Você está na página 1de 23

Desenvolvimento

Psicossocial na Terceira
Idade
Texto 8
Página 705 - 711
716 – 727
• Segundo algumas Pesquisas a personalidade na terceira
idade não muda.
• Ainda assim, alguns teóricos consideram a terceira idade
como uma etapa de desenvolvimento com suas próprias
questões e tarefas especiais.
• Muitas pessoas mais velhas reavaliam sua vida, concluem
negócios inacabados e decidem como melhor canalizar
suas energias e passar os dias, os meses ou os anos que
lhes restam.
• Plenamente conscientes da passagem do tempo, algumas
desejam deixar um legado para os filhos e para o mundo,
repassar os frutos de sua experiência e validar o
significado de sua vida.
• Outras simplesmente desejam aproveitar esta última
chance de desfrutar seus melhores passatempos ou fazer
coisas que nunca puderam quando eram jovens.
Mito
• Uma crença comum (mas errônea) é a de que adultos
mais velhos tendem a ficar retraídos ou deprimidos.
Na verdade, a depressão (a menos que associada à
demência) está fortemente relacionada à dimensão
de personalidade pertencente a "Cinco Grandes" de-
nominada neuroticismo (ansiedade, hostilidade,
depressão, autoconsciência, vulnerabilidade e
impulsividade) , "uma disposição permanente" que é
um melhor prognosticador do humor e dos
transtornos de humor do que circunstâncias de vida,
como idade, raça, gênero, renda, educação e estado
civil (Costa e McCrae, 1996).
Mito
• Outra crença comum é a de que a
personalidade torna-se mais
rígida na terceira idade.
Modelos teó ricos
• Embora os modelos de traço enfatizem a
estabilidade fundamental da estrutura da
personalidade, outros modelos, como a
abordagem de desenvolvimento do ciclo de
vida de Baltes, consideram os fatores que
podem contribuir para o crescimento dentro
dessa estrutura básica. Segundo teóricos de
crises normativas, o crescimento depende
da realização das tarefas psicológicas de
cada etapa da vida de uma forma
emocionalmente saudável.
OITAVA IDADE: Integridade X
Desesperança (desespero)
-Sabedoria
após os sessenta anos

• O indivíduo que resolveu as etapas anteriores


articulando angústias, alegrias, vitórias, derrotas e
medos de tal maneira a manter a integração de seu
ego, chegará a esta idade com tranquilidade e
segurança para enfrentar o fechamento de seu ciclo
vital.
OITAVA IDADE: Integridade X
Desesperança
• Diz Erikson:
• Somente a pessoa idosa que zelou pelas coisas e
pessoas e se adaptou aos triunfos e desapontamentos
de ser, necessariamente,a geradora de outras pessoas e
a criadora de coisas e idéias - só nela se amadureceu
gradativamente o fruto das sete idades do homem.
• Eu não conheço melhor palavra para expressar isso do
que integridade. Na falta de uma definição precisa,
assinalarei alguns atributos desta fase mental.
• É a garantia acumulada do ego de sua propensão para a
ordem e significado - uma integração emocional fiel ás
imagens do passado e pronta para assumir a liderança no
presente, eventualmente renunciar a esta.
OITAVA IDADE: Integridade X
Desesperança
• É a aceitação de seu ciclo vital único e
das pessoas que se tornaram
significativas e in dispensáveis à sua
vida, não permitindo, por isso,
substituição.
• Significa, assim, um novo e diferente
amor pelos pais, liberto do desejo de que
eles poderiam ter sido diferentes, e uma
aceitação do fato de que cada um é
responsável pela sua própria vida.
OITAVA IDADE: Integridade X
Desesperança
• É uma sensação de camaradagem para com homens e
mulheres de épocas distantes e de diferentes ocupações,
que criaram ordens, objetos e idéias transmitindo dignidade
e amor humanos.
• Embora cônscio da relatividade de todos os vários estilos de
vida que deram significado ao esforço humano, o indivíduo
que atingiu a integridade está pronto a defender a dignidade
de seu próprio estilo de vida, contra todas as ameaças
físicas e econômicas. Pois ele sabe que uma vida individual
é a coincidência acidental de um único ciclo vital com um
único segmento da história e que, para ele, toda a
integridade humana se mantém e coincide com aquele estilo
de integridade que ele compartilha (ERIKSON,1968, pp.
139,140).
OITAVA IDADE: Integridade X
Desesperança
• A vivência também pode ser positiva. A
pessoa sente a sensação de dever
cumprido, experimenta o sentimento de
dignidade e integridade, e divide sua
experiência e sabedoria.

• Existe ainda o perigo do indivíduo se julgar


o mais sábio, e impor suas opiniões em
nome de sua idade e experiência.
OITAVA IDADE: Integridade X Desesperança

• -É inegável que o valor cultural e o papel


institucional do velho nas diferentes culturas dará
as diretrizes para a valorização ou não do papel do
velho.

• Palavras como virtude, sabedoria, tradição e


integridade são características desta oitava idade.
Se o velho não alcança estes valores reformatando
para as limitações da vida atual, e se o ego não
consegue fazer a integração e dar sentido aos
conflitos vivenciados ao longo da vida, o
sentimento que surge é o de desesperança.
OITAVA IDADE: Integridade X Desesperança

• A pessoa pode simplesmente entrar


em desespero ao ver a morte se
aproximando. Surge um sentimento de
que o tempo acabou, que agora resta o
fim de tudo, que nada mais pode fazer
pela sociedade, pela família, por nada.
São aquelas pessoas que vivem em
eterna nostalgia e tristeza por sua
velhice.
Modos de Enfrentamento
• Sua saúde pode não ser mais a mesma, eles perderam
velhos amigos e familiares – muitas vezes, os cônjuges - e
provavelmente não ganham tanto dinheiro quanto no
passado.
• Suas vidas vão se transformando de inúmeras formas
estressantes.
• Em geral, contudo, os adultos mais velhos possuem
menos transtornos mentais e são mais satisfeitos com a
vida do que adultos mais jovens
• Enfrentamento é o pensamento ou o comportamento
adaptativo que visa a reduzir ou a aliviar o estresse
oriundo de condições prejudiciais, ameaçadoras ou
desafiadoras. É um importante aspecto da saúde mental,
especialmente na velhice.
Modelo de Avaliação Cognitiva
• No modelo de avaliação cognitiva as pessoas
escolhem as estratégias de enfrentamento com
base no modo como percebem e analisam uma
situação.
• Ocorre enfrentamento quando uma pessoa
percebe uma situação como extenuante ou como
acima de seus recursos a qual, por isso, demanda
esforço incomum.
• O enfrentamento inclui qualquer coisa que um
indivíduo pensa ou faz para tentar se adaptar ao
estresse, independentemente do quão bem isso
funcione
Modelo de Avaliação Cognitiva
• As estratégias de
enfrentamento podem ser ou
enfocadas no problema ou
enfocadas na emoção.
Modelo de Avaliação Cognitiva
• O enfrentamento enfocado no
problema visa a eliminar, administrar
ou melhorar uma condição
estressante.
• Geralmente ele predomina quando
uma pessoa vê uma chance realista de
mudar uma situação
Modelo de Avaliação Cognitiva
• O enfrentamento enfocado na emoção, às
vezes chamado de enfrentamento paliativo,
dirige-se ao "sentir-se melhor": administrar
ou regular a resposta emocional a uma
situaçãoestressante para aliviar seu
impacto físico ou psicológico.
• Essa forma de enfrentamento tende a
predominar quando uma pessoa conclui
que pouco ou nada pode ser feito em
relação à própria situação.
Modos de Enfrentamento
• Religião:
• O envolvimento religioso de praticamente qualquer
tipo tem um impacto positivo sobre a saúde física e
mental e sobre a longevidade.

• Pode estar em parte relacionado com a


disponibilidade de apoio social em época de
necessidade

• As pessoas com o maior ou com o menor


comprometimento religioso tendem a ter autoestima
mais elevada
Trabalho e velhice
• Se e quando se aposentar estão entre as decisões de
estilo de vida mais cruciais que as pessoas fazem à
medida que se aproximam da terceira idade.
• Essas decisões afetam sua situação financeira e seu
estado emocional, assim como o modo como
despendem seu tempo e como se relacionam com a
família e com os amigos.
• O problema de fornecer apoio financeiro para
grandes números de pessoas mais velhas
aposentadas também tem sérias implicações para a
sociedade, especialmente à medida que a geração do
pós-guerra aproxima-se da velhice.
Trabalho e velhice
• Hoje, a aposentadoria compulsória foi praticamente
proscrita como uma forma de discriminação etária. Os
adultos possuem muitas escolhas, entre elas aposentar-se
precocemente, aposentar-se em uma carreira ou cargo
para começar outro, trabalhar em turno parcial para se
manter ocupado ou para suplementar a renda, para voltar
a estudar, para fazer trabalho voluntário, para perseguir
outros interesses de lazer - ou nunca se aposentar.
• Algumas pessoas mais velhas continuam trabalhando pela
remuneração, mas a vasta maioria aposenta-se.
Entretanto, muitas pessoas aposentadas começam novas
carreiras, trabalham em turno parcial ou como voluntárias.
Trabalho e velhice
• A idade tem tanto efeitos positivos como negativos
sobre o desempenho profissional, e diferenças
individuais são mais significativas do que diferenças
etárias. Com treinamento apropriado, adultos mais
velhos podem adquirir novas habilidades.

• A situação financeira de pessoas mais velhas


melhorou, mas cerca de 30% podem esperar viver na
pobreza em algum ponto. Muitas, especialmente
viúvas e enfermos, ficam pobres pela primeira vez
após a aposentadoria.
Relacionamentos Pessoais na
velhice
• • Os relacionamentos são muito importantes para as pessoas mais
velhas, ainda que a frequência dos contatos sociais diminua na
velhice.

• A aposentadoria, adoecimento ou dificuldades de locomoção podem


dificultar o contato social.

• • Segundo a teoria do comboio social, as reduções ou as mudanças no


contato social na velhice na terceira idade não comprometem o bem-
estar porque um círculo interno estável de apoio emocional é
mantido.

• Segundo a teoria da seletividade socioemocional, pessoas mais


velhas preferem passar seu tempo com pessoas que aumentam seu
bem-estar emocional.
Relacionamentos Pessoais na
velhice
• Apoio social está associado à boa saúde, e o
isolamento é um fator de risco para a
mortalidade.

• As amizades têm um efeito mais positivo sobre o


bem-estar das pessoas mais velhas, mas os
relacionamentos familiares ou sua ausência
podem ter os efeitos mais negativos.