Você está na página 1de 63

Rectificadores não

controlados
Introdução
• Na maioria de aplicações da eletrônica de potência, a entrada de
potência que está em forma de tensão alterna de 50 ou 60 Hz
proporcionada pelo sistema de distribuição, deve ser transformada
em tensão contínua não regulada. Para tal efeito se utilizam os
retificadores.
• Os retificadores ou conversores de corrente se caracterizam por
transformar a corrente alterna em contínua.
• Desta maneira permitem a conversão direta de um circuito
alimentado com tensão alterna, poder alimentar à carga com
corrente contínua.
• Os retificadores não controlados estão formados exclusivamente por
diodos, não necessitando circuitos de mando, por isso os diodos
comutam de maneira natural forçados pela fonte de alimentação.
CARACTERÍSTICAS
• É um tipo de conversor da CA a CD
• São circuitos eletrônicos de potência formados
exclusivamente por diodos retificadores e portanto
sem control
• Dependendo do fornecimento de entrada os
retificadores se classificam em:
• Monofásico e Trifásicos
Rectificador monofásico no
controlado
Rectificador monofásico não
controlado com carga resistiva

A montagem mais simples e


utilizável para pequenas potências

O funcionamento de dito retificador virá condicionado


pelo tipo de carga a que este conectado.
Que ocorre no intervalo
0<wt<π da onda

Como é a tensão VAK VAK >0


Se o diodo for ideal que
tensão aparece na carga

Que ocorre no intervalo


π<wt<2π da onda

Transforma potência CA em CD.


A tensão de saida é pulsante CD e
contêm uma grande ondulação,
Contem harmónicos

TEM UM VALOR PRÁTICO PARA APLICAÇÕES EM ALTA POTÊNCIA


Semiciclo positivo da fonte CA

Semiciclo negativo da fonte CA


Para calcular o valor meio da tensão que recebe a carga, aplica-se a expressão general
utilizada para funções periódicas.

Em quantas partes se divide o período da onda sinusoidal


O período do sinal se divide em duas partes;
1. Reflete a tensão sinusoidal da fonte alimentadora e
2. Outra possui um nível de tensão nula, pois o diodo não
permite o passo de corrente pelo circuito.
A forma de onda da corrente tem a mesma forma de
onda de la tensão
I V
I  I 
m m
Onde
DC
 m
R
O valor efetivo (RMS)
V Característico da I
I  m
V  m
RMS
2
RMS
2 forma de onda do
circuito média-onda

A forma de onda de tensão do diodo mostra que ele deve ser capaz de
agûantar uma tensão inversa que seja igual ao pido da fonte, usada para
seleccionar o diodo apropriado para um circuito dado

2
V V V
P CA  V RMS I RMS  m m
 m

2 2R 2 2R

Potência média (CC) de saída PDC = VDC IDC


A eficiência (ou razão de retificação, que é um retificador, que é uma
figura de mérito e permite compara e eficácia, é definida

PDC

PAC
O fator de forma é uma medida da qualidade da tensão de saída.
Idealmente a tensão de saída DC de un retificador deve ser constante.
Na práctica, eles fornecem saída que são ondas senoidais incompletas.
V 
1,57
FF  RMS
  VALOR
V DC
2
IDEAL?
O valor ideal de FF é igual à unidade.
É igual a 1 se a tensão de saída fora un valor constante para o qual VRMS = VDC
Fator de ondulação: (ripple factor) que é uma medida do conteúdo
da ondulação. Indica a proporção de componente alterna que tem a
onda em relação com a componente de contínua

V
RF  RMS

V DC

O valor deve ter idealmente?


Idealmente o fator de ondulação deve ser igual a zero
Fator de utilização de secundário (FUS)
É definida como a razão entre à potência contínua fornecida pelo retificador à carga
por fase e a potência aparente no secundário do transformador
Para carga resistiva:
2
 Vm  1
 
P    R 
2 2


FU  DC
     0,278
P  Vm  V  
S 2
aparente . sec 
 
  m

 2  2R
Fator de utilização do transformador
P
TUF  DC

V RMS  sec I RMS  sec


Número de Pulsos
É a relação entre a frequência fundalmental de ondulação de tensão DC e
a frequência da tensão de alimentação AC

frequência fundalmental de ondulação


número de pulso 
frequência da fonte AC
 for o ângulo entre os componentes fundamentais da corrente e tensão de
entrada,  será chamado ângulo de deslocamenteo (displacemente angle) o
fator de deslocamento DF = cos 
O fator harmônico da corrente de entrada é definido como:
1
 
2
 2
IS1 componente fundamental
HF    I S   1  da corrente de entrada IS.
 I S 1 
  Ambas são valores RMS

É uma medida da distorção de uma forma de onda, tambén conhecido


como distorção harmônica total (total harmonic distortion THD)
O fator de potência de entrada é definido como:

V I cos   I cos 
PF  S S1 S1

V I S S I S
Retificador média Onda Carga
Indutiva As formas de onda dos sinais trocam de forma
significativa.
Que a passa à corrente no primeiro meio ciclo

Ip=2*Vp/L
O que ocorre com a energia entregue pela fonte
ao indutor
Durante dito semi ciclo a energia foi entregue da
fonte da CA ao indutor, e 0.5*IP² W-s se
armazenaram em seu campo magnético
Pode interromper a corrente circulante quando
a fonte de tensão reverte sua polaridade
Não
A tensão da fonte troca de polaridade e a energia
acumulada pelo indutor é devolvida à rede de
alimentação.
E o indutor for ideal (R/L=0), o diodo conduzirá
SEGUE permanentemente e ao final de cada ciclo a
CONDUZINDO energia total entregue será zero.
Qual é o estado do diodo em todo o ciclo da onda de tensão

O diodo permanece em estado de condução em todo momento e a tensão da carga é


idêntico ao da fonte de alimentação com uma valor nulo de DC, em troca o valor meio da
corrente está dado pelo Vp/L.
TENSÃO
CARGA
DIODO
CONDUZ
Retificador média Onda Carga RL
As formas de onda dos sinais trocam de forma
significativa.
Como é a corrente ao final do primeiro
semiciclo com respeito ao caso do circuito L
MENOR
A que se deve
A la caída de voltaje y a la pérdida de potencia
en R.
Durante o segundo semiciclo a resistência
continuará dissipando energia enquanto flua
corrente pelo circuito. Dado que a energia
retornada à fonte é distinta à consumida, a
corrente sempre chegará zero antes de concluir
o segundo semiciclo.
COMUTA OU NÃO O DIODO A ESTADO DE

Ângulo de extinção da
BLOQUEIO
corrente
QUAL É A DIFERENÇA
VAK
Não o faz imediatamente quando a
fonte troca de polaridade a não ser
quando a corrente se reduz a zero e
 2 3 t deixa de forçar a condução do diodo.
A tensão na carga depende da relação R/L,
enquanto menor seja sorte relação o sinal de
tensão terá uma componente de DC reduzida.
Quando a tensão instantânea é positiva ao
igual à corrente, a fonte de alimentação entrega
energia à carga e atua como retificador.
Quando a tensão tem polaridade negativa e a
corrente tem polaridade positiva o fluxo de
potência vai da carga para a fonte de
alimentação e o circuito atua como um
inversor.
A corrente nunca terá polaridade negativa já
que o diodo não permite uma circulação de
elétrones em sentido inverso.
ANÁLISE MATEMÁTICA DO CIRCUITO
EQUAÇÃO VÁLIDA QUANDO 0  t  

SOLUÇÃO

Como a corrente é zero ao começo, a condição inicial i (0) = 0, pode-se


determinar o valor da constante A.

EQUAÇÃO VÁLIDA QUANDO 0  t  


Com carga indutiva e diodo de retorno (FWD)
Uma característica interessante mas de uma vez desafortunada, é
a dependência da voltagem de saída com a carga do retificador de
média onda RL, o qual indica que este retificador possui regulação
de carga.
Para evitar este fenômeno se utilizará um diodo adicional na
montagem anterior, em paralelo com a carga, diodo denominado
de livre circulação permitindo que a corrente na carga seja
continua, y impede que a tensão na carga seja negativa
De uso práctico em aplicaçõs de baixa O diodo D2 fica como retorno para a corrente circulante no
potência. É considerado um rectificador de
circuito e assim permitir que o diodo comute quando a
média-onda, embora a corrente na carga
possa fluir durante o ciclo inteiro fonte da CA troca de polaridade, assim se melhora a
tensão DC na carga eliminando a parte da média onda
negativa que faz crescer a tensão medeia obtida.
Durante el semiciclo negativo da tensão el diodo D 2 conduz e propicia um caminho alternativo para a corrente a carga.
Ajuda a impedir que a corrente a carga chegue a zero e desse modo reduz la ondulação
Nesse intervalo de condução o diodo D 1 fica inversamente polarizado e pára de conduzir, tornando nesse medio
período, igual a zero o valor da corrente da fonte.

O valor de corte de corrente “” depende dos parâmetros da carga, enquanto major
seja a indutância na carga mais se atrasará o ângulo de corte de corrente, reduzindo
assim na tensão média que entregamos à carga. No circuito com diodo FWD tensão
média subministrada será fixa e independente da relação R/L.
FUNCIONAMENTO DO CIRCUITO

O sentido da corrente
não se vê afetado, a
polaridade da tensão na
carga tampouco troca
D1 conduz y D2 polarizado D1 não conduz y D2
inversamente, não se conduz, isolando a fonte
afeta o funcionamento do de alimentação
circuito A corrente e potência
A tensão de saída o sinal consumida na carga se
pode expressar-se em pode calcular por
términos de série do Fourier superposição
Retificador média Onda e Outras Cargas

Se tende a elevar a tensão de saída devido a C,


diminuindo o ondulação ou seja a diferença entre
tensão máxima e mínima da forma de onda de
tensão na carga.

A corrente circulante no diodo aparece com pulsos


mais estreitos devido a que a voltagem mantida pelo
condensador polariza inversamente ao diodo antes
de que a fonte de alimentação troque de polaridade.
Carga é uma bateria ou um motor DC

Ter-se uma fonte com nível


de tensão constante e a fonte
de alimentação CA deverá
elevar sua tensão por cima
da tensão na carga para que
o diodo entre em condução.
Isto também reduz a duração
dos pulsos de corrente já que
pelo diodo só circulará
corrente quando a tensão
aplicada o polarize em forma
direta.
Retificador Bifásico de média Onda

A partir da rede monofásica se pode


obter um sistema bifásico, quer dizer,
duas tensões iguais e defasadas π,
graças a um transformador com toma
intermédia

2V
V  m
DC

 V sen t 0  t  
 m
V
 V 
RMS
m

V t  2

o 

 f  1,11
V sen t   t  2
F


r  48,3%
m
•Vantagem
A frequência de saída é do dobro da
frequência de entrada, necessitando menos
filtro a sua saída.

•Desvantagens
Na utilização de um transformador com toma
intermédia, além da elevada tensão inversa que
devem suportar os diodos retificadores (2 Vsec).
Retificador Trifásico de média Onda
É a montagem mais singela
para os retificadores
alimentados da rede trifásica
Está formado por um comutador com catodos
comuns ou do tipo "mais positivo", de forma
que à saída se obtém a tensão maior em cada
instante.
Se a rede trifásica é considerada como três
tensões senoidal de valor eficaz e frequência
iguais mas defasadas 120° (2 π /3), então cada
diodo conduzir um terço do T.
A partir da análise do circuito pode-
se obter os intervalos de condução
de cada um dos diodos, pois por
exemplo para o diodo D1, sua
duração dependerá do instante em
que V1=V2 e V1=V3:

Estando conduzindo D1 começa a conduzir


D2 quando VR = VS
Operando analogamente se obtêm os seguintes intervalos de
funcionamento

A tensão retificada estará formada por q (q=número de tensões a retificar) pico de senoide,
de amplitude a tensão eficaz das tensões A retificar, por período T. O período da tensão
retificada será T/q.
Deve-se calcular a tensão inversa máximo que deve suportar cada diodo.
Caso D1 em condução, a voltagem inversa em D2 será:
Seu valor máximo se obtém derivando a expressão e igualando a zero
CARACTERÍSTICAS DO RETIFICADOR

DC

Valor eficaz

RMS =

FATOR DE FORMA E DE ONDULAÇÃO

RMS
FF FF2 -1

DC
O fator de ondulação que se obtém é sempre menor que o dos
retificadores monofásicos.
Se a pesar disso se deseja obter menor ondulação, será mais
fácil pois a frequência da tensão retificada é 3 vezes a da rede.
Mais utilizados do que os
média-onda por causa das
tensões e correntes médias
mais altas, da eficicência maior
e do fator de ondulação
reduzido
DESLIGADO
CONDUZ

CONDUZ
INVERSAMENTE
POLARIZADO
A FORMA DE ONDA DA TENSÃO EN LA
CARGA CONSISTEN EM SEMICICLOS
SUCESSIVOS DE UMA ONDA SENOIDAL,
PORTANTO UM VALOR MÉDIO MAIOR E
EM UMA FREQUÊNCIA DE ONDULAÇÃO
MAIS ALTA
OS VALORES MÉDIOS E RMS SÃO
SIMILARES DO CASO DE média ONDA
Retificador Onda completa usando
Transformador
COM IGUAL
do TAP central
Vs +Vo
NÚMERO DE
ESPIRAS
Tensão nos terminais do
diodo quando está em
bloqueio

Quando o circuito tem carga resistiva, o sinal de corrente de entrada tem forma
sinusoidal e além disso está em fase com a voltagem da fonte de alimentação,
devido a isto o fator de potência é unitário para carga R
Circuito e formas de onda de corrente no lado
da carga, entrada e corrente circulante nos
diodos.
A CORRENTE DE SAÍDA RMS É DADA POR
A POTÊNCIA MÉDIA DC ENTREGUE À CARGA

2
4V
P  m

 R
DC 2

Valor nominal da PIV para os diodos  2Vm

A CORRENTE MÉDIA DO DIODO


A POTÊNCIA DE ENTRADA CA
I
I  m
DC

2
V
P  m
A CORRENTE RMS DO DIODO AC
2R
I
I  m
RMS
2
INDUTOR SE OPORÁ AO PROCESO DE
DISMINUÇÃO DA CORRENTE COMO
COM CARGA RL INDUTOR SE OPORÁ AO SE ISSO FOSSE UMA AJUDA À FONTE
FLUXO DE CORRENTE E
AO COLOCAR UMA INDUTÂNCIA EM ARMAZENARÁ
SÉRIE COM A RESISTÊNCIA DE ENERGÍA EM SEU
CAMPO MAGNÉTICO
CARGA, VARIA-SE A TENSÃO E A
FORMA DE ONDA DA CORRENTE
A CORRENTE NA CARGA CONTINUA
A FLUIR POR UM PERÍODO APÓS O
DIODO FICAR INVERSAMENTE
POLARIZADO, O QUE CAUSA UMA
DIMINUIÇÃO NA AMPLITUDE DA
TENSÃO MÉDIA DE SAÍDA
SE LA INDUTÂNCIA DA CARGA FOR GRANDE O SUFICIENTE, A
CORRENTE SERÁ PRATICAMENTE CONSTANTE.
A TENSÃO MÉDIA NA CARGA

2V 0,636 V
V  m

DC
 m

A CORRENTE MÉDIA CORRENTE NA CARGA

2V 0,636 V
I  
m m
DC
 R R A CORRENTE RMS NA CARGA

I
I  DC
RMS
2
RECTIFICADOR DE ONDA COMPLETA EM PONTE
SEMICICLO NEGATIVO
SEMICICLO POSITIVO
Potência ativa consumida pela carga

Potência aparente entregue pela fonte

VALOR
MÉDIO

Fator de potência total do sistema

Fator de forma y de ondulação


V Eficiência
FF  RMS
 1,11
V DC

  P DC
 81,%
F f P
2
RF  1  0,48 AC
Com carga indutiva
A colocação de uma inductância em série com a resistência faz com que a forma de onda
de tensão e de corrente varie
Si L  R faze que a corrente na carga não é mais composta de uma
média onda senoidal, mas a corrente média é a mesma dada por las
equação
2I 2V
I    R
m m
DC

Aproxima-se de uma onda


quadrada
Dado que para uma carga de tipo indutiva a forma de onda de corrente contém harmônicos,
não se pode realizar a análise da mesma forma que na carga tipo R.
Trabalhando com o teorema de superposição e a série do Fourier do sinal de tensão que
chega à carga
Dito sinal de tensão, corresponde a um sinal de onda completa retificada pela ponte de diodos
e se expressará seu valor instantâneo pela seguinte sumatoria do Fourier:

Onde Vo é a componente DC dada pela

A magnitude de cada sinal de tensão harmónica é dada por:


A expressão final para a tensão de saída

A corrente de carga deve ser expressa como:

Da expressão obtida para a corrente, vê-se claramente que se a indut ância tiver um valor
elevado, as componentes gaitas desaparecem e o sinal de corrente só possui um valor
contínuo dado por:

A PARTIR DE AGORA PARA CARGAS ALTAMENTE INDUTIVAS,


CONSIDERARÁ-SE UMA CORRENTE SEM ENCARACOLADO,
SE SIMPLIFICAM OS CÁLCULOS PARA OBTER VALORES
EFETIVOS E PARA CÁLCULOS DE FATOR DE POTÊNCIA.
RETIFICADOR TRIFÁSICO TIPO
PONTE
A retificador ponte Graetz é um retificador trifásico de seis pulsos, seu funcionamento é
análogo à ponte retificadora monofásica, utilizam-se ambas polaridades do sinal alterno a
retificar, embora agora se trate de uma rede trifásica. A vantagem desta configuração consiste
em uma tensão de saída com um valor médio elevado, baixo encaracolado e corrente alterna
na entrada do retificador.

Com esta configuração, a tensão que se reflete na carga será o


da fonte de tensão que possui maior magnitude, seja positiva
ou negativa, a fonte de maior magnitude polarizará seus
diodos correspondentes para formar uma trajetória fechada.
CARGA FONTE DE CORRENTe

O valor meio do sinal de


tensão tem um valor
maior e a corrente pela
carga indutiva terá um
ondulação pequeno pois
o valor de L é grande
Análise da comutação nos diodos.
D1 conduz Conduz
VOLTAGEM DE
polarizado pela
LINHAS ENTRE A
fonte Va
FONTE Va E Vc Maior

Vb é “mais
negativo” que Vc
Vc é “mais
Retorno corrente Retorno corrente
negativo” que Vb
pelo D6 pelo D6
ESTADO DE CADA DIODO PARA OS DISTINTOS ÂNGULOS DO
SINAL DE CORRENTE ALTERNA
OBSERVAÇÃO IMPORTANTE
NESTE RETIFICADOR
Que não devem entrar em modo de
condução os dois diodos de uma mesma
perna da ponte, já que se apresentaria
um curto-circuito, anulando a tensão na
carga.
Se além desta condição existe outro
diodo que entre em condução, o curto-
circuito afetará à rede de alimentação.
A tensão na carga corresponde à voltagem entre linhas da entrada entre 60º e 120º
com um período de T/6, sendo T o período do sinal alterno de entrada. Segundo a
análise do Fourier, a voltagem de saída e considerando que em uma função par se
anulam os componentes seio se pode expressar da seguinte forma:
Cálculo do Vdc para retificador de seis pulsos
O sinal de saída tem um período de /3, tomando a função senoidal que parte da
origem, os limites de integração serão  /3 e 2  /3

Expressando a voltagem média em términos de voltagem efetiva de fase - neutro


Análise para Carga fonte de corrente
As expressões de valor médio e valor RMS, já foram determinadas e para uma carga indutiva são válidos
os mesmos resultados.
Agora centraremos a análise no conteúdo harmônico da corrente para a rede de alimentação. A sequência
de comutação nos diodos dada em tabela dar-nos em forma gráfica a corrente circulante para cada
elemento.

CORRENTE DE
ENTRADA PARA CADA
LINHA DA REDE
CORRENTE EN CADA DIODO

Você também pode gostar