Você está na página 1de 39

OBSERVAÇÃO E

VIGILÂNCIA

ALU. DIVINO
OBJETIVOS:
Identificar os procedimentos do Cmt Pa. de
reconhecimento nas situações abaixo:
• recebimento da missão;
• planejamento da utilização do tempo;
• estudo de situação e ligações essenciais;
• expedição da ordem preparatória;
• reconhecimento;
• detalhamento do planejamento e ligações
complementares ;
• expedição da ordem Cmt Pa.
SUMÁRIO
I INTRODUÇÃO
II DESENVOLVIMENTO
 Recebimento da missão
 Planejamento e preparação
Planejamento da utilização do tempo
Planejamento preliminar
Emissão da ordem preparatória
Reconhecimento
Planejamento detalhado
Emissão da ordem
III CONCLUSÃO
INTRODUÇÃO
DESENVOLVIMENTO
RECEBIMENTO DA MISSÃO
Ao receber a missão, o comandante deve fazer
anotações e sanar todas as suas dúvidas. Também
deve verificar se há a possibilidade de executar um
reconhecimento no local, levando-se em conta que
seu comandante tem o controle de todas as ações e
conhece a situação do inimigo.
- Todas as informações disponíveis devem ser
transmitidas por quem estiver pagando a missão,
pois seu cumprimento é do interesse de todos,
principalmente de quem a determina.
- Utilizar a caderneta de operações para o
recebimento da missão, para levantar todos os
aspectos da missão
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
FORÇAS INIMIGAS – DiCoVAP
Dispositivo e localização (no itn e obj)
Composição
Valor
Atividades importantes, recentes e
atuais (inclusive da F Ae ini)
Peculiaridades e deficiências ( idt,
equipamento, armt, uniforme, grau de
instrução, moral, possibilidades e
limitações, movimentos e capacidade de
reforços)
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
FORÇAS AMIGAS :
Localização ( postos de cmdo, avçd e vig)
Limites da Z Aç (do esc sup e vizinhos)
Outras tropas e Pa na área
Possibilidade de reforços (quem, o que, a partir de, até quando, onde
e como)
Ap Fogo disponível (terrestre, aéreo e naval) – retirar a dúvida de
como pedir este apoio de fogo e elementos de ligação.
Atividades da F Ae
Necessidades de coordenação
Elementos infiltrados, simpatizantes, guias e informantes.
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
TERRENO – OCOAO :
Observação e campos de tiro
Cobertas e abrigos
Obstáculos
Acidentes capitais
Outros aspectos ( itn, faixas de infiltração, rotas de
aproximação Ae, declividade, permeabilidade,
estradas, trilhas, distâncias, tipos de vegetação e
elevações na área do obj, possibilidade de
dissimulação, cursos d´água e represas, existência e
características de ZL e ZPH, proximidade de
habitações)
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS :
a. Crepúsculos :
ICMN E FCVN
b. Fases da Lua : H que a Lua nasce e se põe
no dia “D”
- Cheia : 1800 – 0600
- Quarto Minguante : 0000 – 1200
- Nova : 0600 – 1800
- Quarto Crescente : 1200 - 2400
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS :
c. Temperatura ambiente (média
diurna e noturna)
d. Ventos dominantes (direção e
intensidade)
e. Previsão de obscurecedores da
visibilidade ( névoa úmida ou seca, nevoeiro,
fumaça)
f. Previsão de precipitações ( horários,
condições de visibilidade, trânsitabilidade, )
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
MEIOS DISPONÍVEIS ( ENSAIO, REC E
MISSÃO )
- Cartas, Croquis, fotografias, google earth,
relatórios, VANT e outros
- Meios de transporte :
. O que (aeronaves, embarcações, vtr )
. Quando (a partir de e até)
. Como (imposições ou necessidades)
- Guias, mateiros, rastreadores ;
- Mat, epq e armt esp
- Restrições impostas pela situação e pelo cmdo
(prazos, locais e etc)
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
POPULAÇÃO
- Atitude perante a tropa
- Localização
- Atividades predominante
- Existência na região do obj
- Densidade
- Procedimentos e condutas a serem
adotadas
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
ELEMENTOS A CONTATAR, RESGATAR E/OU
CAPTURAR
- Identificação, características, fotos e caracteres
distintivos
(SCCCIAPP) – Sexo, Cor, Cabelo (tamanho,
cor, corte), Compleição, Idade, Altura, Peso,
Particularidades (cicatrizes,sinais,etc)
- Senhas, Contra-senhas, sinais de reconhecimento
- Sinais de ponto limpo e de ponto ativado ( Evasão
Auxiliada RAFE e LAFE )
- Estória-cobertura.
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
COMANDO E COMUNICAÇÕES :
- Linhas e Pts de controle
- Horários de ligação
- Loc dos PC
- Acerto de relógios
OUTROS ASPECTOS
- Se a água da área de op é potável
- Imposições quanto a supri e resupri de todas as
classes
- Possibilidade de rec
- Prescrições quanto a presos, feridos e mortos
( amigos e inimigos )
ASPECTOS A SEREM ABORDADOS :
- Após o recebimento da missão, coordenar :
- Horários impostos
- H de saída e chegada
- Unidades de apoio (naval, ae, blindado,
mtz, de fogo e etc.) – Elm ligação
- Especialistas
- Briefings
- Outras tropas que operam na área e seus
comandos enquadrantes
- Tropas amigas que operam na área e seus
comandos enquadrantes
NORMAS DE COMANDO
COMPREENDEM TODAS AS
ATIVIDADES DE PLANEJAMENTO E
PREPARAÇÃO DESENVOLVIDAS ATÉ
A PARTIDA PARA O CUMPRIMENTO
DA MISSÃO. ALÉM DISSO, ELAS
PERMITEM AO COMANDANTE DE
PATRULHA METODIZAR O SEU
TRABALHO, EVITANDO-LHE PERDA
DE TEMPO E ESQUECIMENTOS.
A. ESTUDO SUMÁRIO DA MISSÃO
É um processo mental e sintético, baseado em perguntas,
que respondidas, orientarão o comandante no
planejamento para o cumprimento da missão, no entanto o
comandante deverá fazer anotações que julgar necessárias,
a fim de facilitar o seu estudo de situação a ser realizado
posteriormente no planejamento preliminar. Durante a sua
execução, deverão ser respondidas perguntas referentes à
missão :
a. O QUÊ – ações que a fração deverá realizar, ações
impostas ( verbos da missão )
b. QUANDO – para a definição dos horários impostos e
planejados
c. ONDE e POR ONDE – locais do obj, itn e distâncias a
serem percorridas
d. COMO – visualização inicial do esquema de manobra
PLANEJAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO TEMPO
(QUADRO-HORÁRIO)
Tem por finalidade evitar que o planejador se perca
no tempo, durantes as atividades de planejamento,
preparação e execução.
- Quando o horário da partida não for imposto pelo
escalão sup, o cmt define-o, calculando o tempo
necessário para a execução das atividades
subseqüêntes à partida para a missão. Para esta
estimativa, além das imposições de horários e
prazos especificados na MISSÃO, deve-se
considerar, de um modo geral, o tempo necessário
para o tempo de execução :
-Deslc até o PRPO, Rec Aprox, Tomada do
Disp, Aç Obj, Retraimento PRPO e
reorganização, Regresso às linhas amigas,
Relatório,Mnt e Margem de Seg.
- Estimado o tempo de execução, este será
subtraído do tempo disponível, sobrando o
tempo para o planejamento e preparação. A
partir daí, serão relacionadas atividades em
ordem cronológica inversa, isto é, da Aç Obj ao
Recebimento da Missão :
- Partida, Inspeção final, Ensaios, Inspeção
Inicial, Emissão da ordem, planejamento
detalhado, Rec, Ordem preparatória,
planejamento preliminar, planejamento da
utilização do tempo e estudo sumário da missão.
- Havendo disponibilidade de tempo, deve-se
permanecer no mínimo 2 horas para observação
das atividades do ini
- Prever horários para briefings, refeições e
pernoites
- T ensaio > T planejamento detalhado > T emissão
da ordem
- T inspeção inicial > T inspeção final
- Não deve haver atividade dispersiva ( rancho,
pernoite, etc ), entre a Ordem e o primeiro ensaio.
Caso ocorra uma longa atividade dispersiva, antes da
partida realizar um pequeno ensaio.
- O planejamento do tempo é realizado na ordem
inversa mas deverá ser transmitido na ordem
cronológica.
- Prever sempre tempos de ajustes, principalmente
após as inspeções.
B. PLANEJAMENTO DA UTILIZAÇÃO DO
TEMPO (QUADRO-HORÁRIO)

Horários
C. PLANEJAMENTO PRELIMINAR
1. ESTUDO DE SITUAÇÃO (MITeMeTPo)
Este estudo deverá ser sucinto e rápido e está direcionado
para o levantamento da organização de pessoal e material da
fração. O planejamento preliminar inicia-se com o estudo
sumário da missão ou até mesmo durante o recebimento da
missão.
a. Missão – A recebida do esc sup, agora será definido quem
fará o quê.
O que – Ações que devo realizar
Quando – Horários do início do deslc, aç obj, retraimento, etc
Onde e Por onde – local obj, itn, distâncias, meios de trnp,
tempos de deslc
Como – visualização do esquema de manobra
Quem faz o que – escalões, grupos,
homens
Para que – finalidade da missão
b. Inimigo – DiCoVAP
c. Terreno e Condições Meteorológicas
Terreno – OCOAO
Condições Meteorológicas
d. Meios
- Pessoal : Cada homem onde poderá
executar a missão da melhor forma
possível e manter a integridade tática.
- Material : Para o deslc ( vtr,
embarcações, anv), para a aç obj, para o ensaio.
e. Tempo
Disponível para o planejamento, para os
rec, para o cumprimento da missão e imposto para
a partida.
f. População
Atitudes e as reações da população civil
da área e seu valor como fonte de informes de
acordo com a situação existente.
C. PLANEJAMENTO PRELIMINAR
4. PLANEJAMENTO DO RECONHECIMENTO
O reconhecimento será outra missão dentro da
principal e , portanto, deverá ser autorizado pelo esc sup,
bem como deverão ser feitas as coodernações necessárias.
- O planejamento para qualquer rec deverá definir :
1. O QUE REC – Caracteristicas do Itn,
obstáculos, P Reu, P críticos, P controle, obj, atividade,
efetivo e dispositivo do ini e a melhor forma de cada grupo
cumprir sua missão.
2. QUEM REC O QUE, QUANDO E COMO –
EC, duração, segurança, coordenação, preparação individual
3. PEDIDO DE MATERIAL – Quem leva o que
e quanto
4. PREVER LIGAÇÃO RÁDIO - IEComElt
PLANEJAMENTO DO RECONHECIMENTO
- Conduta para os 5 pontos de
contingêngia (Q3OM)
1. QUEM – vai e que itn serão
percorridos
2. QUANTO TEMPO – pretende
ficar fora
3. QUEBRA DO SIGILO – o que o
cmt do rec fará e o que a fração
fará
4. ONDE - os elm de rec vão
5. MATERIAL – a ser conduzido,
conferir e testar
C. PLANEJAMENTO PRELIMINAR
4. PLANEJAMENTO DO RECONHECIMENTO
Exemplo de quadro Auxiliar para o Rec
:
QUEM O QUE COMO MATERIAL OBS

Cmt Esc Seg Itn, VA, Seqüência, Carta, GPS Leva a


Loc Gp, por onde e Binóculo Mochila
PRPO

H Carta Itn até Pos na Carta, Não leva


PRPO, Pt coluna GPS, mochila
Reu Itn, Pt durante o Bússola, (mat na
Ctc, Itn delc, OVN mochila do
regresso conduta cmt esc
quanto dos seg)
autos
EMISSÃO DA ORDEM PREPARATÓRIA
- Os meios visuais mínimos para a emissão da
ordem preparatória são : situação, missão, quadro
de organização, quadro-horário, QOPM e com.
- A ordem preparatória é uma ordem de cunho
administrativo
- Deve-se organizar a fração antes do início da
emissão da ordem.
e. REALIZAÇÃO DO RECONHECIMENTO
- O Rec será realizado desde que não
comprometa o sigilo e o sucesso da missão.
PLANEJAMENTO DETALHADO ( ESTUDO DE
SITUAÇÃO )
- Após o rec, caso tenha sido realizado, o cmt planeja
como cumprir a missão realizando o CRA ( Confirma,
Refuta e Atualiza ) no seu planejamento preliminar
(MITeMeTPo)
- Primeiramente inicia-se pela coordenação com os
apoios :
a. Com unidades em apoio ou reforço (fogo, naval
e aéreo)
b. Ctt com especialistas
c. Briefings – Levar memento pronto, contato,
presença na emissão da ordem e ensaio em conjunto.
- O planejamento detalhado deve seguir a seguinte
ordem :
1. Ação no Objetivo (elaborar esquema de
manobra)
2. Deslocamento até PRPO (infiltração)
3. Regresso às linhas amigas
4. Outros (Prescrições Diversas)
1. Ação no Objetivo
a. Rec Aprox - Plj Rec Aprox – (Q3OM)
-Quem vai com o cmt e que itn serão
percorridos e quem fica como olhos no ob
-Quanto tempo o cmt pretende ficar fora
-Quebra do sigilo – o que o cmt fará se
for quebrado o sigilo no rec e o que a
fração fará
-Onde os elm que vão no rec irão
-Material a ser conduzido, conferir e
testar
1. Ação no Objetivo
b. Tomada do Dispositivo ( sequência de
liberação dos gp, quem, onde, por onde, medidas de
coordenação e controle, missões específicas, horários e
condutas)
c. Aç Obj propriamente dita ( confeccionar o
esquema de manobra, caracterização do início da ação,
detalhar cronologicamente quem vai fazer o que, como,
para que e selecionar a técnica de assalto)
d. Retraimento PRPO (sequência, quem,
onde, por onde, medidas de coordenação e controle,
horários, condutas)
e. Reorganização ( cheque de baixas, epq, armt
e mun - BEM )
2. Deslocamento ate o PRPO (infiltração)
a. Plano de carregamento e embarque (considerar os
diversos trechos do itn, auto-suficiência das vagas, distribuição de
valores, integridade tática, previsão de panes e seqüênciamento)
b. Itn principal e alternativo(linhas, pt controle e
QAN)
c. Pontos de Reunião no Itn ( tempo máximo de
espera, número de militares e qual sinal deixar )
d. Coordenação com o Homem-carta
e. Levantar Azimutes, distâncias e Az de fuga
f. Condutas da Fração – Alto guardado, alto de
segurança, formações, ordem de movimento, rodízio de mat, P
Reu, contatos, ação em zonas perigosas e pontos críticos (POCO).
g. Ocupação do PRPO e procedimento dentro do
mesmo
3. Regresso às Linhas Amigas
- Idem aos itens do Dslc até o PRPO, no que for
aplicável
Outros (Prescrições Diversas)
- Armt e Mun
- Uniforme, epq e mat esp
- Conduta com ini feridos, mortos e PG (antes e após
a aç obj)
- Conduta com feridos e mortos amigos (antes e após aç obj)
- Sinais e gestos a praticar – Gerente, NGA
- Senha, C senhas e sinais de rec, do esc sup e da
fração
- Comunicações com o Esc Sup
- Posição do Cmt, S cmt e atendente durante a
execução da missão (deslocamentos e aç obj)
- Estória-cobertura coletiva e conduta com civis
- H do dispositivo pronto
- H da partida
- Reorganização após disperção – realizar o BEM –
ocupar um alto guardado no último P Reu.
- Revezamento do mat pesado
- Conduta com PG – Guardar documentação e armt
individual.
- Quebra prematura do sigilo (situações de contingência)
- Aborto da Missão – efetivo menor que 2/3
- Medidas especiais de segurança – Aprox p crítico ou
deixar p reu, realizar o POCO
- Ligação com outras tropas – Senha e contra-senha
- TAI
- Linhas de Controle
- Ap Fogo (como solicitar e até onde pode apoiar)
- Documentos a serem levados
- EEI
- Aspectos Logísticos : Prescrições p/ água e ração,
ressuprimento, mdd saúde e higiene e evacuação
EMISSÃO DA ORDEM
- A fração deverá esta pronta para partir para não
perder tempo de ensaio
- Disposta dentro dos grupos e escalões
- Presença dos integrantes dos meios de apoio (mot,
pilotos e guias)
- Meios auxiliares como caixão de areia e quadro
- Seguir o memento
h. INSPEÇÃO INICIAL
- Será realizada imediatamente após a emissão da
ordem e será prática e teórica.
- Inspeção teórica quanto aos aspectos essenciais da
missão
- Inspeção prática : uniforme, eqp, armt, vtr, anv,
embarcação, rádios, EC e mat esp.
CONCLUSÃO:
Retirada de dúvidas

Você também pode gostar