Você está na página 1de 21

A FORMADORA: Cidália Correia

A Formadora: Cidália Correia 1


A Formadora: Cidália Correia 2
Barreiras da Comunicação

Quando queremos comunicar, ou seja, emitir mensagens


para que estas sejam compreendidas, nem sempre o
conseguimos de uma forma eficaz.

Entende-se por barreiras à comunicação os obstáculos que


dificultam a emissão e/ ou recepção de mensagens.

A Formadora: Cidália Correia 3


Barreiras Internas

1. Não partilha linguagem ou códigos;


2. Utilização de palavras ambíguas;
3. Diferentes valores e crenças, entre emissor e receptor;
4. Características pessoais (inibições, medos, etc..);
5. Referir ideias ou sentimentos não adaptados à situação comunicacional;
6. Diferenças contrastantes nos estatutos e papéis sociais
desempenhados;
7. Não distinguir opiniões e factos;
8. Estados particulares de doença ou cansaço.

A Formadora: Cidália Correia 4


Barreiras Externas

Externo ao indivíduo

1. A distância entre emissor e receptor, provocada pela existência


de aspectos físicos separadores como balcões, vidros;

2. Aspectos de natureza mais física do espaço que prejudicam o


bem estar dos interlocutores, como temperatura, a iluminação.

A Formadora: Cidália Correia 5


Ao nível do Emissor e Receptor:
- Codificação
- Expressão
- Audição
- Descodificação
Tipos de - Interpretação
Barreiras da
Comunicação Ao nível do Contexto

Ao nível do Meio

Ao nível do Código

Ao nível da Mensagem

A Formadora: Cidália Correia 6


Ao Nível do Emissor e do Receptor
Construção da ideia a nível conceptual.
Colocam-se questões de âmbito psicológico e mental.
Faz-se apelo à capacidade de abstracção e raciocínio.

Codificação
Colocam-se questões do domínio do código (caso da língua) e de
capacidade verbal.

Expressão
No caso da comunicação verbal oral, colocam-se questões de foro
fisiológico como dificuldades de pronúncia, ou do foro psíquico, como
gaguez e outras.
A Formadora: Cidália Correia 7
Audição
Relativamente ao receptor – questões que podem ser de foro
fisiológico, como a surdez, ou também de outra ordem como seja um
excessivo cansaço, que possa dificultar a concentração.

Descodificação
Aqui coloca-se como ao emissor, mas em sentido contrário, a questão
do conhecimento do código utilizado.

Interpretação
O receptor vai confrontar a mensagem com o seu quadro referencial, ou
seja, os seus conhecimentos, opiniões, valores, etc...

A Formadora: Cidália Correia 8


Ao Nível do Contexto
Existem contextos mais adequados ou menos adequados a cada tipo
de comunicação.

Ao Nível do Meio
Também aqui, o meio utilizado para suportar ou veicular a mensagem
nem sempre é o mais adequado. Deste modo, é necessário que exista
uma certa coerência, entre o tipo de mensagem e os objectivos a
alcançar.

A Formadora: Cidália Correia 9


Ao Nível do Código
Este elemento tem de ser partilhado pelos interlocutores para que o
emissor possa codificar e o receptor descodificar a mensagem.

Ao Nível da Mensagem
A mensagem deverá ser oportuna, pertinente, motivadora, para suscitar
a atenção do receptor. Podem existir situações de recusa à mensagem,
que dificulta ou impossibilita a comunicação.

A Formadora: Cidália Correia 10


Deste modo se pretendemos uma
comunicação eficaz, temos de estar
atentos, a todos os elementos do
processo de comunicação, a
começar por nós próprios.

Comunicar torna-se, assim, uma arte de bem gerir mensagens,


enviadas e recebidas, nos processos interaccionais. Mas não só. O
tempo, o espaço, o meio físico envolvente, o clima relacional, o
corpo, os factores históricos da vida pessoal e social de cada
indivíduo em presença, as expectativas e os sistemas de
conhecimento que moldam a estrutura cognitiva de cada actor
social condicionam e determinam o jogo relacional dos seres
A Formadora: Cidália Correia 11
Como minimizar as barreiras 

Usar linguagem apropriada e directa.


Fornecer informações claras e completas.
Usar canais múltiplos para estimular os vários sentidos do receptor
(visão, audição etc.).
 Dar relevância ao feedback.
Comunicação face a face.
Escuta activa. Participemos activamente da comunicação.
Empatia.  Colocar-se na posição ou situação da outra pessoa, num
esforço de entendê-la.

A Formadora: Cidália Correia 12


Barreiras da
Comunicação

Mensagem Mensagem
tal como é tal como é
enviada recebida

Barreiras da
Comunicação

A Formadora: Cidália Correia 13


Provocam distorções entre o que é dito e o que é ouvido.
Físicas
Ex: ruídos, falta de concentração, surdez, deficiente
dicção, etc.

Dificultam a compreensão da mensagem.


Intelectuais
Ex: capacidades intelectuais, conhecimentos técnicos
sobre o assunto, educação, etc.

Provocadas pelas atitudes para com o outro, pelos


Psicológicas
sentimentos de rejeição ou não empatia, pelos
preconceitos, pelo medo ou insegurança na situação, e
que conduzem a que, apesar de compreender o outro, não
aceite os seus pontos de vista.
Ex: ansiedade em não abdicar do seu ponto de vista.

A Formadora: Cidália Correia 14


O emissor pressupõe que foi compreendido, porque é
Do auto-
explícito e conhecedor do que pretende emitir, no
convencimento
entanto o receptor pode nem ouvir, nem compreender
o que o outro realmente pretende dizer.
Ex: ambos a dizerem a mesma coisa por palavras
diferentes.

Afirmação que se apresenta como verdadeira sem que


Boato ou rumor
no entanto existam dados concretos que permitam
verificar a sua veracidade.

A Formadora: Cidália Correia 15


A Formadora: Cidália Correia 16
Exercício:
Comentários – Que tipo de barreiras há?

A Formadora: Cidália Correia 17


A Formadora: Cidália Correia 18
Pai, mãe, este é o
meu novo namorado!
Mais conhecido
por “Homem Metal”.

A Formadora: Cidália Correia 19


Já tens o
relatório
pronto?
Ai! O
meu
pescoço!
!


-
ma me
mi is de
n z
Ai! utos
mi As .
n
cos has
tas
!!

A Formadora: Cidália Correia 20


Nem
morto.
Viva Viva
EU! antes EU!

A Formadora: Cidália Correia 21