Você está na página 1de 20

Funções Sintáticas

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL
DA FRASE

Sujeito
Função sintática desempenhada por grupos
nominais ou por alguns tipos de orações.

O sujeito pode ser classificado como:


1. Sujeito Simples – quando é constituído por um
grupo nominal (cujo núcleo é um nome ou
pronome) ao qual se associam, e com o qual
concordam, outras palavras ou uma oração.
Ex.: A Eva faz ioga.
Ela brinca com os amigos.
Quem tudo quer, tudo perde.

Porto Editora
2. Sujeito Composto – quando é constituído por mais do que
um grupo nominal ou mais do que uma oração
Ex.: Eu e a Patrícia vamos às compras logo à tarde.
Quem gosta de banda desenhada e quem a vê
frequentemente sabe apreciar as obras dos grandes autores.

3. Sujeito Nulo – não está expresso e pode apresentar


variantes.
3.1. Sujeito Nulo Subentendido – o sujeito, embora não
explícito, pode ser recuperado a partir do contexto.
Ex: O João e o Pedro visitaram o museu, em seguida
aproveitaram para telefonar aos amigos e contaram a visita.

3.2. Sujeito Nulo Indeterminado – não se sabe sobre quem


recai a afirmação.
Ex: Dizem que esse livro é bom.

Porto Editora
3.3. Sujeito Nulo Expletivo – quando as formas verbais
que iniciam as frases não têm sujeito, pois referem-se a
fenómenos da natureza:
Ex: Choveu durante toda a noite.
Anoiteceu rápido.

Também não é possível identificar o sujeito em inícios de


narrativa:
Ex: Há muito tempo, quando os animais falavam…

Ou noutras frases, que frequentemente usamos, também com


o verbo haver, no sentido de existir:
Ex: Há muitos alunos que gostam de ler.

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL
DA FRASE

Predicado
Função sintática desempenhada
por grupos verbais.

Ex.:

O Pedro viu um filme ontem. (verbo + CD + modificador do GV)

Neva. (verbo)

A Rita é enfermeira. (verbo + predicativo do sujeito)

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL
DA FRASE

Vocativo
Função sintática desempenhada por um constituinte usado
para interpelar o interlocutor. Ocorre frequentemente em
frases imperativas, interrogativas e exclamativas. O vocativo
representa, sintaticamente, a pessoa a quem nos dirigimos.
Distingue-se do sujeito porque está isolado por vírgulas e não é
com ele que o verbo concorda. Pode surgir em diferentes locais
da frase.

Ex.: Pedro, come a sopa!


Enganaste bem o professor, Vasco.

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL
DA FRASE

Modificador de frase
Função sintática desempenhada por grupos adverbiais,
preposicionais ou algumas orações subordinadas adverbiais e que
não é exigida pela frase ou oração com que se relaciona. A função
sintática de modificador de frase pode ser desempenhada por
grupos adverbiais que incidem sobre a totalidade da frase. O
modificador de frase com a forma de grupo adverbial não pode
ser interrogado nem negado.
Ex.:
Irei ficar em casa, infelizmente. (grupo adverbial)

Irei ficar em casa, com certeza. (grupo preposicional)

Irei ficar em casa, se chover. (oração)


Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL
DA FRASE

Valores do modificador de frase


O modificador de frase pode apresentar os
seguintes valores:

• transmitir a opinião, o ponto de vista do falante em relação ao


que diz;
Ex.: Infelizmente, o concerto foi cancelado. (opinião do falante)

• fazer referência a um determinado domínio ou área do saber


(História, Biologia, Filosofia, etc.).
Ex.: Arquitetonicamente, este edifício é riquíssimo. (área da
Arquitetura)

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Complemento direto
Função sintática exigida por verbos transitivos
diretos e desempenhada por grupos nominais ou
por orações subordinadas substantivas.

Ex.:

O Vasco terminou o livro. (grupo nominal)

O médico disse que tens de fazer exercício. (oração)

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Complemento indireto
Função sintática exigida por verbos
transitivos indiretos e desempenhada por
grupos preposicionais.

Ex.:

O Jaime telefonou à namorada.

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Complemento oblíquo
Função sintática exigida por verbos transitivos indiretos e
desempenhada por grupos preposicionais ou adverbiais ou
qualquer um destes coordenados. Este complemento é
selecionado pelo verbo, constituindo com ele uma unidade. A sua
supressão pode originar agramaticalidades (incorreções) ou
alterações de sentido.

Ex.: A Rita gosta de sopa. / A Maria mora em Sintra (grupo preposicional)

Aquela criança porta-se mal. (grupo adverbial)

Vives aqui ou no Algarve? (coordenação de grupo adverbial e de grupo


preposicional)
Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Complemento agente da passiva


Função sintática desempenhada por grupos preposicionais
e exclusiva de frases passivas, correspondendo ao sujeito da
frase ativa. É uma função sintática desempenhada, numa frase
passiva, por uma expressão iniciada geralmente pela
preposição por, precedida de um verbo na passiva.

Ex.:
O bolo foi feito pela avó.

A árvore foi quebrada pelo vento.

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Predicativo do complemento direto


Função sintática que atribui propriedades ao
Complemento Direto, exigida por alguns verbos
transitivos-predicativos (achar, chamar, considerar, julgar,
tratar, eleger, nomear…) e desempenhada por grupos
nominais, adjetivais ou preposicionais.

Ex.:
Ele nomeou o Tomás subdiretor. (grupo nominal)

O Rui acha a Matilde belíssima. (grupo adjetival)

Eu considero essa piada de mau gosto. (grupo preposicional)


Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Predicativo do sujeito
Função sintática que atribui propriedades ao sujeito,
exigida por verbos copulativos (ser, estar, parecer,
permanecer, ficar, continuar…) e desempenhada por
grupos nominais, adjetivais, preposicionais ou adverbiais.

Ex.:
A Rita é engenheira. (grupo nominal)

O leite continua quentíssimo! (grupo adjetival)

O meu pai está em casa. (grupo preposicional)

A reunião foi ontem. (grupo adverbial)


Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Modificador do grupo verbal


Função sintática desempenhada por grupos adverbiais,
preposicionais ou orações e que não é exigida pelo grupo verbal
com que se relaciona. O modificador do grupo verbal não é
selecionado pelo verbo (não faz parte de uma construção
exigida pelo verbo) e pode, por isso, ser eliminado.

Ex.:
Os alunos terminaram a ficha rapidamente. (grupo adverbial)

O Pedro comprou uma revista no quiosque. (grupo preposicional)

Eu fiz os exercícios quando cheguei a casa. (oração)

Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO VERBAL

Valores do modificador do grupo verbal

• valor temporal
Ex.: Ontem fui jantar com os meus avós.
Sempre que vieres à Madeira, vem visitar-me.

• valor espacial (ou locativo)


Ex.: A Joana caiu no recreio.
Perdi o relógio aí.

• valor modal (ou de modo)


Ex.: Eu desci as escadas lentamente.
Atravessa a estrada com cuidado!
Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO NOMINAL

Modificador do nome
Função sintática desempenhada por grupos nominais,
adjetivais, preposicionais ou alguns tipos de orações e que não é
exigida pelo nome com que se relaciona. Trata-se de um grupo de
palavras que não é essencial ao nome para que este complete o
seu sentido, pelo que pode ser omitido da frase. O modificador do
nome encontra-se, habitualmente, à direita do nome.

Ex.:
D. Dinis, o Lavrador, mandou plantar o pinhal de Leiria. (grupo nominal)

Comprei uma camisola verde. (grupo adjetival)

O Pedro está a comer um gelado de limão. (grupo preposicional)

O homem que vive nesta casa é médico. (oração)


Porto Editora
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS
AO GRUPO NOMINAL

Modificador do nome
Os modificadores (de nome) subdividem-se em modificadores
restritivos e modificadores apositivos.

- Modificador Restritivo
Modificador do nome que restringe a referência do
nome sobre o qual incide.
Pode ser constituído por:
 uma oração adjetiva relativa restritiva
Ex: Os alunos que estudaram passaram de ano.
 um adjetivo
Ex: Ele comprou um livro interessante.
 um grupo preposicional
Ex: Galinha de aldeia não quer capoeira.
FUNÇÕES SINTÁTICAS INTERNAS AO
GRUPO NOMINAL
- Modificador Apositivo
Modificador do nome que não restringe a referência do nome
sobre o qual incide.
O Modificador Apositivo é sempre isolado por vírgulas e pode ser
constituído por:
 um grupo nominal
Ex: Gil Vicente, autor do século XVI, escreveu inúmeras peças
de teatro.
 um grupo adjetival
Ex: O Diabo, malicioso e irónico, ia apontando os defeitos dos
condenados.
 um grupo preposicional
Ex: A viagem marítima à Índia, de importância indiscutível para
a época, durou meses.
 uma oração subordinada adjetiva explicativa
Ex: Os arcaísmos, que são frequentes em Gil Vicente, dificultam
a compreensão do texto.
Em síntese:
Funções sintáticas

ao nível da frase internas ao grupo verbal internas ao grupo nominal

Sujeito C. direto Modificador do nome

Predicado C. indireto

Vocativo C. oblíquo

Modificador de frase C. agente da passiva

Predicativo do c. direto

Predicativo do sujeito

Modificador do GV

Porto Editora

Você também pode gostar