Você está na página 1de 16

ESTRADAS

Aula 1
Engª Heloísa Monte Oliveira
Bacharela em História
Bacharela em Engenharia Civil – FTC
Pós-Graduada em Planejamento, Gestão e Controle de Obras – FTC
Pós-Graduada em Engenharia de Estruturas– UNIGRAD
Mestranda em Engenharia Industrial
1. HISTÓRICO

 Até 1922 – não existiam estradas de rodagem no país, os poucos veículos


destinavam-se ao transporte urbano nas grandes cidades;

 1928 – Pres. Washington Luiz inaugurou a 1ª ligação entre Rio – São Paulo e a
estrada que liga o Rio à Petrópolis.

 Hoje, existem mais de 300.000 Km de estradas de 1ª, 2ª e 3ª classe (federais,


Estaduais e Municipais).

 Atualmente, tem-se mais de 37.000 Km de Vias Férreas.

 1854 – Inaugurada a “Estrada de ferro Mauá”, construída por Irineu


Evangelista de Souza, o Barão de Mauá. Extensão = 16Km.
2. CLASSIFICAÇÃO DAS ESTRADAS
 Quanto ao tipo, as estradas podem ser classificadas em dois
grandes grupos:

1º . ESTRADAS DE FERRO

São divididas, quanto à importância, em Estradas de Ferro TRONCOS,


SECUNDÁRIAS e as LIGAÇÕES.
As ferrovias podem ser classificadas, também, quando a bitola (distância
entre os trilhos). No Brasil, tem-se quatro tipos de bitola: 0,75 m; 1,00 m; 1,435
m e 1,60 m.
2. CLASSIFICAÇÃO DAS ESTRADAS
 Quanto ao tipo, as estradas podem ser classificadas em dois
grandes grupos:

2º . ESTRADAS DE RODAGEM
As estradas de rodagem, nas funções econômicas e sociais que desempenham,
podem ser classificadas sob diversos pontos de vista, porém, a mais importante é
aquela baseada nas características técnicas, pois permite a definição de uma série
de limites geométricos de traçado rodoviário.
2. CLASSIFICAÇÃO DAS ESTRADAS
Os vários tipos de classificação são:
a) Quanto a proximidade de aglomerados populacionais.
• URBANAS
• RURAIS

b) Quanto à Função.
• ARTERIAIS
• COLETORAS
• LOCAIS

c) Quanto à Jurisdição.
• LOCAIS
• MUNICIPAIS
• ESTADUAIS
• INTERESTADUAIS
• FEDERAIS
CLASSIFICAÇÃO DAS ESTRADAS
Os vários tipos de classificação são:
d) Quanto à Utilização.
• PIONEIRAS
• VICINAIS
• TURÍSTICAS
• COMERCIAIS OU ESTRATÉGICAS.

e) Quanto ao tipo de tráfego.


• TRÁFEGO LEVE
• TRÁFEGO MÉDIO
• TRÁFEGO PESADO

f) Quanto ao tipo de tráfego.


• VIAS EM REGIÃO PLANA
• VIAS EM REGIÃO ONDULADA
• VIAS EM REGIÃO MONTANHOSA
• VIAS EM REGIÃO ESCARPADA
CLASSIFICAÇÃO DAS ESTRADAS

g) Quanto as condições técnicas.


Este tipo de classificação é em função do tráfego que ela deverá apresentar no 10º
ano após a sua abertura (ano-horizonte de projeto) sendo representado pelo Volume
Médio Diário (VMD) ou pelo Volume Médio Horário (VMH) no ano-horizonte de projeto –
10º ano após sua abertura.
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO

1. Noções de tráfego
1.1 INTRODUÇÃO

No que diz respeito a uma rodovia, um dos principais elementos que vai determinar as
suas características futuras é o tráfego que a mesma deverá suportar. O projeto
geométrico de uma estrada de rodagem é condicionado, principalmente, pelo tráfego
previsto para nela circular.
O tráfego permite:
• estabelecimento da Classe de Projeto da Estrada
• adequado dimensionamento de todos os seus elementos
• aspecto operacional, o qual depende, basicamente, da demanda de tráfego, ou seja, o
seu volume de tráfego
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO
CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DO TRÁFEGO
1.2 Volume de Tráfego
Por definição é o número de veículos que passa por uma determinada seção de uma estrada,
num determinado intervalo de tempo.
Volumes Utilizados:
a. Volume Anual
É a quantidade total de veículos que passa numa estrada durante o período de um ano. Ele é
utilizado quando se deseja estimar a receita para a implantação de pedágios, e quando se quer
determinar índice de acidentes .
b. Volume Médio Diário (VMD)
É a quantidade média de veículos que passa numa seção da estrada, durante um dia.
c. Variações Mensais
Ocorrem durante os diversos meses do ano, sendo a flutuação verificada através dos volumes
observados mensalmente.
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO
d. Variações Anuais
São variações que ocorrem de ano para ano, como uma decorrência, basicamente, do
desenvolvimento econômico da região, resultando no crescimento da demanda de tráfego.

1.3 TIPOS DE TRÁFEGO EM UMA RODOVIA

Podemos classificar o tráfego de uma rodovia em 3 tipos principais:

a. Tráfego Existente (Atual)

É o tráfego que utiliza a estrada no ano em que se faz o estudo.

b. Tráfego Desviado

É o tráfego existente em outras estradas e que passa a utilizar a estrada em questão, no


momento em que são realizados melhoramentos ou no momento em que é terminada a construção
da mesma.
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO
c. Tráfego Gerado

É o tráfego potencial que não existia e que passa a existir pelo efeito do melhoramento ou
da construção, com consequente desenvolvimento da região. Ela é normalmente efetuada através
de estudos econômicos.

1.4 COMPOSIÇÃO DO TRÁFEGO EM UMA RODOVIA


O tráfego é composto por veículos que diferem entre si quanto ao tamanho, peso e
velocidade. Os veículos, de uma maneira geral, são classificados em leves (automóveis,
camionetes, etc) e pesados (caminhões, ônibus, etc.).
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO

1.5 CAPACIDADE DE ESCOAMENTO DE TRÁFEGO DE UMA RODOVIA

Capacidade de uma via (rua ou estrada) é o número máximo de veículos que pode
passar por uma determinada seção, em uma direção ou ambas, durante a unidade
de tempo, nas condições normais de tráfego e da via.

A capacidade de uma via depende de quanto as condições físicas e de tráfego,


prevalecentes na referida via, distanciam-se das condições consideradas ideais.
Para efeito de análise, define-se como condições ideais:
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO

Para efeito de análise, define-se como condições ideais:

Condições Físicas:

• Largura da faixa de tráfego maior ou igual a 3,60 metros;


3. NOÇÕES DE TRÁFEGO

Para efeito de análise, define-se como condições ideais:

Condições Físicas:

• Existência de acostamento e que tenha uma distância lateral livre de 1,80


metros, sem qualquer obstáculo que reduza a visibilidade;
• Existência de canteiro central;
• Existência de faixas especiais de aceleração, desaceleração e de retorno nos
cruzamentos.
• Pavimentos em boas condições de uso;
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO
3. NOÇÕES DE TRÁFEGO

Condições de Tráfego
• Tráfego composto exclusivamente de veículos de passeio;
• Existência de controle total de acesso;
• Fluxo contínuo, livre de interferências laterais de veículos e pedestres.

Capacidade Teórica das vias: