Você está na página 1de 41

UNIVERSIDADE WUTIVI-UNITIVA

ARQUITECTURA E PLANEAMENTO FÍSICO

2º Ano – Laboral
METODOLOGIA DE PESQUISA

Docente: Momade Chale Ibraimo


Momade.Ibraimo@gmail.com
METODOLOGIA CIENTÍFICA

A palavra metodologia tem origem grega: meta significa ‘em


direção a’; odos, ‘caminho’; logos, ‘discurso’.
 A Metodologia Científica é, etimologicamente, um discurso
sobre o caminho que alguém deve percorrer se pretende fazer
ciência;
 Metodologia Científica é uma disciplina que capacita alguém a
avaliar métodos, identificando limitações e implicações que
dizem respeito às suas utilizações;
 Não há uma visão linear, estática e homogênea da investigação
científica – ou seja, não há um método científico geral onde
todas as ciências venham encontrar o seu lugar comum. Daí a
importância e a extensão da Metodologia Científica.
Importância da Metodologia Científica
Ela desenvolve a capacidade do aluno de observar, selecionar e organizar
cientificamente os fatos. Nesse sentido, seu conteúdo programático deve
se pautar na compreensão da ciência enquanto um trabalho de construção
do conhecimento.
Objetivos da Metodologia Científica

a) Análise das características essenciais que permitem distinguir ciência de


outras formas de conhecer, enfatizando o método científico e não o
resultado;
b) análise das condições em que o conhecimento é cientificamente
construído, abordando os significados de postulados e atitudes da ciência
hoje;
Cont…

c) criação de oportunidades especiais para o aluno comportar-se


cientificamente, levantando e formulando problemas, coletando dados
para responder aos questionamentos, analisando, interpretando e
comunicando resultados;
d) capacitação do aluno para que ele leia criticamente a realidade e
produza conhecimentos;
e) criação de vetor de informações e referenciais para a montagem formal e
substantiva de trabalhos científicos: resenhas, monografias, artigos
científicos, etc.
f) fornecimento de processos facilitadores à adaptação do aluno,
integrando-o à universidade, minimizando suas dificuldades e apreensões
quanto às formas de estudar e, consequentemente, de encontrar meios
de extrair o maior proveito do estudo.
DIVISÃO DA METODOLOGIA CIENTÍFICA.

a)Epistemologia: refere-se ao estudo crítico dos métodos


científicos, pressupostos, limites, etc., além da própria
concepção, historicamente determinada, de ciência;
b)Lógica: organização lógica do raciocínio tanto na prática de
investigação quanto na apresentação dos resultados;
c) Técnica: uso de técnicas e procedimentos específicos
utilizados em pesquisas de diferentes temas por diferentes
ciências e normalização do 1 discurso científico;
Conteúdo Temático
Unidade Conteúdo Temático Carga
Horaria
I Definição de Conceitos:  Documentação como instrumento de 6
Documentação, trabalho
Conhecimento,  Conceito de Conhecimento
Ciências e Investigação

II Métodos Cientifico  Conceito de método 6


 Tipo de Método
III Pesquisa Cientifica e  Conceito de Pesquisa Cientifica 9
suas tipologias  Características de Pesquisa Cientifica
 Classificação e tipos de pesquisa
cientifica
IV Etapas de elaboração  Delimitação e problematização da 9
de Projetos de Pesquisa
Pesquisa  Revisão de Literatura 6
 Metodologia 6
 Orçamento 3
 Cronograma
V Estrutura do Relatório  Elementos Pré-Textuais 3
 Elementos Textuais
 Elementos Pós -Textuais
 Organização do Corpo do texto
 Normas de Apresentação das referencias
DEFINIÇÃO DE CONCEITOS

1.Documentação

Documento é um conjunto constituído por um suporte (peça) e pela


informação que ele contém, utilizáveis para efeitos de consulta ou como
prova.

O conceito de documento pode ser entendido a partir da de três distintas


áreas do conhecimento: Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia.
Segundo Arquivologia

Os arquivos são instituições públicas ou privadas, que têm como principais
funções ou processos a: criação, avaliação, aquisição, classificação, descrição,
comunicação e conservação dos documentos gerados em decorrência do
exercício das atividades funcionais que se estabelecem primordialmente pelas
vias jurídico-administrativas (ROUSSEAU; COUTURE, 1998)
Conceitualmente, o documento é considerado peça escrita ou impressa que
oferece prova ou informação sobre um assunto ou matéria qualquer.
O documento de arquivo é produzido no transcurso das atividades e funções
jurídicas ou administrativas, apresentando essencialmente relações orgânicas
entre si.
Todos os livros, papéis, mapas, fotografias ou outras espécies documentárias,
independentemente de sua apresentação física ou características, expedidos ou
recebidos por qualquer entidade pública ou privada no exercício de seus encargos
legais ou em função das suas atividades e preservados ou depositados para preservação
por aquela entidade ou por seus legítimos sucessores como prova de suas funções, sua
política, decisões, métodos, operações ou outras atividades, ou em virtude do valor
informativo dos dados neles contidos (SCHELLENBERG, 2006, p. 41)

O CONCEITO DE DOCUMENTO NA BIBLIOTECONOMIA


 Biblioteconomia é uma ciência documental que tem por objeto de estudo as
bibliotecas.
 Bibliotecas são entendidas como sistemas de transmissão de informação para seus
usuários por meio das coleções, que são formadas por um conjunto organizado de
documentos.
 a biblioteca é uma intermediária entre os usuários e os documentos de qualquer tipo,
que trazem consigo as informações.
 Os documentos de biblioteca são resultados de uma criação artística ou de uma
pesquisa, que objetivam a divulgação técnica, científica, humanística, filosófica.
 livros, publicações periódicas, folhetos, manuscritosos, documentos eletrônicos, etc
O CONCEITO DE DOCUMENTO NA MUSEOLOGIA

A musealização, considerada uma das formas de preservação do patrimônio cultural


realizada pelo homem, constitui-se de uma valorização seletiva, mas contínua no
conjunto de ações que visa à transformação do objeto em documento e sua comunicação

Dois tipos de pesquisa:

Uma com base nos objetos, fruto da Documentação Museológica, sendo o profissional
quem decodifica as informações contidas nesses objetos, criando instrumentos de
pesquisa: inventários, catálogos e registros;

pesquisa que envolve investigações e estudos que vão além do objeto em si, centrando-se
na historicidade que o cerca, e nas relações desse objeto com seu contexto sociocultural.
Noção de documento nos três campos
Conhecimento
Conceito de Ciência
 Segundo Ferrari (1974, apud MARCONI, LAKATOS, p. 62), ciência “é um
conjunto de atitudes e atividades racionais, dirigidas ao sistemático
conhecimento com objeto limitado, capaz de ser submetido à verificação”.
 Segundo Köche (2009), a ciência nada mais é que a possibilidade de
encontrar respostas plausíveis, com confiabilidade, e que podem a qualquer
momento passar por um processo de revisão critica, fundamentada e
sistematizada.
Ferramentas importantes observadas durante o
trabalho do pesquisadores
UNIDADE II: MÉTODO CIENTÍFICO
 A Metodologia é a aplicação de procedimentos e técnicas que devem ser observados para
construção do conhecimento, com o propósito de comprovar sua validade e utilidade nos diversos
âmbitos da sociedade.
 Para entender as características da pesquisa científica e seus métodos, é preciso, previamente,
compreender o que vem a ser ciência.

DEFINIÇÕES DE CIÊNCIA

 Segundo Trujillo Ferrari (1974), ciência é todo um conjunto de atitudes e


de atividades racionais, dirigida ao sistemático conhecimento com
objetivo limitado, capaz de ser submetido à verificação.
 Lakatos e Marconi (2007, p. 80) acrescentam que, além der ser “uma
sistematização de conhecimentos”, ciência é “um conjunto de
proposições logicamente correlacionadas sobre o comportamento de
certos fenômenos que se deseja estudar.”
Tarefas a cumprir:

a)aumento e melhoria do conhecimento;


b)descoberta de novos fatos ou fenômenos;
c) aproveitamento espiritual do conhecimento na supressão de
falsos milagres, mistérios e superstições;
d)aproveitamento material do conhecimento visando à melhoria da
condição de vida humana;
e) estabelecimento de certo tipo de controle sobre a natureza.
CRITÉRIOS DE CIENTIFICIDADE
 O conhecimento científico encontra seu distintivo maior na paixão pelo
questionamento, alimentado pela dúvida metódica
 Os resultados do conhecimento científico, obtidos pela via do
questionamento (questionamento como método, não apenas como
desconfiança esporádica), permanecem questionáveis, por simples coerência
de origem.
 Antes de tudo, cientista é quem duvida do que vê, se diz, aparece e, ao
mesmo tempo, não acredita poder afirmar algo com certeza absoluta.
 Questionar, não é apenas resmungar contra, falar mal, desvalorizar, mas
articular discurso com consistência lógica e capaz de convencer.
 Somente é científico o que for discutível (
 Para que o discurso possa ser reconhecido como científico, precisa ser lógico,
sistemático, coerente, sobretudo, bem-argumentado. Isso o distancia de
outros conhecimentos, como senso comum, sabedoria, ideologia.
Critérios de cientificidade normalmente citados
a) objeto de estudo bem-definido e de natureza empírica:
delimitação e descrição objetiva e eficiente da realidade
empiricamente observável, isto é, daquilo que pretendemos
estudar, analisar, interpretar ou verificar por meio de métodos
empíricos;
b) objetivação: tentativa de conhecer a realidade tal como é,
evitando contaminála com ideologia, valores, opiniões ou
preconceitos do pesquisador;
c) discutibilidade: significa a propriedade da coerência no
questionamento, evitando, a contradição performativa
(desfazermos o discurso ao fazê-lo, como seria o caso de
pretender montar conhecimento crítico imune à crítica);
d) observação controlada dos fenômenos: preocupação em
controlar a qualidade do dado e o processo utilizado para sua
obtenção;
e) originalidade: refere-se à expectativa de que todo discurso
científico corresponda a alguma inovação, pelo menos, no sentido
reconstrutivo;
f) coerência: argumentação lógica, bem-estruturada, sem
contradições; critério mais propriamente lógico e formal,
significando a ausência de contradição no texto, fluência entre
premissas e conclusões, texto bem-tecido como peça de pano sem
rasgos, dobras, buracos.
g) sistematicidade: parceira da coerência, significa o esforço de dar
conta do tema amplamente, sem exigir que se esgote, porque nenhum
tema é, propriamente, esgotável.
h) consistência: base sólida, “refere-se à capacidade do texto de
resistir à contraargumentação ou, pelo menos, merecer o respeito de
opiniões contrárias; em certa medida, fazer ciência é saber
argumentar, não só como técnica de domínio lógico, mas sobretudo
como arte reconstrutiva. tudo o que é afirmado precisa ter base,
primeiro, no conhecimento existente e considerado válido e, segundo,
na formulação própria do autor.
i) linguagem precisa: sentido exato das palavras, restringindo ao
máximo o uso de adjetivos;
j) autoridade por mérito: significa o reconhecimento de quem
conquistou posição respeitada em determinado espaço científico e é por
isso considerado “argumento”;
l) relevância social: os trabalhos acadêmicos, em qualquer nível,
poderiam ser mais pertinentes, se também fossem relevantes em
termos sociais, ou seja, estudassem temas de interesse comum, se se
dedicassem a confrontar-se com problemas sociais preocupantes.
m) ética: procura responder à pergunta: a quem serve a ciência? A visão
ética dedica-se sobremaneira a, primeiro, evitar que os meios se
tornem fim; segundo, que se discutam não só os meios, mas também os
fins e, terceiro, assegurar que os fins não justifiquem os meios.
n) intersubjetividade: opinião dominante da comunidade científica de
determinada época e lugar.
MÉTODO CIENTÍFICO

 O método científico é um conjunto de procedimentos adotados com o propósito de atingir o


conhecimento.
 O método científico é um traço característico da ciência, constituindo-se em instrumento
básico que ordena, inicialmente, o pensamento em sistemas e traça os procedimentos do
cientista ao longo do caminho até atingir o objetivo científico preestabelecido.
 A utilização de métodos científicos não é exclusiva da ciência, sendo possível usá-los para a
resolução de problemas do cotidiano. Destacam que, por outro lado, não há ciência sem o
emprego de métodos científicos.
 Dada a diversidade de métodos, alguns autores costumam classificá-los em gerais, também
denominados de abordagem, e específicos, denominados discretos ou de procedimento.
MÉTODOS DE ABORDAGEM - BASES LÓGICAS DA INVESTIGAÇÃO

 Por método podemos entender o caminho, a forma, o modo de


pensamento.
 É a forma de abordagem em nível de abstração dos fenômenos.
 É o conjunto de processos ou operações mentais empregados na
pesquisa.
 Esses métodos esclarecem os procedimentos lógicos que deverão
ser seguidos no processo de investigação científica dos fatos da
natureza e da sociedade.
 Os métodos desenvolvidos a partir de elevado grau de abstração,
possibilitam ao pesquisador decidir acerca do alcance de sua
investigação, das regras de explicação dos fatos e da validade de
suas generalizações
 Podem ser incluídos, neste grupo, os métodos:
a)Dedutivo;
b)indutivo;
c)hipotético-dedutivo;
d)Dialético;
e)fenomenológico.
 Cada um deles se vincula a uma das correntes filosóficas que
se propõem a explicar como se processa o conhecimento da
realidade.
 O método dedutivo relaciona-se ao racionalismo; o indutivo,
ao empirismo; o hipotético-dedutivo, ao neopositivismo; o
dialético, ao materialismo dialético e o fenomenológico, à
fenomenologia.
Método dedutivo
 O método dedutivo, de acordo com o entendimento clássico, é
o método que parte do geral e, a seguir, desce ao particular.
 A partir de princípios, leis ou teorias consideradas verdadeiras
e indiscutíveis, prediz a ocorrência de casos particulares com
base na lógica.
 Parte de princípios reconhecidos como verdadeiros e
indiscutíveis e possibilita chegar a conclusões de maneira
puramente formal, isto é, em virtude unicamente de sua lógica
Exemplo de raciocínio dedutivo:
 O método dedutivo encontra ampla aplicação em ciências como a
Física e a Matemática, cujos princípios podem ser enunciados como
leis.
 Já nas ciências sociais, o uso desse método é bem mais restrito,
em virtude da dificuldade para obter argumentos gerais, cuja
veracidade não possa ser colocada em dúvida.
MÉTODO INDUTIVO
 É um método responsável pela generalização, isto é, partimos de
algo particular para uma questão mais ampla, mais geral.
 Indução é um processo mental por intermédio do qual, partindo de
dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma
verdade geral ou universal, não contida nas partes examinadas
 indução parte de um fenômeno para chegar a uma lei geral por
meio da observação e de experimentação, visando a investigar a
relação existente entre dois fenômenos para se generalizar
 O método indutivo procede inversamente ao dedutivo: parte do
particular e coloca a generalização como um produto posterior do
trabalho de coleta de dados particulares.
Exemplo de raciocínio INDUTIVO

 As conclusões obtidas por meio da indução correspondem a uma


verdade não contida nas premissas considerada
 O raciocínio indutivo influenciou significativamente o pensamento
científico
 Método indutivo destaca-se constituição das ciências socia.
 Devido à sua influência foram definidas técnicas de coleta de dados e
elaborados instrumentos capazes de mensurar os fenômenos sociais
Argumentos dedutivos e
indutivos
MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
consiste na adoção da seguinte linha de raciocínio:
 Quando os conhecimentos disponíveis sobre determinado assunto são
insuficientes para a explicação de um fenômeno, surge o problema.
 Para tentar explicar as dificuldades expressas no problema, são
formuladas conjecturas ou hipóteses.
 Das hipóteses formuladas, deduzem-se consequências que deverão
ser testadas ou falseadas.
 Falsear significa tornar falsas as consequências deduzidas das
hipóteses.
 Enquanto no método dedutivo se procura a todo custo confirmar a
hipótese, no método hipotético-dedutivo, ao contrário, procuram-se
evidências empíricas para derrubá-la.
O método hipotético-dedutivo inicia-se com um problema ou uma
lacuna no conhecimento científico, passando pela formulação de
hipóteses e por um processo de inferência dedutiva, o qual testa a
predição da ocorrência de fenômenos abrangidos pela referida
hipótese

Esquema de apresentação do método hipotético-dedutivo a


partir do seguinte
Etapas do método hipotético-dedutivo

O método hipotético-
dedutivo desfruta de
notável aceitação, em
especial no campo das
ciências naturais.
PESQUISA CIENTÍFICA E SUA TIPOLOGIA

20/03/2018
PESQUISA

 Nos cursos, em todos os níveis, exigimos, da parte do estudante, alguma atividade de pesquisa. Esta, efetivamente,
tem sido quase sempre mal compreendida quanto à sua natureza e à finalidade por parte de alguns alunos e
professores.

 Muito do que chamamos de pesquisa não passa de simples compilação ou cópia de algumas informações
desordenadas ou opiniões várias sobre determinado assunto e, o que é pior, não referenciadas devidamente.
 Pesquisa é entendida tanto como procedimento de fabricação do conhecimento, quanto como
procedimento de aprendizagem (princípio científico e educativo), sendo parte integrante de todo
processo reconstrutivo de conhecimento.

 A finalidade da pesquisa é “resolver problemas e solucionar dúvidas, mediante a utilização de


procedimentos científicos” e a partir de interrogações formuladas em relação a pontos ou fatos que
permanecem obscuros e necessitam de explicação.

 Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para


indagaçõespropostas. Podemos dizer que, basicamente, pesquisar é buscar
conhecimento. Nóspesquisamos a todo momento, em nosso cotidiano, mas,
certamente, não o fazemos sempre de modo científico.
 Sentido amplo, pesquisar é procurar uma informação que não sabemos e que precisamos saber.
 Consultar livros e revistas, verificar documentos, conversar com pessoas, fazendo perguntas para obter respostas,
são formas de pesquisa, considerada como sinônimo de busca, de investigação e indagação.
 Esse sentido amplo de pesquisa se opõe ao conceito de pesquisa como tratamento de investigação científica que
tem por objetivo comprovar uma hipótese levantada, através do uso de processos científicos.

Etapas para Planear uma Pesquisa


a) tempo disponível para sua realização;
b) espaço onde será realizado;
c) recursos materiais necessários;
d) recursos humanos disponíveis