Você está na página 1de 64

Prof. Esp.

LEONARDO DE SOUZA
Farmacêutico-Bioquímico
Especialista em Farmacologia Clínica
Mestrando em Imunologia e Parasitologia

FORMAS FARMACÊUTICAS e
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO
Formas farmacêuticas
• É a forma física de apresentação de um
medicamento, ou seja, se ele foi produzido
na forma sólida (comprimidos, cápsulas,
pós), forma líquida (soluções, elixir, xarope),
semi-sólida (pasta, pomada, gel, creme)...
FORMAS SÓLIDAS
• PÓ (Anvisa): forma farmacêutica sólida
contendo um ou mais princípios ativos secos e
com tamanho de partícula reduzido, com ou
sem excipientes.
FORMAS SÓLIDAS
• GRANULADOS (Anvisa): forma farmacêutica
sólida contendo uma dose única de um ou
mais princípios ativos, com ou sem
excipientes. Consiste de agregados sólidos e
secos de volumes uniformes de partículas de
pó resistentes ao manuseio.
Pó x Granulado
Pó (“mais fino”)

Granulado (“mais grosso”)


FORMAS SÓLIDAS
• COMPRIMIDOS (Anvisa): forma farmacêutica
sólida contendo uma dose única de um ou
mais princípios ativos, com ou sem
excipientes, obtida pela compressão de
volumes uniformes de partículas. Pode ser de
uma ampla variedade de tamanhos e
formatos, apresentar marcações na superfície
e ser revestido ou não.
COMPRIMIDOS
• (sem revestimento)
COMPRIMIDOS
• Revestidos
COMPRIMIDOS
• Dispersíveis
COMPRIMIDOS
• Liberação prolongada ou liberação retardada
COMPRIMIDOS
• Efervescentes
COMPRIMIDOS
• Sublinguais
COMPRIMIDOS
• Mastigáveis
FORMAS SÓLIDAS
• DRÁGEAS: são Formas farmacêuticas
recobertas por diversas camadas de açúcar,
ceras e outros adjuvantes, que conferem
proteção e resistência às agressões do ácido
gástrico.
CONSIDERAÇÕES GERAIS
PARA O USO DE
COMPRIMIDOS, DRÁGEAS .

• Jamais quebrar ou partir qualquer tipo de


comprimidos e drágea;
• Não mastigar (com exceção dos mastigáveis);
• Tomar com água (usar com outras bebidas,
converse antes com o farmacêutico);
• OS COMPRIMIDOS DEVEM SER TOMADOS
SEM SOFRER MUDANÇA FÍSICA.
Formas sólidas
• CÁPSULAS (ANVISA): forma farmacêutica
sólida na qual o(s) princípio(s) ativo(s) e/ou os
excipientes estão contidos em invólucro
solúvel duro ou mole, de formatos e
tamanhos variados, usualmente contendo
uma dose única do princípio ativo.
Normalmente é formada de gelatina, mas
pode também ser de amido ou de outras
substâncias.
Formas sólidas
• Cápsula

O conteúdo interno de uma


cápsula pode ser um pó,
grânulos, pellets e até
mesmo líquido.
CONSIDERAÇÕES GERAIS
quanto à utilização de
Cápsulas.

• Jamais abrir e dissolver o conteúdo da cápsula em


um líquido;

O invólucro de gelatina da cápsula irá garantir a


proteção do princípio ativo, presente na fórmula, da
agressão do ácido clorídrico produzido pelo
estômago.
Formas sólidas
• SUPOSITÓRIO (ANVISA): forma farmacêutica
sólida de vários tamanhos e formatos,
adaptada para introdução no orifício retal,
vaginal ou uretral do corpo humano,
contendo um ou mais princípios ativos
dissolvidos ou dispersos numa base adequada.
Os supositórios fundem-se, derretem ou
dissolvem na temperatura do corpo.
Formas sólidas
• SUPOSITÓRIO
Formas sólidas
• ÓVULO (ANVISA): forma farmacêutica sólida
de dose única que pode ter vários formatos,
mas que é usualmente ovóide. Contém um ou
mais princípios ativos dispersos ou dissolvidos
em uma base adequada. Adaptado para
introdução no orifício vaginal, fundem-se,
derretem ou dissolvem na temperatura do
corpo.
Formas sólidas
• Óvulo
Formas líquidas
• SOLUÇÃO (ANVISA): forma farmacêutica
líquida límpida e homogênea, que contém um
ou mais princípios ativos dissolvidos em um
solvente adequado.
Existem vários tipos de soluções:
ELIXIR,
COLUTÓRIO,
SOLUÇÃO GOTAS, SOLUÇÃO
SPRAY,
SOLUÇÃO INJETÁVEL.
Formas líquidas
• SUSPENSÃO (ANVISA): forma farmacêutica
líquida que contém partículas sólidas
dispersas em um veículo líquido, no qual as
partículas não são solúveis.
Sabe aquele medicamento líquido
que quando deixado em repouso
ele separa o pó do líquido? Como
um suco de caju ou tamarindo?
Isso é uma suspensão.

Existem antiácidos e antibióticos


que apresentam essa forma.
Formas líquidas
• SUSPENSÃO
Formas líquidas
• EMULSÃO (ANVISA): forma farmacêutica
líquida de um ou mais princípios ativos que
consiste de um sistema de duas fases que
envolvem pelo menos dois líquidos imiscíveis
e na qual um líquido é disperso na forma de
pequenas gotas (fase interna ou dispersa)
através de outro líquido (fase externa ou
contínua). Normalmente é estabilizada
através de um ou mais agentes emulsificantes.
Formas líquidas
• EMULSÃO
Formas líquidas
• XAMPU (ANVISA): solução ou suspensão,
contendo um ou mais princípios ativos, para
aplicação na superfície do couro cabeludo.
Formas líquidas
• XAROPE (ANVISA): forma farmacêutica
aquosa caracterizada pela alta viscosidade,
que apresenta não menos que 45% de
sacarose ou outros açúcares na sua
composição. Os xaropes geralmente contêm
agentes flavorizantes (que dão sabor a
formulação).
CONSIDERAÇÕES GERAIS
quanto à utilização de
soluções, suspensões,
emulsões, xaropes.

• Jamais diluir quantidades ou doses do medicamento;


• Esperar alguns minutos após a administração oral de
formas líquidas para ingerir água;
• Administrar a quantidade recomendada ou prescrita.
Formas semi-sólidas
• POMADA (ANVISA): forma farmacêutica semi-
sólida para aplicação na pele ou nas
membranas mucosas, que consiste de solução
ou dispersão de um ou mais princípios ativos
em baixas proporções em uma base
adequada.
Formas semi-sólidas
• CREME (ANVISA): forma farmacêutica semi-
sólida que consiste de uma emulsão, formada
por uma fase lipofílica e uma fase aquosa.
Contém um ou mais princípios ativos
dissolvidos ou dispersos em uma base
apropriada e é utilizado normalmente para
aplicação externa na pele ou nas membranas
mucosas.
Formas semi-sólidas
• GEL (ANVISA): forma farmacêutica semi-sólida
com um ou mais princípios ativos, que contém
um agente gelificante para fornecer firmeza a
uma solução ou dispersão coloidal (um
sistema no qual partículas de dimensão
coloidal – tipicamente entre 1 nm e 1 mm –
são distribuídas uniformemente através do
líquido). Um gel pode conter partículas
suspensas.
CONSIDERAÇÃO GERAl
quanto à utilização de gel,
creme, pomada.

• Como esses produtos são de uso externo, deve-se limpar e lavar


a região a ser aplicada;

• Aplicar com movimentos circulares e de modo a “desaparecer o


produto” no local aplicado.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Extraído de: ANVISA, 2010. O que devemos saber sobre medicamentos.
• Classific
Vias de administração ação
• Classificação
Vias de Administração
• Classificação
Vias de Administração
Via oral
• Vantagens
• Facilidade de Administração
• Via de administração mais comum
• Distribuição do fármaco é lenta, evita-se a
ocorrência de níveis sanguíneos elevados
de uma forma rápida.
• Menor probabilidade de efeitos adversos
• Possibilidade do uso de lavagem gástrica,
em caso de intoxicação.
Via oral
• Desvantagens
• Variação da taxa de absorção
– motilidade gastrointestinal
– fluxo sanguíneo esplênico
– tamanho das partículas e formulação
– fatores físico-químicos
• Efeito de primeira passagem
• Irritação da mucosa gástrica
• Contra-indicação:
• náuseas e vômitos
• diarreias
• pacientes com dificuldades para engolir
Via oral
• Medicamentos que devem ser tomados com o
estômago vazio:
– Necessitam do ambiente mais ácido do estômago para
poderem ser absorvidos
– Norfloxacino, Captopril, Omeprazol, Cefalexina, Cefadroxila,
Azitromicina, Doxiciclina, Loratadina, Sulfato ferroso,
Rifampicina, Ciprofloxacino (pode ser tomado com refeições
leves, desde que não contenham leite e derivados)
– Estômago vazio é considerado quando se está em jejum, ou 1
hora antes ou 2 depois das refeições.
• Medicamentos que devem ser tomados com alimentos
(estômago cheio):
– Cetoconazol, Itraconazol, Hidralazina, Pentoxifilina,
Predinisona, Valproato  de sódio, Carbamazepina
• Medicamentos que podem ser tomados com o
estômago cheio ou vazio:
– Alopurinol, Amoxicilina, Amiodarona, Diclofenaco
Via Cutânea
• Vantagens:
– Minimiza a ocorrência de efeitos adversos
sistêmicos (Uso Tópico)
– Evita o efeito de primeira passagem
• Desvantagens:
– Absorção pobre e errática
– Irritação local e alergias
– Fotossensibilidade
Via Cutânea
• Via Transdérmica (Uso Sistêmico)
– Alguns medicamentos podem ser administrados pela
aplicação de um emplastro à pele.
– A via transdérmica permite que o medicamento seja
fornecido de forma lenta e contínua, durante muitas
horas ou dias, ou mesmo por mais tempo.
– Além disso, a via transdérmica fica limitada pela
velocidade com que a substância pode atravessar a pele.
– Alguns exemplos são: nitroglicerina (para angina),
escopolamina (contra o enjôo de viagem), nicotina (para
a cessação do fumo), clonidina (contra a hipertensão) e
fentanil (para o alívio da dor).
Via retal
• É a introdução de medicamento no reto, em
forma de supositórios ou clister medicamentoso.
• Empregada para administração de ação local ou
sistêmica
• O revestimento fino do reto e a irrigação
sanguínea abundante permitem uma absorção
rápida do fármaco.
• 50% do fluxo venoso retal tem acesso à circulação porta.
• Vantagens:
• Pode ser usada quando o paciente não podem ingerir medicamento
• Boa opção para uso pediátirco
• Parte do medicamento não sofre efeito de primeira passagem
• Não produz irritação gástrica
Via retal
• Desvantagens:
– Absorção errática e irregular
– Pode irritar a mucosa anal
– Pode desencadear o reflexo de
defecação
– Muitos pacientes tem aversão
por esta via
Via intradérmica
Via subcutânea
IM deltóide
IM ventroglútea
IM dorso glútea
IM vasto lateral
Formas farmacêuticas x Vias de
administração
• Via Oral
– Sólidos Orais: Comprimidos , Cápsulas, Pós, Granulados (efervescentes, de
Chocolate)
– Líquidos Orais: Soluções, Xaropes, Suspensões, Magmas, Géis, Emulsões
• Via Sublingual
– Sólidos: Comprimidos, Pastilhas
– Líquidos: Soluções, Sprays
• Via Cutânea - Transdérmica:
– Semi-sólidos: Cremes, Géis
– Especiais: Adesivos Transdérmicos (Discos , patches)
• Via Cutânea – Epidérmica:
– Semi-sólidas: Cremes, Loções, Pomadas, Pastas
– Líquidas: Soluções
– Sólidas: Pós
Vias de administração x Formas
farmacêuticas
• Via Oftálmica, Conjuntival
– Semi-sólidas: Pomadas
– Líquidas: Soluções

• Via Cutânea – Epidérmica:


– Semi-sólidas: Cremes, Loções, Pomadas, Pastas
– Líquidas: Soluções
– Sólidas: Pós

• Via Auricular
– Líquidas: Soluções
Formas farmacêuticas x Vias de
administração
• Via Nasal
– Líquidas: Soluções
– Semi-sólidas: Pomadas
– Especiais: Sprays

• Retal
– Sólidas: Supositórios, Cápsulas Retais
– Semi-solidas: Pomadas, Cremes, Gel (Pomada geléia)

• Via Vaginal
– Sólidos: Óvulos, Comprimidos vaginais, Cápsulas vaginais
– Semi-sólidas: Cremes, Pomadas, Gel (Pomada geléia)
– Soluções