

SURDEZ E

LINGUAGEM
SURDEZ
“A surdez consiste na perda
maior ou menor da percepção
normal dos sons. Verifica-se a
existência de vários tipos de
pessoas com surdez, de acordo
com os diferentes graus de
perda da audição.” 

(MEC, 2006)
REGULAMENTA A LEI
Nº 10.436/2002
Dispõe sobre a Libras

Educação bilíngue

L1: Libras

L2: Língua Portuguesa

O Decreto Federal Nº 5.626/2005


POLÍTICAS PÚBLICAS
• Lei Federal nº 12.303/2010 :
triagem auditiva neonatal

• Decreto nº 7.612/2011 – Plano


viver sem limite

• Decreto nº 186/2008 –
Importância do uso e manuseio
do implante coclear e Sistema de
Frequência modulada.
AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM:
DIFERENÇA ENTRE
CRIANÇAS OUVINTES E
CRIANÇAS SURDAS

28/09/2016 – Gonçalves, Vanessa Batista


GESSER (2009):
• Línguas de sinais são sistemas abstratos de regras gramaticais

• Naturais às comunidades surdas dos países que as utilizam

• Assim como as línguas faladas

GODOI (2013):
• Língua de sinais propicia-se o desenvolvimento linguístico e cognitivo da criança surda,

• Facilitação do processo de aprendizagem

• Apoio para a leitura e compreensão do mundo.


SÁ (1999):

• Língua materna se aprende no contato diário

• Contato é fundamental

• Desenvolvimento linguístico adequado

• Já os estudos apontam para o fato de que a criança surda que


adquiriu precocemente a língua de sinais tem mais facilidade no
aprendizado sistematizado de uma língua oral.
EDUCAÇÃO BILÍNGUE- LÍNGUA LÍNGUA DE SINAIS: HISTÓRIA
BRASILEIRA DE SINAIS E LÍNGUA DA LÍNGUA DE SINAIS.
PORTUGUESA ( 2013)
“A LIBRAS é uma língua natural usada pela comunidade
surda, surgiu espontaneamente da interação de pessoas.”
• 2002- LIBRAS meio de
comunicação objetiva e de uso da
comunidade surda do Brasil.
• 2005- LIBRAS nos cursos de
formação de professores para
exercício do magistério, em nível
médio e superior.
• SingWriting - permite o registo de
qualquer língua de sinais do mundo
sem que passe antes por uma língua
falada.
• Iniciou no Brasil em 1996 na PUC
do RS, através de um professor
que descobriu o sistema usado
através do computador.
• No Brasil, a história de educação
dos surdos iniciou com a chegada
de Edward Huet, professor francês
e surdo. Foi convidado por Dom
Pedro II. Logo partiu devido a
problemas pessoais.
AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM
“A língua não é ensinada, e sim adquirida naturalmente, em qualquer
língua.”
• (ZORZI, 2002) - a linguagem • (KARNOPP, 2004) - uma criança
marca mudanças na vida da surda que nasce em um ambiente
criança, no que se refere ao em que os pais usam a lingua de
simbolismo. sinais, a criança vai adquirir a
lingua igualmente como a criança
não surda adquire a lingua
oral.Fazem os sinais na mesma
época que a criança começa a falar
e passa pelos mesmos estágios do
desenvolvimento linguístico.
“Expor a pessoa surda à língua de sinais o mais cedo possível é
crucial ao seu desenvolvimento.”
BILINGUISMO E SURDEZ
• DEFINIÇÃO DE BILINGUISMO

• EVOLUÇÃO HISTÓRICA

• EM OUTROS PAÍSES

• ATUALMENTE NO BRASIL
DISTÚRBIOS DE LINGUAGEM
ASSOCIADOS A SURDEZ

28/09/2016 – Gonçalves, Vanessa Batista


 A integridade auditiva é um dos pré requisitos para a aquisição e
desenvolvimento normal da linguagem.
 Quanto maior for o grau da perda auditiva e mais precoce seu início,
maiores serão os danos sobre o processo de aquisição e
desenvolvimento.
Um estudo foi realizado para comprovar
estatisticamente a associação entre a perda auditiva e a
alteração de linguagem:

 MÉTODO:
Onde
Quando
Quantos
Critério de inclusão e exclusão
Dados coletados
RESULTADO

• Pouca interferência da variável sexo


• Maior ocorrência em pacientes com idade
pré escolar e escolar (3-12 anos)
• A prevalência de queixas de linguagem é
referente à linguagem oral
• O tipo de perda mais encontrada foi o
neurossensorial, de grau profundo e bilateral,
com origem etiológica orgânica
OBRIGADA!