Você está na página 1de 38

Preparo e

administração de
Medicamentos
DAS
Profª Ms Daisy Cristina Rodrigues
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS
A administração de medicamentos, é uma
prática realizada nas instituições hospitalares e
de atenção básica sob responsabilidade da
equipe de enfermagem, deve ser vista por todos
os profissionais de saúde envolvidos com a
terapia medicamentosa.
PREPARO DO
MEDICAMENTO PROCESSO

Recuperação Prescrição
do paciente médica

Avaliação da Dispensação
resposta farmácia

Administração
do Aprazamento
medicamento

Preparo do
medicamento
No que diz respeito a enfermagem que é a ponta
final do processo, quais são os pontos a se
atentar na administração de medicamentos:
◦ procedimentos técnicos ;
◦ identificar os caminhos percorridos pelo
medicamento;
VIAS DE
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS
Via oral;
Sublingual;
Gástrica;
Cutânea ou tópica;
Transdérmica;
Nasal;
Ocular;
Auricular;
Retal;
Vaginal;
VIAS DE
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS

VIA PARENTERAL

Intramuscular
Endovenosa ou intravenosa
Intradérmica
Subcutânea
VIAS DE
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS

VIA PARENTERAL

Intramuscular
Endovenosa ou intravenosa
Intradérmica
Subcutânea
CARACTERÍSTICAS DA ENFERMAGEM
DENTRO DO SISTEMA DE MEDICAÇÃO

• Permanece 24 horas dentro do hospital e da unidade.


• Sofre grande pressão para detectar os erros.
• Muito responsabilizada por erros e danos.
• Sua ação pode ser crucial entre um erro identificado e
evitado e um erro concretizado.
Ações da equipe de Quan
higie do

enfermagem:
nizar

Verificar prescrição;
Higienizar as mãos para evitar
infecções
A técnica de higienização
simples das mãos

A técnica de fricção
antisséptica das mãos
Ações da equipe de
enfermagem:
Todos os medicamentos devem ser organizados e preparados em
ambiente limpo e seguro (boa iluminação, baixo nível de ruídos,
boa ventilação, espaço físico e mobiliário/materiais adequados);
Realizar desinfecção da bandeja;
Não conversar durante o preparo de medicamentos;
Não administrar medicamento preparado por outra pessoa;
Orientar o paciente quanto:
◦ Nome do medicamento;
◦ Ação da medicação;
11 CERTOS DA
ADMINISTRAÇÃO DE
MEDICAMENTOS

IMP
ORT
ANT
E
1. Paciente certo
conferir nome e sobrenome,
verificando a prescrição médica
com a identificação do paciente,
solicitando ao mesmo que
confirme. A utilização do nome
incompleto e do nome abreviado
deve ser excluída da prática dos
serviços.
1. Paciente certo

Se o paciente não apresenta


condições de se identificar, a
confirmação deve ser realizada
com os familiares
2. Medicamento certo:
Certificar na prescrição qual é o medicamento, lendo o
rótulo; atenção aos medicamentos com semelhança na
aparência e pronúncia do nome. Atentar quanto às alergias.
2. Medicamento certo:
Certificar na prescrição qual é o medicamento, lendo o
rótulo; atenção aos medicamentos com semelhança na
aparência e pronúncia do nome. Atentar quanto às alergias.
2. Medicamento certo:
3. Hora certa
Aplicar no horário previsto na prescrição e no
espaço de tempo determinado
4. Via certa
Certificar a via mediante prescrição, antes de
aplicar
4. Via certa
5. Dose certa

ÇÃO
N
ATE

Certificar a dose e
apresentação do
medicamento, comparando
com o preparado
6. Tempo certo
Na aplicação de medicamentos, respeitar o tempo
de infusão previsto.
7. Validade certa
Conferir a data de validade.
8. Abordagem
Esclarecer ao paciente qualquer dúvida referente à
medicação e como a mesma será feita ,
consideração o seu direito de recusa.
8. Abordagem
Observar cuidadosamente o paciente,
para identificar, quando possível, se o
medicamento teve o efeito desejado;
Deve-se manter clara a comunicação com
o paciente e/ou cuidador;
Considerar a observação e relato do
paciente e/ou cuidador sobre os efeitos
dos medicamentos administrado, incluindo
respostas diferentes do padrão usual;
9. Registro adequado
Realizar o registro escrito, em prontuário, das
intervenções farmacêuticas realizadas.
◦ Registrar na prescrição o horário da administração do
medicamento.
◦ Checar o horário da administração do medicamento a
cada dose.
◦ Registrar todas as ocorrências relacionadas aos
medicamentos, tais como adiamentos, cancelamentos,
desabastecimento, recusa do paciente e eventos
adversos.
10. Orientação
Orientar e instruir o paciente sobre
qual medicamento está sendo
administrado (nome), justificativa da
indicação, efeitos esperados e
aqueles que necessitam de
acompanhamento e monitorização.
11.Armazenamento
Distribuição e acondicionamento de medicações nos
postos de enfermagem são fatores sistemáticos que
podem contribuir para erros de medicação e danos aos
pacientes
Ações da equipe de
enfermagem:
As interações medicamentosas podem ser evitadas
possibilitando ao paciente maior segurança, menor
tempo de hospitalização e gasto.
Observar quanto a administração de vários
medicamentos no mesmo horário;
Associação de substâncias na mesma solução ou
recipiente;
O uso de extensões;
A exposição de certas substâncias a luminosidade;
Evitar administrar nos mesmos horários
medicamentos que possuem os mesmos efeitos tóxicos;
Atentar-se para alterações visíveis quando da
reconstituição e diluição de medicamentos;
Lavar os dispositivos de infusão com soluções neutras;
e
Consultar o farmacêutico sempre que necessário em
relação a efeitos indesejados ou compatibilidade dos
medicamentos.
ERROS DE MEDICAÇÃO
Pode ser definido como:
“qualquer evento evitável que pode causar ou induzir ao
uso inapropriado de medicamento ou prejudicar o paciente
enquanto o medicamento está sob o controle do
profissional de saúde, paciente ou consumidor. Tais eventos
podem estar relacionados à prática profissional, produtos
de cuidado de saúde, procedimentos, e sistemas, incluindo
prescrição; comunicação; etiquetação, embalagem e
nomenclatura; aviamento; dispensação; distribuição;
administração; educação; monitoramento e uso”.
ERROS NA MEDICAÇÃO

Tipos de erro de medicação


1- Erro de prescrição.
2- Erro de dispensação.
3- Erro de omissão.
4- Erro de horário.
5- Erro de administração não autorizada de medicamento.
6- Erro de dose.
7- Erro de apresentação.
8- Erro de preparo.
9- Erro de administração.
10- Erro com medicamentos deteriorados.
11- Erro de monitoração.
12- Erro em razão da não aderência do paciente e
família.
13- Outros erros de medicação – Estratégias de
prevenção.
Algumas consequências que o
erro de medicação pode gerar
para o paciente:
prolongar o tempo de internação e de recuperação;
expor o paciente a mais procedimentos e
medidas terapêuticas;
 atrasar ou impedir que reassuma suas funções sociais;
provocar sua morte;
Referências:
Manual de Drogas Injetáveis e Serviço de Farmácia Hospitalar do HUOP
– elaborado Outubro 2008.
PHARMD, Barry M.; YOUNG, Thomas E. GUIA DE MEDICAÇÕES USADAS
EM RECÉM-NASCIDOS – NEOFAX. Ed. Atheneu. 19ª ed. São Paulo: 2006.